O surgimento e a popularização das novas ferramentas possibilitaram um crescimento exponencial do setor de tecnologia da informação. Devido ao avanço de subáreas como a computação em nuvem, inteligência artificial e internet das coisas, a área oferece a cada dia mais espaço e boas oportunidades para novos talentos.

Por essa razão, o profissional de tecnologia se tornou multifacetado. Sendo assim, hoje, não falamos mais em uma única função, mas em inúmeras. A área tem impactado diretamente todos os setores das companhias, em variados nichos e segmentos de negócio. 

Dessa forma, é fundamental entender essas tendências e as perspectivas para o futuro. Acompanhe este guia e saiba o que faz o profissional de TI e qual a sua relevância no mercado:

Boa leitura!

Como está a demanda por tecnologia no mercado?

O surgimento do computador pessoal tornou tudo mais prático para pessoas e empresas. Os processos que antes tinham de ser manuais, agora podem ser automatizados. 

Documentos e arquivos que eram guardados em estruturas físicas ganharam espaço em discos rígidos virtuais. Ou seja, mundo abriu as portas para um novo paradigma que trouxe diversos benefícios e possibilidades.

Depois, veio a internet, revolucionando as companhias ainda mais. Graças a ela, temos a computação em nuvem, que possibilita o acesso a recursos computacionais de maneira distribuída. Além disso, a mobilidade também melhorou, permitindo o acesso a dados e tomada de decisão de maneira rápida, em qualquer lugar, a qualquer momento.

Ainda assim, TI atualmente não é somente uma área técnica — se tornou estratégica e funciona lado a lado com a gestão, fornecendo ideias valiosas para os negócios, por isso o mercado de TI continua muito aquecido.

Blockchain, internet das coisas e Big Data

Atualmente, uma tecnologia tem sido chamada de “nova internet”: o blockchain. O conceito abrange a ideia de realizar transações sem intermediários, de uma forma ágil e segura.

Ela faz uso intenso de criptografia e não permite a exclusão de informações. Possibilita liberdade, descentralização e autonomia, como aconteceu com a internet no início, e já está sendo aplicado em diversos segmentos e atividades.

Nesse conjunto de avanços, podemos incluir também a internet das coisas. Os objetos conectados sem estruturas de fios e cabeamentos permitem facilitar a vida humana, com mais inteligência e automação de tarefas simples.

A ideia é aperfeiçoar o monitoramento e acompanhamento de diversas funções do dia a dia, gerando dados que serão analisados posteriormente e compreendidos como insights.

Mesmo assim, é importante ressaltar que a internet das coisas está em toda parte, desde equipamentos simples como eletrodomésticos, até em outros mais complexos. 

Tudo isso nos traz a uma das principais revoluções do momento: o Big Data. Os dados produzidos em tempo real em diversos canais podem ser extremamente valiosos.

Assim, caso analisem as informações com ferramentas adequadas, as empresas conseguem encontrar padrões, ideias e tendências que auxiliam a tomada de decisão. As aplicações se estendem do relacionamento com o cliente à logística e do ramo educacional ao agrário. 

Todas essas tecnologias exigem profissionais qualificados. Pessoas que estão no ramo, indivíduos de outras áreas e estudantes mais novos — há oportunidade para todos.

O que faz o profissional de TI?

Como mencionado, são diversas as atribuições possíveis para um profissional de tecnologia. Esse conceito hoje abrange uma série de funções. Por isso, nos tópicos a seguir, vamos examinar o dia a dia de algumas profissões na área de tecnologia para expandirmos o assunto.

Desenvolvimento de sistemas

Com o aumento da demanda por sistemas de software, o desenvolvimento se tornou uma área promissora.

Desenvolvedores são profissionais que se reúnem para criar aplicações que serão utilizadas diariamente pela própria empresa em que trabalham ou por pessoas de fora. Assim, a rotina deles é cheia de projetos e dividida pelo escopo de cada um.

Tudo começa quando clientes, stackholders, e todos da equipe discutem e definem qual problema irão resolver. A partir daí, as pessoas do time determinam os objetivos e começam a pensar de maneira direcionada a fim de solucionar aquele problema.

Isso pode envolver uma melhora em uma aplicação para gerenciar pedidos em uma loja virtual ou como resolver o problema de empregabilidade do Brasil e do mundo, por exemplo. 

Então, a equipe se prepara e começa a trabalhar. A abordagem depende da metodologia escolhida, mas, neste passo, os membros executarão em conjunto e terão contato direto com todos para que a comunicação seja ainda mais efetiva e o problema consiga ser resolvido.

