SQL INSERT(INTO e SELECT): inserir linhas em tabelas!

O comando SQL INSERT é essencial para inserir dados em uma tabela. Com ele, podemos adicionar um ou mais registros ao mesmo tempo, indicar em quais campos os dados serão inseridos e muito mais.

Entretanto, é preciso atenção ao utilizar esse recurso, pois ele pode retornar erro se algum campo obrigatório não estiver na instrução SQL para a inserção dos dados. Por ser um dos principais comandos para a manipulação de dados, as pessoas programadoras precisam entender como ele funciona.

Por isso, preparamos este post com os seguintes tópicos:

Boa leitura!

O que é o comando SQL INSERT?

O comando SQL INSERT é utilizado para inserirmos dados em uma tabela. Entretanto, existem diferentes formas de utilizar esse recurso. Confira quais são elas nos próximos tópicos.

SQL INSERT INTO

O comando SQL INSERT INTO é utilizado para inserir dados em uma tabela. Para isso, devemos indicar quais campos serão inseridos e seus valores correspondentes.

Qual a sintaxe do comando SQL INSERT INTO?

A sintaxe do comando SQL INSERT INTO é:

INSERT INTO <nome_tabela> (coluna1, coluna2, ...., colunaN)
VALUES
(valor_coluna1, valor_coluna2, ..., valor_colunaN)

Em que:

  • nome_tabela: indica a tabela do banco de dados em que os dados serão inseridos;
  • coluna1, coluna2, …, colunaN: representam os nomes das colunas da tabela que terá os dados inseridos;
  • valor_coluna1, valor_coluna2, …, valor_colunaN: indicam os dados correspondentes aos campos declarados na cláusula INSERT.

Quando declaramos os campos da tabela na cláusula INSERT, podemos inserir apenas os dados desejados e os que sejam obrigatórios. Além disso, não precisamos seguir a mesma ordem em que os campos estão definidos no banco de dados. O importante é seguir a mesma ordem apenas na disposição dos campos e valores na instrução SQL.

Quando utilizamos a sintaxe dessa forma, não precisamos informar o valor do ID, caso ele tenha sido declarado para ser incrementado automaticamente. Falaremos mais sobre isso no tópico com os exemplos práticos.

Confira outra sintaxe do SQL INSERT:

INSERT INTO <nome_tabela>
VALUES
(valor_coluna1, valor_coluna2, ...., valor_colunaN)

Perceba que, nessa sintaxe, não definimos os nomes de campos que serão inseridos. Isso significa que precisamos inserir todos os registros que fazem parte da tabela e na ordem existente no banco de dados.

SQL INSERT INTO SELECT

O comando SQL INSERT INTO SELECT é utilizado para inserirmos os dados de uma tabela em outra. Na prática, é como se disséssemos para o banco de dados, selecione determinados campos da segunda tabela e insira esses valores na primeira.

Qual a sintaxe do comando SQL INSERT INTO SELECT?

A sintaxe do comado SQL INSERT INTO SELECT é:

INSERT INTO <nome_tabela_destino>
SELECT (coluna1, coluna2, ..., colunaN) 
FROM <nome_tabela_origem>
WHERE <condição>

Em que:

  • nome_tabela_destino: corresponde a tabela em que os dados selecionados serão inseridos;
  • coluna1, coluna2, …, colunaN: indicam os campos selecionados da tabela de origem que serão inseridos na tabela de destino;
  • nome_tabela_origem: indica a tabela que contém os campos selecionados;
  • condição: caso exista algum critério de seleção dos dados.

4 Exemplos de uso do comando SQL INSERT

Nada melhor que conferirmos exemplos práticos para observarmos o comportamento da instrução SQL INSERT. Para isso, vamos criar uma pequena base de dados chamada “Escola”, que contém duas tabelas necessárias para realizarmos os nossos testes, são elas:

  • Pessoa: utilizada para armazenar as informações de qualquer tipo de pessoa que tenha alguma relação com a escola (professor, aluno, funcionário, por exemplo);
  • Aluno: para armazenar apenas as informações sobre as pessoas estudantes.

Confira o script para a criação da base no banco de dados MySQL.

Criação da tablea SQL Insert

1. Inserir campos determinados

Vamos iniciar o nosso exemplo inserindo dados na tabela “Pessoa”. Perceba que temos o campo “tipo_pessoa, que indica qual o

tipo de relacionamento a pessoa tem com a escola.

Se estivéssemos em um cenário real, esse campo deveria armazenar um valor do tipo inteiro e ser a chave estrangeira de outra tabela. Para facilitar o entendimento, utilizamos o campo preenchido com o seu conteúdo em texto.

Confira a instrução SQL para a inserção dos dados:

INSERT INTO Pessoa (nome_pessoa, tipo_pessoa, idade)
VALUES
   ('Maria de Lourdes', 'Professora', 30),
   ('José Pedro', 'Aluno', 25),
   ('Joana Soares', 'Funcionária', null);

SELECT * FROM Pessoa;
Resultado:
Pessoa_id / nome_pessoa / cidade / tipo_pessoa / idade
1 / Maria de Lourdes / null / Professora / 30 
2 / José Pedro / null / Aluno / 25
3 / Joana Soares / null / Funcionária / null

Na cláusula INSERT, informamos três campos da tabela Pessoa e os valores correspondentes na cláusula VALUES. Por fim, utilizamos a cláusula SELECT para selecionar todos os dados da tabela para verificar o resultado. Perceba que o conteúdo do campo cidade está nulo (null) em todos os registros, pois ele não foi informado quando fizemos a inserção dos dados.

