O desenvolvimento de aplicações web é uma das áreas mais promissoras dentro da tecnologia da informação para os próximos anos. Aliás, pode ser uma ótima escolha de carreira para todos que pensam em mudar de área e queiram apostar em mercados consistentes, com ótimos resultados.

Afinal, estamos falando de uma área flexível, abrangente, na qual você consegue trabalhar com diversos tipos de linguagem. Além disso, é uma atuação bastante desafiadora, principalmente com o advento do mobile.

Quer saber mais sobre essa área? Confira:

O que é aplicação web?

A aplicação web diz respeito a uma solução que é executada diretamente no browser (ou navegador), não sendo preciso realizar uma instalação na máquina do usuário. Pode-se, também, utilizar como definição “tudo aquilo que é processado em um servidor terceiro”. As plataformas de e-commerce e as redes sociais são alguns dos exemplos que se enquadram nesse perfil.

Como funciona uma aplicação web?

Para que uma aplicação web funcione, ela depende de um servidor web, de solicitações realizadas pelos usuários, do uso de protocolos e métodos (normalmente o HTTP) e da resposta do protocolo.

A aplicação deve permitir que as pessoas usuárias consigam fazer uma solicitação e receber algo em resposta. Ou seja, elas precisam mediar essa interação de forma natural, devolvendo o que a pessoa deseja como resultado — por exemplo, se a pessoa pede para abrir uma foto, é preciso que isso seja devolvido à ela, e não a abertura de uma página aleatória.

Nesse sentido, o servidor tem por função receber a solicitação do público e devolver uma resposta para a aplicação. A resposta pode ser a abertura de uma nova página, imagens, documentos, entre outros.

Outro componente da aplicação web é o protocolo HTTP. Ele é como uma espécie de “linguagem” que determina o padrão pelo qual a solicitação realizada se comunica com o servidor. Outros protocolos envolvidos em aplicações web podem ser:

  • FTP (transmissão de arquivos);
  • SMTP (envio de mensagens para um servidor de e-mail);
  • POP e IMAP (acesso a mensagens de e-mail eletrônico).

Uma das principais vantagens é que, como a maioria domina o uso dos navegadores, a usabilidade dessas soluções é tranquila para o público, sem a necessidade de um treinamento detalhado sobre como utilizar a aplicação.

Além disso, todas as atualizações necessárias são feitas por meio de um único servidor central, não sendo preciso baixar aplicações ou realizar reinstalações. Logo, temos tudo feito de forma centralizada, sem maiores problemas, bastando realizar a adaptação no servidor.

Quais as principais partes da estrutura de uma aplicação Web?

Enxergar uma aplicação web pronta, testada e funcionando é muito bom, não é mesmo? Pois bem, mas temos que entender que boa parte das aplicações depende diretamente de um banco de dados, de um sistema de middleware na web, entre outros componentes e ferramentas.

Assim, caso você enfrente algum problema em sua aplicação, terá mais facilidade para contorná-lo por conhecer a arquitetura. As principais partes que compõem uma aplicação web são:

Partes que compõem uma aplicação web: user, front-end e back-end

Front-end

O front-end nada mais é que toda a parte visual de um site. Através dos códigos, uma interface é construída (de preferência, bastante amigável). As tecnologias mais utilizadas para a construção de um site são o HTML e CSS, bem como o Javascript para implementação de algumas funcionalidades.

Back-end

O back-end, como o próprio nome já diz, é tudo aquilo que está por trás de uma aplicação. Toda essa construção da base da aplicação pode ser desenvolvida com o uso de linguagens de programação, como o Java, Ruby, C#, Python, PHP, entre outras. Além disso, é através do back-end que ocorre a conexão entre os bancos de dados e o carregamento de informações.

API

A API é um conjunto de normas que possibilita a comunicação entre diversas plataformas. Por sua vez, as pessoas desenvolvedoras costumam utilizar as APIs para comunicar funcionalidades diferentes com suas aplicações web.

Quais os 10 principais tipos de WebApps?

As WebApps podem ser utilizadas em diferentes situações e atendem às necessidades de clientes mais rapidamente do que um aplicativo nativo. Portanto, pode-se dizer que as aplicações web são as que mais vem se destacando no mercado.

Veja os 10 principais tipos de WebApps:

1. Aplicativos web estáticos

Bastante conhecido pelos usuários que buscam publicar artigos, é um tipo de aplicativo simples que exibe um conteúdo bem pequeno e que tem a capacidade de funcionar de modo offline sem a necessidade de instalação de outros aplicativos para seu funcionamento.

