Voltar ao trabalho presencial não é o desejo da grande maioria de pessoas que têm a oportunidade de exercer suas funções remotamente. 

O modelo de trabalho híbrido é o “queridinho” dos trabalhadores, segundo indica uma pesquisa feita com 32.500 de colaboradores feita pela PwC, network de empresas que está presente em 155 territórios. O modelo híbrido ficou em primeiro lugar com larga vantagem em comparação a outras modalidades de trabalho. 

A maioria dos entrevistados – 72% – afirmaram que preferem uma mistura de trabalho presencial e remoto. De acordo com o estudo, apenas 9% das pessoas que podem trabalhar remotamente desejam voltar a se deslocar para um ambiente de trabalho tradicional em tempo integral. 

gráfico sobre a preferência de 72% dos entrevistado pelo trabalho remoto
Preferência é pelo trabalho remoto; em seguida, a opção é pelo trabalho remoto integral

Do total de entrevistados, 19% ficariam felizes em não retornar ao escritório de maneira nenhuma, seguindo sempre em esquema de home office. A pesquisa evidencia a diferença no tipo de trabalho de quem vive em zonas urbanas e rurais. 

Os trabalhadores que moram em áreas metropolitanas (66%) são mais propensos a desempenhar funções que permitiriam o trabalho remoto do que aqueles que vivem em áreas rurais (44%). 

O modelo de trabalho que se impôs durante a pandemia da Covid-19 – seja integralmente remoto ou híbrido – jogou luz sobre os impactos que o trabalho distante da equipe pode ter sobre a vida dos funcionários. Uma rotina a distância sem prazo determinado para acabar exigiria, muitas vezes, que as lideranças usassem recursos tecnológicos para acompanhar as tarefas e resultados. 

Essa prática agrada 44% dos trabalhadores, que afirmaram permitir que o empregador use tecnologia para monitorar o desempenho no dia a dia, incluindo sensores e dispositivos wearable, enquanto 31% são a medida. 

A pesquisa levantou também a discussão sobre o acesso a dados pessoais dos funcionários. Do total de participantes, 41% dizem que não querem dar ao empregador acesso aos seus dados pessoais, como perfis nas mídias sociais, mas 35% afirmaram que estão dispostos a isso. 

A avanços tecnológicos vão transformar o mercado

Mais da metade dos entrevistados – 51% – acreditam que os avanços tecnológicos vão transformar a maneira como as pessoas trabalham nos próximos três a cinco anos. Para Chaitali Mukherjee, Líder de Pessoas e Organização, Upskilling e Transformação de RH da PwC Índia, o modelo de trabalho a distância é um caminho sem volta. 

“O trabalho remoto será parte de como faremos negócio no futuro. Com investimentos contínuos em tecnologia, a colaboração virtual se tornará uma parte integrante da experiência do empregado”, afirma ele. 

O estudo da companhia também elencou qual seriam os ambientes de trabalho ideais para os funcionários. Nessa pesquisa, participaram 19.465 pessoas, todas cujo trabalho tem elementos que podem ser usados remotamente com o uso da tecnologia avançada, com exceção dos estudantes. 

O modelo vencedor foi o que propõe uma mistura de trabalho presencial e remoto, com 34% dos votos. Em seguida, vieram as opções que oferecem trabalho majoritariamente virtual, com pouca atividade presencial (25%); um lugar que oferece a chance de trabalhar 100% virtualmente e de qualquer lugar (19%); e, por fim, aqueles que têm preferência pelo ambiente presencial. Apenas 13% querem o trabalho presencial, com poucas atividades remotas, e 9% desejam voltar ao espaço físico da empresa em tempo integral. 

0 Shares:
Você também pode gostar