Portanto, sempre que um campo for omitido na cláusula INSERT e seu valor não for obrigatório, o conteúdo inserido será nulo, mesmo que ele seja do tipo numérico ou de outro formato.

Vale ressaltar que quando um campo é definido como NOT NULL, significa que ele é obrigatório. Portanto, ele sempre deverá ser informado ao fazer um INSERT. Caso essa condição não seja atendida, o SQL retornará um erro para comunicar que o campo não está preenchido.

2. Inserir todos os campos

A cláusula INSERT pode ser utilizada para inserir todos os campos da tabela, ou seja, sem a necessidade de informar o nome de cada campo. Entretanto, é preciso informar todos os valores (cláusula VALUES) de cada um e na ordem em que eles foram criados. Os campos que tiverem conteúdos nulos ou vazios também devem ser informados, caso contrário, haverá um erro na execução do comando.

É importante observar esses detalhes ao utilizar o comando dessa forma, pois isso garante de que os dados serão inseridos corretamente, além de evitar erros de valores incompatíveis.

Outra observação importante é em relação ao campo de identificação (ID), caso ele seja configurado como autoincremento. No banco de dados MySQL, por exemplo, ele pode ser inserido com um valor específico ou com o conteúdo igual a nulo. Nesse caso, o próprio banco verificará qual será o próximo número sequencial.

Já no SQL Server, não há a necessidade de informar esse campo se o identificador for definido como autoincremento, pois o banco fará a inserção do valor sequencial automaticamente. Portanto, é importante observar essas particularidades conforme o banco de dados utilizado.

Confira a instrução SQL abaixo feita para o MySQL:

INSERT INTO Pessoa 
VALUES
   (null, 'Marcos Araújo', 'São Paulo', 'Professor', null),
   (5, 'Mariana Santos', null, 'Aluna', 28),
   (null, 'Patrícia Soares', 'Belo Horizonte', 'Aluna', 25);

A mesma instrução no SQL Server:

INSERT INTO [escola].[dbo].[Pessoa]
VALUES
   ('Marcos Araújo', 'São Paulo', 'Professor', null),
   ('Mariana Santos', null, 'Aluna', 28),
   ('Patrícia Soares', 'Belo Horizonte', 'Aluna', 25);

O resultado para as duas instruções considerando os dados já incluídos no exemplo anterior será:

SELECT * FROM pessoa

Resultado:
pessoa_id / nome_pessoa / cidade / tipo_pessoa / idade
1 / Maria de Lourdes / null / Professora / 30
2 / José Pedro / null /Aluno / 25
3 / Joana Soares / null / Funcionária / null  
4 / Marcos Araújo / São Paulo / Professor / null
5 / Mariana Santos / null / Aluna / 28
6 / Patrícia Soares / Belo Horizonte / Aluna / 25

3. Inserir dados de outra tabela

Outra forma de utilizar o comando INSERT é para trazer dados de outra tabela. Nesse caso, precisamos indicar quais campos receberão os dados selecionados na tabela de destino e selecionar os campos equivalentes na tabela de origem. Confira a instrução SQL a seguir:

INSERT INTO aluno (nome_aluno, cidade)
 (SELECT nome_pessoa, cidade FROM pessoa);

SELECT nome_pessoa FROM aluno;

Resultado:
Maria de Lourdes 
José Pedro
Joana Soares  
Marcos Araújo 
Mariana Santos 
Patrícia Soares 

4. Inserir dados de outra tabela com alguma condição

No exemplo acima, selecionamos todas as pessoas da tabela Pessoa e inserimos na tabela “Aluno”. Entretanto, queremos condicionar essa seleção, ou seja, recuperar apenas os registros de pessoas que sejam alunas. Para isso, basta adicionar a cláusula WHERE no momento de fazer a seleção dos dados. Veja a instrução SQL abaixo:

Inserindo dados de outra tabela com condição

Boas práticas ao usar o comando SQL INSERT

O comando SQL INSERT é um dos mais importantes da linguagem SQL, pois permite a inserção de dados nas tabelas. Entretanto, é preciso atenção ao utilizá-lo, pois se a instrução não estiver no formato adequado, as informações incluídas no banco podem estar erradas ou, até mesmo, retornar um erro de execução.

Por isso, é importante observar a sintaxe da instrução utilizada e seguir sua indicação para garantir que os dados serão inseridos corretamente. Vale lembrar que, apesar de a linguagem SQL ser comum aos bancos de dados relacional, cada banco tem suas particularidades. Portanto, sempre consulte a documentação oficial do banco utilizado para evitar problemas.

O comando SQL INSERT é utilizado para inserir um ou vários registros em uma tabela. Existem diferentes formas de utilizar esse recurso e cada uma delas proporciona mais flexibilidade no desenvolvimento da instrução SQL, pois podemos utilizar a sintaxe que melhor atenda às necessidades da aplicação.

Gostou do nosso conteúdo sobre como utilizar a comando SQL INSERT? Então, confira nosso post sobre o que é DBA e saiba como ingressar nessa carreira