A comunicação entre homem e máquina se tornou realidade por conta das diversas linguagens disponíveis, tanto as de programação, quanto as de script.

Atualmente, com o hype tecnológico e a busca por aprendizado no mundo da TI, muito se discute acerca das linguagens de programação, scripts e a sua importância na construção de softwares e manipulação de dados, por exemplo. 

Mas, afinal, o que são scripts, quais as melhores linguagens de script e onde eu posso utilizar? Para responder a essas perguntas, venha com a gente que vamos apresentar para você um pouco sobre isso. 

Nesse post, abordaremos acerca de: 

O que é script? 

Se você já participou de algum grupo de teatro, dirigiu um filme ou simplesmente é uma pessoa curiosa, certamente o termo “script” é familiar, afinal, conhecemos o script como o roteiro de um filme, ou seja, uma sequência de falas e cenas que o constroem. 

Assim, semelhante a um roteiro de cinema, um script de computador nada mais é que uma sequência de comandos que, ao serem processados, executam uma ação. Apesar da definição ser parecida com a de um algoritmo, existem diferenças. Enquanto o algoritmo é a ordem lógica de operações de um código, o script refere-se a ordem de instruções desse algoritmo de acordo com a linguagem de scripting utilizada. 

O que significa scripting na programação?

Os scripts são as sequências de passos que o computador realiza. Eles são executados em sistemas computacionais, processando e transformando ações em um programa principal. 

Para exemplificar isso, digamos que você é professor de uma escola e precisa calcular as notas finais de seus estudantes. Com base nisso, você pode criar um script que realize as operações e retorne quais são os alunos aprovados. O script será a sequência de instruções que o computador realizará para efetuar os cálculos e apresentar o resultado final na sua tela. 

Scripts na programação são fundamentais para a solução e automatização de atividades. Nesse sentido, desde o momento que você efetua cliques ou envia uma mensagem de texto para colegas, existe um script rodando para fazer tudo isso para você.

Quais as diferenças entre scripts e codificação?

São tantos termos técnicos e tantas semelhanças que às vezes não entendemos bem as principais diferenças entre esses dois termos. É importante ter em mente que codificação é um termo amplo utilizado em todas as linguagens do computador. Quando você utiliza instruções que um computador ou uma máquina entendem, você está codificando. Nisso, existem vários tipos específicos de codificação, e entre eles está o script. 

Por que usar Scripts? Para que servem?

Como vimos até aqui, os scripts são importantes e nos proporcionam diversos benefícios com a sua utilização. Logo abaixo eu te apresento algumas das suas aplicações.

Automatização de processos

Sabe aquelas tarefas chatas e repetitivas que às vezes a gente pensa “isso poderia ser mais prático!”? Então, graças à automatização de processos, muitas atividades manuais são solucionadas por meio da utilização de scripts. Com a tecnologia disponível, podemos utilizar scripts para automatizar infinitas tarefas de alta complexidade no dia a dia. 

Repetição e agendamento de processos

O agendamento de scripts é valioso também, pois atividades importantes podem cair no esquecimento. Quando trabalhamos com extensos conjuntos de dados, podemos criar scripts que executam atividades de acordo com horário e dia desejado. A exemplo disso, o Crontab é uma excelente ferramenta para o agendamento de processos.

Diminuir os erros e aumentar a precisão

Que computadores são mais eficientes que humanos na execução de determinadas tarefas, nós sabemos.Assim, quando lidamos com processos de análise de dados, por exemplo, se formos realizar todos os cálculos e observações manualmente estaremos mais propensos aos erros. Para aumentar a precisão da nossa análise, podemos criar scripts que executem a tarefa, diminuindo os erros e otimizando o procedimento.

Tornar os processos mais simples

Agora, a gente já sabe que para analisar um conjunto de dados, um script auxilia muito na diminuição de erros durante o processo. A partir disso, podemos perceber que toda essa automatização reduz a complexidade deste. Tendo como exemplo a execução de modelos de regressão linear, scripts são poderosos na simplificação dos processos, tornando-os mais simples.

Interações com o usuário

Entre tantas coisas legais que os scripts proporcionam, não podia faltar as interações com as pessoas usuárias. É por meio desse processo que os scripts interagem, com a entrada de dados, permitindo a personalização de informações, conforme o seu critério pessoal escolhido.

Documentar processos

Documentação de processos de negócio, auditoria ou reuniões são importantes para a manutenção dos registros. Com a criação de um script, podemos ter a segurança e facilidade em consultar os arquivos.

Quais os tipos de scripts?

