Uma das principais carreiras do futuro nas faculdades de TI é a de programador de sistemas ou programadora de sistemas.

Essa pessoa é a responsável por criar softwares e atender às demandas por aplicações em diversas áreas. A forma como ele trabalha varia, mas alguns princípios são os mesmos: é preciso ter conhecimento em alguma linguagem de programação, desenvolver habilidades interpessoais, e estar antenado com conceitos de tecnologia usados pelo mercado.

Deseja saber mais sobre essa profissão? Para entender melhor o que faz um(a) programador(a) e como ele(a) trabalha, fique com a gente!

Boa leitura!

O que faz um(a) programador(a)?

A pessoa programadora, também chamada de pessoa desenvolvedora, escreve códigos que se tornam comandos/instruções para um computador. Esses comandos são traduzidos para a linguagem da máquina e geram um fluxo de funcionamento, de acordo com o objetivo desejado. Esse conjunto de instruções se tornará a aplicação tecnológica.

Em suma, uma pessoa que programa é responsável por transformar ideias e requisitos em produtos digitais. Além disso, trata-se de uma área em que não só a codificação importa, mas também há a preocupação com a experiência da pessoa usuária e com a segurança dos dados.

Antes de prosseguir, não deixe de conferir os detalhes da formação em Desenvolvimento Web da Trybe. A empresa é uma das melhores opções para quem deseja ter uma carreira em tecnologia.

Banner Curso Desenvolvimento Web com CTA que permite entrar numa página para saber sobre a formação da Trybe

Qual a rotina de um programador?

Em seu dia a dia de trabalho, uma pessoa programadora é responsável por desenvolver demandas que vão compor um software, aplicativo, website, entre outros produtos digitais.

Nessa rotina, podem estar inclusas reuniões de alinhamento, seja com o time ou com clientes, para definir quais tarefas deverão ser realizadas e informar quais demandas estão sendo trabalhadas no momento, além de possíveis impedimentos. 

Também é parte do trabalho a realização de testes na aplicação, versionamento do código, deploy de ambientes, correção de bugs e validação de layouts, seja com a pessoa responsável pelo design ou com os demais stakeholders.

Antes de prosseguir, aproveite e faça o download do material sobre Profissões do Futuro. O programador é uma profissão do futuro, mas há muitas outras. Entenda quais outras carreiras farão sucesso no mercado.

Banner de download de ebook sobre Profissões do Futuro

Quais as diferenças entre programador(a) e dev?

Uma pessoa programadora e uma desenvolvedora possuem o mesmo objetivo: desenvolver aplicações tecnológicas. Entretanto, o que pode ser um diferencial entre elas são as responsabilidades atribuídas a cada uma. 

Uma pessoa programadora pode estar envolvida com aspectos mais técnicos do projeto, como a implementação das funcionalidades e configurações de um ambiente de desenvolvimento. 

Já a pessoa desenvolvedora, além dos aspectos citados acima, também pode estar envolvida com cenários relacionados diretamente ao negócio, como planejamento do projeto e alinhamento de expectativas com os stakeholders. 

É válido ressaltar que essas atribuições variam de acordo com a empresa e projeto executado. No caso de uma pessoa programadora que atua de forma autônoma, também haverá o contato direto com decisões que envolvem o negócio.

O que são as linguagens de programação?

As linguagens de programação, por sua vez, são ferramentas que as pessoas dessa área usam para realizar seu trabalho. Consistem em um código compreensível para o idioma comum, com regras e palavras específicas, que permitem estruturar lógicas e criar sistemas. Elas também permitem a modelagem do software, que basicamente funciona como uma simulação do mundo real.

Algumas comuns são C, Java, Python, C++ e C#. Essas tecnologias variam em síntaxe e estratégias de codificação, mas possuem muitas similaridades entre si. Principalmente porque todas herdam princípios do C, uma das linguagens de programação pioneira. Vale destacar também o JavaScript, uma das mais usadas atualmente, para desenvolvimento web principalmente.

Quais as principais competências de um(a) programador(a)?

