A área de tecnologia é cada vez mais demandada na sociedade. Novas soluções, transformação digital nas empresas, importância dos dispositivos no cotidiano da população, entre outros, exigem o desenvolvimento de softwares cada vez mais complexos e inovadores.

Diante disso, uma das áreas que mais cresce no momento é a Engenharia de Software. Para quem gosta de programação e busca por novas oportunidades, é uma chance de conseguir impulsionar a carreira e obter uma boa realocação no mercado.

Você sabe o que uma engenheira ou engenheiro de software faz? Vamos falar sobre o que é a profissão, quanto ganha quem trabalha nessa área, entre outras dúvidas importantes sobre essa carreira. Boa leitura!

O que faz uma engenheira ou engenheiro de software?

Uma engenheira ou engenheiro de software são pessoas habilitadas para o desenvolvimento de novos programas. Essas pessoas têm expertise para projetar, realizar testes, desenvolver softwares, realizar manutenção das soluções criadas, bem como aplicar os modelos mais modernos a serem seguidos no ambiente de trabalho.

Elas podem trabalhar com a criação de:

  • soluções empresariais;
  • sistemas completos;
  • jogos;
  • aplicativos mobile;
  • plataformas digitais.

Contudo, o trabalho da engenheira ou engenheiro de software vai além das questões técnicas relacionadas com programação. Afinal, além de elaborar toda a parte responsável pelo funcionamento da solução, essas pessoas deve atender às necessidades e expectativas de clientes — uma parte bastante árdua do trabalho.

Sendo assim, profissionais dessa área necessitam ter desenvoltura, jogo de cintura e uma escuta ativa para compreender quais são as principais demandas e dores de quem solicita, para oferecer não só uma solução funcional, mas que supere as expectativas e as questões do contratante.

A principal atuação da engenheira ou engenheiro de software é na Tecnologia da Informação, com um forte mercado para criação de soluções para empresas. É possível, também, que profissionais do ramo trabalhem com a elaboração de um projeto próprio, que poderá render bons resultados (é o caso, por exemplo, de aplicativos mobile e soluções que são utilizadas pela população) ou, então, atuar de forma autônoma para clientes.

Outra forma de cumprimento das funções bastante recorrente atualmente é a parceria conjunta com profissionais da área de robótica, atuando na programação dos sistemas que serão aplicados às máquinas. As pessoas podem, assim, atuar tanto na área de software quanto, também, com hardware.

Qual o perfil da engenheira ou engenheiro de software?

É importante saber como é o perfil da pessoa engenheira software, a fim de identificar quais são as principais habilidades que devem ser desenvolvidas para conseguir se destacar. Veja as principais delas a seguir!

Buscar aprendizado contínuo

Como a área de tecnologia e programação está em constante transformação, é natural que seja necessário, ao longo do tempo, que profissionais da área se atualizem sobre as novas tendências, linguagens de programação, protocolos, entre outros pontos que colaboram para melhores práticas no planejamento, desenvolvimento, teste e manutenção dos softwares criados.

Ser uma pessoa analítica

Uma boa engenheira ou engenheiro de software precisa ter um olhar analítico não só sobre a solução em si, mas também sobre o mercado e sobre a própria forma de elaborar o trabalho. Com isso, torna-se possível encontrar possíveis gargalos e identificar como resolvê-los em curto, médio e longo prazo.

Apresentar proatividade

Como a área de TI necessita superar as expectativas de clientes e oferecer a melhor solução, a pessoa engenheira de software deve ser proativa em busca de minimizar possíveis problemas que possam gerar complicações para quem está usando o serviço.

Por exemplo, ela deve verificar se há falhas na solução que venham a representar um perigo de segurança. Caso ocorram, é necessário realizar uma atualização para procedimentos de intervenção, a fim de minimizar os riscos da ação de cibercriminosos sobre essa vulnerabilidade. Isso sem a necessidade de uma reclamação acerca da questão.

