Em 1983, o programador Richard Stallman decidiu criar um sistema operacional de código aberto, que pudesse ser lido e modificado por qualquer usuário. Dessa forma, ele lançou o Projeto GNU e fundou o movimento software livre, com o objetivo de garantir que as pessoas tivessem a liberdade de saber como o sistema funcionava.

Desde então, os softwares de código aberto (open source) passaram a ocupar um espaço cada vez maior no dia a dia das pessoas usuárias. Hoje, todos nós provavelmente já utilizamos algum software open source.

O uso de softwares de código aberto pode trazer vantagens sob os softwares de código fechado. Quer saber quais são elas? Acompanhe:

  • O que é código aberto?
  • Quais as diferenças entre código aberto e código fechado?
  • Quais as vantagens de usar?
  • Quais são os principais exemplos de softwares que usam código aberto?

O que é código aberto?

Um software de código aberto é aquele cujo código-fonte é disponibilizado livremente para os usuários, que podem acessá-lo e modificá-lo para:

A criação de softwares de código aberto é baseada em princípios como transparência e colaboração entre os usuários e os membros da comunidade de desenvolvimento. Além disso, esses softwares são distribuídos sob uma licença de código aberto, que deve seguir alguns critérios como:

  • a possibilidade de livre redistribuição do software deve ser garantida, sem a cobrança de taxas;
  • o programa precisa oferecer o código-fonte, preferencialmente por meio de um download gratuito pela internet;
  • a licença deve permitir modificações do código-fonte e de trabalhos derivados dele;
  • nenhuma pessoa ou grupo de pessoas pode ser discriminada pela licença;
  • a licença também não pode restringir um tipo de negócio ou área específica de utilizar o software.

Quais as diferenças entre código aberto e código fechado?

A principal diferença entre os softwares de código aberto e os de código fechado é em relação à existência ou não de restrições de acesso ao código-fonte. No caso dos softwares open source, esse código é disponibilizado e pode inclusive ser copiado e alterado pelos usuários.

Já os softwares proprietários — ou de código fechado — não permitem que o usuário acesse o código-fonte para modificá-lo. Somente os criadores do software e participantes autorizados de sua equipe de desenvolvimento podem alterá-lo legalmente. Isso é feito principalmente com o objetivo de manter a exclusividade da empresa sobre a tecnologia utilizada e da possibilidade de lucrar com os produtos.

Quais as vantagens de usar?

Há diversas vantagens em utilizar softwares de código aberto, não só para as pessoas que trabalham com tecnologia, mas também para os usuários e usuárias de forma geral. A seguir, veja algumas das principais!

Acesso gratuito

Os benefícios da utilização de softwares de código aberto vão bem além da inexistência de custos de licenciamento. Porém, o acesso gratuito merece ser citado por ser uma vantagem importante, principalmente para estudantes que, muitas vezes, precisam de determinados softwares para fins de aprendizado.

Um erro que muitas pessoas cometem é pensar que, por serem gratuitos, esses softwares têm menos qualidade do que as opções pagas. Na verdade, podemos encontrar diversos aplicativos e sistemas operacionais de código aberto com recursos completos — como os sistemas Linux e Android.

Disponibilidade

No caso dos softwares de código fechado, a empresa que criou o produto tem o direito de descontinuá-lo a qualquer momento. Isso pode ser um grande problema, já que, caso você precise continuar utilizando o software em algum projeto, não receberá mais suporte.

No caso dos softwares de código aberto, esse problema é evitado na medida em que geralmente há um grande número de pessoas desenvolvedoras trabalhando para manter o projeto vivo. Afinal, qualquer usuário ou usuária com habilidades suficientes de programação pode contribuir para conservar o software atualizado.

Qualidade constantemente melhorada

Com uma grande quantidade de pessoas trabalhando em softwares de código aberto, a resolução de erros e a criação de novas funcionalidades se tornam rápidas. Além disso, a comunidade sempre costuma estar pronta para ajudar novas pessoas, e há muita documentação disponível para facilitar o uso dos programas.

Essa vantagem de corrigir erros mais rapidamente também conta a favor da segurança dos aplicativos, que se torna mais robusta. Ademais, a possibilidade de analisar o código para se certificar de que ele realmente não executa nenhuma ação indesejada também é um fator de segurança.

Possibilidade de aprendizado

Os softwares de código aberto apresentam ainda uma vantagem específica para as pessoas da área de programação, que é a possibilidade de utilizá-los para melhorar suas habilidades. Isso pode ser feito por meio de análise e estudo do código-fonte disponibilizado e, até mesmo, ao contribuir com projetos open source.

Diversos projetos de código aberto contam com repositórios em plataformas como o GitHub, em que uma comunidade de usuários, usuárias e pessoas desenvolvedoras se une para promover melhorias no software. Nelas, você pode contribuir, por exemplo, ao informar sobre erros encontrados no sistema ou auxiliar em sua resolução.

Quais são os principais exemplos de softwares que usam código aberto?

Preparamos uma lista com alguns softwares úteis e conhecidos, que muitas pessoas não sabem que são de código aberto. Veja quais são eles!

Mozilla Firefox

Apesar de não ser tão popular quanto o Chrome, o navegador de código aberto Firefox é uma alternativa. O software conta com uma licença própria da Mozilla Foundation: a Mozilla Public License (MLP), que também é utilizada em outros programas da organização.

LibreOffice

O LibreOffice é uma suíte de aplicativos de escritório de código aberto, parecida com o Microsoft Office — de código fechado. Ele conta com editor de textos, planilhas, apresentações, desenhos, fórmulas e dados, tudo isso de forma gratuita.

Notepad++

O Notepad++ é uma ferramenta bem útil para pessoas que estudam desenvolvimento de software. Ele é um editor de código-fonte leve e rápido, que traz suporte para a sintaxe de várias das principais linguagens usadas na área, como C, JavaScript, HTML e CSS.

Linux

As diversas distribuições Linux — como Ubuntu, Mint e Debian — são sistemas operacionais de código aberto bastante populares. Eles são desenvolvidos com base no núcleo Linux (Linux Kernel), que começou a ser desenvolvido em 1991 por Linus Torvalds e é responsável pela comunicação entre os aplicativos e o hardware do computador.

Outro sistema operacional amplamente utilizado que foi criado com base no núcleo Linux é o Android, que já conta com mais de 2,5 bilhões de usuários e usuárias ativos mundialmente.

Git

O Git é um sistema de controle de versão muito utilizado no mercado de desenvolvimento de software e que precisa fazer parte do plano de estudos de quem deseja seguir carreira na área. Ele também foi criado por Linus Torvalds, para ser utilizado no desenvolvimento do núcleo Linux.

O Git permite que várias pessoas trabalhem juntas no desenvolvimento de um software de forma simultânea, sem que as alterações feitas por elas em um mesmo arquivo entrem em conflito. Ele também mantém um histórico de todas as alterações que foram feitas nos arquivos, o que o torna uma boa maneira de manter backups organizados do projeto.

Como você viu, usar softwares de código aberto é uma boa forma de ter acesso a aplicações gratuitas e de qualidade e ainda desenvolver suas habilidades de programação. Além disso, muitas empresas adotam softwares open source em seus negócios, o que mostra a importância de se habituar a eles.

Quer ficar por dentro de mais assuntos interessantes sobre tecnologia? 6 tecnologias do futuro que podem se tornar reais em breve!

0 Shares:
Você também pode gostar