As competências são um conjunto de características que uma pessoa possui e que a ajudam a realizar determinadas tarefas. Diferentes áreas do mercado de trabalho exigem diferentes competências e na programação não seria diferente. Por isso, vejamos a seguir as principais competências necessárias nesse ramo.

Comunicação

Saber programar bem requer algumas habilidades. Uma delas é a capacidade de se comunicar e debater ideias com outras pessoas. Isso é essencial, pois nesta área você vai precisar validar requisitos com frequência, para determinar a melhor forma de executá-los.

Inteligência emocional

Para lidar com os desafios de um projeto, a inteligência emocional é essencial. A pessoa programadora terá que estimular a empatia e ser capaz de controlar as próprias emoções, para que haja um bom relacionamento com as demais pessoas integrantes do time.

Raciocínio lógico

Da mesma maneira, ter um bom raciocínio lógico é muito importante, afinal, programação é uma atividade focada em lógica. O pensamento que associa causas e efeitos e consegue compreender relações entre variáveis e aspectos do mundo real é fundamental para solucionar um problema.

Aprendizado contínuo

A pessoa programadora deve estar sempre em evolução, acompanhando o que acontece no mundo da tecnologia. Isso inclui aprender novas ferramentas e se desafiar a evoluir como profissional, buscando novos direcionamentos para a carreira. Afinal, a área de tecnologia é extremamente dinâmica e requer pessoas que se adaptem a isso. 

Conhecimento em linguagens de programação

O mercado possui uma variedade de linguagens de programação, que diferem em sua implementação, podendo ser imperativas, funcionais ou orientadas a objetos, por exemplo. Desse modo, é interessante que a pessoa programadora busque conhecer essas tecnologias, a fim de ter um repertório de opções que podem ser aplicados em diferentes contextos.

Confira nosso guia completo de soft skills e como elas podem ajudar profissionais na área de tecnologia.

Quais os principais segmentos de mercado que um(a) programador(a) pode atuar?

Profissionais de TI podem atuar em segmentos diversos, como:

  • Hospitalar;
  • Industrial;
  • Comercial;
  • RH;
  • Financeiro;
  • Tecnologia;
  • Comunicação;
  • Marketing Digital;
  • Segurança Digital.

A programação é tão importante para o mundo tecnológico que suas aplicações englobam a base de muitas inovações que usamos no dia a dia. A internet, por exemplo, está repleta de sites, que foram criados por desenvolvedores. Os sistemas utilizados para gerenciar e centralizar operações em uma empresa também foram feitos por esses profissionais.

Em alguns casos, profissionais de programação trabalham como parte de uma equipe de TI em uma empresa, com soluções para a própria companhia. Essa organização pode ser de qualquer segmento. Em outras situações, eles são membros de companhias de TI, startups ou fábricas de software e trabalham sob demanda para clientes externos.

Quais as diferenças entre Back-end, Front-end e Full-Stack?

Front-end, back-end e full-stack são termos comuns no desenvolvimento de aplicações tecnológicas. Esses termos podem se referir tanto a um segmento do projeto quanto à área de interesse e atuação de uma pessoa programadora.

   Back-end

O back-end é responsável pelas operações que ocorrem por trás da interface da aplicação. Ou seja, é o back-end que conecta a interação realizada na tela de um sistema a uma base de dados, realizando a listagem, cadastro, edição e deleção de dados. É nessa parte da aplicação que também implementamos boas práticas de segurança da informação.

   Front-end

Front-end se trata do desenvolvimento da interface gráfica de uma aplicação. É através dessa interface que vamos interagir com as funcionalidades do projeto criado. Uma pessoa desenvolvedora front-end será responsável por codificar os componentes que vão compor essas telas, estilizá-los e organizá-los de acordo com o layout projetado. Além disso, também é necessário levar em consideração a usabilidade do sistema. 

   Full-Stack

O full-stack contempla tanto o front-end quanto o back-end. Portanto, uma pessoa programadora full-stack será responsável não só por codificar a interface de uma aplicação, mas também por criar a lógica do back-end e realizar a integração. A grande vantagem de ser full-stack é poder ter uma visão mais completa sobre todos os processos de concepção do projeto.

Quais os 7 principais tipos de programador?

