Para pessoas usuárias comuns, um sistema operacional é tão integrado aos dispositivos utilizados no dia a dia que talvez muitas nem se deem conta de sua existência. Entretanto, sistemas operacionais existem e são essenciais! Afinal, a interação entre humano e computador não seria tão acessível sem eles.

Se você já ouviu falar sobre ou tem curiosidade de entender como um sistema operacional funciona, esse texto é para você! Preparamos um guia completo para tirar todas as suas dúvidas com os seguintes tópicos: 

Boa leitura!

O que é um Sistema Operacional?

Um sistema operacional é uma plataforma que se posiciona entre a pessoa usuária e os componentes físicos de um computador — denominados como Hardwares. Por meio dele, é possível controlar a execução de tarefas e programas, assim como o gerenciamento da memória, dispositivos e arquivos. 

Em outras palavras, o sistema operacional permite que uma pessoa acesse e controle as partes do computador sem ter conhecimentos técnicos específicos, tornando o computador acessível.

Fluxograma que representa o funcionamento do sistema operacional, mostrando a interação dos softwares e aplicações do sistema através dele

A história por trás dos Sistemas Operacionais!

Conheça agora como os sistemas operacionais surgiram e se desenvolveram até chegar nas versões que conhecemos atualmente.

Primeira geração

Os primeiros computadores eletrônicos foram introduzidos durante as décadas de 40 e 50. Naquela época, toda a programação era feita em linguagem de máquina, geralmente ligando fios a placas de ensaio para controlar as funções básicas já que não existiam sistemas operacionais complexos. Nesse contexto, as máquinas geralmente tinham como função auxiliar em cálculos simples de matemática.

Segunda geração

No começo da década de 50, o primeiro sistema operacional foi criado pela General Motors para a máquina 701 da IBM, chamado GMOS. Nessa época, sistemas operacionais eram chamados de sistemas de processamento em lote de fluxo único, pois os dados eram enviados em grupos que compunham os lotes. 

As novas máquinas desenvolvidas com essa tecnologia eram chamadas de Mainframe e utilizadas por pessoas operadoras em grandes salas. Por conta do alto custo de aquisição, somente grandes corporações ou governos as utilizavam. 

Terceira geração

No final da década de 60, foi possível desenvolver um sistema de multiprogramação cuja performance era suficientemente alta para lidar com diversas tarefas simultaneamente. A introdução dessa função foi crucial para o desenvolvimento dos sistemas operacionais, já que permitiu que uma CPU — traduzindo do inglês, unidade central de processamento — conseguisse funcionar por quase todo o tempo que estivesse em operação. 

Outro fator que pesou na revolução dos sistemas operacionais foi o desenvolvimento de pequenos computadores. O modelo PDP-1, por exemplo, da Digital Equipment Corporation, era vendido a 120 mil dólares por máquina. O valor parece alto, mas na época correspondia a apenas 5% do preço dos grandes computadores! 

O importante é que, tanto a introdução do sistema multiprogramação quanto o desenvolvimento de pequenos computadores levaram à quarta geração de sistemas operacionais.

Quarta geração

A quarta geração de sistemas operacionais acompanhou o desenvolvimento e o crescimento de computadores pessoais. Apesar de serem muito semelhantes aos modelos PDP, eles custavam ainda menos e permitiam que pessoas comuns pudessem adquirir uma máquina para uso pessoal. 

Pensando nessa revolução de computadores pessoais, o sistema operacional Windows foi criado em 1975 após o nascimento da Microsoft. O Windows logo se tornou o maior e mais utilizado sistema operacional, estendendo sua operação até os dias de hoje. O sistema já contou com diversas atualizações, como Windows 95, Windows 98, Windows XP, Windows 7 e Windows 10. 

Outra empresa que competiu fortemente com a Microsoft nesse mercado foi a Apple, com o Apple Macintosh, que fez enorme sucesso devido à sua interface amigável e atraente para pessoas usuárias. 