Tem boa comunicação interpessoal

Engenheiras e engenheiros de software sempre trabalham em conjunto com outras pessoas — sejam clientes, aqueles que representem o perfil da pessoa usuária final, ou pessoas do seu time. Portanto, isso exige maiores cuidados com a comunicação interpessoal.

Quanto mais clara, direta e sem gargalos for essa comunicação, mais eficiente será o trabalho da pessoa engenheira e do time como um todo, conseguindo melhores resultados, redução de erros e maior harmonia no dia a dia.

Imagine, por exemplo, que devido a problemas de comunicação, ocorra uma dificuldade no entendimento entre a ideia do cliente e a proposta da empresa para a solução. Quanto mais essa situação se arrastar, maiores serão as chances de insatisfação do contratante. Por isso, é fundamental que esse fluxo de informações entre as partes seja feito da forma mais clara possível.

Sabe atuar em equipe

Como dissemos anteriormente, a pessoa engenheira de software trabalha com uma equipe ao seu lado. Cada uma é responsável por uma etapa, seja do desenvolvimento, seja das operações, planejamento, concepção, teste, entre outros. Diante disso, o especialista precisa ter a capacidade de conseguir lidar com os times e obter o melhor resultado de todos.

Conta com uma escuta ativa

A engenheira ou engenheiro de software deve ser capaz de ouvir e compreender quais são as principais demandas de seus clientes, suas dores, suas expectativas, como funciona o dia a dia de quem utiliza a solução, entre outros pontos. Apenas assim será possível oferecer um resultado de qualidade.

Com um trabalho de escuta ativa, é possível identificar adversidades, dúvidas e inclui-las no briefing a ser entregue no início do trabalho — surpreendendo positivamente a pessoa que contratou o serviço.

Ser uma pessoa detalhista

A engenheira ou engenheiro de software deve ter atenção em todos os detalhes do projeto, como seu planejamento e concepção, observando questões como orçamento, cronograma, profissionais envolvidos no processo, necessidades, arcabouço do software, entre outros aspectos.

Um erro no desenvolvimento ou no planejamento pode comprometer todo o processo. Sendo assim, é fundamental que a pessoa seja meticulosa em suas atividades, observando todos os pontos que merecem atenção, revisando linha por linha de programação, adequação ao projeto inicial etc. para entregar a melhor solução para clientes finais.

Tem seu lado criativo aflorado

Criar soluções que são mais do mesmo não é o suficiente para manter um bom nome no mercado de TI atualmente — para que a pessoa possa conseguir melhores resultados, é fundamental ter criatividade. Vamos a uma analogia simples para que possa entender a questão!

É possível criar diversos tipos de softwares ERP (sistemas de planejamento de recursos empresariais). Cada pessoa responsável pelo projeto terá uma visão diferente. Em alguns casos, pode-se ter diversas versões dessa modalidade, mas que tenham as mesmas funções, o que pode atrapalhar a experiência de clientes.

Uma engenheira ou engenheiro com criatividade conseguirá introduzir pontos importantes, que conquistem a atenção de quem usa. Por exemplo, dá para acrescentar funcionalidades novas, um design diferenciado, integrações que ainda não eram permitidas, entre outras ideias.

Arquitetura software ou engenharia de software: quais as diferenças?

Uma pessoa arquiteta de software não tem as mesmas funções de uma pessoa engenheira de software. Entender essas diferenças é essencial para definir quais serão seus próximos passos na carreira. Uma pessoa da primeira área realiza o desenvolvimento da arquitetura da solução. Ele cumpre as seguintes funções:

  • organiza a planta do projeto da solução, identificando quais são os elementos necessários para a elaboração da solução e mostrando como eles agem em conjunto;
  • distingue os elementos que podem ser funcionais e os que não são funcionais no domínio;
  • visualiza o comportamento da automação da solução como um todo.

É possível fazer uma analogia com os cargos de arquitetura ou engenharia na construção civil: a pessoa arquiteta é aquela que projeta os passos para a criação de um edifício, colocando na planta como deverá ser entregue no final do processo de construção, levando em consideração questões como estética, design, funcionalidade etc.