Existem diversas áreas para profissionais da programação, a depender do tipo de produto desenvolvido. Para cada tipo existem variações nas regras e nas tecnologias usadas. Veremos a seguir as principais tipos de desenvolvimento:

Programação Desktop

Nesse tipo de programação, o objetivo é criar um produto que roda no ambiente desktop, ou seja, em computadores de mesa, como laptops. Assim, o usuário terá acesso ao sistema com os arquivos instalados no disco rígido da máquina. Esse tipo de programa apresenta certa dependência de um sistema operacional, embora algumas aplicações funcionem bem em vários sistemas diferentes.

Desenvolvimento Web

Nesse caso, o produto é uma aplicação que funciona na web e é hospedada como um site. Pode ser um website comum ou um software mesmo, disponível para acesso no modelo da computação em nuvem. A vantagem é que, como o acesso é pela internet, o sistema fica disponível para qualquer dispositivo, independentemente de tamanho e configuração. 

Desenvolvimento Mobile

No desenvolvimento mobile, sistemas são construídos para serem acessados em dispositivos menores, como celulares e tablets. Desse modo, as informações são adaptadas para organizar a estrutura e permitir a leitura nessas telas.

Engenheiro de Software

Uma pessoa que atua com engenharia de software é responsável por projetar novas aplicações tecnológicas e realizar manutenção em soluções já existentes. Além de experiência em desenvolvimento de software, também é preciso ter boa comunicação e saber negociar, uma vez que o ramo envolve contato direto com o público usuário da aplicação.     

Programador Freelancer

A pessoa programadora freelancer é aquela que utiliza suas habilidades para o desenvolvimento de aplicações de forma autônoma. Desse modo, a pessoa presta seus serviços, seja para uma pessoa física ou jurídica, por tempo predeterminado, sem que haja vínculo empregatício.

Desenvolvedor de Jogos

Uma pessoa desenvolvedosimra de jogos é responsável por programar a lógica de jogos dos mais variados tipos e unir, através de código, recursos gráficos, sonoros e outros, para que possam ser interpretados corretamente pela plataforma distribuidora do jogo. 

Hacker Ético (Hacker do bem)

Um hacker se trata de uma pessoa com profundos conhecimentos em aplicações tecnológicas. Hacker ético, por sua vez, é quem contempla o uso dessas habilidades para a prevenção e mitigação de falhas em sistemas de empresas e instituições

Por que ser um programador? Quais as vantagens?

Aprender programação amplia suas oportunidades de emprego no mercado de trabalho. Atualmente, o investimento e a demanda por produtos e serviços digitais têm crescido rapidamente, o que aumenta a procura por pessoas especializadas em tecnologia. 

Outro ponto positivo é a possibilidade de encontrar empregos em que se é possível trabalhar de casa ou de qualquer lugar do mundo, contando também com jornadas flexíveis. 

Além do fator empregabilidade, saber construir códigos também melhora aspectos cognitivos. Ao aprender programação, você exercita aspectos como raciocínio, foco, concentração, tomada de decisões e outros.  

Como está o mercado para pessoas da área de programação?

O mercado de programação, assim como o de tecnologia, está muito aquecido. Segundo a Associação Brasileira de Startups, existem mais de 5 mil vagas abertas e oportunidades freelancer somente em startups no Brasil. Além disso, a demanda por desenvolvedores deve alcançar 70 mil oportunidades entre 2019 e 2024. Isso reflete a necessidade crescente por funções que envolvem softwares.

As empresas estão correndo para se adaptar à transformação digital, tentando automatizar seus processos e adotar novas aplicações que solucionam seus problemas diários. Por essa razão, saber programar e evoluir de acordo com as inovações que surgem são características especiais para conseguir um trabalho nesse ramo futuramente.

Antes de seguir para o próximo tópico, deseja saber quanto recebe alguém que trabalha em alguma profissão digital? Faça o download do Guia das Profissões Digitais e confira a remuneração de profissionais, juniores, plenos e sêniores de 30 carreiras digitais.

Quanto ganha um programador ou programadora?

banner para download de guia das profissões digitais 2022

Quando pensamos em uma profissão, é natural buscar informações sobre a remuneração média daquela área, afinal essa é uma parte importante. 