Além disso, também serão estabelecidas as tecnologias a serem utilizadas para passar por este processo até a resolução da adversidade. 

Gerenciamento de projetos

Em um cenário parecido com o que já apresentamos, trabalha o gerente de projetos. Contudo, ele é somente parte da equipe de desenvolvimento, mas o líder. Sua função é garantir que haja comunicação e administrar os riscos, prazos, custos e interesses dos clientes.

Infraestrutura

O profissional de infraestrutura é crucial para o trabalho dos outros profissionais. Afinal, é responsável por manter os sistemas estáveis e funcionais no dia a dia. Esses colaboradores cuidam das redes, dos servidores, das máquinas virtuais, dos bancos de dados e de outras questões que servem de base para o uso de tecnologia por toda a empresa. 

Segurança

Em um contexto exclusivamente digital, com informações abertas e disponíveis na internet, a segurança de informações é muito relevante.

O profissional da área deve gerenciar as atividades internas para garantir que tudo esteja em conformidade com as leis/regulações e assegurar que os dados e sistemas estejam devidamente protegidos, a fim de obter estabilidade para o dia a dia. 

Ele define quais soluções de software utilizar para proteger a companhia, monitora as redes, mapeia o uso de dados e cria estratégias para recuperação de desastres — ações que visam recuperar a normalidade depois de incidentes de segurança. 

Testes

Se existe uma equipe para desenvolver uma aplicação, também existem profissionais específicos nessas equipes para focar nos testes. A função deles é submeter os sistemas a uma série de fluxos de uso a fim de garantir que eles funcionem corretamente.

O objetivo é assegurar que os requisitos estão sendo cumpridos e que as expectativas serão atendidas. 

Costuma-se dizer que o testador é o colaborador que vai procurar os erros de um sistema, tentando fazê-lo quebrar com as combinações de entrada e diversos cenários possíveis. 

Muitos estudantes até enxergam esse tipo de colaborador como um adversário do programador, mas o trabalho dele é, na verdade, um forte complemento ao que o desenvolvedor cria.

Análise de dados

A análise de dados é, hoje, uma das principais áreas para atuação de profissionais do ramo de TI.

Afinal, com a explosão do Big Data, conceito que se torna cada dia mais importante, as empresas demandam mais pessoas com conhecimento técnico para lidar com a grande quantidade de dados e transformar essas bases em insights e em valor.

Nessa subárea, dá para trabalhar com ciência de dados, no desenvolvimento de algoritmos a fim de tratar e filtrar dados não-estruturados.

Com Business Intelligence, na criação de modelos de dados e formas de visualizar informações de modo a otimizar a tomada de decisão dos gestores. E também com engenharia de dados, na construção de arquiteturas para armazenamento e tratamento de informações em grandes quantidades.

Além disso, o profissional pode focar em inteligência artificial, machine learning e deep learning, campos que estudam o aprendizado dos computadores e utilizam Big Data como base de treinamento.

O mais interessante acerca de trabalhar com dados é que as aplicações são diversas, em praticamente todos os setores de uma empresa, da logística ao RH. 

Quais os assuntos estudados na área de Tecnologia da Informação?

Neste tópico, vamos aprofundar os assuntos e temas que são estudados por pessoas que desejam seguir carreira em TI. É importante ressaltar que esses temas estão sempre em constante mudança, visto que a área se renova com frequência.

Aspectos essenciais de ciência da computação

Vamos começar com os conhecimentos básicos da área de ciência da computação, praticamente obrigatórios para todo aluno de tecnologia. É preciso estudar a lógica de programação, o desenvolvimento de algoritmos para resolver problemas e os artifícios que auxiliam nessa tarefa, como as estruturas de dados.

O profissional deve conhecer as principais linguagens de programação e entender as diferenças entre os paradigmas comuns — funcional, orientado a objetos e imperativo. É preciso dominar os conceitos mais simples que compõem os padrões de programação, como variáveis e constantes.

Também é estudado o que esses conceitos significam em termos de hardware. Assim, muitos aprendem como funcionam os sistemas operacionais e como eles respondem aos comandos de um programador.

Outro assunto relevante é a arquitetura de um computador e a descrição de seus componentes — memória, central de processamento, barramentos e os dispositivos de entrada e saída. 

Programação front-end e back-end

Uma das áreas mais comuns para ingresso profissional de tecnologia da informação é o desenvolvimento web. Construir sites é uma demanda de praticamente todas as empresas no mundo da transformação digital. Por isso, o front-end e back-end são essenciais.

O front-end estuda os aspectos referentes ao visual de um site, tais como os componentes que formam o layout, e a lógica de programação envolvida no funcionamento de uma página. Parte das tecnologias estudadas para esse fim são: HTML, CSS e JavaScript. 

