Um dos grandes destaques acerca da programação é o fato de que ela pode ser aplicada em diversos segmentos, para distintas funcionalidades. Para garantir que isso seja possível, existem os frameworks. Eles são ferramentas que permitem compartilhar trechos de código entre aplicações com funcionalidades semelhantes.

Além disso, essas ferramentas são bastante comuns hoje, portanto, devem ser aprendidas por quem deseja ingressar no mercado. Em alguns casos, o conhecimento deles é até mesmo requisito para boas vagas. Por essa razão, você precisa aprender o que é framework e pode começar com os tópicos a seguir.

O que é framework?

Framework é uma definição que vai além do mercado de software. Em outros contextos, refere-se a uma série de ações e estratégias que visam solucionar um problema bem específico. Assim, quando se deparam com esse cenário, os profissionais recorrem a um conjunto pronto de abordagens e otimizam os seus resultados.

Na área de tecnologia, a definição é semelhante, mas de acordo com os aspectos técnicos de programação de sistemas. Trata-se de uma série de bibliotecas e classes — ou seja, códigos prontos — que oferecem alguma funcionalidade específica. Em outras palavras, é um padrão que pode ser incorporado a sistemas para agilizar a codificação de certas partes.

Simplificando, é como se fossem peças prontas que podem ser inseridas em um carro. Essas peças apresentam uma função específica e só funcionam dentro do contexto inteiro, por isso ajudam quando o motorista precisa economizar o dinheiro do conserto de alguma peça defeituosa. 

Suas funções são adequadas para determinadas tarefas repetitivas e mais simples, que geralmente são comuns em softwares de diferentes naturezas. Assim, o programador pratica o reuso de código. Esse conjunto de funcionalidades é como uma máquina que automatiza parte do seu trabalho para que você consiga focar outras tarefas. 

O conceito é semelhante ao de biblioteca — códigos prontos para serem aplicados. No entanto, os frameworks podem ser compreendidos como uma série de bibliotecas, ou seja, uma estrutura ainda maior e mais robusta que permite configurar partes maiores do código.

Um exemplo de funcionalidade que é implantada com frameworks: formulário de login. As ações que envolvem essa função raramente mudam a depender do contexto da aplicação — um formulário de login quase sempre requer as mesmas coisas, que é um usuário/e-mail e uma senha, por exemplo. 

Quais as vantagens de utilizar os frameworks?

Redução de tempo

Uma das principais vantagens é a agilidade e economia do tempo. Afinal, essas ferramentas facilitam o desenvolvimento dos sistemas, permitindo que os programadores não percam tempo com funcionalidades mais básicas. 

Desse modo, eles podem investir recursos nas funções e requisitos específicos do sistema, que o diferencia de outros já existentes. Assim, a produtividade aumenta consideravelmente, já que há menos desperdício de tempo e esforço. Isso, no geral, contribui para resultados melhores e maior satisfação dos clientes.

Segurança

Os frameworks são desenvolvidos por comunidades de programadores e são, geralmente, abertos para modificações e revisões por esses profissionais. Dessa maneira, eles são consistentes e robustos, apresentando um bom padrão de qualidade de código.

Em razão disso, ao aplicá-los, você ganha maior segurança para o seu sistema, com menos erros. Dessa forma, é possível utilizar esses padrões prontos sem receio e concentrar mais nos códigos originais. 

Padrões de legibilidade

Outra vantagem de ser desenvolvido por uma comunidade é a legibilidade. Esse quesito é essencial para a construção de código, sendo um dos aspectos mais cobrados em cursos e graduações da área. Afinal, um código limpo é importante para que programadores consigam realizar manutenções e entender do que se trata quando leem. 

Os frameworks são geralmente criados sob esse padrão e garantem uma clareza muito grande que auxilia no dia a dia. 

Quais as desvantagens dos frameworks?

Problemas de configuração

Do outro lado da análise, percebemos que os frameworks podem ser complexos para configurar em alguns casos. Por isso, é mais difícil adaptá-lo ao que já está implementado e garantir a comunicação deles com outras partes do sistema que está sendo criado.

Além disso, há um grande consumo de tempo para instalações e definições antes mesmo do desenvolvedor conseguir usar os códigos. 

Dependência

Outro problema do uso exagerado de funcionalidades prontas é a dependência. Usar muitos deles é como construir um sistema com partes distintas criadas e modificadas externamente.

Assim, caso o framework sofra algum problema, o sistema no qual ele foi utilizado também é afetado. É como ter uma parte danificada em um carro, por exemplo: o veículo inteiro acaba sofrendo por isso.

Códigos desnecessários

Existem frameworks mais pesados que buscam resolver problemas maiores. O ideal é ser uma ferramenta mais completa e otimizar o dia a dia do desenvolvedor.