Na programação, assim como em outras profissões, a remuneração pode variar muito dependendo do cargo, da experiência, da localização, do setor de atuação, dentre outros requisitos. 

Então, para chegar em valores é necessário que todos esses pontos sejam levados em consideração. Mas dando um exemplo mais geral e sem levar em consideração a linguagem de especialidade, a média salarial de um profissional júnior, que  em geral tem entre 1 a 2 anos de experiência profissional comprovada, na cidade de São Paulo é em média é de R$ 3.000,00 .

Para ver mais salários, de acordo com cidade, experiência e linguagens, confira nosso artigo completo sobre quanto ganha um programador ou programadora.

Entenda os níveis Júnior, Pleno e Sênior na carreira de Programador(a)!

No mundo da programação, é comum que o mercado categorize as pessoas desenvolvedoras em níveis de experiência: júnior, pleno e sênior. Abaixo, vamos entender melhor sobre o que caracteriza cada um desses níveis:

Nível Júnior

Uma pessoa programadora em nível júnior é aquela que possui pouca experiência prática na área. Com isso em vista, alguém nesse nível irá desenvolver tarefas de baixa complexidade, para que se familiarize com os processos da área e com as tecnologias. 

Para melhor retenção de conhecimento, é essencial que essa pessoa seja acompanhada por alguém com maior experiência, para que possa receber feedbacks e orientações. Em geral, tratam-se de profissionais empenhados em aprender e colaborar com o projeto. 

Nível Pleno

A pessoa em nível pleno já possui maior experiência na área, tendo participado de diferentes projetos. Dessa forma, ela consegue assumir o desenvolvimento de projetos com maior individualidade e assumir maiores riscos

Além disso, também é capaz tomar decisões que envolvem não só a visão do desenvolvimento, mas também do projeto como um todo, envolvendo a área de negócios. Em geral, são pessoas dispostas a ensinar e que procuram melhorar os processos implementados. 

Nível Sênior

No nível sênior, a pessoa programadora já possui uma grande bagagem de conhecimentos, tendo passado pelos mais diversos desafios no mundo da programação. Desse modo, trata-se de uma pessoa capaz de solucionar problemas complexos, planejar novos projetos e orientar equipes no processo de desenvolvimento.

Como ser um(a) programador(a)? 5 dicas!

Iniciar no mundo da programação pode ser um desafio, principalmente quando não temos a orientação necessária para saber por onde devemos começar. Tendo isso em vista, preparamos 5 dicas que vão te guiar nessa jornada:

1. Escolha uma linguagem

Diante do mar de linguagens disponíveis no mercado, pode ser difícil definir com qual seria melhor começar. Para te ajudar, busque começar por uma linguagem que seja de fácil compreensão. Nesse cenário, o Python pode ser uma opção. Além de ser versátil e permitir a construção de aplicações para diferentes plataformas, essa linguagem também possui diversos recursos que podem ser explorados.

Como estratégia, você também poderá pesquisar pelas linguagens mais populares dentro da área de seu interesse: caso você goste de desenvolvimento web, poderia iniciar com Javascript, que é utilizado em diversos frameworks da área e também pode ser usado para criação de aplicações back-end e mobile. 

2. Estude lógica de programação

A lógica de programação é o alicerce para a construção de qualquer código na área de programação. Sem ela, você terá dificuldades em implementar soluções e compreender o comportamento de códigos que já estão funcionando. 

A partir da lógica, você vai exercitar seu raciocínio e preparará sua mente para lidar com problemas de modo segmentado, isto é, em partes menores e mais simples de serem resolvidas. Por isso, não pule etapas e dedique tempo para aprender sobre este fundamento.

3. Aprenda o básico do inglês

O inglês é essencial no mundo da programação, visto que a maior parte dos conteúdos da área estão nesse idioma, sejam documentações, comandos, ferramentas, fóruns ou artigos. Por isso, dedique tempo para aprender ao menos o básico da língua.

Para lhe auxiliar, você pode contar com aulas gratuitas em plataformas como o YouTube. Além disso, também há aplicativos grátis, como é o caso do Duolingo. Em uma busca rápida no Google, você também encontrará uma variedade de conteúdos ensinando os abrangentes temas sobre o idioma.