Nesse tipo de aplicação web, a pessoa usuária não tem a liberdade de modificar ou gerenciar o site, já que todo seu conteúdo é totalmente estático.

2. Aplicativos web dinâmicos

Os aplicativos web dinâmicos utilizam base de dados para que seu carregamento possa ser completado, fazendo com que sempre ocorra uma atualização da aplicação quando uma pessoa usuária realiza o acesso. Por isso, são WebApps com um nível de complexidade maior.

Esse tipo de aplicativo permite um gerenciamento mais simples, pois a pessoa responsável pela aplicação pode realizar modificações e atualizar as informações do site de forma bastante rápida e simples. Além disso, esse tipo de aplicação permite a implementação de diversos recursos.

3. Lojas onlines

As lojas onlines, também conhecidas como e-commerces, são uma aplicação web mais complexa por se tratar de venda, gerenciamento de produtos e carrinho, além da implementação de diferentes métodos de pagamento.

Nos e-commerces, é necessário desenvolver o local onde a pessoa usuária vai realizar a compra e também criar um painel de gestão, onde as pessoas administradoras do site poderão ter controle de estoques, pedidos, receita, atualizações, exclusões, entre outros métodos que devem ser implementados nesse painel.

4. Aplicativos de página única

Também chamados também de landing page, os aplicativos de página única costumam ser mais indicados para serviços voltados à apresentação de algo. O objetivo é fazer com que clientes entreguem suas informações pessoais para alguém em troca da oportunidade de otimizar sua experiência de navegação ou obter alguma vantagem, como um e-book ou material.

5. Aplicativo com diversas páginas

Os aplicativos com diversas páginas permitem que as pessoas usuárias naveguem em diversas páginas dentro da aplicação e otimizam o ranqueamento em relação aos motores de busca. Muitas vezes, as empresas utilizam aplicativos com diversas páginas como página institucional para fazer uma apresentação breve sobre a empresa, serviços oferecidos, contato, redes sociais, entre outros.

6. Aplicativos web animados

Um pouco diferentes das linhas de aplicativos citados anteriormente, as aplicações animadas são as compatíveis com a tecnologia FLASH, que é a responsável por toda a animação encontrada dentro da página.

É comum que esse tipo de aplicação seja escolhida por pessoas que buscam páginas mais modernas ou até mesmo para exposições de jogos. A tecnologia FLASH oferece às pessoas usuárias uma experiência encantadora e permite a utilização de layouts incríveis.

7. Aplicações para gerenciamento de conteúdo

Aplicações para gerenciamento de conteúdo são indicadas para pessoas que buscam escrever artigos, notícias e colocar publicações de vendas. Com as aplicações de gerenciamento de conteúdo, é possível fazer a gestão e organização da página da forma que deseja entregar o conteúdo através de um painel administrativo, com mais facilidade e muita rapidez.

8. Aplicações de portais

As aplicações desenvolvidas para portais costumam apresentar um alto nível de complexidade já que envolvem diversos tipos de documentações, autorizações e permissões. Portais web também permitem uma série de customizações, principalmente para cursos e materiais educacionais. Por isso, costumam ser solicitados por universidades, além dos portais governamentais.

9. Progressive Web App

Os progressive web app, também conhecidos pela a sigla PWA, são os aplicativos que mais estão em alta. Progressive web apps são desenvolvidos com tecnologias bastante conhecidas, como HTML, CSS e o Javascript, e oferecem aos seus usuários uma experiência incrível e moderna. Alguns, inclusive, são bastante parecidos com aplicativos nativos.

10. Aplicativos de plataforma

Os aplicativos de plataforma no início podem parecer bastante confusos, mas contribuem muito quando o assunto é agilidade. Aplicativos de plataforma não dependem de um conhecimento muito aprofundado em programação, já que você pode desenvolver uma estrutura em bloco e depois só ir alimentando as informações que deseja.

Conheça 5 exemplos de WebApps!

As WebApps são tecnologias totalmente engajantes, rápidas e confiáveis. Seu desenvolvimento é bastante rápido e basta apenas conexão de internet e um bom navegador para que elas atendam a necessidade das pessoas usuárias. Por isso, cada vez mais pessoas desenvolvedoras usam essa ferramenta para construir aplicações simples e que possam chegar à maior quantidade de pessoas. 

