Com o crescimento do interesse sobre programação, é natural que as pessoas tenham vontade em saber mais como funciona a área, os tipos de função e quais os caminhos para trabalhar no setor como um programador.

Por isso, é indispensável falar a respeito de front-end.

Para se ter uma ideia, grande parte dos profissionais que escrevem código – “codam” na linguagem dev – ou são front-end ou back-end. 

Mas, afinal, o que é front-end, o que significa ser um programador front-end?

Neste artigo, você vai entender essa relação, saber as diferenças entre um programador back-end, full-strack e, claro, como dar os primeiros passos na área.

O que é front-end?

O front-end nada mais é do que uma relação direta com a interface gráfica de um determinado projeto. Isso se refere ao local onde há todo o desenvolvimento de uma dada aplicação, onde o usuário poderá ter uma interação com softwares, aplicativos, sites e outros tipos de programas.

Sendo assim, é preciso que o desenvolvedor ou desenvolvedora tenha uma grande preocupação com toda a experiência do usuário, afinal, ele será o utilizador majoritário da aplicação. Avaliações externas, como feedbacks, também são extremamente importantes para compor o processo e fazer com que ele dê certo em todas as etapas.

Um termo muito utilizado dentro dessa área é o “Dev front-end”, que nomeia as pessoas profissionais que são especializadas nesse tipo de categoria de programação. Além disso, ainda que possam ser capazes de desenvolver a interface de um projeto, a pessoa programadora front-end não precisa ser, necessariamente, formada em design;

Na verdade, para uma pessoa desenvolvedora do ramo, é preciso saber como mexer com o código de maneira majoritária. Isso facilitará muito o trabalho. As ferramentas serão projetadas ao longo do tempo, levando em consideração a forma com a qual a pessoa usuária poderá interagir com cada uma delas.

banner download da trilha de front-end

Qual a importância do front-end e onde é aplicado?

É muito provável que, se um site ou sistema de gestão não for fácil de usar, as pessoas usuárias procurarão muito menos esse tipo de serviço. Sendo assim, cabe à pessoa profissional da área de front-end resolver esse problema, criando  algo mais atrativo e, também, com uso simples e compreensível.

A importância dessa área para a programação está justamente na possibilidade de otimizar a interação das pessoas que utilizarão com um determinado programa ou ferramenta. Isso garante que haja uma maior aderência e, consequentemente, haja uma maior disseminação do projeto para outras pessoas que também tenham interesse no nicho.

É muito comum, também, que um site vá perdendo o tráfego orgânico com o tempo, caso continue apresentando erros ao longo de seu funcionamento. Isso fará com que as pessoas percam a confiança aos poucos naquele endereço da web. É por isso que a função do front-end é tão relevante: porque garante credibilidade para o projeto.

Quando a linguagem característica desse tipo de programação é aplicada, é válido levar em consideração o design de um site responsivo, que gere um aumento de tráfego com o passar do tempo. Uma usabilidade ruim também poderá ser aplicada aos softwares, o que deve ser um ponto a se observar na hora de seguir com um projeto.

O que faz um programador front-end?

Uma das principais funções de uma pessoa programadora front-end é a de criar páginas para a web. Para isso, ela precisa utilizar HTML, CSS e JavaScript, principalmente. Além disso, é muito comum que um layout pré-definido seja utilizado para que o projeto possa correr da forma como foi planejado.

Isso quer dizer que trabalhar em equipe é indispensável para que a experiência do usuário seja pensada da melhor maneira possível. Cada pequeno feedback ou ideia contam grandemente para o desenvolvimento de uma determinada característica do software ou página da internet.

O trabalho de uma pessoa programadora front-end exige muita atenção a todos os detalhes. Sendo assim, ele deverá garantir que o design da página leve em consideração tudo o que foi previamente definido ou, até mesmo, que a usabilidade esteja devidamente fluida para ajudar as pessoas usuárias a terem uma experiência agradável.

Antes de prosseguir, aproveite e faça o download do material sobre Profissões do Futuro. O desenvolvedor front-end é uma profissão do futuro, mas há muitas outras. Entenda quais outras carreiras farão sucesso no mercado.

Banner de download de ebook sobre Profissões do Futuro

Quais as vantagens e desvantagens da programação front-end?