4. Pratique sempre

Na programação, a teoria não basta, é necessário praticar o conhecimento adquirido. É somente com a prática que vamos nos deparar com novos cenários, não descritos a princípio na teoria. 

Assim, podemos exercitar nosso raciocínio e desenvolvimento de soluções, além de ter contato com fóruns e comunidades, em que podemos tirar dúvidas e buscar alternativas para os desafios enfrentados. 

Desse modo, você pode praticar desenvolvendo pequenos projetos pessoais, fazendo desafios em plataformas como a Codewars, criando pequenos jogos, como o jogo da memória, ou ainda participando de imersões, que são eventos curtos e que focam na prática e desenvolvimento de habilidades. 

5. Faça cursos e leia livros

Ao realizar cursos, sejam eles presenciais ou remotos, você terá uma base de conhecimento teórico mais estruturada, além de ter a possibilidade de ter contato com boas práticas de programação e com a experiência de outras pessoas da área.
Além disso, os livros também podem te ajudar a estruturar melhor o seu aprendizado. Graças aos ebooks, você pode carregá-los para onde quiser e acessá-los nos momentos que forem mais convenientes a sua rotina.

Curso de programação: como começar minha carreira de programador(a)?

Se você tem interesse em se tornar um programador ou programadora, provavelmente, já viu que existem diversos cursos disponíveis e deve está se perguntando como escolher a melhor opção. 

Com tantas possibilidades é preciso avaliar qual o curso ideal para você, considerando seus objetivos, sua disponibilidade, preferências, investimento etc.

Além de tudo isso, é importante que você escolha um curso de qualidade, assim você não desperdiça tempo, nem dinheiro, com uma escolher ruim.  Lembre-se também de que essa é uma área que exige bastante de dedicação, além de fazer um curso, você precisa estudar e e se manter sempre atualizado (a). 

Nosso texto, sobre Curso de programação para iniciantes: por onde começar?   pode ajudar muito na sua escolha, não deixe de conferir!

Diante de um mundo cada vez mais tecnológico, em que vivemos cercados de sistemas e aplicações, percebemos o trabalho desses profissionais o tempo todo. Assim, é possível notar que essa é uma área promissora para quem deseja conquistar bons empregos em diferentes áreas e crescer profissionalmente.

Um outro ponto muito importante na vida profissional de qualquer pessoa, são as softskills que engloba uma série de habilidades que vão além do técnico, como comunicação, flexibilidade, colaboração etc.

Transição de Carreira para programação: Começar do zero ?

Esse é um medo muito comum, fazer uma transição de carreira nunca é uma decisão fácil, é necessário fazer um planejamento e sempre avaliar os prós e contras.

Recentemente fizemos uma live sobre o assunto no nosso canal no youtube que pode ajudar você a avaliar essa decisão.

Conclusão

Neste artigo abordamos dicas sobre como iniciar sua jornada pelo universo da programação. Destrinchamos assuntos como o que faz uma pessoa programadora, o que são linguagens de programação, quais são as áreas de atuação e aspectos sobre o mercado de trabalho.

Se você se interessou por este assunto e deseja saber mais sobre o mundo do desenvolvimento, aprenda mais sobre programação neste artigo da Trybe que traz um guia completo sobre o assunto!

45 Shares:
80 comments
  1. Eu comecei a interessar por PHP pra fazer aplicações básicas, mas vejo muito o pessoal falar que o PHP está morrendo a cada dia. Isto é real?

    Eu tenho pouco conhecimento e aplico sempre o que aprendo no http://rocktools.com.br, mas é javascript e acho bem complicado kkkkkkkkkk

  2. Sempre gostei de informática e celulares, parte de hardwares, softwares e firmwares como hobby, mas sou pintor de aviões…nada ver uma coisa com a outra, mas estou disposto a mudar e fazer valer a pena meu sonho. Iniciando processo seletivo da trybe em 3…2…1…enter!

