Estresse, ansiedade, depressão… É cada vez mais comum que nossas rotinas sejam tão intensas a ponto de nos depararmos com um desses males em algum momento. O que poucos sabem é que surgiu uma nova e simples prática que é capaz de nos ajudar a manter a calma e o equilíbrio: o mindfulness.

Já ouviu alguma vez essa palavra, mas não compreende exatamente o seu significado? Podemos ajudar com isso! Com o exercício do mindfulness, é possível que encontre um aliado eficaz no aperfeiçoamento de sua concentração e foco, o que leva a uma otimização de toda sua rotina.

Confira nesta leitura:

  • O que é o mindfulness?
  • Quem precisa do mindfulness?
  • Quais os benefícios de praticar o mindfulness?
  • Como praticar o mindfulness: 7 passos iniciais!
  • Mais dicas para praticar o mindfulness.

Vem com a gente!

O que é o mindfulness?

Quantas vezes tivemos a sensação que percorremos nossos dias atuando como máquinas, com o corpo e a mente fora de sincronia? O mindfulness é uma habilidade humana básica — já presente em nós — que reequilibra nosso organismo. Ele faz com que estejamos completamente cientes de nossas ações e emoções. 

O renomado Jon Kabat-Zinn, famoso pelo desenvolvimento da técnica de Redução do Estresse Baseado no Mindfulness (MBSR), define a prática como a consciência que emerge a partir da análise do momento presente, de propósito, e sem caráter julgativo.

Como dito anteriormente, o mindfulness não é somente uma ferramenta de autodescobrimento e aprimoramento de nossas habilidades, algo que se possa conseguir externamente. Ele é também tido como algo que todas as pessoas possuem e que pode ser acessado. E, assim como toda aptidão, precisa ser devidamente praticado. 

Ao estar em dia com a saúde mental, qualquer tarefa será desempenhada de forma mais prática e objetiva, fazendo com que a produtividade aumente, seja na área profissional ou pessoal. As interações sociais também são facilitadas pois se compreende melhor a outra pessoa e também a si mesmo. 

Como e quando surgiu o mindfulness?

A atual técnica psicoterapêutica conta com uma herança em diversas crenças e religiões asiáticas. Ela vem sendo praticada por centenas de anos, seja apenas individualmente ou atrelada a uma tradição maior. 

De modo geral, o mindfulness foi amplamente popularizado por meio de instituições religiosas budistas e hinduístas. Na religião hindu, encontrou forte aliança com as práticas de ioga, o que facilitou a dispersão. 

Sua inserção na cultura ocidental deve-se a pessoas específicas que estudaram técnicas de mindfulness com professores orientais. Kabat-Zinn é considerado o maior responsável pela importação da técnica para nossas vidas, pelo menos nos últimos anos. 

Quem precisa do mindfulness?

A resposta para esse tipo de questão é bem simples: todas as pessoas que prezam por sua saúde mental! 

Certamente, em algum momento da vida, até mesmo a pessoa mais tranquila enfrentará problemas e angústias que vão impactar negativamente em sua saúde mental. Como sabemos, a ansiedade faz parte do comportamento humano e, invariavelmente, em algum momento se manifestará. 

Atualmente, é comum que as pessoas trabalhem durante horas em frente a computadores, tendo de correr contra o tempo para cumprir prazos caóticos e realizar tarefas complexas. O mindfulness pode se tornar ao mesmo tempo uma válvula de escape e uma ferramenta poderosa para aguçar a percepção e otimizar o tempo.

É por entender essa necessidade que diversas universidades das mais conhecidas do mundo, como Yale, integraram o mindfulness em seu currículo acadêmico, obtendo resultados satisfatórios na produtividade e saúde mental de estudantes. 

Por sua aproximação com o yoga, muitas pessoas pensam que o mindfulness é uma prática exótica ou espiritual, o que não é verdade. Acredita-se que essa capacidade já nos seja inerente, ou seja, não precisamos mudar nada em nossas crenças ou comportamentos para praticá-la. 

Além disso, a prática é considerada um modo de vida baseado em conhecimento empírico, o que a aproxima muito mais da ciência do que de qualquer crença religiosa. Qualquer um pode praticar, sem precisar adicionar ou adquirir nada em especial!