Contudo, eles podem ser uma dor de cabeça para instalar, como já comentamos, e às vezes trazem mais códigos e especificações do que o necessário. Desse modo, o código fica cheio de configurações que não são importantes no contexto. 

Quais os frameworks em destaque no desenvolvimento web?

O desenvolvimento web é a programação voltada para criar aplicações e sites que rodam na internet e são interpretados por um navegador. Consiste em um lado do servidor, que hospeda as páginas e permite o acesso por um determinado endereço (o nome do site), e um lado visual, que contém o que aparece para o usuário: menus, textos, imagens, botões etc.

Sempre surgem novas opções de funcionalidades prontas para auxiliar os programadores web. Uma razão disso é o fato de que aplicações web têm muita coisa em comum, por isso, o reuso funciona perfeitamente bem e deve ser feito.

Existe o Angular, um framework para JavaScript, que ajuda a desenvolver a interação entre a parte visual do site, dos botões e menus, com a parte mais complexa e técnica referente ao lado do servidor. Atualmente, é um dos grandes protagonistas em projetos de Single-Page Applications, que são sites com uma única página que é reescrita pelo JavaScript apresentando as informações solicitadas, ao invés de receber uma nova página do servidor.

No lado do servidor, em específico, existe o famoso Laravel, framework para PHP. É uma opção um pouco mais complexa e pesada, por isso, requer bastante conhecimento e cuidado na hora de usar. 

O Bootstrap é um ferramenta para CSS que ajuda na criação de telas responsivas para estruturar informações em páginas web. Ou seja, ele permite criar layouts adaptados para diferentes tamanhos de dispositivos. Já o Vue é outra ferramenta para JavaScript que vem conquistando diversos adeptos por ser bastante flexível em diferentes projetos.

Um framework é um padrão que agrega um conjunto de códigos para implementar funcionalidades específicas em um sistema. Seu uso requer bastante cuidado, por conta de suas características. No entanto, conhecer e dominá-los é imprescindível para quem deseja crescer como programador e conquistar vagas no mercado de tecnologia.

Quiz Framework de programação

  • 1. Em relação à definição de framework, é incorreto afirmar que:
    • a) Diz respeito a um conjunto de ações e estratégias que visam solucionar problemas, podendo ir além do desenvolvimento de softwares.
    • b) Especificamente na área de TI, os frameworks atuam como um acervo de códigos previamente preparados para determinada funcionalidade.
    • c) Ele funciona melhor em ações pontuais e complexas, a partir de um tipo específico de software apenas. 
    • d) Pode ser considerado como um padrão reutilizável que pode ser inserido em diferentes sistemas para agilizar e facilitar seu desenvolvimento.
    • e) Frameworks diferem-se de bibliotecas no fato de serem ainda mais amplos e robustos. 
  • 2. Selecione a alternativa que não representa uma vantagem de se utilizar frameworks:
    • a) Pessoas desenvolvedoras conseguem poupar tempo por não precisarem construir estruturas mais básicas.
    • b) Como há menos esforço e menor tempo utilizado, a produtividade tende a aumentar.
    • c) Há maior segurança pelos códigos serem abertos e constantemente revisados por profissionais.
    • d) Sua simplicidade permite que você não precise dominar nenhuma linguagem de programação para utilizá-los. 
    • e) Geralmente eles contam com um alto grau de legibilidade, o que facilita na manutenção dos códigos. 
  • 3. Qual das seguintes alternativas a seguir NÃO representa uma desvantagem de se utilizar os frameworks?
    • a) Complexidade de serem incorporados e adaptados a projetos em andamento.
    • b) Grande consumo de tempo para instalar e definir antes de poder ser utilizado.
    • c) Debilidade da pessoa programadora em aprender a utilizar novas ferramentas e linguagens de programação.
    • d) O sistema em desenvolvimento fica dependente da funcionalidade correta do framework.
    • e) Frameworks podem trazer mais códigos e especificações que não são relevantes para o projeto.
  • 4. Sou um framework para JavaScript utilizado no desenvolvimento web, ajudo na interação entre o front-end e o back-end. Além disso, sou muito útil na criação de páginas únicas. Quem eu sou?
    • a) Angular.
    • b) Bootstrap.
    • c) Laravel.
    • d) Vue.
    • e) PHP.
  • 5. Sou utilizado no CSS para soluções em desenvolvimento web, também. Minha participação é fundamental na responsividade de telas de dispositivos, ou seja, na adaptação de uma determinada página da web para diferentes tamanhos de telas. Quem eu sou?
    • a) Angular.
    • b) Bootstrap.
    • c) Laravel.
    • d) Vue.
    • e) PHP.

Agora que você já aprendeu o que é framework, não deixe de acompanhar nossos conteúdos especializados nas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram e Twitter.

6 Shares:
Você também pode gostar