Depois de compreender melhor o que front-end, é importante saber quais são as vantagens e desvantagens envolvidas nesse tipo de programação. Assim como em qualquer outra área, é possível encontrar alguns empecilhos. No entanto, também há os prazeres em trabalhar com a criação e facilitação de uma boa experiência para os usuários.

Vantagens

Dentre as vantagens que podem ser mencionadas na programação de front-end, temos:

  • Desenvolvimento rápido;
  • Ambiente seguro;
  • Resposta rápida.

O desenvolvimento rápido é, sem dúvida alguma, a maior vantagem dessa área. Isso porque, por intermédio dos avanços tecnológicos, a finalização das tarefas é realizada de maneira muito mais ágil e prática. O ambiente também é seguro, porque todas as estruturas da programação protegem a pessoa programadora e a usuária. 

Para finalizar, ainda há a nova tecnologia de estrutura, muito utilizada pelas pessoas desenvolvedoras com o objetivo de ajudá-las a criar facilmente alguns recursos com resposta rápida. Isso ajudará a facilitar a reação, a resposta e o funcionamento mais eficaz de vários aplicativos.

Desvantagens

Dentre as desvantagens da programação front-end, estão:

  • Código executado no cliente, no caso, o usuário;
  • Inconsistência de sistema operacional;
  • Necessidade de entrega de boa experiência.

Todo código feito por uma pessoa desenvolvedora é executado diretamente no cliente.


No entanto, não é possível saber se a pessoa que está usando visualiza em um smartphone, tablet, notebook ou até mesmo um desktop. Isso é uma grande desvantagem, porque pode afetar diretamente a experiência.

Além disso, também não é possível saber qual o sistema operacional utilizado pela pessoa usuária, bem como o seu navegador e versão. Sendo assim, a pessoa desenvolvedora front-end acaba combatendo alguns inimigos invisíveis, o que torna tudo um pouco mais complexo com o andamento do projeto.

Por fim, ela ainda tem que estar em contato direto com as pessoas usuárias, precisando entregar uma excelente experiência para promover maior interesse. Por isso, é necessário se preocupar com a otimização de vários arquivos HTML, CSS, JS, imagens e muito mais.

Antes de prosseguir, vale apenas entender o termo “cliente” na programação.

O que é cliente e o que é servidor

Antes mesmo de entrar no mérito de front-end e back-end, precisamos entender um pouco sobre como funciona a mecânica do desenvolvimento web hoje. Seja para aplicativos, seja para plataformas e sites, todos seguem um padrão muito parecido.

Na maioria dos casos, temos uma arquitetura conhecida como cliente-servidor, na qual um navegador ou smartphone, que representa a pessoa usuária, exibe as informações, buscando sempre que necessário as respostas em um servidor. Por sua vez, ele recebe requisições de clientes conectados e responde a cada um deles de forma individual, buscando, salvando, editando ou deletando informações na base de dados.

explicação visual do que é client-side e server-side
Os dois lados da programação: client-side (usuário); server-side, o lado do servidor

Basicamente são dois sistemas separados. Essa troca de dados entre eles é realizada por meio de APIs, que são protocolos de comunicação. No geral, podemos contar com vários tipos de clientes, como aplicativos para Android, iOS, sites e plataformas web. Já o servidor pode ser único, atendendo a todos da mesma maneira.

Como são duas entidades diferentes, a linguagem utilizada e o estilo de programação também podem mudar. Por conta disso, existem pessoas especializadas em trabalhar com o back-end e outras com o front-end.

Quais as diferenças entre full-stack, front-end e back-end?

Full Stack é o nome dado para o desenvolvedor ou desenvolvedora que está envolvido tanto no Front quanto no Back. Sendo assim, sua função é um pouco mais abrangente. O front-end, por sua vez, desenvolve aplicações projetadas por um Arquiteto e Designer. Por fim, o back-end é o profissional responsável por responder as requisições de um cliente-usuário.

Uma das principais vantagens de um Full Stack, por exemplo, é a sua possibilidade de enviar currículos para uma maior quantidade de lugares. Assim, ele encontrará empresas que oferecem um salário muito mais atrativo e, também, poderá se oferecer para trabalhar em apenas uma das duas funções.

Já as vantagens do front-end estão diretamente ligadas com o foco na linguagem de programação do JavaScript. Querendo ou não, essa área tem crescido bastante e tido uma enorme procura, o que quer dizer que a pessoa profissional do ramo não ficará sem uma vaga por um longo tempo.

