Uma das principais carreiras no mercado de TI é a de programador de sistemas. Essa pessoa é a responsável por criar softwares e atender às demandas por aplicações em diversas áreas. A forma como ele trabalha é variável, mas alguns princípios são os mesmos: é preciso desenvolver habilidades interpessoais, dominar linguagens e estar sempre pronto para as mudanças no setor.

Para entender melhor o que faz um(a) programador(a) e como ele(a) trabalha, você pode conferir os tópicos a seguir. 

Boa leitura!

O que faz um(a) programador(a)?

O(a) programador(a), também chamado de desenvolvedor(a), escreve códigos que se tornam comandos/instruções para um computador. Esses comandos são traduzidos para a linguagem da máquina e geram um fluxo de funcionamento, de acordo com o objetivo desejado.

Assim, esse conjunto de instruções se torna um software, que funciona de acordo com um conjunto de etapas logicamente conectadas, com entradas, processamento e saídas respectivas.

Em suma, uma pessoa que programa é responsável por transformar requisitos em um sistema pronto. Por exemplo, em uma ferramenta que processa textos, um dos requisitos é permitir que os usuários consigam formatar suas redações e alterar opções de personalização visual, como mudar a cor e o tamanho da fonte. 

Em um sistema como esse, a digitação de palavras pelo usuário desencadeia uma reação da aplicação, que é processar e exibir na tela. Ou seja, a partir das interações, o software processa e gera saídas.

Linguagens de programação

As linguagens de programação, por sua vez, são ferramentas que as pessoas dessa área usam para realizar seu trabalho. Consistem em um código compreensível para o idioma comum, com regras e palavras específicas, que permitem estruturar lógicas e criar sistemas. Elas também permitem a modelagem do software, que basicamente funciona como uma simulação do mundo real.

Algumas comuns são C, Java, Python, C++ e C#. Essas tecnologias variam em síntaxe e estratégias de codificação, mas possuem muitas similaridades entre si. Principalmente porque todas herdam princípios do C, uma das linguagens de programação pioneira. Vale destacar também o JavaScript, uma das mais usadas atualmente, para desenvolvimento web principalmente.

Quais as principais competências de um(a) programador(a)?

Saber programar bem requer algumas habilidades. Uma delas é a capacidade de se comunicar e debater ideias com outras pessoas. Isso é essencial, pois esses profissionais frequentemente terão que discutir sobre como poderão alcançar os requisitos da melhor forma. 

Para lidar com equipes e superiores, a inteligência emocional é essencial. O profissional terá que estimular a empatia e ser capaz de controlar as próprias emoções para o bem do grupo em cada projeto.

Da mesma maneira, ter um bom raciocínio lógico é muito importante, afinal, programação é uma atividade focada em lógica. O pensamento que associa causas e efeitos e consegue compreender relações entre variáveis e aspectos do mundo real é fundamental para solucionar um problema.

Como já falamos, a pessoa que programa deve estar sempre em evolução, acompanhando o que acontece no mundo da tecnologia. Isso inclui aprender novas ferramentas e se desafiar a evoluir como profissional, buscando novos direcionamentos para a carreira. Afinal, a área de tecnologia é extremamente dinâmica e requer pessoas que se adaptem a isso. 

Não podemos esquecer de ressaltar que desenvolvedores precisam dominar as linguagens. Essas ferramentas diferem bastante entre si, na forma como os códigos são implementados — podem ser imperativas, funcionais ou orientada a objetos, por exemplo. Em cada paradigma, a forma de raciocinar muda. 

Contudo, é interessante que o profissional tenha um bom repertório de opções para saber o que cabe melhor em cada contexto. Assim, ele se tornará mais versátil e conseguirá atuar em diversas áreas do mercado, atendendo a inúmeras demandas de trabalho. 

Quais os principais segmentos de mercado que um(a) programador(a) pode atuar?

Profissionais de TI podem atuar em segmentos diversos, como o hospitalar, o industrial e comercial. Seus trabalhos são relevantes em setores como o RH, o financeiro e o próprio de tecnologia. Além disso, ainda existem poderosas aplicações na comunicação, como no marketing digital. 

A programação é tão importante para o mundo tecnológico que suas aplicações englobam a base de muitas inovações que usamos no dia a dia. A internet, por exemplo, está repleta de sites, que foram criados por desenvolvedores. Os sistemas utilizados para gerenciar e centralizar operações em uma empresa também foram feitos por esses profissionais.