É também por isso que não é difícil de encontrar exemplos de webApps famosas na internet! Veja 5 exemplos, a seguir.

1. Twitter

As redes sociais são consideradas um ótimo exemplo de webApps. Atualmente, é comum que a gente entre na App Store ou na Play Store para realizar o download do aplicativo Twitter. Porém, quem está há mais tempo na internet lembra bem que a rede social começou como aplicação web. Ainda hoje, o Twitter pode ser acessado através do uso de navegadores ou dispositivos móveis.

Página inicial da webapp Twitter

2. Youtube

O Youtube, plataforma de vídeo conhecida mundialmente, também se trata de uma WebApp que oferece a opção de acesso tanto por aplicativo, como por navegadores.

Captura de tela da página inicial da webapp Youtube

3. Instagram

O Instagram também é uma rede social bastante famosa, como o Twitter, e é considerada uma webApp apesar de ter sido concebida em um momento em que já existiam os smartphones.

Tela inicial da aplicação web Instagram

4. Pinterest

Pinterest é uma plataforma voltada para divulgação de fotos de diversos segmentos e também possui seu próprio webApp. Assim, as pessoas podem acessá-los tanto através de aplicativos, quanto de computadores com funcionalidades iguais para todos os dispositivos.

Página inicial da aplicação web Pinterest

5. Uber

Pode parecer um pouco estranho, mas o Uber também se trata de um webApp. Ele permite que você fixe seu ícone de acesso à tela inicial do seu smartphone trazendo então mais facilidade no momento de solicitar uma corrida, por exemplo, além de ser acessível via navegador.

Captura de tela da aplicação web Uber para navegador

Quais as vantagens dos aplicativos web?

Ao utilizar um determinado software, seja ele um aplicativo, um site ou até mesmo um plataforma de determinado serviço, todos eles fazem parte de um processo online que depende 100% de uma rede e de um servidor para a sua hospedagem. 

Atualmente os servidores têm como objetivo guardar todas as informações que foram colocadas nele de forma mais rápida. Por conta desse e outros fatores, os aplicativos web vem trazendo muitas vantagens para o mercado. Confira 7 dessas vantagens a seguir.

1. Acesso rápido aos serviços

Como todos os aplicativos costumam ficar hospedados em servidores que podem disponibilizar o serviço para o mundo todo, você rapidamente tem acesso ao que precisa, dependendo apenas de um dispositivo com internet e navegador para isso. 

2. Acesso facilitado à aplicação web

Quando temos um software de desktop, o acesso muitas vezes não é tão simples. Porém ao transportar esse software para a web, o mesmo deve funcionar em diversos sistemas operacionais, dando, então, a liberdade para que mais pesosas usuárias utilizem a aplicação ou até mesmo escolham opção de acesso mais fácil para elas.

3. Personalização entre dispositivos (mobile first)

O famoso “Mobile first” já não é novidade. Ou seja, o desenvolvimento mobile deve ser o primeiro a ser realizado na construção de uma nova aplicação para que depois a equipe possa ir ajustando as funcionalidades para as demais resoluções, como tablet e desktop.

Isso porque considera-se que, hoje, todas as pessoas têm um dispositivo mobile e que preferem utilizá-lo ao invés dos demais dispositivos. Dada a liberdade que as aplicações web trazem para o seu desenvolvimento, você poderá deixar o seu software mais amigável a diferentes resoluções e transformá-lo em um sucesso.

4. Mais gerenciável

Ao ter um aplicativo web em mãos, como ele se encontra alocado em um servidor, realizar manutenções e até mesmo lançar atualizações não se trata de um problema, já que é possível realizar isso com facilidade e escalabilidade. Basta lançar a atualização no servidor que todas as pessoas usuárias terão acesso a ela de forma simples, sem haver a necessidade de realizar processos mais honerosos, como uma manutenção de máquina em máquina, por exemplo.

5. Projeto mais barato

Por se tratar de aplicações totalmente baseaas na web, seu desenvolvimento e suporte é mais simples. Como consequência disso, os gastos que necessários são drasticamente menores do que em um sistema para desktop, por exemplo.

6. Compatibilidade entre plataformas

Uma aplicação web geralmente é mais compatível do que um software local, pois seu acesso pode ser realizado através de qualquer navegador da web, seja ele o Chrome, Safari, Internet Explorer, Firefox entre outros. Isso traz uma compatibilidade maior entre as plataformas e permite que a pessoa usuária acesse a aplicação web em diferentes sistemas operacionais.

