O que sabemos sobre a tecnologia é que sua atuação é onipresente. Isso significa que não há uma área que não tenha tido melhorias por conta da evolução da tecnologia. Um dos setores que certamente não ficou de fora dessa inovação é o setor financeiro. Recentemente, o termo “Tecnologia Financeira” tem aparecido cada vez mais, indicando que a revolução tecnológica na área das finanças já começou

Se prestarmos bastante atenção, já podemos perceber os impactos disso. Por exemplo:, há poucos anos atrás, todas as pessoas necessariamente precisariam estar vinculadas a instituições financeiras, muitas vezes pagando taxas e juros abusivos. Atualmente, uma pessoa já pode contar com várias empresas que se utilizam da tecnologia financeira para se libertar dessa necessidade. Logo, os “bancos” digitais, como são chamados, são prova material dessa mudança do setor financeiro.

Quer saber mais sobre a tecnologia financeira e sobre as fintechs, que se originaram a partir dela? Então, não deixe de conferir o conteúdo completo que estamos disponibilizando abaixo para você! Veja o que você vai conferir:

Boa leitura!

O que é Tecnologia Financeira?

A tecnologia financeira (Fintech) é bastante utilizada ao descrever novas tecnologias que visam buscar a melhora na automatização das entregas e também o uso dos serviços voltados a finanças. Em poucas palavras, a fintech é uma ferramenta importante cuja utilização é feita para auxiliar empresas, pessoas idealizadoras e proprietárias de negócios e também consumidores no gerenciamento cada vez mais assertivo de suas operações financeiras, utilizando softwares especializados e algoritmos.

Em sua criação, ainda no século 21, o nome fintech teve como início de sua aplicação a tecnologia utilizada em sistemas de back-end em instituições financeiras. Entretanto, durante o caminho, houve uma mudança no oferecimento de seus serviços, passando para uma aplicação voltada com uma definição e orientação à pessoa consumidora. A tecnologia financeira agora inclui uma variedade ampla de setores e indústrias, sendo elas da educação, organizações e arrecadação de fundos, por exemplo.  

Portanto, o termo “tecnologia financeira” pode e deve ser utilizado e relacionado a qualquer forma de inovação no caminho e maneira em que as pessoas fazem negócios, como por exemplo a criação do dinheiro digital, contabilidade por partidas dobradas, entre outros. Sendo assim, as fintechs descrevem uma grande e ampla variedade de movimentações tecnológicas para a vida pessoal e também finanças comerciais. 

Tecnologia Financeira e Startups

Para além de toda a definição geral de tecnologia financeira, seu termo em inglês, “fintech”, popularizou-se em larga escala como uma forma de nomenclatura de uma startup que se utilizam da tecnologia para desenvolver produtos que sejam ligados ao setor financeiro. Logo, uma fintech é uma startup financeira. 

A principal característica das fintechs é o uso de tecnologias digitais para controlar finanças, conseguindo estabilizar-se como uma forte alternativa aos modelos e instituições tradicionais de crédito e financeiras. 

Importância da Tecnologia Financeira!

São muitos os fatores que comprovam a importância da tecnologia financeira. Além de uma maior assertividade ao empregar essa estratégia, a fintech também pode elevar a experiência das pessoas consumidoras, promovendo a segurança no pagamento e até mesmo uma maior satisfação ao se deparar com um negócio construído de forma confiável e organizada.

É de comum acordo para pessoas que visam entrar no processo de criação de negócios a necessidade de priorização da tecnologia financeira. A gestão de processos de um negócio não é uma tarefa fácil e na maioria das vezes pode ser algo desafiador por sua complexidade e por serem inúmeras as demandas que surgem no meio do caminho, englobando a necessidade de funcionamento e fluxo de caixa, planejamentos, gestão tributária, entre outros.

Qual a relação entre Tecnologia Financeira e as Novas Tecnologias?

Muitas novas tecnologias, como inteligência artificial, aprendizado de máquina, marketing guiado a dados, são áreas que têm muito a se beneficiar com as inovações financeiras. Isso porque aplicações e softwares que normalmente aprendem sobre o comportamento de uma pessoa usuária ou consumidora também poderão aprender sobre seus hábitos financeiros, dentre eles como a pessoa gasta seu dinheiro, como economiza, em quais áreas o gasto é maior, apenas para citar alguns exemplod. 