Já a engenheira é responsável pela execução do projeto, articulando os demais colaboradores para conseguir colocar em prática as definições da pessoa arquiteta durante a construção. Ou seja, um está mais ligado à concepção do projeto e o outro à execução.

A mesma comparação pode ser feita no ambiente de criação de softwares. A área de arquitetura é o responsável por toda a concepção do projeto de solução, identificando como se darão as articulações entre as diversas partes, definindo seu design, entre outros pontos importantes dessa etapa.

Já a área de engenharia será o responsável por articular o desenvolvimento, operação e testes. É claro que ele deverá ter conhecimentos de arquitetura de software para isso, mas, suas funções, via de regra, estão mais ligadas aos aspectos executáveis.

Como se tornar um engenheiro de software?

Um dos caminhos para se tornar, oficialmente, uma engenheira ou engenheiro de software, é o bacharelado em Engenharia de Software. Este é um curso de cinco anos, no qual a pessoa estudante aprenderá questões estratégicas sobre a área de engenharia, programação, software, entre outros.

Veja a seguir algumas das principais disciplinas da grade curricular da graduação:

  • Fundamentos e Arquitetura de Computadores;
  • Algoritmos e Lógica de Programação;
  • Fundamentos de Engenharia de Software;
  • Cálculo;
  • Probabilidade e Estatística;
  • Modelagem de Software;
  • Engenharia de Requisitos;
  • Introdução à Engenharia de Software;
  • Arquitetura e Organização de Computadores;
  • Análise de Sistemas;
  • Estrutura de Dados para Pesquisa e Ordenação;
  • Qualidade de Software;
  • Verificação, Validação e Teste de Software.

Vale ressaltar que hoje o mercado de desenvolvimento de software já não é exclusivo para pessoas com graduação. Atualmente, em grande parte das empresas, é exigido principalmente aptidão para desempenhar a atividade. Ainda assim, é necessário buscar por um curso completo e que tenha compatibilidade com as requisições do mercado.

Como está o mercado de Engenharia de Software?

Como falamos no início deste artigo, o mercado de Engenharia de Software é bastante aquecido, devido a atual necessidade em desenvolver tecnologias cada vez mais avançadas nos mais diferentes setores. Para entender essa realidade, mostraremos alguns dados a seguir sobre o setor:

  • hoje há mais de 14 mil companhias atuando no mercado de tecnologia da informação, segundo dados divulgados pela Abes (Associação Brasileira das Empresas de Software);
  • essas empresas, segundo a mesma pesquisa, movimentaram cerca de US$ 60 bilhões em 2015;
  • segundo outro estudo da Abes, o Brasil é o 9º país no ranking mundial em investimentos em TI;
  • em 2019, o mercado de TI cresceu 10,5%;
  • os gastos com TI no Brasil (com desenvolvimento de softwares) devem crescer 2,5% em 2020.

Com esses dados, podemos perceber não só uma tendência a um mercado estável, mas com grande potencial de crescimento nos próximos anos. Com isso, aqueles que investirem em uma carreira na área de Engenharia de Software poderão aproveitar bastante as chances de crescimento na carreira.

Quanto ganha uma engenheira ou engenheiro de software?

Segundo o Vagas.com, um dos maiores sites sobre o mercado de trabalho, o salário inicial médio é de R$ 4356,00. De acordo com o seu crescimento na carreira, pode alcançar até R$ 8594,00. A média na carreira, contudo, é de R$ 6303,00.

Para o padrão de vida do brasileiro médio, isso representa valores significativos, superando o patamar de salários de áreas tradicionais, como o Direito e demais engenharias.

Como vimos, a carreira em engenharia de software está cada vez mais promissora. Se hoje as pretensões salariais estão entre as maiores do Brasil, o cenário futuro é ainda mais positivo. Sendo uma excelente possibilidade para quem não deseja migrar de carreira ou segmento.

Gostou desse artigo? Então não deixe de conferir mais detalhes sobre o salário de alguém que atua na área de programação.

1 Shares:
Você também pode gostar