  3. Esse artigo me ajudou muito a perceber que estou no caminho certo e escolhendo uma profissão coerente com meu perfil e expectativas. Obrigado

  4. Estou começando a estudar tudo totalmente do zero e estou me sentindo uma louca entrando num mercado dominado pelos nerds que já nasceram com a chupeta de um lado e um computador do outro. Não sei no que isso vai dar, mas vou pagar “literalmente” para ver… pelo menos teimosia eu tenho para insistir nessa empreitada.

  5. Conteúdo muito esclarecedor !É muito importante para nós que estamos começando na carreira ou buscando recolocação no mercado ter acesso a conteúdos tão claros e informativos assim.

    1. Obrigada pelo seu feedback, Mauro! Em nossa aba ‘carreira’ você encontrará outros textos ricos sobre a área de programação e tecnologia! Para quem deseja começar na área, indicamos esse artigo ->https://blog.betrybe.com/carreira/programacao-para-iniciantes/ 😉

  6. Oi Ana Gabriela!

    Quanta responsabilidade e compromisso. Parabéns pelo blog!
    Ler tudo isso me motivou rumo a minha nova escolha de vida. Afinal, o que importa nesse momento de caos e reflexão é como iremos nos transformar. O que somos e como faremos nossas escolhas a partir desse novo mundo de oportunidades.
    Me sinto feliz pela oportunidade.
    Obrigada por se disponibilizar a transformar o mundo da tecnologia.

    1. Muito obrigada pelo feedback, Aláine! Você tem toda razão, nesse momento é importante recalcular a rota e construir novos projetos! Desejamos muita sorte a você nessa jornada de transformação! Conte com a Trybe 😉

  7. Comecei a fazer um Curso técnico a 20 anos, não consegui terminar na época. Agora não quero deixar a oportunidade passar. Hoje sou formado em ADM com habilitação em Marketing, creio que com a Trybe poderei alavancar no mercado.

  8. Fala galera da Trybe!
    Gostei muito do artigo, bem esclarecedor.
    O programador/desenvolvedor tem um amplo leque de áreas para escolha.
    Quais são os passos essenciais para que está iniciando?
    Abraço
    Wagner

  9. Conteúdo maravilhoso, bem explicativo.
    Quanto mais conheço a área de programação, mais meu interesse em atuar na área cresce.
    Parabéns a equipe!

    1. Obrigada pelo seu feedback, Silas! Temos outros conteúdos sobre a área de programação e tecnologia em nosso blog, vale a pena conferir. Tenho certeza que você vai curtir 😉

    1. Obrigada pelo seu feedback,Thaiz! A área de programação é uma das que mais cresce e também com grandes oportunidades de trabalho! Vale a pena conhecer mais. Os desafios são de brilhar os olhos 😉

  10. Sinceramente… Melhor resumo…. Simples e muito objetivo. Isso é muito importante para um artigo. Fico feliz de poder está aqui aprendendo mais e mais.

    1. Obrigada pelo seu feedback, Isaias! Temos outros conteúdos sobre a área de programação e tecnologia em nosso blog, vale a pena conferir. Tenho certeza que você vai curtir 😉

    1. Obrigada pelo seu feedback, Romulo! Temos outros conteúdos sobre a área de programação e tecnologia em nosso blog, vale a pena conferir. Tenho certeza que você vai curtir 😉

  11. Ótimo conteúdo! Entender um pouco sobre programação e como está o mercado de trabalho para essa área é essencial para quem pretende entrar nesse mundo de programador.

    1. Obrigada pelo seu feedback, Keila! Em nossa aba ‘carreiras’ você encontrará outros conteúdos sobre a área de tecnologia e o mercado. Esperamos que goste 🙂

  12. Ola Equipe Trybe, fico muito grato pelas informaçoes aqui no blog, Com essas infomaçoes que vcs{ Trybe} nos mostra o quanto e importante o nosso impenho na de TI. ABraço.

    1. Obrigada pelo seu feedback, Marcos! Em nossa aba ‘carreiras’ você encontrará outros conteúdos sobre a área de tecnologia e o mercado. Esperamos que goste 🙂

  13. Muito obrigado Trybe, pela iniciativa de proporcionar esta oportunidade para muitas pessoas que querem ingressar na área de TI, porém não conseguem por falta de condição de pagar um curso de excelência como o da Trybe.