Outros benefícios possíveis desse casamento inevitável é a utilização de chatbots para auxiliar pessoas consumidoras com questões básicas e acerca do custo de determinados produtos, além de garantir uma maior garantia antifraude, uma vez que será mais fácil identificar pagamentos fora da normalidade por meio do histórico de transações. 

O que é o movimento das Fintechs?

Voltando a falar de Tecnologia financeira no âmbito das startups, as fintechs, o Movimento das Fintechs — também conhecido como Revolução das Fintechs — é a grande transformação pela qual o setor financeiro passou para chegar até onde está hoje, iniciando-se 20 anos atrás. Grande parte dessa transformação se deve às pesquisas e desenvolvimentos da tecnologia financeira em si. 

O Movimento das Fintechs se dá em quatro grandes momentos decisivos para sua história, configurados da seguinte maneira:

1- Fundação da PayPal (1998 a 2007)

Em 1998, no Vale do Silício, Peter Thiel e Max Levchin fundaram uma empresa que mal sabiam eles ia dar início a toda essa jornada: a PayPal. Em pouco tempo a empresa se torna um sucesso e é negociada por muito dinheiro, sendo comprada ao fim pelo eBay por aproximadamente 1,5 bilhão de dólares. No Brasil, as fintechs surgiram na área de investimento, com empresas corretoras como NetTrade, a primeira online. 

Entretanto, em 1999 há uma crise devido à falta de segurança e confiança dos consumidores tradicionais frente a essas novas tecnologias, levando ao desaparecimento de muitas dessas empresas. Juntamente com a democratização do acesso à internet e o acesso à banda larga, aos poucos esse mercado vai se tornando ativo novamente, dando espaço para fintechs de crédito. 

2- Crise financeira de 2008 (2008 a 2012)

Por conta da bolha imobiliária, no dia 15 de setembro de 2008 um dos bancos mais tradicionais dos Estados Unidos — Lehman Brothers — acabou falindo. Como os bancos estadunidenses criaram lastros na prática da hipoteca, iniciada nos anos 90, juntamente com a estagnação do salário dos consumidores, essa bolha estourou, levando muitos bancos consigo. Consequentemente, pelo fato de um banco tradicional ter sido levado à falência, a credibilidade com bancos caiu muito entre as pessoas consumidoras.

Esse foi o espaço necessário para a criação de startups de crédito, investimentos e da famosa bitcoin. 

3- Investimentos (2013 a 2017)

Com a nova tendência, o setor de tecnologia financeira atrai para si um investimento de venture capital superior a cinco bilhões de dólares. Com isso, surgem as insurtechs, fintechs de seguros. Bancos digitais se proliferam pelo mundo todo e o número de fintechs unicórnio aumenta exponencialmente. 

4- Descentralização e Regulamentação (2018 – )

Desde 2018, está se tornando cada vez mais popular o mundo das criptomoedas e de outras formas de transações financeiras e circulações monetárias, como NFT, que atrai muito investimento. Governos começam a discutir a implementação de moedas digitais e termos como DeFi, a descentralização financeira, começam a ser relevantes em um cenário de tecnologia Blockchain e criptografia. 

Por que o termo fintech ganhou tanta força?

A resposta para essa pergunta é simples: fintechs lidam com dinheiro, e dinheiro é um fator central para todas as pessoas que vivem em sociedade. Por exemplo, na década de 60, a invenção dos caixas eletrônicos foi um marco que viabilizou muitas transações financeiras sem a necessidade de ir ao banco. Por conta disso, essa prática se tornou popular no mundo todo.

Igualmente, as fintechs promovem um conjunto de benefícios que facilitam a vida financeira das pessoas e evitam que elas tenham que lidar com instituições que nem sempre conseguem ser tão práticas. Afinal, bancos não são conhecidos pela ausência de burocracia em suas transações, nem pela facilidade ou agilidade em questões financeiras, não é mesmo? 

Quais as vantagens das fintechs e qual é a relação com a Tecnologia Financeira?

Tecnologia financeira é um termo mais geral que engloba outros aspectos, dentre eles as fintechs. Como a tecnologia financeira se propõe a promover a evolução e inovação dos setores financeiros, as fintechs se beneficiam muito dessa questão e utilizam as tecnologias financeiras como suporte para conseguir entregar serviços otimizados e mais práticos do que os que já estão vigência, garantindo assim uma total inovação no setor. 