Scripts SHELL

Quando nos comunicamos com um sistema operacional, na maioria das vezes utilizamos os comandos do Shell, popularmente conhecido como a linha de comando do seu sistema operacional. Logo, um shell script nada mais é que um conjunto de todos os comandos de um determinado sistema operacional.

Scripts do lado do cliente

Se você tem ou já teve alguma experiência com desenvolvimento web, provavelmente conhece o termo “front-end”. Esse tipo de script é projetado para funcionar por meio de um navegador Web. Assim, ao falarmos sobre linguagens de scripts do lado do cliente, estamos nos referindo aos scripts que são processados no navegador do cliente.

As linguagens comumente utilizadas para realizar essa interação, por exemplo, é o HTML, CSS e o JavaScript. Um fato interessante é que quando um script do lado do cliente é executado, ele não precisa se comunicar com o servidor.

Scripts do lado do servidor

Agora que você entendeu sobre scripts do lado do cliente, podemos discutir sobre scripts do lado do servidor. Aqui, o script precisa se comunicar diretamente com o servidor. Atividades como acesso ao banco de dados, personalização de sites, alteração do conteúdo de sites, entre outras, são executadas no servidor final, estabelecendo uma interação entre o servidor e o cliente.

Esse tipo de script é usado no back-end, ou seja, o código não é visível para quem utiliza. Além disso, é interessante saber quais são as principais linguagens usadas nesse tipo de atividade, como PHP, Python, Ruby, Java, C#, por exemplo. 

Scripts com NTC hosting

Desenvolvido por meio de Linux e Apache, o NTC hosting oferta servidores otimizados. Esse serviço oferece suporte para muitos scripts do lado do servidor, como Python e PHP. Independentemente da sua hospedagem na web, o serviço auxilia na velocidade e estabilidade na hora de executar seus scripts.

O que são macros?

Você já se perguntou como o computador interpreta tarefas repetitivas como o pressionamento de teclas e cliques? Então, as macros fazem isso pra gente. Uma macro está presente em quase todos os editores de texto e por meio dela scripts macros podem ser executados. Um fato curioso e interessante é que as macros fizeram parte da construção inicial da interface gráfica da pessoa usuária.

Quais as vantagens e desvantagens dos scripts

Agora, vou te apresentar as principais vantagens e desvantagens na utilização de scripts.

Vantagens

  • Fácil de usar e aprender.
  • Permite uso em qualquer sistema operacional.
  • É uma aplicação open-source, ou seja, qualquer pessoa pode contribuir e criar novas funcionalidades.
  • Melhor desempenho no desenvolvimento de aplicações

Desvantagens

  • É necessário que quem utilize tenha um interpretador em seu computador para executar a aplicação.
  • Projetos open-source são ótimos, porém podemos ter problemas com a falta de segurança, já que o código fonte é aberto e pessoas mal intencionadas podem fazer uso. 

Quais as diferenças entre linguagens de scripting e linguagens de programação?

É interessante estar atento ao fato de que apesar de linguagens de scripting e linguagens de programação serem utilizadas como sinônimos, elas têm muitas diferenças. As linguagens de programação geralmente são utilizadas para a criação de aplicações completas e também são estruturadas para ter eficiência na execução dos seus programas. No entanto, são mais lentas em tempo de execução.

É importante lembrar que as linguagens de programação têm caráter multiplataforma. No entanto, as linguagens de script são mais focadas em tarefas de menor escala, tendo maior flexibilidade. Além disso, estas proporcionam maior velocidade no tempo de execução. É necessária uma plataforma específica para que as linguagens de script sejam interpretadas.

Infográfico sobre características de Linguagens de Script
Infográfico sobre características de Linguagens de Programação

O que são linguagens de script? Quais as 15 melhores linguagens de script?

Existe uma gama de linguagens de scripts para abordar, mas neste tópico, selecionamos apenas as 15 principais.

JavaScript

A queridinha do desenvolvimento web, também popularmente chamada de JS, é uma linguagem leve, interpretada e com funções de primeira classe. Sendo baseada em protótipos, é uma linguagem dinâmica.

Python

Python, popular pela versatilidade, é uma linguagem de alto nível, ou seja, a estrutura do código é de fácil compreensão para humanos. Criada por Guido van Rossum em 1991, hoje é utilizada para diferentes finalidades, seja desenvolvimento web, ciência de dados, Machine Learning ou desenvolvimento de jogos.