Atualmente, todos dispositivos eletrônicos utilizam sistemas operacionais, sejam computadores, smartphones ou tablets. Mas esse não é o fim da história dos sistemas operacionais que, assim como toda a tecnologia, continuam evoluindo e trazendo uma melhor experiência para as pessoas usuárias.

Qual a importância dos Sistemas Operacionais?

Embora os sistemas operacionais funcionem de maneiras exclusivamente diferentes, os serviços que eles fornecem às pessoas usuárias são relativamente semelhantes. Com isso em mente, dedicar um tempo para entender a importância de um sistema operacional pode ajudar a garantir que você tenha as informações necessárias para encontrar o computador certo para suas necessidades.

O papel principal de um Sistema Operacional é atuar como um gerenciador dos dispositivos de entrada e saída, memória, CPU, recursos de armazenamento de arquivos e o alocamento de programas e usuários específicos para a realização de determinadas tarefas. Dessa forma, o sistema operacional é um gerenciador de recursos, o que significa que ele consegue gerenciar os recursos de um computador internamente.

Os sistemas operacionais são importantes e podem ser utilizados tanto para navegar pela internet, como também na área de programação, para criar novos aplicativos para usuários. 

Em um nível fundamental, um sistema operacional gerencia praticamente todos os aspectos da experiência do usuário. Desde o momento em que você começa a usar o computador até o último segundo antes de desligar, o sistema operacional desempenha um papel fundamental em sua funcionalidade.

Quais as diferenças entre Sistema Operacional e interface?

A interface do usuário é o software que uma pessoa usa para interagir com o sistema operacional e os aplicativos executados em um computador. O sistema operacional e os aplicativos são executados sem a necessidade dessa interface. Uma pessoa interage por meio da interface do usuário apenas para fornecer entrada e observar a saída do software que está sendo executado.

Podemos entender que o sistema operacional é a base de todo programa e interface, mesmo os dois sendo executados paralelamente, temos a separação dessas interfaces.

Quais as funções do Sistema Operacional?

Vamos conhecer agora algumas funções importantes de um sistema operacional.

Gerenciamento de Processos

Por ser um ambiente multitarefas, o sistema operacional decide qual processo deve receber prioridade, ser processado primeiro e por quanto tempo. Essa função ficou conhecida como agendamento de processos e é realizada pelo escalonador da CPU. 

Gerenciamento de Memória

Refere-se ao gerenciamento da memória primária ou principal. Para entendermos melhor, a memória primária é um longo conjunto de palavras ou bytes, sendo que cada um deles tem seu próprio endereço dentro da máquina.

A memória primária providencia um armazenamento rápido que pode ser acessado diretamente pela CPU. Logo, para o sistema operacional conseguir executar um software qualquer, ele precisa acessar essa memória principal — e é isso que o gerenciamento de memória permite. Em outras palavras, essa funcionalidade permite a execução dos softwares pelo computador.

Gerenciamento de Dispositivo

O sistema operacional cria uma comunicação direta por meio de drivers com os dispositivos conectados no Hardware. Um driver, portanto, é um software que viabiliza a execução de um dispositivo, que pode ser um pen drive, mouse, teclado ou até mesmo a placa de vídeo da máquina. 

Gerenciamento de Arquivos

O sistema operacional organiza os arquivos armazenados na memória do computador em diretórios, que podem ser acessados pela pessoa usuária e que contêm arquivos ou caminhos para outros diretórios. Logo, o sistema operacional mantém controle sobre toda a organização, informação e status desses arquivos através da funcionalidade de gerenciamento. 

Segurança

Um sistema operacional é capaz de evitar acesso de agentes não autorizados a arquivos ou configurações por meio de senhas e outros métodos de segurança.

Controle da performance do sistema

Sistemas operacionais também são responsáveis por manter registros da performance do sistema em geral, caso aconteça algum imprevisto e o serviço demore a receber uma resposta do sistema.

