Feedback: o que é, quais os tipos e como dar feedbacks?

O termo feedback é muito vasto e pode significar coisas diferentes dependendo da situação. Por exemplo, em um contexto fisiológico, temos feedback em seu sentido mais primitivo: o estímulo de algum componente do corpo que vai gerar uma reação. Vamos supor que você esteja tomando uma xícara de café que está muito quente. Ao tocar a xícara, você rapidamente retira sua mão para evitar queimá-la. Isso é um feedback de seu corpo. 

Mesmo sendo o sentido primitivo, ele já nos dá pistas de que muitas vezes o feedback é essencial para nossa sobrevivência. Ao trazer o conceito de feedback para as relações humanas e profissionais, percebemos que a presença dele em nossas atividades diárias pode ser o divisor de águas para uma carreira bem sucedida e para ter relações pessoais harmoniosas

Ao escolher se fechar para feedbacks nos âmbitos pessoais e profissionais, seja para recebê-los ou oferecê-los, uma pessoa pode ficar presa no mesmo de erros, sem previsão de crescimento. Portanto, feedbacks não servem somente como reação passiva de uma ação, mas também como propulsão para a mudança.

Já deu para perceber que dar feedbacks é uma soft skill essencial em sua vida, né? Por isso, preparamos este conteúdo completo para você conferir:

 Boa leitura e vamos lá!

O que é Feedback?

De acordo com o dicionário Cambridge, “feedback” pode ser primariamente definido como “uma reação a um processo ou atividade; ou a informação obtida de uma determinada reação”. 

Portanto, precisamos de feedback em tudo o que fazemos, desde as ações mais naturais, como andar — que requer feedbacks constantemente de nossos mecanismos de equilíbrio e noção visoespacial — até tarefas que são construídas a partir da comunicação e da aprendizagem, como nosso trabalho, estudos, etc. Quanto menos experiência na tarefa em questão, maior a necessidade de um feedback para a compreensão do nosso progresso

Uma fonte de feedback que utilizamos constantemente são outras pessoas. Como seres racionais, somos capazes de perceber quais são suas reações — positivas, negativas, planejadas, espontâneas ou até mesmo ausentes. A partir disso, tiramos conclusões que vão modificar nosso comportamento. 

Grande parte desses feedbacks não são exatamente intencionais. As pessoas simplesmente reagem a partir de gestos e expressões a algo que fazemos. Apesar de ser um processo informal, ainda assim é muito poderoso e eficaz em nós de forma inconsciente, já que conseguimos compreender sem complicações a mensagem transmitida.

A partir do âmbito profissional, os feedbacks são — e devem — se tornar intencionais. Isso porque feedbacks intencionais são dotados de informações úteis e objetivas que vão atuar diretamente no ponto em que necessitamos de melhorias

Feedback e crítica é a mesma coisa?

Em um mundo ideal, todas as pessoas recebem e aceitam feedbacks, melhorando consequentemente. Porém, não é bem assim que funciona e, algumas vezes, também recebemos críticas. Apesar de serem relacionadas, críticas não são a mesma coisa que feedbacks.

A melhor forma de diferenciar uma crítica de um feedback é questionar quem é a pessoa que se beneficia do comentário em questão. Caso o comentário seja pouco relevante ou completamente ineficaz para quem recebe, não se trata de um feedback, mas de uma crítica. 

Feedbacks são pensados para o benefício de quem o recebe, pois a pessoa que dá o feedback compreende que ela também se beneficiará com o crescimento da outra. Logo, o propósito do feedback é ajudar no desenvolvimento pessoal e profissional de alguém, além de reforçar comportamentos positivos. Qualquer coisa que fuja desse propósito pode ser considerada uma crítica, que, além de não ajudar, pode ferir a confiança e atrapalhar o crescimento de outra pessoa. 

Tipos de feedback

Será que todos os feedbacks são exatamente iguais e são feitos da mesma forma? A resposta é não! Podemos ter diversos tipos atuando em situações diferentes, a depender da necessidade. Vamos conhecê-los então? Veja:

Feedback positivo

O feedback positivo é utilizado em situações em que uma pessoa realizou uma ação com maestria e obteve bons resultados. Pode ser composto de um elogio breve, seguido de um destaque das atividades bem sucedidas e por qual razão a pessoa fez um bom trabalho. 