Em alguns casos, profissionais de programação trabalham como parte de uma equipe de TI em uma empresa, com soluções para a própria companhia. Essa organização pode ser de qualquer segmento. Em outras situações, eles são membros de companhias de TI, startups ou fábricas de software e trabalham sob demanda para clientes externos.

Áreas: Desenvolvimento Web, Desktop e Mobile

Existem diversas áreas para profissionais da programação, a depender do tipo de produto desenvolvido. Para cada tipo existem variações nas regras e nas tecnologias usadas. Veremos a seguir as principais tipos de desenvolvimento:

Programação Desktop

Nesse tipo de programação, o objetivo é criar um produto que roda no ambiente desktop, ou seja, em computadores de mesa, como laptops. Assim, o usuário terá acesso ao sistema com os arquivos instalados no disco rígido da máquina. Esse tipo de programa apresenta certa dependência de um sistema operacional, embora algumas aplicações funcionem bem em vários sistemas diferentes.

Web

Nesse caso, o produto é uma aplicação que funciona na web e é hospedada como um site. Pode ser um website comum ou um software mesmo, disponível para acesso no modelo da computação em nuvem. A vantagem é que, como o acesso é pela internet, o sistema fica disponível para qualquer dispositivo, independentemente de tamanho e configuração. 

Mobile

No desenvolvimento mobile, sistemas são construídos para serem acessados em dispositivos menores, como celulares e tablets. Desse modo, as informações são adaptadas para organizar a estrutura e permitir a leitura nessas telas.

Como está o mercado para pessoas da área de programação?

O mercado de programação, assim como o de tecnologia, está muito aquecido. Segundo a Associação Brasileira de Startups, existem mais de 5 mil vagas abertas somente em startups no Brasil. Além disso, a demanda por desenvolvedores deve alcançar 70 mil oportunidades entre 2019 e 2024. Isso reflete a necessidade crescente por funções que envolvem softwares.

As empresas estão correndo para se adaptar à transformação digital, tentando automatizar seus processos e adotar novas aplicações que solucionam seus problemas diários. Por essa razão, saber programar e evoluir de acordo com as inovações que surgem são características especiais para conseguir um trabalho nesse ramo futuramente.

Quanto ganha um programador ou programadora?

Quando pensamos em uma profissão, é natural buscar informações sobre a remuneração média daquela área, afinal essa é uma parte importante. 

Na programação, assim como em outras profissões, a remuneração pode variar muito dependendo do cargo, da experiência, da localização, do setor de atuação, dentre outros requisitos. 

Então, para chegar em valores é necessário que todos esses pontos sejam levados em consideração. Mas dando um exemplo mais geral e sem levar em consideração a linguagem de especialidade, a média salarial de um profissional júnior, que  em geral tem entre 1 a 2 anos de experiência profissional comprovada, na cidade de São Paulo é em média é de R$ 3.000,00 .

Para ver mais salários, de acordo com cidade, experiência e linguagens, confira nosso artigo completo sobre quanto ganha um programador ou programadora.

Curso de programação: como começar minha carreira de programador(a)?

Se você tem interesse em se tornar um programador ou programadora, provavelmente, já viu que existem diversos cursos disponíveis e deve está se perguntando como escolher a melhor opção. 

Com tantas possibilidades é preciso avaliar qual o curso ideal para você, considerando seus objetivos, sua disponibilidade, preferências, investimento etc.

Além de tudo isso, é importante que você escolha um curso de qualidade, assim você não desperdiça tempo, nem dinheiro, com uma escolher ruim.  Lembre-se também de que essa é uma área que exige bastante de dedicação, além de fazer um curso, você precisa estudar e e se manter sempre atualizado (a). 

Nosso texto, sobre Curso de programação para iniciantes: por onde começar?   pode ajudar muito na sua escolha, não deixe de conferir!

Diante de um mundo cada vez mais tecnológico, em que vivemos cercados de sistemas e aplicações, percebemos o trabalho desses profissionais o tempo todo. Assim, é possível notar que essa é uma área promissora para quem deseja conquistar bons empregos em diferentes áreas e crescer profissionalmente.

Gostou desse conteúdo? Então não deixe de conferir nosso artigo sobre como iniciar os estudos em programação.

10 Shares:
Você também pode gostar