Quais os benefícios de praticar o mindfulness?

Diversos pesquisadores da área chegaram em resultados semelhantes em relação aos benefícios em adotar o mindfulness como estilo de vida. Entre os ganhos, temos:

Redução do estresse

Estudos feitos na área comprovaram uma diminuição considerável na ansiedade e no estresse. Acredita-se que o constante uso da técnica propicia um aumento na capacidade de utilizar estratégias de regulação de humor, o que permite que as emoções sejam experienciadas de maneira seletiva e diferenciada. 

Potencialização da memória de curto prazo

A memória de curto prazo é muito importante para reter informações e categorizá-las para otimizar uma tarefa. Seja para quem trabalha em programação ou para quem atende telefonemas e organiza agendas, a potencialização desse tipo de memória ajuda a realizar uma sequência de afazeres sem perder o foco. 

Aumento do foco

O mindfulness e a atenção estão intimamente ligados. Por meio de seu treino, é possível direcioná-lo para que poucas distrações possam afetá-lo durante a execução de um serviço, o que tornará o trabalho mais produtivo e evitará a famosa procrastinação

Menor reatividade emocional

É o famoso “agir ou falar sem pensar”. Quando nos encontramos imersos na ansiedade, qualquer motivo pode ser a faísca que faltava para uma explosão emocional. O mindfulness ajuda a pessoa que esteja passando por um quadro de grande estresse a analisar melhor a situação e evitar conflitos que possam surgir

Maior capacidade de autodesenvolvimento

Pelo fato de conseguirmos nos conectar com nossa mente e nosso interior de forma mais plena, o mindfulness permite que possamos analisar e pesar melhor nossas ações. Em um turbilhão de preocupações, dificilmente prestamos atenção aos nossos comportamentos e apontamos para nós mesmos o que poderia ter sido feito de maneira diferente. 

A capacidade de autodesenvolvimento fará com que seja muito mais fácil tomar as próprias decisões e evoluir em nossa profissão ou carreira. 

Evita devaneios emocionais

Problemas no trabalho e na vida emocional podem fazer com que alguém se desconcentre por completo das tarefas que está realizando. Um mesmo pensamento atormenta durante horas a fio, o que torna muito complicado a produtividade e o foco.

Com certo treinamento, pode-se deixar todo os pensamentos inacabados de lado para serem melhor refletidos em um momento mais propício, sem prejudicar o trabalho que se realiza. 

Melhora na dinâmica dos relacionamentos

Seja em uma relação profissional, pessoal ou amorosa, conflitos surgem a todo instante. O mindfulness melhora a compreensão dos relacionamentos e ajuda a prever determinados comportamentos que poderiam ser um empecilho para a relação, garantindo que haja comunicação e resolução prévia. 

Tal benefício ajuda, inclusive, na manutenção do networking, estratégia essencial para conseguir sucesso na carreira profissional. Quanto melhor for a comunicação, maior será a troca de experiências e informações!

Como praticar o mindfulness: 7 passos iniciais!

Quer tentar incluir o mindfulness na sua rotina? Então, vamos lá! Antes, vale a pena salientar que o mindfulness muitas vezes vem associado com a meditação, entretanto, essas palavras não devem ser sinônimas uma da outra; é possível praticar o mindfulness sem estar necessariamente meditando

Outro ponto importante é que caso sinta qualquer desconforto em relação às posições aqui propostas, adapte para uma em que se sinta totalmente confortável, de acordo com os recursos que possuir. 

O essencial é que este momento seja suficiente para que vocêse estabilize e consiga relaxar antes de voltar aos afazeres diários. Vamos começar?

1. Sente-se!

Pode ser em um banco em uma praça, uma almofada, na cama, qualquer lugar! O importante é que deve ser confortável e estável! Evite cadeiras de balanço ou assentos irregulares que possam fazer com que perca seu equilíbrio.

2. Sinta as suas pernas

Se estiver sentado no chão, veja se é mais confortável que elas estejam dobradas ou esticadas. Caso esteja em uma cadeira, faça com que seus pés toquem por completo o chão. Agora, se já tiver certa experiência fazendo yoga, pode usar a posição que preferir.