No caso do back-end, as vantagens estão diretamente ligadas com a falta de preocupação acerca do dispositivo ou versão do navegador utilizados pelo cliente. Isso porque o código que rodará em uma única máquina poderá ser configurado a qualquer instante, sem maiores dificuldades.

Antes de prosseguir, aproveite e faça o download do material sobre Profissões do Futuro. O A carreira de Front-end pode ser é uma profissão do futuro, mas há muitas outras. Entenda quais outras carreiras farão sucesso no mercado.

Banner de download de ebook sobre Profissões do Futuro

Quais as 6 principais linguagens de programação front-end?

Uma pessoa programadora front-end precisa ter conhecimento de algumas linguagens em específico para que possa exercer um bom trabalho. Sendo assim, confira, abaixo, quais são elas e como podem ser utilizadas para melhorar o engajamento do profissional com o seu projeto.

1 – HTML

O HTML é uma abreviatura do termo Hypertext Markup Language. Ela é considerada uma linguagem de programação capaz de criar documentos eletrônicos mais conhecidos como páginas da web. Cada uma dessas páginas possui diversas conexões com hiperlinks ou links que se relacionam com outras páginas.

Todas as páginas da web que são acessadas foram, em algum momento, criadas com a utilização de um HTML. Este é, sem dúvida alguma, um dos requisitos mais essenciais para que os navegadores possam aprender a exibir textos ou realizar um simples carregamento de elementos distintos.

Além disso, esta linguagem possui alguns benefícios como a facilidade de aprendizado, sua gratuidade e, também, um suporte muito completo para vários tipos de navegadores. Então, para quem está começando no mundo da programação de front-end, esta pode ser uma das melhores opções disponíveis.

2 – JavaScript

O JavaScript se caracteriza como uma linguagem de programação muito utilizada entre as pessoas programadoras, principalmente por causa de sua facilidade. Além disso, ele permite que outras pessoas implementem recursos mais sofisticados em suas páginas da web. Esses mesmos recursos ajudam a melhorar a experiência na internet.

Além de tudo isso, também há algumas vantagens em programar com a linguagem JavaScript. Algumas delas são uma boa carga do servidor, interfaces ricas para fazer o que desejar ao longo da programação e funcionalidade estendida para criar snippets para os mais variados complementos de terceiros sem encontrar empecilhos no caminho.

3 – CSS

O CSS é uma linguagem de programação para front-end tão conhecida quanto as outras duas mencionadas anteriormente. Seu uso está mais voltado para a indicação de como os documentos são oferecidos para quem utiliza, levando em consideração alguns pontos como layout e estilo, o que torna a experiência mais agradável.

Dentre as vantagens de utilização do CSS estão a economia de tempo, visto que o código deve ser escrito uma vez em uma mesma folha, sua fácil manutenção e a mudança de padrões da web, fazendo com que haja uma maior compatibilidade com as versões futuras dos navegadores ao longo de suas atualizações.

4 – React

O React pode ser considerado, também, como uma linguagem de programação desenvolvida pela empresa Facebook. Ele tem como base a criação de interfaces de usuário da web muito rápidas e com a melhor qualidade possível. Nos dias de hoje, pode ser visto como uma das bibliotecas JavaScript mais utilizadas.

As principais funções deste tipo de linguagem estão diretamente relacionadas com a adequação para a criação de interfaces visuais para que o usuário possa ter uma boa experiência. Além disso, há a possibilidade de renderizar os dados dos navegadores de maneira mais simples e ágil.

5 – TypeScript

O TypeScript também ajuda a pessoa programadora front-end a se desenvolver. Ele constitui um superconjunto sintático oferecido pelo JavaScript. Isso quer dizer que qualquer código dessa linguagem pode ser considerado um código TypeScript válido, podendo ser executado em navegadores como JS. Isso garante uma estrutura mais cômoda a quem a utiliza. 

Essa linguagem é, portanto, aditiva, adicionando uma camada simples para tradução, podendo ser utilizada em vários projetos de JavaScript. Além disso, suas vantagens estão diretamente vinculadas com uma digitação estrita, tipagem estrutural e anotações de tipo para facilitar ainda mais o engajamento com o projeto elaborado.

