Ao decidir seguir carreira na tecnologia, uma pessoa pode escolher dentre uma vasta gama de profissões que vão desde programação à ciência de dados. Uma dessas possibilidades é se tornar programador ou engenheiro(a) de software.

Essa profissão é especialmente relevante, já que quase tudo no mundo tecnológico atual precisa de uma engenharia por trás — como este blog que você está lendo, o navegador de seu dispositivo e toda a infraestrutura deles. Cada uma dessas aplicações depende de planejamento, testes, design, manutenção, instalação, programação… e a engenharia de software tem uma participação expressiva nesses processos!

Mas antes de decidir se essa é a profissão que você quer seguir ou até mesmo mudar de carreira, conheça mais a fundo a profissão de engenheiro(a) de software com os tópicos que preparamos para você:

Boa leitura!

O que faz um(a) engenheiro(a) de software?

Um(a) engenheiro(a) de software usa as linguagens de programação, plataformas e arquiteturas corretas para desenvolver tudo, desde jogos de computador até sistemas de controle de rede. 

Além de construir seus próprios sistemas, os(as) engenheiros(as) de software também testam, melhoram e mantêm programas construídos por outras pessoas engenheiras e programadoras.

São profissionais com amplo conhecimento em tecnologia. Por isso, o(a) engenheiro(a) de software também é responsável por outras atividades, como:

  • Analisar informações;
  • Fazer testes em sistemas;
  • Projetar ou supervisionar criações ligadas a softwares;
  • Criar o design da estrutura dos programas;
  • Desenvolver aplicativos;
  • Gerenciar banco de dados;
  • Fazer a manutenção de sistemas;
  • Otimizar softwares para velocidade e escalabilidade;
  • Realizar consultorias com clientes, outras pessoas engenheiras, especialistas em segurança, entre outros;
  • Mapear processos por meio de documentos, planilhas e fluxogramas;
  • Redigir manuais de treinamento;
  • Formular planos de segurança e custos;
  • Liderar reuniões com a equipe.

Antes de prosseguir, aproveite e faça o download do material sobre Profissões do Futuro. Engenheiro(a) de Software é uma profissão do futuro, mas há muitas outras. Entenda quais carreiras farão sucesso no mercado!

Banner de download de ebook sobre Profissões do Futuro

Quais áreas um(a) engenheiro(a) de software pode atuar?

Um(a) engenheiro(a) de software pode atuar em áreas que necessitam atuação direta das habilidades técnicas de TI, em uma ampla variedade de cargos, como os listados a seguir.   

1. Desenvolvimento de softwares e aplicativos

Essa profissão diz respeito ao processo de criação de programas de computador ou aplicações que desempenham múltiplas funções, a depender da necessidade de cada empresa. 

A pessoa responsável pela engenharia de software estrutura esse desenvolvimento e garante que todas as etapas de produção sejam atendidas de maneira assertiva. Tais etapas podem incluir pesquisa, design, criação de protótipos, resolução de problemas, testagem, implementação e integração.

2. Gerenciamento de projetos

Essa área é referente a aplicação de processos, métodos, habilidades, competências e experiências para fazer com que determinado projeto encontre os objetivos acordados, dentro de um tempo e orçamento definidos previamente. Nesse caso, a pessoa que atua na engenharia de software trabalha com a entrega de um projeto de tecnologia para uma empresa, gerenciando equipes e cuidando para que todas as etapas do projeto sejam cumpridas.

3. Definição da arquitetura e design estrutural dos programas

A parte de infraestrutura é essencial para a construção de qualquer coisa. Por exemplo, é impossível reformar um edifício sem a construção de andaimes para que as pessoas trabalhem. Da mesma forma, um software precisa dessa estrutura para quem for trabalhar na programação.

Portanto, o(a) engenheiro(a) de software pode atuar na área de definição da arquitetura back-end, desenvolvendo soluções que auxiliarão as demais equipes a realizarem seu trabalho.

4. Realização dos testes

Antes de um determinado produto chegar a clientes, é necessário que ele passe por uma bateria intensiva de testes. A pessoa engenheira de software pode atuar organizando e planejando esses testes, assim como garantindo a funcionalidade desses programas

Antes de seguir para o próximo tópico, deseja saber quanto recebe alguém que trabalha em alguma profissão digital? Faça o download do Guia das Profissões Digitais e confira a remuneração de profissionais, juniores, plenos e sêniores de 30 carreiras digitais.

banner para download de guia das profissões digitais 2022

Qual a diferença entre engenheiro(a) de software e desenvolvedor(a) de software?