7. Variedades de APIs para integração

Atualmente, temos uma grande quantidade de pessoas desenvolvedoras que optam pelo desenvolvimento de aplicativos web. Por conta disso, esse mercado e as comunidades vêm crescendo cada vez mais. Assim, é bastante comum encontrar APIs já prontas para a integração, sem a necessidade de implementar do zero, o que simplifica muito o trabalho de desenvolvimento.

Quais as desvantagens dos aplicativos web?

Quando falamos de um aplicativo web, falamos também sobre a dependência de uma rede de internet, um servidor, um software de qualidade, entre diversos outros pontos que devem ser levados em consideração. Portanto, os aplicativos web não são perfeitos e acabam apresentando algumas falhas

Vamos apresentar a você as 5 principais desvantagens das aplicações web, a seguir.

1. Desempenho

Ao falar de aplicações web, sabemos que elas estão totalmente ligadas a uma rede e que dependem de um navegador web para viabilizar o acesso das pessoas usuárias aos recursos. Justamente por isso, algumas webApps que são mais pesadas podem gerar lentidão no carregamento, diferentemente do que ocorre com os aplicativos desktop, que funcionam localmente e não trazem esse risco.

2. Segurança

Manter uma aplicação web não se trata simplesmente de ter um servidor e uma hospedagem. É preciso se atualizar constantemente sobre os métodos de proteção dessa aplicação para evitar falhas de segurança. Um exemplo é o uso do SSL, que pode reduzir o risco de violação de dados da página.

Porém nem sempre barreiras, como o SSL, são suficientes para proteger a aplicação 100% contra ataques, visto que a cada dia eles se tornam mais refinados.

3. Dependência de outras ferramentas para a sua aplicação rode

Como ficou claro, uma aplicação web é totalmente dependente de um navegador web. Supondo que você deseje acessar um aplicativo que se encontra dentro de um site, caso não consiga acessá-lo por uma questão de permissionamento, queda de internet ou qualquer outro fator que possa impactar no funcionamento deste site específico, você também não terá acesso ao aplicativo que deseja utilizar.

4. Dependência da internet

Quando falamos em um sistema desktop nativo, entende-se que o mesmo funciona sem a dependência da internet. Já quando falamos em aplicações web, sua dependência com a internet é de 100%. Logo, se você não possui uma conexão boa e confiável, não poderá navegar no aplicativo web.

5. Dificuldade em disponibilizar para o público

Supondo que uma pessoa desenvolvedora desenvolveu um aplicativo web para que pessoas do mundo todo possam ter acesso e realizar o download através da App Store ou da Play Store, terá de lidar com uma tarefa muitas vezes trabalhosa e demorada. A Play Store, por exemplo, costuma passar todas as aplicações por testes rigorosos antes de disponibilizá-las para as pessoas usuárias.

Quais as diferenças entre aplicações web e sistemas tradicionais?

É importante deixarmos claro que aplicações web e sistemas tradicionais não são a mesma coisa! Os sistemas tradicionais apresentam o mesmo resultado para todos, ou seja, não há adaptações ou navegações personalizadas de acordo com cada visitante. Agora, quando você abre o Facebook, a sua página não é a mesma encontrada pelos seus amigos — as permissões, a usabilidade e a visualização são diferentes —, algo característico de aplicações web.

Além disso, não é preciso qualquer tipo de instalação nas máquinas quando se trata de aplicações web. O mesmo não ocorre quando falamos em sistemas tradicionais, que precisam ser adaptados para cada sistema operacional e dependem de instalação e atualizações manuais.

Outro ponto é que as aplicações web não passam por problemas de instabilidade por incompatibilidade com outros softwares, um aspecto extremamente comum em soluções tradicionais.

Qual a diferença entre site e aplicação web?

Outra dúvida comum é a diferença entre site e aplicação, já que ambos operam no navegador por isso, podem gerar conflitos de entendimento. Contudo, o que você precisa saber é que a aplicação web é interativa, ou seja, a pessoa tende a ter um maior engajamento com o item.

Veja o Trello (site gerenciador de tarefas), por exemplo. A pessoa pode criar quadros para cada tipo de trabalho, cartões para cada tarefa, inserir conteúdos de outras plataformas (Google Drive, One Drive, Dropbox e do próprio Trello), entre outras funções interativas, oferecendo um serviço de fato para a pessoa.