  14. Conforme a informação supracitada, “a demanda por desenvolvedores deve alcançar 70 mil oportunidades entre 2019 e 2024”. Segundo o IBGE, no mês de janeiro do corrente, haviam 11.900.000 desempregados no Brasil. Se apenas 0,6% dos desempregados partirem para a área de TI, já serão supridas as 70.000 oportunidades. Ou seja, como em qualquer área, o fator comportamental logo será imperativo para contratações. E não há problema algum nisso, é só uma simples observação.

    1. Que bom saber do seu interesse, Vitor!Obrigada pelo feedback! Em nossa aba ‘carreiras’ temos outros conteúdos que você certamente vai gostar! 🙂

  15. O mundo da tecnologia é o futuro, o quanto mais venho aprendendo mais percebo que o mundo caminha nessa direção. Hoje simplesmente tudo é conectado e a necessidade de profissionais na área é cada vez maior.

    1. Exatamente, Stefano! A tendência do mercado é caminhar para uma expansão cada vez maior do setor de tecnologia. Por isso, vale muito a pena investir em carreiras na área!

    1. Oi, Eduardo. Tudo certo?

      Que bacana saber do seu interesse! Aqui na Trybe temos um curso introdutório à linguagem JavaScript. Ele é gratuito. Vale a pena conferir -> bit.ly/free-course-trybe

  16. Já fiz curso técnico em informática e agora estou fazendo licenciatura em computação, mas ainda não aprendi a programar.
    E agora nem tenho tempo de aprender, porque o curso e o trabalho com web conferência ocupam todo o meu tempo.

    1. Oi, Luiz. Tudo bem?

      Legal saber do seu interesse! Aqui na Trybe temos um curso introdutório à linguagem JavaScript. Vale a pena conferir no seu tempo livre. -> bit.ly/free-course-trybe

    1. Oi, Thiago. Tudo bem?

      Que legal saber do seu interesse! Já conferiu outros conteúdos sobre o assunto em nosso blog? Vale a pena conhecer mais sobre a área! Qualquer dúvida é só nos mandar!

  17. Muito bacana.
    Tive o desejo de trabalhar na área de programação apos ter a necessidade para a minha mãe, que ficou doente e precisou de uma profissional home care. Foi ai que tive a ideia de criar um App, para auxiliá-la na contratação desta mão de obra.

    1. Oi, Ahmad. Tudo bem?

      Que bacana sua ideia! A área de programação está em constante crescimento e tem uma alta demanda de profissionais. Você já conferiu mais sobre a Trybe? -> bit.ly/b-home-trybe

  18. tenho 46 anos estou muito interessado pelo curso , e pela area de trabalho em geral se vcs tiverem mais videos introdutorios por favor me repassem

    1. Oi, Anderso! Tudo bem?

      Que legal saber do seu interesse! Temos um curso muito bacana de introdução a linguagem JavaScript. Vale a pena conferir -> bit.ly/free-course-trybe

    1. Oi, Rui! Tudo bem?

      Ficamos muito felizes com seu feedback! Temos outros textos bem interessantes sobre a área de programação. Você já conferiu?

    1. Oi, Gleidson! Tudo bem?

      Ficamos muito felizes com seu feedback!
      Você já conhece a Trybe? (bit.ly/b-home-trybe) Qualquer dúvida, conte com a gente!

  19. Bacana este modo de exibir como os programadores necessitam comportar-se nos dias de hoje. Este texto certamente é um bom esclarecedor de dúvidas para pessoas que simplesmente consomem apps e um bom resumo para quem quer ingressar na área! Obrigado!

    1. Oi, Felipe. Tudo bem?

      Ótimo saber que gostou do conteúdo! Saber o que faz uma pessoa programadora e seus desafios é essencial para quem quer seguir na área.

    2. Coisa linda, Felipe! Muito obrigada por seu retorno! Temos diversos conteúdos sobre a carreira de programação e tecnologia em nosso blog! Indicamos que você confira a aba ‘carreiras’. Acredito que encontrará outros temas de seu interesse 🙂

Deixe um comentário
Você também pode gostar