Alguns cargos dentro da área de TI podem ser muito parecidos e causar uma certa confusão. Por isso, é importante demonstrarmos a diferença entre eles. No caso, as funções entre um(a) engenheiro(a) de software e de uma pessoa desenvolvedora de software são constantemente confundidas. Vamos conferir as diferenças para que esse erro não seja mais cometido!

  • Engenheiro(a) de software é a pessoa que aplica os princípios de engenharia para planejar o design, o desenvolvimento, a manutenção, a testagem e a avaliação de um software, enquanto uma pessoa desenvolvedora constrói diretamente softwares a ser executados em diversos tipos de máquinas.
  • Engenheiro(a) de software é uma função que precisa de trabalho em equipe, enquanto desenvolvimento é uma função primariamente solitária. 
  • Engenheiro(a) de software é a pessoa que trabalha em conjunto com as partes físicas do sistema, o hardware, enquanto a pessoa desenvolvedora apenas escreve o programa.

Engenheiros(as) de software criam ferramentas para auxiliar pessoas desenvolvedoras, que, por sua vez, utilizam ferramentas pré-prontas para construir programas.

Qual o perfil da engenheira ou engenheiro de software?

É importante saber como é o perfil da pessoa engenheira software, a fim de identificar quais são as principais habilidades que devem ser desenvolvidas para conseguir se destacar. Veja as principais delas a seguir!

a) Buscar aprendizado contínuo

Como a área de tecnologia e programação está em constante transformação, é natural que seja necessário, ao longo do tempo, que profissionais da área se atualizem sobre as novas tendências, linguagens de programação, protocolos, entre outros pontos que colaboram para melhores práticas no planejamento, desenvolvimento, teste e manutenção dos softwares criados.

b) Ser uma pessoa analítica

Uma boa engenheira ou engenheiro de software precisa ter um olhar analítico não só sobre a solução em si, mas também sobre o mercado e sobre a própria forma de elaborar o trabalho. Com isso, torna-se possível encontrar possíveis gargalos e identificar como resolvê-los em curto, médio e longo prazo.

c) Apresentar proatividade

Como a área de TI necessita superar as expectativas de clientes e oferecer a melhor solução, a pessoa engenheira de software deve ser proativa em busca de minimizar possíveis problemas que possam gerar complicações para quem está usando o serviço.

Por exemplo, ela deve verificar se há falhas na solução que venham a representar um perigo de segurança. Caso ocorram, é necessário realizar uma atualização para procedimentos de intervenção, a fim de minimizar os riscos da ação de cibercriminosos sobre essa vulnerabilidade. Isso sem a necessidade de uma reclamação acerca da questão.

d) Tem boa comunicação interpessoal

Engenheiras e engenheiros de software sempre trabalham em conjunto com outras pessoas — sejam clientes, aqueles que representem o perfil da pessoa usuária final, ou pessoas do seu time. Portanto, isso exige maiores cuidados com a comunicação interpessoal.

Quanto mais clara, direta e sem gargalos for essa comunicação, mais eficiente será o trabalho da pessoa engenheira e do time como um todo, conseguindo melhores resultados, redução de erros e maior harmonia no dia a dia.

e) Sabe atuar em equipe

Como dissemos anteriormente, a pessoa engenheira de software trabalha com uma equipe ao seu lado. Cada uma é responsável por uma etapa, seja do desenvolvimento, seja das operações, planejamento, concepção, teste, entre outros. Diante disso, o especialista precisa ter a capacidade de conseguir lidar com os times e obter o melhor resultado de todos.

f) Conta com uma escuta ativa

A engenheira ou engenheiro de software deve ser capaz de ouvir e compreender quais são as principais demandas de seus clientes, suas dores, suas expectativas, como funciona o dia a dia de quem utiliza a solução, entre outros pontos. Apenas assim será possível oferecer um resultado de qualidade.

Com um trabalho de escuta ativa, é possível identificar adversidades, dúvidas e inclui-las no briefing a ser entregue no início do trabalho — surpreendendo positivamente a pessoa que contratou o serviço.

g) Ser uma pessoa detalhista

A engenheira ou engenheiro de software deve ter atenção em todos os detalhes do projeto, como seu planejamento e concepção, observando questões como orçamento, cronograma, profissionais envolvidos no processo, necessidades, arcabouço do software, entre outros aspectos.