Já um site é mais estático. Ele é apenas um conjunto de páginas que, normalmente, informam o usuário sobre alguma coisa, não tendo muito o que complementar por parte da pessoa. Quem está acessando pode até interagir, mas em uma menor proporção, bem como não consegue adicionar mais conteúdos no local. A pessoa não tem a possibilidade, por exemplo, de cadastrar informações nos bancos de dados por meio do site, sendo necessária a integração com aplicações web dentro daquela página.

Quais as diferenças entre aplicativo nativo, híbrido e WebApp?

pessoa trabalhando com notebook

Responder à pergunta “que tipo de aplicativo devo criar?” não é tão simples e uma resposta com bastante cautela pode gerar bons resultados lá na frente. Isso porque o tipo de aplicação web que você escolhe desenvolver é um fator que pode interferir diretamente em todo o trabalho. Fatores, como o tempo de desenvolvimento, prazo de entrega e até funcionalidades precisam ser levados em consideração.

Você verá a seguir algumas formas de desenvolver uma aplicação web. Quando precisar decidir, analise com calma qual a melhor escolha com base nas informações que vamos trazer para você e foque em um modelo que atenda suas necessidades da melhor forma, analisando o tempo e a complexidade da aplicação como um todo.

Aplicativo nativo

Os aplicativos nativos eram os mais falados a um tempo atrás, e provavelmente são os primeiros de que você vai lembrar quando falamos sobre aplicativos. O aplicativo nativo possui uma certa exclusividade por ser desenvolvido em uma linguagem específica, geralmente Java, C# ou Swift, e para um sistema operacional específico.

Aplicativos nativos não garantem uma ampla compatibilidade, porém apresentam mais qualidade para as pessoas usuárias em relação à experiência: por se tratar de uma aplicação nativa, as chances de algo travar ou cair são bem menores do que nos outros casos.

As aplicações nativas têm a capacidade de prender as pessoas usuárias por mais tempo, já que podem funcionar sem internet e sem nenhum tipo de interrupção.

Porém quando falamos de custo, talvez possa ser um pouco desanimador desenvolver uma aplicação nativa em comparação aos outros tipos. Por se tratar de um aplicativo que possui uma linguagem um sistema operacional específico, caso você precise desenvolver outras variáveis, o custo de produção subirá muito.

Por exemplo, imagine que uma empresa cliente queira disponibilizar a aplicação nativa em mais de um sistema operacional. Além de demorar mais para desenvolvê-la, o que subirá seu custo, a aplicação exigirá um nível mais alto de manutenção, o que encarece o processo como um todo.

Aplicativo híbrido

Com características diferentes, o aplicativo híbrido vem sendo uma escolha relevante para as empresas por conta de se tratar de uma mistura entre aplicativos nativos e webApps. Com isso, as aplicações híbridas funcionam em mais de uma plataforma ou SO.

Os aplicativos híbridos trazem mais liberdade para as empresas. Eles podem ser fruto de uma combinação entre as linguagens de marcação, como o HTML com uma linguagem de programação, como o Java. Isso aumenta as possibilidades de criar aplicações multiplataforma. 

Porém diferente da aplicação nativa, o aplicativo híbrido já depende parcialmente de uma conexão com a internet de qualidade para rodar algumas partes. Quando a pessoa usuária tem uma qualidade inferior de conexão, pode ser que a aplicação acabe apresentando erros. Apesar disso, outras partes do aplicativo ainda poderão ser utilizadas offline.

No geral, se você busca por um modelo de aplicação de qualidade, com valores mais em conta do que um aplicativo nativo, a opção híbrida será a melhor escolha. Por possibilitar uma manutenção mais simples e com menor quantidade de movimentações dentro do código, além de oferecer uma experiência incrível para as pessoas usuárias, as aplicações híbridas têm custos mais interessantes para projetos no qual o orçamento é mais limitado.

Aplicação web

O mais famoso entre os aplicativos, as aplicações web chegaram no mercado com o intuito de inovar e trazer liberdade, permitindo que as pessoas desenvolvedoras possam criar sites totalmente responsivos e que dependem apenas de navegadores, e não mais de sistemas operacionais. Ou seja, com as aplicações web não é mais necessário especificar para qual sistema operacional o aplicativo está sendo desenvolvido.