Feedback negativo

Já o feedback negativo é aplicado para situações que resultara no desconforto de alguém ou quando foi cometido um erro muito crucial intencionalmente. Esse é um tipo de feedback mais duro, porém necessário para que a pessoa compreenda que as ações dela não foram legais. Apesar disso, é recomendado não utilizar palavras com tom insensível, independentemente do erro cometido pela pessoa. 

Deve-se tomar cuidado para que o feedback negativo não se torne uma crítica impiedosa ao comportamento da outra pessoa. É imprescindível sempre manter em mente que o feedback é para fazer com que o comportamento ou ação em questão não se repita, levando à evolução pessoal, e não deve ser uma forma de punição em hipótese alguma. 

Feedback construtivo

Feedbacks construtivos são utilizados em situações em que os resultados esperados não foram obtidos. Diferentemente da situação em que o feedback negativo se aplica, a pessoa aqui não agiu consciente de que o resultado de suas ações não seriam positivos, sendo consequência de uma limitação ou falta de conhecimento. 

Portanto, o feedback construtivo de forma alguma deve ser duro. Ele deve refletir apenas os pontos em que a pessoa pode melhorar. Sua entrega deve ser de forma empática e sem julgamentos, utilizando termos e palavras sensíveis. A postura adotada aqui deve ser mais a de uma pessoa amiga que dá conselhos do que a de uma pessoa juíza, que está avaliando resultados. 

Uma estratégia interessante para feedbacks construtivos é começar destacando todas as partes que foram boas ou proveitosas antes de entregar o que deve ser melhorado. Ao fim, termine destacando os pontos positivos da pessoa em questão, para que ela se sinta motivada a melhorar e não entenda o feedback construtivo como uma crítica. 

Feedback informal

Quando o feedback acontece sem um horário marcado para acontecer, dizemos que se trata de um feedback informal. Por vezes, algumas pessoas colaboradoras podem se sentir desconfortáveis ou pressionadas quando superiores marcam reuniões para falar de resultados. Não é fácil distinguir críticas de feedbacks quando os recebemos e reservar um momento apenas para falar disso pode gerar certa ansiedade.

Por conta disso, feedbacks informais são muito importantes. Eles são dados pontualmente ao longo do dia, sem alterar a rotina diária. Pode ser ao final de uma tarefa ou antes do início da próxima, não existe um horário pré-determinado para eles acontecerem. Por ser inesperado, o feedback informal é conhecido por ser mais eficaz. 

6 dicas para dar feedbacks da forma correta!

Até o presente momento já aprendemos o que e quais são os tipos de feedback. Também aprendemos como diferenciar feedbacks de críticas. Logo, você deve estar se perguntando como dar feedbacks com eficiência, certo? Vamos conferir algumas dicas que separamos para fazer com que você seja capaz de dominar essa importante ferramenta!

1. Decida qual o melhor tipo de feedback para a atual situação

Um erro muito comum é querer entregar um feedback sem ter em mente qual o tipo necessário. Se seu objetivo é dar um feedback positivo, por exemplo, e você não tem isso fixo em mente, você pode acabar compartilhando mais do que deveria, deixando a mensagem confusa para quem recebe. 

Logo, saber quais são os tipos de feedback garante que você consiga passar a mensagem de maneira mais assertiva e não deixa a pessoa colaboradora com sentimentos mistos. 

2. Relembre seus motivos para dar o feedback

Antes de dar o feedback necessário, relembre o porquê você está fazendo isso e reflita se não existe nada em sua mensagem que não seja exclusivamente focado para o crescimento da outra pessoa. Se encontrar algo que foge dessa regra, repense a forma de transmitir o feedback para que ele não acabe se tornando uma crítica. 

3. Não perca o “timing” do feedback

Quando sentir a necessidade de dar um feedback a alguém, não espere “ o melhor momento” para fazer isso, pois você pode acabar perdendo o “timing” ou o período de tempo para fazer isso. Caso você dê um feedback de um comportamento ou ação muito tempo depois de ter acontecido, ele pode acabar não sendo tão eficaz quando desejado. Logo, tente dar o feedback o quanto antes!