Um erro no desenvolvimento ou no planejamento pode comprometer todo o processo. Sendo assim, é fundamental que a pessoa seja meticulosa em suas atividades, observando todos os pontos que merecem atenção, revisando linha por linha de programação, adequação ao projeto inicial etc. para entregar a melhor solução para clientes finais.

h) Tem seu lado criativo aflorado

Criar soluções que são mais do mesmo não é o suficiente para manter um bom nome no mercado de TI atualmente — para que a pessoa possa conseguir melhores resultados, é fundamental ter criatividade. Vamos a uma analogia simples para que possa entender a questão!

É possível criar diversos tipos de softwares ERP (sistemas de planejamento de recursos empresariais). Cada pessoa responsável pelo projeto terá uma visão diferente. Em alguns casos, pode-se ter diversas versões dessa modalidade, mas que tenham as mesmas funções, o que pode atrapalhar a experiência de clientes.

Uma engenheira ou engenheiro com criatividade conseguirá introduzir pontos importantes, que conquistem a atenção de quem usa. Por exemplo, dá para acrescentar funcionalidades novas, um design diferenciado, integrações que ainda não eram permitidas, entre outras ideias.

Quais hard skills o(a) engenheiro(a) de software precisa ter?

Vimos que um(a) engenheiro(a) de Software deve ter habilidades comportamentais para atuar no ambiente de trabalho, porém as hard skills não podem faltar. Tais como:

a) Habilidade com projetos

Quem trabalha com engenharia de software precisa conhecer todo o processo, desde o conceito até a definição, incluindo toda gestão do projeto.

b) Análise de requisitos

Analisar os requisitos é saber tudo o que o software deve fazer, ou seja, sua função. Também é bastante importante saber os requisitos funcionais (que são a materialização de uma necessidade ou solicitação realizada por um software) e os requisitos não funcionais (que definem de qual maneira o sistema deve fazer o que foi proposto).

c) Conhecimento em processos

Precisa saber atuar durante todo o controle do ciclo de vida de um software.

d) Conhecimento em linguagens de programação

A pessoa engenheria de software precisa ter um sólido conhecimento em linguagens de programação para aplicar na construção e desenvolvimento dos sistemas — a codificação em si.

e) Domínio em testes de qualidade

Tão importante quanto criar um sistema é fazer o teste para garantir a qualidade, e o papel de quem está na engenharia de software é garantir todos os requisitos e conhecimento em testes para manter a qualidade do sistema.

f) Conhecimentos com depuração

Depurar ou debugar é uma prática muito comum no desenvolvimento, pois permite a inspeção do código evitando e corrigindo bugs, problemas e gargalos no sistema. Portanto, é de suma importância que um(a) engenheiro(a) de software conheça as técnicas de depuração.

g) Domínio com deploy

Não basta apenas saber desenvolver uma aplicação e testá-la, um(a) engenheiro(a) de software precisa saber como colocar no ar esse sistema que teve o desenvolvimento concluído — o tão conhecido deploy.

h) Habilidade na manutenção do sistema

É importantíssimo que o(a) Engenheiro(a) de Software saiba dar a manutenção no sistema, ou seja, implementar correções, criar evoluções e melhorias de performance.

Arquitetura de software ou engenharia de software: quais as diferenças?

Uma pessoa arquiteta de software não tem as mesmas funções de uma pessoa engenheira de software. Entender essas diferenças é essencial para definir quais serão seus próximos passos na carreira. Uma pessoa da primeira área realiza o desenvolvimento da arquitetura da solução. Ele cumpre as seguintes funções:

  • organiza a planta do projeto da solução, identificando quais são os elementos necessários para a elaboração da solução e mostrando como eles agem em conjunto;
  • distingue os elementos que podem ser funcionais e os que não são funcionais no domínio;
  • visualiza o comportamento da automação da solução como um todo.

É possível fazer uma analogia com os cargos de arquitetura ou engenharia na construção civil: a pessoa arquiteta é aquela que projeta os passos para a criação de um edifício, colocando na planta como deverá ser entregue no final do processo de construção, levando em consideração questões como estética, design, funcionalidade etc.

Já a engenheira é responsável pela execução do projeto, articulando os demais colaboradores para conseguir colocar em prática as definições da pessoa arquiteta durante a construção. Ou seja, um está mais ligado à concepção do projeto e o outro à execução.

