É comum sentirmos que não estamos alcançando os resultados desejados e, consequentemente, perdermos a motivação para estudar. Para reverter isso, cada pessoa deve optar por métodos de estudos distintos e que combinem mais com seu perfil. Dessa forma, fica mais fácil conquistar seus objetivos, sejam eles boas notas, aprovação no curso desejado ou aprendizagem de uma nova linguagem de programação.

Para te auxiliar na escolha do método de estudo ideal, elencamos 10 maneiras que podem ajudar nos estudos. Se interessou? Então, confira quais técnicas apresentaremos neste post:

  • Mapa mental: organizando o conteúdo em um diagrama!
  • Estudo intercalado: aprenda vários conteúdos de uma forma produtiva!
  • Método pomodoro: se recompense durante os intervalos!
  • Método Robinson: explorar, perguntar, ler, rememorar e repassar!
  • Estudo mnemônico: memorize de forma fácil e divertida!
  • Autoexplicação e auto interrogação: explique para si mesmo em voz alta!
  • Associações: relacionando imagens a conceitos abstratos!
  • Tabelas: fixando conteúdos com esse método!
  • Releitura: leia os pontos principais do conteúdo várias vezes!
  • Teste prático: descobrindo se você aprendeu a teoria!

Vamos lá? Boa leitura!

Mapa mental: organizando o conteúdo em um diagrama!

O mapa mental é uma ferramenta que auxilia na organização do tema de estudo. Ele é atrativo para as pessoas com mentes mais visuais e que querem usar um método simples de ser construído. Diferentemente do mapa conceitual, essa técnica permite maior liberdade para estruturar qualquer que seja o tema e facilita na visualização do conteúdo.

Para estruturá-lo, primeiramente, você terá que definir onde o seu mapa mental será feito. Existem algumas plataformas online que podem auxiliar nesse processo, mas a folha de papel continua sendo a preferida de muitas pessoas.

Depois de decidir isso, você deverá escrever, no centro, a palavra-chave que indica a ideia central do tema que precisa ser estudado. A partir dessa palavra serão feitas ramificações que se direcionam às laterais da folha. Cada uma delas deve indicar uma informação relevante e que se relaciona com a ideia central. Em seguida, ramificações secundárias podem ser ligadas às principais, caso o tema central englobe vários assuntos que merecem sua atenção.

Lembre-se que a quantidade de ramos criados é definida por você e eles podem ser editados de acordo com o conteúdo.

Estudo intercalado: aprenda vários conteúdos de uma forma produtiva!

Suponhamos que você esteja iniciando na área de programação e queira se dedicar a três tipos de linguagem — JavaScript, C e Rust. Uma das formas de aprendê-las com eficiência e evitar a procrastinação é utilizar o método de estudo intercalado. Ele consiste em dividir os temas que precisam ser estudados em um determinado período — duas horas por dia para cada matéria, por exemplo.

É essencial que você utilize esse tempo de forma leve, sem passar um longo período em um conteúdo apenas, pois isso faz com que você se canse e enjoe dele mais rapidamente. Portanto, você deve separá-los igualmente nos horários disponíveis e intercalá-los. Com isso, todas as vezes que você retomar uma matéria, sentirá necessidade de rever o que foi estudado anteriormente.

Método pomodoro: se recompense durante os intervalos!

O nome dessa técnica foi inspirado naquele cronômetro em formato de tomate, já que pomodoro significa tomate em italiano. O próprio nome já indica que esse método de estudo utiliza o tempo como seu principal aliado. O método pomodoro valoriza não somente o período destinado aos estudos, como também o tempo livre. Ao optar por essa técnica, você deve seguir os seguintes passos:

  1. Escolher os temas a serem estudados;
  2. Definir a ordem em que eles serão vistos;
  3. Se dedicar completamente ao primeiro deles por 25 minutos;
  4. Depois de 25 minutos, fazer uma pausa de 5 minutos no máximo;
  5. Repetir todo o processo quatro vezes;
  6. Depois de realizar quatro pomodoros, realizar uma pausa de 30 minutos.

Esse ciclo pode ser realizado diariamente e em qualquer que seja a tarefa, o importante é eliminar todas as distrações e manter o foco enquanto você estuda. Além disso, busque relaxar durante os momentos livres e não realizar nenhuma atividade que exija concentração.

Método Robinson: explorar, perguntar, ler, rememorar e repassar!

Esse método de estudo foi criado pelo psicólogo norte-americano Francis Robinson. Ele é dividido em cinco etapas que contemplam os pontos principais para atingir um bom aprendizado. Veja a seguir!

  1. Explorar: esse é o momento para ter um primeiro contato com o tema que será estudado. O ideal é ler superficialmente sobre ele e seus principais tópicos. Com isso, surgirão dúvidas sobre o assunto, as quais serão levantadas no segundo passo do método;
  2. Perguntar: depois de observar brevemente o conteúdo, é hora de elencar quais os questionamentos sobre ele — escreva em um caderno ou folha de papel para não esquecê-los;
  3. Ler: nessa etapa você deve se dedicar à leitura aprofundada do tema com o objetivo de encontrar as respostas para cada uma de suas dúvidas;
  4. Rememorar: assim que as dúvidas forem cessadas, é hora de ler novamente todo o conteúdo;
  5. Repassar: o passo final consiste em repassar todo o conteúdo — pode ser feito em grupo ou individualmente — o ideal é destacar os pontos importantes em voz alta.