Em outras palavras, é possível estabelecer uma relação entre fintechs e Tecnologia Financeira de ferramenta: as fintechs utilizam-se das tecnologias desenvolvidas na área financeira para apresentar novos formatos e maneiras de lidar com dinheiro em sociedade, contribuindo para criar alternativas aos meios tradicionais de crédito e transação monetária. 

As fintechs são seguras?

Como toda nova tecnologia, é comum haver receios em sua utilização. Afinal, como saber se esses novos meios de transação tratam nossos dados pessoais de maneira legal e segura? Com a popularização de fintechs e o surgimento de novas a cada ano, como garantir que todas identificam e eliminam ameaças virtuais?

Essas são questões relevantes para os dias atuais, ainda mais com toda a regulamentação digital que se deu início com a LGPD, por exemplo. De fato, o mercado financeiro contém informações mais sensíveis e valiosas do que qualquer outro ramo

É certo que essa movimentação já foi percebida pelo mundo de pessoas cibercriminosas, e elas estão constantemente tentando encontrar falhas e erros humanos para conseguir acesso a essa informação. 

É por conta disso que a cibersegurança é um assunto crucial para qualquer fintech. Desse modo, pode-se esperar um investimento ainda maior nessa área pelas fintechs, que trabalham constantemente para encontrar novas tecnologias que tornem sua atuação e os dados de suas pessoas consumidoras cem por cento seguros. 

Quais são as habilidades necessárias para atuar na área de Tecnologia Financeira?

Caso você seja uma pessoa que está desenvolvendo uma carreira na área de tecnologia e interessou-se por esse mercado novinho em folha, saiba que é uma ótima ideia investir em habilidades que serão úteis para conseguir cargos nessa área. Vamos conhecer algumas das habilidades e conhecimentos mais necessários para qualquer pessoa que queira se especializar em Tecnologia Financeira:

a – Aprendizado de Máquina e Inteligência Artificial

Essa dupla é um dos grandes diferenciais para quem deseja atuar na área de tecnologia financeira. Como já dissemos em tópicos anteriores do texto, tanto aprendizado de máquina quantointeligência artificialfarão cada vez mais parte do dia a dia das pessoas consumidoras, fintechs e da tecnologia financeira. 

O motivo para isso é que existe um grande interesse em viabilizar ainda mais tarefas fáceis que podem ser executadas por máquinas, como responder perguntas acerca de finanças, ensinar sobre educação financeira, conseguir detectar fraudes e calcular crédito para pessoas consumidoras. 

b – Blockchain

Para qualquer pessoa que queira ser especialista em tecnologia financeira, Blockchain é um conhecimento essencial. Entender todos os fundamentos do blockchain, assim como toda sua funcionalidade é importante para compreender outras formas de aplicação de tecnologias financeiras

Blockchain, em poucas palavras, é uma forma descentralizada e segura de conseguir assegurar transações financeiras quaisquer, além de poder rastreá-las posteriormente. A transação é inserida em um bloco que recebe um número de hash — um código — que se encaixa no próximo bloco. Esse próximo bloco contém seu hash e o do bloco anterior, formando uma cadeia de blocos.

Essa forma de transação é extremamente segura, pois qualquer ataque cibernético destruiria a corrente, uma vez que qualquer alteração em uma parte dos blocos muda o código hash, que não se encaixará mais com o próximo bloco. Essa é uma forma de garantir também que não haja um intercessor entre as partes de uma transação financeira, como um banco, podendo ser seguramente realizada entre duas entidades. 

c – Inteligência de Negócios

Diz-se dos conhecimentos necessários para coletar, analisar, categorizar, monitorar e compartilhar informações que são de cunho empresarial, muito necessárias para a gestão de um negócio.

Como muitas das tecnologias financeiras envolvem a construção e gestão de negócios, obter as competências necessárias em inteligência de negócios é essencial para essa área!

d – Big Data e Análise de Dados

Dados de pessoas consumidoras são de alta relevância para as fintechs. Elas se constroem a partir de um grande banco de dados baseado em preferências de consumo, hábitos e comportamentos que são extraídos e utilizados para prever futuros comportamentos em massa.