A mesma comparação pode ser feita no ambiente de criação de softwares. A área de arquitetura é o responsável por toda a concepção do projeto de solução, identificando como se darão as articulações entre as diversas partes, definindo seu design, entre outros pontos importantes dessa etapa.

Já a área de engenharia será o responsável por articular o desenvolvimento, operação e testes. É claro que ele deverá ter conhecimentos de arquitetura de software para isso, mas, suas funções, via de regra, estão mais ligadas aos aspectos executáveis.

Qual a diferença entre engenharia de software e engenharia da computação?

A principal diferença entre engenharia de software e engenharia da computação está no escopo: enquanto a engenharia de software se detém apenas na camada do software, a engenharia da computação também envolve as outras camadas, até o hardware.

A engenharia de software foca em paradigmas de conhecimento para descobrir, criar e projetar soluções práticas a respeito de tudo que envolve um sistema, desde os simples até os mais complexos. 

Já a engenharia da computação, além de lidar com a parte lógica (o software), também utiliza conceitos de Engenharia da Ciência da Computação para criar e projetar os componentes de um computador, ou seja, as inovações a que dizem respeito à parte física — o hardware.

Apesar de serem semelhantes no que se diz respeito à informática em si, pois utilizam ideias e conceitos de engenharia, são duas áreas que se complementam, pois são utilizadas simultaneamente.

Como se tornar um engenheiro de software? 10 dicas para aplicar agora!

1. Tenha uma formação na área de Engenharia de Software

Apesar de muitas empresas ainda exigirem diploma de bacharelado em Engenharia de Software, não é uma regra ter certificação na área, pois é possível conseguir emprego comprovando as habilidades técnicas ou cursos feitos na internet (gratuitos ou pagos, como a Trybe).

2. Comece a estudar programação o quanto antes

Quanto mais cedo estudar programação, mais cedo terá retorno profissional no mercado de trabalho. Existem várias linguagens de programação no mercado para serem estudadas e cabe à pessoa desenvolvedora escolher a que mais se adequa ao seu gosto pessoal na área que deseja atuar.

3. Estude estrutura de dados e algoritmos

A junção dessas duas habilidades traz mais clareza na criação dos sistemas, pois o algoritmo utiliza passos para resolver problemas e a estruturação de dados é uma maneira de organizar os dados, facilitando também a resolução de problemas. Portanto, quem domina esses dois conhecimentos está um passo à frente.

4. Matricule-se em uma faculdade

Mesmo não sendo obrigatório o diploma para atuar na área, alguns níveis de cargo requerem diploma, pois atividades, como projetar os softwares em vez de simplesmente programá-los requerem formação. Além disso, ter ou não um diploma mesmo não interferindo pode implicar em uma diferença salarial significativa em algumas empresas.

5. Faça contatos para conseguir emprego, o famoso Networking

Uma excelente opção para fazer contatos com pessoas que podem agregar valor para sua carreira é o LinkedIn. Existem também outros sites e plataformas, como o GitHub, que é open source e permite que a pessoa desenvolvedora compartilhe e contribua com projetos próprios e de outras pessoas. Mas a verdade é que qualquer plataforma pode ser lugar para networking, até mesmo o Twitter.

6. Utilize meios para dar um upgrade nos conhecimentos 

Existem diversos cursos na internet que dispõem de conteúdos sobre tecnologia. Muitos deles são gratuitos e cabe à pessoa escolher com quais se identifica, mesmo que precise pagar por algum conteúdo ocasionalmente. Sites, como o StackOverFlow são muito utilizados para perguntas e respostas, onde a comunidade se ajuda bastante com assuntos voltados para tecnologia.

7. Projete softwares 

Coloque os conhecimentos teóricos em prática desenvolvendo softwares próprios. Assim, você também praticará outras habilidades importantes que citamos aqui, como a gestão de projetos.

8. Procure um estágio

Em início de carreira é muito importante procurar um estágio para poder colocar em prática o que sabe e aprender ainda mais como é o dia a dia de uma empresa de tecnologia.

9. Encontre um emprego

Não é necessário ter experiência de trabalho anteriormente para conseguir um emprego, mas se já tiver experiência anteriormente e sentir que está na hora, as oportunidades de emprego de níveis Júnior, Pleno e Sênior virão com maior facilidade.