PHP

PHP é uma linguagem comumente utilizada para desenvolvimento web back-end. Ela possui características orientadas a objeto e suas páginas são mescladas com HTML

Ruby

O Ruby é uma linguagem simples e de fácil leitura. O seu foco é na produtividade, contando com uma sintaxe leve, e assim como Python, também é orientada a objetos. Além disso, com sua flexibilidade, diferente de outras linguagens orientadas a objetos, Ruby suporta programação processual e programação funcional

GROOVY

Groovy foi desenvolvida para a plataforma Java, é uma linguagem dinâmica de programação orientada a objetos. A sua sintaxe é semelhante ao Java e possui propriedades do Python e do Ruby, que foram a base da sua inspiração. 

Perl

Desenvolvida em meados de 1987, Perl é uma linguagem de roteiro e possui sintaxe semelhante ao C. Além de tudo, é uma linguagem de script de alto nível, conhecida como “Canivete Suíço da Internet”, por ser uma espécie de “faz tudo”. Suas aplicações são voltadas em CGI para a web, gerenciamento de sistemas Linux e manipulação de strings. 

Lua

Ocupando o 26º lugar no ranking de linguagens mais populares do GitHub em 2020, Lua foi desenvolvida no Brasil na PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro). A linguagem de scripting é conhecida pela sua portabilidade, eficiência e leveza. E como se não bastasse, ela ainda suporta múltiplos paradigmas de programação. Legal, hein?!

Bash

É uma abreviação para Bourne-Again SHell. BASH é responsável por traduzir os comandos (shell) para o sistema operacional. Sendo base de ambientes UNIX, ela pode ser executada na maioria dos sistemas Linux, macOS e no Windows por meio da WSL. Além disso, ela utiliza funcionalidades de outras linguagens de scripting como KornShell e C shell.

PowerShell

Implementado para automação de tarefas, o powershell é multiplataforma, ou seja, podemos utilizá-lo em diferentes sistemas operacionais como o Linux, Windows e macOS. Ele é um shell de comando usado também para gerenciamento de tarefas. 

R

Criada por estatísticos da Universidade de Auckland, Nova Zelândia, a linguagem R surge com a principal proposta de resolver problemas de estatística, tendo suas principais funcionalidades voltadas para análise de dados, teste de hipótese, modelos de regressão, agrupamento, modelagem de dados, e outras. Com fácil leitura, também é uma linguagem multiparadigma.

VBA 

VBA, a sigla para Visual Basic Applications, é uma implementação do Visual Basic pela Microsoft. Todos os programas da Microsoft-Office possuem integração com o VBA, como o Excel, por exemplo. Ela permite o desenvolvimento rico em funcionalidade e flexibilidade.

Emacs Lisp

Talvez você já conheça o editor de texto Emacs, utilizado em multiplataformas. Por trás da sua funcionalidade, existe o Emacs Lisp, a sua linguagem de script, que permite a personalização de textos dentro do editor.

GML

A GameMaker Studio 2, plataforma de criação de jogos, possui a sua linguagem de scripting, conhecida como GML. Sendo usada comumente para jogos, é uma linguagem com programação processual, tendo a sua sintaxe semelhante ao JavaScript.

AppleScript

Para quem utiliza Apple, não se preocupe, ela também possui a própria linguagem de script. A linguagem permite a mesclagem de diferentes funcionalidades. Entre elas, é possível automatizar tarefas de trabalho com o tempo de performance reduzido. Ferramentas como o Xcode e Automator suportam o uso do AppleScript.

TCL

A sigla para Tool Command Language também é uma linguagem para o desenvolvimento de scripts. As suas aplicações geralmente são para o desenvolvimento de interfaces gráficas e é utilizada em quase todos os sistemas operacionais. Além disso, é fortemente usada para testes de qualidade.

Se você chegou até aqui, espero que tenha entendido o que são scripts e como utilizá-los. A compreensão dos scripts e as suas especificidades são muito importantes na construção da base do seu conhecimento. Compreendê-los é essencial na hora de escolher qual a linguagem de script mais adequada na solução dos seus problemas

É importante que você estude bem as linguagens e se aprofunde na análise de performance dela, para entender se ela realmente será ideal naquele momento. Se você optar por aprender sobre desenvolvimento web, aconselho que comece estudando as linguagens de marcação de texto e estilização como HTML e CSS.

Se sentir dificuldade nos primeiros contatos com o conteúdo, não se assuste! A dificuldade faz parte do processo de aprendizado e quanto maior a persistência, mais acelerado é o processo!

Ah, e não esqueça de dar uma olhada no nosso texto sobre os 10 Cargos de tecnologia que mais cresceram no Brasil em 2020, quem sabe não isso não inspire você a encontrar algo com o qual se identifique?

0 Shares:
Você também pode gostar