4. Seja uma pessoa específica e objetiva

Evite dar rodeios ou enfeitar demais seu feedback. Fazer isso pode acabar confundindo a pessoa que está recebendo e sua mensagem não será transmitida com sucesso, tornando o feedback menos eficaz. Quando der um feedback, seja uma pessoa direta, honesta e objetiva, sem perder a transparência e a empatia

Outro ponto importante é não dar informações vagas ou dúbias para quem recebe o feedback, tendo em vista que deixar questões em aberto pode fazer com que a pessoa entenda que o feedback na verdade se trata de uma crítica pessoal. 

5. Dê o feedback apenas para quem deve recebê-lo.

Essa dica é uma das mais importantes. Como a intenção é sempre fazer com que haja o crescimento de alguém, dificilmente um bom feedback é dado na frente de outras pessoas que não estão relacionadas ao assunto. Isso porque essa ação dá a entender que o feedback se trata de uma espécie de “bronca” com objetivo de punir e humilhar quem recebe. Logo, dê o feedback somente para quem deve ouvi-lo, sempre!

6. Atente-se a sua linguagem corporal

Como uma pessoa na posição de dar feedbacks, você deve estar consciente do impacto que isso pode causar no emocional e no psicológico de outras pessoas. Logo, se deseja dar feedbacks de maneira correta, você não pode deixar sua linguagem corporal de fora, já que ela também diz muito sobre a forma com a qual você transmite uma mensagem.

Como dito em tópicos anteriores, por vezes acontece de o feedback ser dado de maneira não intencional por nossas expressões e gestos, portanto, procure sempre se autoconhecer a fim de melhorar sua própria inteligência emocional e, consequentemente, a forma de dar e receber feedbacks. 

Como você lida com feedbacks?

Se você quer dar feedbacks, precisa aprender a lidar com eles quando recebê-los. Por isso, a pergunta “como você lida com feedbacks” é essencial. Por conta do mercado de trabalho competitivo e cada vez mais caótico da atualidade, é comum que estejamos cada vez mais sensíveis a críticas e apontamentos acerca de nossas técnicas, habilidades e competências

Por isso, é muito fácil acabar confundindo um feedback com uma crítica sem querer. Trabalhe sua autoestima e maturidade para conseguir receber feedbacks como eles de fato são, desde os positivos até os mais severos. Afinal, recebê-los é parte essencial das relações humanas e do mercado de trabalho.

Como você deveria lidar com feedbacks? 

Confira a seguir algumas dicas para melhorar sua compreensão sobre feedbacks e recebê-los da melhor forma, a fim de impulsionar crescimento e evolução em todas as áreas da sua vida:

  1. Evite ficar na defensiva;
  2. Não interrompa quando estiver recebendo feedbacks;
  3. Considere feedbacks como pontos de melhoria que você ainda não havia enxergado;
  4. Coloque-se no papel de quem está dando o feedback;
  5. Seja uma pessoa grata por receber feedbacks;
  6. Peça exemplos e estratégias de atuação para mudar;
  7. Reinvente-se a partir do que foi dito;

Seguindo essas dicas, você conseguirá aproveitar todo o potencial de um feedback, tornando-o eficaz em sua vida. Nunca deixe de aprender com os diferentes pontos de vista das outras pessoas sobre seu comportamento e personalidade. 

Feedback técnico e o pair programming!

Se você é uma pessoa que está investindo em uma carreira em tecnologia ou tem interesse no ramo, possivelmente já ouviu falar em pair programming. 

A programação pareada, como também é chamada, é uma prática muito comum em equipes de Extreme Programming em que duas pessoas programam juntas. Enquanto uma faz o código, a outra revisa e dá feedbacks técnicos acerca do trabalho da outra. Depois de um tempo, os papéis são invertidos. Essa metodologia ágil é interessante pois demonstra na prática como feedbacks são importantes e auxiliam no crescimento e na produtividade de um projeto

Como vimos, os feedbacks são utilizados para as mais diferentes situações, em qualquer aspecto de nossas vidas. Quando se trata de carreira, é especialmente importante aprender a entregar feedbacks e lidar bem com eles, pois dentro de algumas áreas, como a programação, feedbacks fazem parte de metodologias de trabalho, proporcionando melhores resultados.

Entendeu como dar e receber feedbacks pode ser importante para você? Que tal agora descobrir outra habilidade essencial, que é a flexibilidade no trabalho?