10. Pense nos seus objetivos profissionais

Faça planejamento de estudos e coloque em prática tudo que aprender. Tire certificados gratuitos na internet ou até mesmo pagos. Pense que, a médio prazo, todo conhecimento investido trará bons frutos. 

Como é a formação de engenheiro de software?

Um dos caminhos para se tornar, oficialmente, uma engenheira ou engenheiro de software, é o bacharelado em Engenharia de Software. Este é um curso de cinco anos, no qual a pessoa estudante aprenderá questões estratégicas sobre a área de engenharia, programação, software, entre outros.

Veja a seguir algumas das principais disciplinas da grade curricular da graduação:

  • Fundamentos e Arquitetura de Computadores;
  • Algoritmos e Lógica de Programação;
  • Fundamentos de Engenharia de Software;
  • Cálculo;
  • Probabilidade e Estatística;
  • Modelagem de Software;
  • Engenharia de Requisitos;
  • Introdução à Engenharia de Software;
  • Arquitetura e Organização de Computadores;
  • Análise de Sistemas;
  • Estrutura de Dados para Pesquisa e Ordenação;
  • Qualidade de Software;
  • Verificação, Validação e Teste de Software.

Vale ressaltar que hoje o mercado de desenvolvimento de software já não é exclusivo para pessoas com graduação. Atualmente, em grande parte das empresas, é exigido principalmente aptidão para desempenhar a atividade. Ainda assim, é necessário buscar por um curso completo e que tenha compatibilidade com as requisições do mercado.

Preciso de uma certificação para trabalhar como engenheiro de software?

Apesar de algumas organizações ainda exigirem certificados de faculdades em Engenharia de Software, cada vez mais empresas de tecnologia aceitam profissionais para atuar na área mesmo sem certificação formal, uma vez que o mais importante é ter uma boa formação com conhecimento amplo para se firmar na área. 

Em geral, essas empresas buscam pessoas que conseguem aplicar na prática suas habilidades, mais do que um certificado de graduação. Nesse sentido, existem vários cursos de formação que podem te dar a base para se tornar um(a) engenheiro(a) de software, como o da Trybe, que forma pessoas desenvolvedoras em apenas 12 meses com exercícios práticos e atividades para amadurecer todas as competências de que você precisa para entrar no mercado de trabalho de tecnologia!

3 desafios encontrados por um(a) engenheiro(a) de software!

Aqui estão algumas razões que demonstram que essa função não apenas é importante, como crucial para algumas situações que podem ser desafiadoras:

1. Segurança

Em áreas críticas, como a aviação, aeroespacial, medicina e nuclear, a pessoa que atua com a engenharia de software precisa ter precisão e eficiência em seu trabalho, pois muitas vezes um erro pode custar vidas

2. Novas tecnologias

Como engenheiros(as) de software lidam diretamente com toda a parte de criação e execução de programas muitas vezes complexos, devem ter atenção sobre as novas aplicações e tecnologias disponíveis, assim como saber utilizá-las

3. Diversidade de Softwares

A pessoa que atua na engenharia de software precisa garantir que seu projeto consiga se desenvolver mesmo com uma diversidade de sistemas que nem sempre se comunicam bem uns com os outros.

Conhecimentos úteis para um(a) engenheiro(a) de software

junior, pleno e senior

Por ser uma profissão com ampla atuação, um(a) engenheiro(a) de software deve estar atento à multidisciplinaridade de sua profissão. A seguir, confira áreas que são correlatas com a profissão de engenheiro de software:

  • Ciência da Computação: dá a base teórica necessária para a profissão.
  • Análise de Sistemas: ensina os sistemas computacionais existentes entre hardwares, softwares e o usuário final.

É muito comum que engenheiros (das mais variadas áreas), cientistas de dados e estatísticos também atuem no setor de engenharias de software.

Como está o mercado de engenharia de software?

Como falamos no início deste artigo, o mercado de Engenharia de Software é bastante aquecido devido a atual necessidade em desenvolver tecnologias cada vez mais avançadas nos mais diferentes setores. Para entender essa realidade, mostraremos alguns dados a seguir sobre o setor:

  • Segundo dados divulgados pela Abes (Associação Brasileira das Empresas de Software), o Brasil detém 1,65% dos investimentos em tecnologia em nível global e 40% dos investimentos em toda América Latina.
  • O total de investimentos globais em tecnologia da informação (software, hardware e serviços) durante o ano de 2021 foi de US $2,79 trilhões.
  • O Brasil está na décima posição no ranking de investimentos, com US $45,7 bilhões aplicados, liderando na América Latina, cujo total de investimentos alcançou US $115 bilhões.
  • Segundo a Globe News Release, o mercado de low-code deve ultrapassar US $187 bilhões até 2030, o que equivale a uma taxa de crescimento anual de 31,1%.