Algumas pessoas desenvolvedoras afirmam que a WebApp nada mais é que um site desenvolvido para mobile com o objetivo de oferecer uma experiência de qualidade para as pesosas usuárias. Por sua vez, um pouco diferente dos demais tipos de aplicativos, a experiência da WebApp depende totalmente de um navegador e de uma boa conexão com a internet.

Quando falamos de valores, as WebApps são as aplicações mais em conta. Desenvoler uma aplicação web pode ser algo bastante simples, além de levar bem menos tempo e requisitar menos manutenção do que um aplicativo nativo, por exemplo. Esses tipos de aplicativos são bem mais acessíveis para a escolha de uma empresa tanto em questão de valores quanto em questão de tempo.

Como ser uma pessoa desenvolvedora de aplicações web?

Há três tipos de profissionais que atuam no desenvolvimento de aplicações web — profissional de desenvolvimento front-end, back-end e full-stack. Vamos falar sobre cada um deles a seguir!

Responsável por desenvolvimento front-end

Quem trabalha nessa área é responsável por toda a programação das interfaces de um projeto web — aquilo que o usuário vê, interage e tem acesso. Por isso o conceito de “front-end”, ou seja, o que está de frente para o utilizador. Em suas atividades, precisa trabalhar com aquilo que é intuitivo, claro e nítido para o público.

É interessante ressaltar que 80% do carregamento das aplicações acontecem no front-end, bem como elas têm se tornado cada vez mais complexas diante da necessidade de responder ao User Experience (UX).

Profissional de desenvolvimento back-end

Quem trabalha nessa área é responsável por toda a parte de códigos da aplicação. Isso quer dizer que a pessoa cuida daquilo que dá suporte para a interface funcionar. Esse profissional precisa estar atento a questões como segurança dos dados, banco de dados e integração de serviços web.

Todo o trabalho de back-end deve ser realizado em conjunto com quem trabalha com front-end, para que ambos se comuniquem e entreguem o melhor resultado.

Profissional de desenvolvimento full-stack

Esta pessoa cuida de ambas as áreas, então, precisa dominar todos os conceitos relacionados às aplicações web para realizar todos os processos com maestria.

Independentemente do tipo de profissional, para trabalhar com aplicações web é fundamental ter conhecimento em algumas áreas, tais como:

  • HTML e CSS— a primeira se trata de uma linguagem de marcação, enquanto a segunda é responsável por melhorar a aparência das páginas;
  • linguagens de programação — principalmente Python, Java e PHP;
  • bancos de dados — pois toda aplicação web precisa armazenar dados em algum lugar;
  • MVC (Model, View e Controller) — trata-se de um padrão de arquitetura que permite implementar uma interface intuitiva e acessível para o usuário.

Diante disso, quem trabalha com programação deve se dedicar ao conhecimento dessas áreas, bem como obter as principais certificações do mercado para esse nicho, como:

  • certificação PHP;
  • Oracle;
  • Java;
  • MCSA — Web Applications.

Para isso, é essencial que você tenha uma boa base de programação. Caso contrário, poderá passar dificuldades em todo o processo!

A área de aplicações web tem se tornado cada vez mais expansiva, devido à necessidade de criar soluções que podem ser acessadas por meio de qualquer dispositivo, com boa eficiência. Por isso, se deseja mudar de carreira, pode ter certeza de que investir nessa profissão poderá trazer bons frutos.

Quer mais dicas interessantes como a que demos neste artigo? Então, não deixe de acompanhar nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram e Twitter.

Logo Trybe

Conclusão

Como pudemos observar ao longo deste artigo, as aplicações web estão cada vez mais presentes em nosso dia a dia. Com elas, a internet vem sendo uma ferramenta cada vez mais essencial para a manutenção das nossas aplicações no ar.

As aplicações web vêm sendo utilizadas por diversos setores no mundo, desde as pequenas empresas que desejam uma aplicação para apresentar seu serviço, até as grandes empresas que desejam vender na internet ou trazer soluções para um alto número de pessoas.

De fato, ter um aplicativo web atualmente pode fazer com que você consiga mostrar cada vez mais seus serviços além de conseguir se conectar com pessoas de qualquer lugar do mundo através do uso delas. Com isso podemos dizer que ter uma aplicação web nos dias de hoje pode gerar bons frutos além de fazer grande diferença.

Se você gostou da leitura, aproveite e fique com a gente para ler mais sobre o que faz e como se tornar um desenvolvedor web.

1 Shares:
3 comments
Deixe um comentário
Você também pode gostar