6 – Angular

Angular é visto como uma estrutura de código importante para o front-end. Seu código é aberto e muito utilizado para que aplicativos da web de página única possam ser facilmente desenvolvidos. Pessoas programadoras podem confiar nessa linguagem para gerar alguns menus animados, muito cabíveis para páginas da web em HTML.

Essa estrutura foi desenvolvida por engenheiros da empresa Google, sendo eles Adam Abrons e Misko Hebert. No entanto, essa estrutura só ficou conhecida no ano de 2012 e, até então, recebe muitas atualizações. Suas principais vantagens são a funcionalidade pronta para uso, bem como uma grande consistência nos recursos oferecidos.

Quais habilidades um(a) programador(a) front-end precisa ter?

Para que uma pessoa programadora possa, de fato, ser boa em seu trabalho relacionado ao front-end, é necessário que, ao longo de seu período de trabalho, ela desenvolva algumas habilidades. Elas estão relacionadas diretamente com a área de programação e suas linguagens, assim como mencionado anteriormente. Por isso, é necessário estar em constante busca por melhorias.

Dentre as habilidades que da área que precisamos ter, existe:

  • HTML/CSS;
  • JavaScript/JQUERY;
  • CSS e JavaScript frameworks;
  • Pré-processamento de CSS;
  • Controle de versão/GIT;
  • Design responsivo;
  • Teste e depuração;
  • Ferramentas de desenvolvimento do navegador;
  • Ferramentas de automação e build/desempenho web
  • Linhas de comandos;
  • Soft Skills.

Como aprender front-end? 

Para aquelas pessoas que desejam começar a trabalhar com front-end e seu desenvolvimento, é necessário saber exatamente por onde começar. O mercado de tecnologias cresceu bastante no Brasil nos últimos anos e, com toda a certeza, tem despertado muito o interesse de algumas pessoas para ganhar espaço nesse mundo tão amplo.

Para que o trabalho possa ser exercido de maneira correta, a pessoa programadora deve saber que seu trabalho é:

  • Codificar as interações com o usuário;
  • Criar um layout da interface;
  • Saber promover uma comunicação do cliente para o servidor.

Então, para que os primeiros passos sejam dados na carreira de front-end, é preciso aprender:

  • HTML e CSS;
  • Lógica de programação;
  • IDEs;
  • Node.js;
  • Frameworks;
  • Versionamento;
  • Gerenciadores de pacotes;
  • Empacotamento de módulos.

O mais indicado é que alguns cursos sejam feitos para aumentar a desenvoltura na área.

Posso ser uma pessoa desenvolvedora front-end e back-end?

Sim, é possível ser uma pessoa desenvolvedora de front-end e backend. Isso acontece porque o mercado de desenvolvimento é bastante amplo e permite que uma das várias áreas seja escolhida. No entanto, para atuar em ambas, será necessário ser definido como fullstack.

O perfil dessa pessoa profissional é um pouco mais generalista, onde é possível acumular conhecimento tanto sobre backend como front-end. Isso acontece porque tal pessoa reúne capacidades técnicas de ambas as áreas e não é necessário que ele seja especialista em todas as linguagens.

Como está o mercado de trabalho e salário para quem desenvolve em front-end?

Assim como já foi dito algumas vezes, a área tecnológica tem crescido muito no Brasil, oferecendo novas possibilidades para a área de programação. Atualmente, o mercado de trabalho é muito amplo e não falta emprego, de maneira alguma, para quem trabalha com as linguagens da programação.

De acordo com informações captadas do site Glassdoor, o salário médio de uma pessoa desenvolvedora pode chegar até R$13 mil. No entanto, o salário inicial já é atrativo o suficiente, sendo de R$3.995. Além disso, há muitas empresas procurando bons profissionais para trabalhar com esse tipo de conteúdo.

Front-end e back-end são assuntos muito procurados, principalmente por causa das oportunidades no mercado de trabalho. Além de trabalhar com a interface de sites da web, aplicativos e softwares, ainda é necessário ter uma visão ampla para garantir uma excelente experiência do usuário.

Ainda assim, vale muito a pena buscar ser um programador ou programadora de interfaces. Na área, é possível trabalhar em equipe ou individualmente, além de ter um bom retorno financeiro para aqueles que realmente estão interessados.

Veja agora como começar uma carreira na área de tecnologia sem experiência profissional!

Você também pode gostar