Com esses dados, podemos perceber não só uma tendência a um mercado estável, mas com grande potencial de crescimento nos próximos anos. Com isso, aqueles que investirem em uma carreira na área de Engenharia de Software poderão aproveitar bastante as chances de crescimento na carreira.

Quanto ganha uma engenheira ou engenheiro de software?

O salário de engenheiro(a) de software é uma das profissões mais bem pagas dentro da área de TI. Os salários pagos pelas empresas alternam devido a vários aspectos, como a região do país, certificações, nível de conhecimento, tempo de profissão, etc.

Podemos estimar uma média salarial com dados referentes a várias empresas no mercado. Vejamos abaixo:

  • Salário inicial: a partir de R$ 4.356,00
  • Salário médio: a partir de R$ 8.594,00

Salário de pessoas mais experientes na área: salário varia muito de acordo com os aspectos citados acima, mas fica em torno de R$ 6.500,00 até mais de R$ 10.000,00.

Segundo o Vagas.com, um dos maiores sites sobre o mercado de trabalho, o salário inicial médio é de R$ 4356,00. De acordo com o seu crescimento na carreira, pode alcançar até R$ 8594,00. A média na carreira, contudo, é de R$ 6303,00.

Para o padrão de vida do brasileiro médio, isso representa valores significativos, superando o patamar de salários de áreas tradicionais, como o Direito e demais engenharias.

Como vimos, a carreira em engenharia de software está cada vez mais promissora. Se hoje as pretensões salariais estão entre as maiores do Brasil, o cenário futuro é ainda mais positivo. Sendo uma excelente possibilidade para quem não deseja migrar de carreira ou segmento.

Como fazer um currículo para engenheiro(a) de software? Modelo!

Crie um documento com as informações necessárias e diretas, lembrando sempre que se colocarmos informações desnecessárias, o currículo ficará com poluição visual, dificultando a leitura do que mais importa para a pessoa recrutadora. Veja este exemplo:

Exemplo de currículo para engenheiro(a) de software

Insira as seguintes informações no seu currículo para engenheiro(a) de software:

  • Nome, dados de contato, redes sociais de trabalho, como Linkedin e sites com portfólio de projetos.
  • Resumo profissional com as principais experiências.
  • Experiência em trabalhos anteriores com a mesma função.
  • Experiência em outros trabalhos, com funções similares.
  • Estágio ou freelancer realizado.
  • Habilidades em Soft Skills e Hard Skills.

Você pode conferir mais dicas para montar um currículo perfeito do zero neste artigo que preparamos para você!

Agora, se você precisa montar um currículo e não tem experiência profissional, a dica é fazer da mesma forma, porém acrescentar trabalhos como freelancer, projetos voluntários e até mesmo seu portfólio com projetos pessoais, na ausência dessas experiências.

Caso queira ver mais dicas para seu currículo para o primeiro emprego, leia este artigo.

Conclusão

A profissão de engenharia de software se tornou uma das que mais vem crescendo no mundo, movimentando cerca de 161,7 bilhões por ano só no Brasil.

A demanda por profissionais da área está altíssima o que leva a grandes salários, porém eles podem variar de empresa para empresa com vários aspectos envolvidos, dentre eles o tempo de experiência na área. 

O que chama bastante atenção é que uma grande bagagem de conhecimento é o suficiente para conseguir uma vaga no mercado de trabalho, visto que muitas empresas contratam sem a necessidade de um diploma de ensino superior, por exemplo.

A engenharia de software envolve uma série de áreas de atuação no mercado, que vai desde o levantamento de requisitos de um software até o gerenciamento e criação de processos de desenvolvimento do software. Portanto, é uma excelente escolha trabalhar em uma profissão que envolva tantos campos de atuação e com muitas oportunidades no mercado, sem esquecer a excelente remuneração paga.

Gostou desse artigo? Então não deixe de conferir mais detalhes sobre o salário de alguém que atua na área de programação.

3 comments
Deixe um comentário
Você também pode gostar