Já o back-end estuda a conexão com APIs, gerenciamento de banco de dados e toda a lógica do lado servidor da internet. Uma linguagem muito estudada para isso é o PHP. O JavaScript também se tornou referência com o framework Node.js.

Metodologias ágeis

Não adianta ter conhecimentos de programação se um colaborador não sabe conseguir o melhor de um processo de desenvolvimento. Por isso, é importante entender as metodologias ágeis e saber como elas ajudam a alinhar resultados e produzir software com mais rapidez. 

O foco em colaboração, comunicação e em feedbacks, aliado às entregas e testes contínuos ajudam a assegurar produtos de qualidade. Nesse sentido, vale estudar as principais metodologias e as diferenças entre elas.

Infraestrutura

Aprender sobre infraestrutura também é relevante para quem deseja se tornar um profissional completo. 

É de extrema importância entender como funcionam as redes de computadores e as tecnologias recentes da área, como a cloud computing, a edge computing e a internet das coisas. Da mesma forma, assuntos como arquitetura de servidores e computação em cluster também devem ser estudados.

Em complemento a isso, alguns alunos analisam um pouco os padrões de telecomunicações que precederam a computação, afinal, muitos conceitos foram herdados desses padrões. 

Além disso, existem também os bancos de dados. Para entender como funcionam as aplicações computacionais, eles compreendem uma parte importante do aprendizado.

Os estudantes aprendem a realizar modelagens, definir relações entre tabelas e a programar isso com linguagens específicas para essa finalidade.

Atualmente, também está se tornando comum o estudo de bancos de dados não-estruturados e tecnologias similares. Afinal, esse conhecimento é relevante para a ciência de dados, bem como para compreender e trabalhar com a Business Intelligence e inteligência artificial.

Inteligência artificial

A inteligência artificial é um campo rico em aplicações e assuntos a serem estudados. Assim como outras subáreas, é muito dinâmica e envolve sempre mudanças e o surgimento de paradigmas mais eficientes. 

Dentro desse tema maior, é muito estudada a computação visual, que consiste em fazer equipamentos entenderem e processarem informações visuais. O reconhecimento de imagens é uma aplicação comum.

Além disso, existe o processamento de linguagem natural, uma área que tenta ensinar computadores a compreenderem áudios de pessoas falando. Outra aplicação é o processamento de textos, que tenta fazer com que a máquina entenda textos escritos.

Quais as competências que uma pessoa da área de tecnologia da informação precisa para se destacar no mercado?

Um profissional de tecnologia da informação não é só um estudante que conhece muito bem os aspectos técnicos. É preciso ir além e dominar outras capacidades. 

Absorver feedbacks

Um bom colaborador sabe ouvir críticas ao seu trabalho e entender que elas são essencialmente voltadas ao resultado. Por isso, esses profissionais extraem valor de críticas e sugestões, entendendo como podem melhorar a partir delas. 

Ter uma visão de negócios 

Outra habilidade fundamental é ter uma boa visão de negócios e de mercado. Como vimos nos tópicos anteriores, a tecnologia de hoje é muito mais voltada para essa área e requer pessoas com um conhecimento mais amplo, inclusive multidisciplinar. 

É preciso entender bem os objetivos das empresas e como elas se posicionam no mercado. Da mesma forma, é necessário conhecer as concorrentes e o público. 

Ser criativo(a)

A criatividade é essencial para um profissional de tecnologia da informação, pois ela é o combustível para resultados satisfatórios diariamente. Bons softwares ou boas ideias para solucionar problemas requerem raciocínio diferenciado para que seja possível fugir de saídas fáceis, que não se destacam no mercado. 

As soft skills são valiosas também, pois preparam o profissional como um ser humano para lidar com outros. São elas: empatia, comunicação, inteligência emocional etc.

Se aprimorar constantemente

Como a tecnologia da informação sempre está em mudança, o mercado exige que as pessoas aprimorem seus conhecimentos e habilidades constantemente. Sempre é bom tentar aprender novas linguagens de programação, novos padrões de projetos e novas metodologias de trabalho. 

Como vimos, se destacar na tecnologia da informação requer estudo e cuidado com o desenvolvimento de habilidades importantes. A área é muito ampla e permite que o estudante trabalhe com diferentes focos.

Para se preparar para cada um deles, é imprescindível estudar bastante os temas que mencionamos e buscar aprendizado e evolução sempre.

Gostou do assunto? Acompanhe as nossas novidades nas redes sociais. Estamos no Facebook, no Twitter e no Instagram

3 Shares:
Você também pode gostar