3. Endireite o tronco

Normalmente, quando dizem para arrumar a postura, procuramos esticá-la ao máximo. Não é necessário que faça isso, procure um meio termo entre a coluna totalmente ereta e relaxada que seja confortável. 

4. Preste atenção nos braços

Imagine seus braços formando linhas paralelas com seu tronco. Deixe-os livres ao lado, sem colá-los às costelas. 

5. Lembre-se também de suas mãos

Com os braços corretamente paralelos ao tronco, suas mãos serão direcionadas para o topo de suas pernas. Deixe com que elas encontrem uma posição confortável. 

Se elas forem muito adiante, o corpo relaxa. Se elas forem muito para trás, o corpo enrijece demais. Procure não deixar nenhum desses casos acontecer. Você pode imaginar que seu corpo é composto de diversas retas alinhando-se pouco a pouco. 

6. Desça um pouco o queixo

Ao fazer isso, você garante que suas pálpebras acompanhem o movimento. Elas podem se fechar por completo, ou, se preferir, elas podem ficar semiabertas fixando o primeiro objeto que estiver a sua frente sem realmente focá-lo.

7. Mantenha-se assim por alguns instantes

Fique nessa posição o quanto achar necessário. Caso pensamentos venham e façam com que perca o foco do seu corpo, procure gentilmente afastá-los. 

Nem todas as pessoas conseguem se manter assim por muito tempo, ainda mais se não tiverem muita prática. Se sentir que está desfocando e, então, perder a postura, você pode simplesmente recomeçar desde o primeiro passo até que sinta que está relaxado e pronto para voltar às atividades rotineiras. 

Mais dicas para praticar o mindfulness

Mesmo com as dicas achou difícil se concentrar? Não tem problema! Muitas pessoas não conseguem se desconectar tão facilmente de primeira. Por isso, existem diversas ferramentas para ajudar e ensinar outros modos de praticar o mindfulness:

Aplicativos

Os aplicativos de meditação e mindfulness estão em alta! Existe uma grande variedadecom as mais variadas formas de exercício do mindfulness, alguns deles são gratuitos! 

Grandes nomes são o Insight Timer, o Calm e o Aura. Cada um deles tem uma abordagem diferente e uma proposta para conseguir relaxar. Vale a pena conferir!

Profissionais de mindfulness

Muitas pessoas preferem uma abordagem mais pessoal e didática. Já existem cursos de formação em mindfulness e profissionais já estão oferecendo seus serviços para ensinar técnicas e proporcionar uma experiência mais completa da área. Apesar de não ser tão acessível, é uma boa escolha para aqueles que preferem se desconectar na hora de relaxar. 

Vídeos

O YouTube possui uma infinidade de vídeos que ajudam a passar a prática do mindfulness de diversos modos. É uma ótima escolha para aqueles que têm uma necessidade visual para concentrar-se e aprender

Basta ir até o site e digitar na barra de busca qualquer palavra relacionada ao tema e muitos vídeos poderão ser acessados a partir de suas preferências.

No dia a dia

Você pode praticar o mindfulness em atividades pequenas sem precisar de um tempo para parar tudo o que está fazendo e sentar. São atitudes pequenas, mas que podem levar você a aprimorar essa prática. 

Quando for andar de um ponto a outro da cidade, procure prestar atenção em cada passo que faz, cada movimento, cada ação e decisão tomada. Ao invés de deixar-se levar nos problemas diários, perceba as cores e os sons de tudo ao redor.

Pratique também numa conversa informal com colegas. Ao receber um discurso emotivo de alguém, procure analisar se há julgamento nas suas palavras, se o que dirá é de fato imparcial. Evitar o juízo sobre ações de outras pessoas é uma forma muito eficaz de exercitar. 

Como o mindfulness é uma prática pessoal, é importante que você descubra qual é a sua maneira de acessar esse exercício e como você se sente mais confortável. Os benefícios vão potencializar a sua carreira, independente da área. Por meio disso, você saberá se está feliz com sua vida pessoal e profissional e até mesmo se está trabalhando em excesso

Agora que descobriu uma ótima maneira de manter a saúde mental em dia e ainda aperfeiçoar suas habilidades, confira dicas para trabalhar com o que ama e alcançar o trabalho dos sonhos!

0 Shares:
Você também pode gostar