Estudo mnemônico: memorize de forma fácil e divertida!

É provável que, em algum momento da sua vida acadêmica, você tenha se deparado ou utilizado alguma daquelas frases divertidas para decorar um tema, certo? É dessa forma que o método de estudo mnemônico te ajuda a memorizar um conteúdo.

Imagine que você tenha dificuldade em lembrar os planetas do sistema solar em ordem de distância do sol. Uma opção para recordar é memorizar a frase:

Minha Vó Terminou Minha Janta Sem Usar Nozes

Marte Vênus Terra Mercúrio Júpiter Saturno Urano Netuno

Essa técnica é ideal para as pessoas que querem memorizar um conteúdo por um curto período ou têm pouco tempo para decorar o assunto.

Autoexplicação e auto interrogação: explique para si mesmo em voz alta!

Pessoas questionadoras são grandes fãs desse método de estudo! Ele pode ser divido em três etapas: ler, questionar e explicar. Ao colocá-lo em prática é essencial que se duvide de tudo aquilo que se lê e, na sequência, busque encontrar respostas no conteúdo lido por meio da autoexplicação.

Muitas pessoas utilizam marca textos, post its ou até mesmo explicam a matéria em voz alta para si mesmas. Independente da forma de aplicação, o propósito desse método é permitir uma interação entre a pessoa estudante e o conteúdo. Além disso, a auto interrogação permite um aprendizado profundo e de fixação alta.

Associações: relacionando imagens a conceitos abstratos!

Quando alguém te pergunta qual cor representa o amor, provavelmente você responde “vermelho”, correto? Isso porque, na cabeça de muitas pessoas, essa cor está completamente associada a esse sentimento determinado. Assim, não é preciso se esforçar para responder essa questão, uma vez que a associação “vermelho e amor” já é uma ideia fixa em sua mente.

É dessa forma que o método de associação ajuda na memorização de um conceito, principalmente aqueles que são abstratos — números, por exemplo. No entanto, para que essa técnica funcione, deve-se relacionar uma imagem forte e marcante com um tema abstrato. É preciso criatividade para colocar esse método em prática!

Tabelas: fixando conteúdos com esse método!

As pessoas com habilidade em Excel não enfrentarão grandes dificuldades ao adotar esse método de estudo. A ideia é construir uma tabela, estabelecer um tema central e em cada uma das colunas colocar os principais pontos de estudo dessa matéria. A quantidade de colunas e de informação varia de acordo com a sua necessidade e com o conteúdo que está sendo estudado. Para completá-la, você pode utilizar livros e consultar a internet.

Depois dessa etapa, faça a tabela novamente, mas tente preenchê-la sem consultar materiais de estudo dessa vez, utilizando apenas a memória. Repita o processo até que o conteúdo esteja fixo em sua mente.

Releitura: leia os pontos principais do conteúdo várias vezes!

Já te ocorreu de estar lendo um livro ou um trabalho acadêmico e, ao final da página, você não conseguir lembrar nada do que foi lido? Isso acontece porque, muitas vezes, levamos um certo tempo para nos concentrarmos em uma atividade ou, até mesmo, nos distraímos constantemente pelas notificações do celular.

Por isso, como o próprio nome já diz, o método de releitura consiste em dedicar-se à leitura quantas vezes for preciso. Assim, quanto mais se lê com atenção um conteúdo, maior é o entendimento sobre ele e sua memorização. O ideal é que você só pare de relê-lo quando conseguir se lembrar do que está escrito sem a necessidade de consultá-lo.

Teste prático: descobrindo se você aprendeu a teoria!

Muito indicado as pessoas que estão prestando vestibular ou concurso público, o teste prático é um método que auxilia a descobrir se o conteúdo estudado foi realmente absorvido. Para colocá-lo em prática, você deve preparar algumas questões — como uma prova ou teste — com os pontos que mais causaram dúvidas enquanto lia o conteúdo.

Em seguida, sem consultar seus materiais de estudo, você deve respondê-las de acordo com o que foi lido. Por fim, você utiliza seus objetos de estudo para confirmar se suas respostas estão corretas. Caso não estejam, dedique-se novamente à leitura e realize um novo teste.

Viu só como existem diversas maneiras de estudar e aprender efetivamente? O primeiro passo é encontrar o método que mais combina com você e, em seguida, colocá-lo em prática. Logo notará resultados positivos e perceberá como é simples fixar um conteúdo na mente!

Agora que você já conhece 10 métodos de estudo, aproveite a visita em nosso blog e descubra o que é brainstorming e como ele pode te auxiliar a solucionar problemas e ter novas ideias!

0 Shares:
Você também pode gostar