Geralmente, essas predições se fazem por meio de algoritmos matemáticos, formulando estratégias assertivas de marketing e detecção de fraude. Dessa forma, desenvolver conhecimentos técnicos acerca dessa área é de extrema importância para construir uma carreira com Tecnologia Financeira. 

e – Automação de Processos Robóticos

Também conhecido como RPA, a automação de processos robóticos diz respeito ao processo de delegar tarefas repetitivas, cansativas e naturalmente manuais para máquinas realizarem, otimizando a produtividade e o fluxo de trabalho nas empresas. Dentro de tecnologia financeira, o RPA atua com formulação de estatísticas, gestão de conformidades, comunicação via email e chatbots, e gerenciamento de transações.

Certamente, saber lidar com essas ferramentas e mecanismos é uma ótima habilidade para quem quer um espaço dentro do ramo de tecnologia financeira. 

6 exemplos da aplicação da Tecnologia Financeira!

Agora que você já sabe o que é Tecnologia Financeira na teoria, vamos compreendê-la na prática, com exemplos de como sua utilização foi trouxe vantagens para determinados setores. Vamos conferir?

6.1 – Vaquinhas online

As vaquinhas online, ou, como são conhecidas em inglês, Crowdfunding Platforms, são plataformas na internet que são voltadas a apresentar um projeto ou causa social ao mundo a fim de conseguir angariar fundos e recursos. Um exemplo é a Kickstarter que fez muito sucesso. 

Essas plataformas são fruto de desenvolvimento de Fintechs.

6.2 – Pagamentos via celular

A depender de sua idade, é capaz que você se lembre de ter que ir até o banco ou em uma lotérica mais próxima para conseguir pagar um boleto, certo? Logo, você deve concordar que é muito mais fácil pagar qualquer coisa por meio das plataformas virtuais. Agradeça à tecnologia financeira por essa grande facilidade, uma vez que foram as pesquisas no ramo de pagamentos que permitiram que atualmente isso fosse possível.

Atualmente, esse processo ainda está em desenvolvimento com o surgimento do Pix, que substituiu o demorado DOC e o custoso TED. 

6.3 – Insuretech

As insuretechs são fintechs voltadas para aplicação de produtos de tecnologia financeira na área de seguros. Essa nova tendência permite que os serviços de seguros sejam feitos à medida para a pessoa consumidora, facilitando o processo de adesão ao dispensar muitas das etapas árduas e burocráticas dos métodos tradicionais!

6.4 – Robo-advisors

Também conhecidos como robô-consultores, eles fazem parte de um processo de RPA apresentado anteriormente na qual sua função é providenciar consultoria financeira e gestão de investimentos de maneira digital com pouco ou nenhum contato humano! 

Seu funcionamento se dá por algoritmos, aprendendo sobre a pessoa consumidora e fornecendo uma consultoria direcionada e particular. Logo, é possível consultar-se apenas com robôs devido à tecnologia financeira!

6.5 – RegTech

Significa Regulatory Tech, em inglês, e refere-se a um conjunto de empresas que são especializadas em oferecer soluções inovadoras para problemas empresariais, mantendo-as conforme a regulamentação e a legislação exigem, sempre por um viés mais econômico e tecnológico do que empresas tradicionais. 

Portanto, as RegTechs utilizam da tecnologia financeira para fazer a gestão de empresas e garantir que não haja nada que possa apresentar riscos para o negócio.  

6.6 – Empréstimos

Por fim, mas não menos importante, muitas fintechs são voltadas também para fornecer empréstimos, desde pequenos a grandes, para pessoas físicas ou empresas, de uma forma menos burocrática e taxativa que a tradicional. Esse é um grande diferencial das fintechs e também é um motivo pelo qual sua popularidade está tão em alta. 

A Tecnologia Financeira é um conjunto de práticas e soluções que inovam e revolucionam a área das finanças. A partir dessas soluções, empresas nasceram para viabilizar diversas funções tradicionais nesse ramo, as chamadas fintechs, que foram um grande sucesso e atualmente encontram-se em ascensão. No futuro, ainda ouviremos muito falar dessa área que, ainda por ser nova, não atrai muitos olhares. Entretanto, certamente no futuro será de grande importância e contribuirá para o desenvolvimento econômico mundial.

Gostou desse nosso texto sobre esse tipo de tecnologia? Que tal aprender um pouco sobre inovação disruptiva?

1 Shares:
Você também pode gostar