Ajuda de detecção de erros

Produz mensagens de erro e relatórios sempre que um serviço apresenta um bug, que ajudam no processo de correção do erro no código do sistema — ou debug

Administração de serviços

Mantém controle e administra o tempo e os recursos que cada serviço precisa para seu funcionamento. 

Newsletter da TrybeJunte-se a mais de 100.000 pessoas da nossa tribo que recebem conteúdos gratuitos e exclusivos em nossa newsletter semanal!

Conheça a estrutura dos Sistemas Operacionais!

Fluxograma da estrutura dos sistemas operacionais, mostrando a seguinte ordem: usuário, programa, sistema operacional, kernel.

Um sistema operacional pode ser estruturado de diversas formas. Assim, a sua complexidade pode ser elevada para altos níveis de programação.

No entanto, conseguimos simplificar as camadas de um sistema tomando como início a parte da pessoa usuária e os programas que ela tem o controle de acesso. Também temos as lógicas do sistema operacional e o seu kernel, que são boa parte dos processos e ficam invisíveis para a pessoa usuária final.

Quais são as características de Sistemas Operacionais?

Como você viu, os sistemas operacionais contam com uma lista extensa de recursos. Todos eles podem ser resumidos em algumas características. Dentre elas, podemos destacar que os sistemas:

  • Gerenciam tarefas e recursos;
  • Controlam a entrada e saída de softwares;
  • São multitarefas;
  • Têm núcleo;
  • Têm mecanismos para garantir a proteção, administração e realocação dos recursos;
  • Contam com Kernel.

O que é Kernel? 

Kernel é o componente central de um sistema operacional. Ele opera no núcleo do computador, garantindo que haja comunicação entre os componentes do Hardware e o terminal no qual o sistema operacional é executado. É considerada a parte mais interna do sistema operacional. 

Monolítico

No kernel monolítico temos todo o código de suporte para execução das tarefas empregadas dentro de apenas um núcleo. Ou seja, caso necessário executar uma ação, o sistema operacional se comunica diretamente com o kernel e realiza o que é pedido. Todos os módulos necessários para executar o sistema são armazenados dentro do espaço do kernel monolítico.

Alguns exemplos de sistemas que utilizam a arquitetura monolítica:

  • FreeBSD
  • NetBSD
  • OpenBSD
  • Solaris
  • Linux
  • DOS
  • MS-DOS

Micro kernels

Ao contrário do monolítico, a arquitetura microkernel tem o mínimo necessário para consolidar as ações fundamentais do sistema no armazenamento do kernel, de modo que o restante das operações lógicas ficam no sistema do usuário final. Por isso, os códigos de microkernels tendem a ser bem compactos e poucos ultrapassam a casa de 10.000 caracteres.

Alguns exemplos de sistemas que utilizam o microkernel são:

  • Família do microkernel L4
  • Horizon
  • Zircon
  • Hurd
  • MINIX
  • QNX 

Qual a diferença entre Firmware e Sistema Operacional?

Firmware é o nome dado a um programa ou conjunto de instruções programadas em um dispositivo Hardware. Ele é responsável por providenciar as instruções necessárias para que o funcionamento de um dispositivo seja devidamente comunicado e executado em outro componente. 

Por definição, Firmware e sistema operacional são bem semelhantes, logo, algumas confusões entre eles podem acontecer. Mas não se engane, Firmware e Sistema Operacional são coisas diferentes! Veja a comparação:

FIRMWARE

  • Programação embutida em um chip que controla um dispositivo específico; 
  • Normalmente é programado e embutido na fabricação do dispositivo, sem possibilidade de alteração;
  • Pertence à memória não volátil, ou seja, não requer carga elétrica para armazenar dados, apenas para escrevê-los ou lê-los. 

SISTEMA OPERACIONAL

  • Permite controle e funcionamento geral, acima das permissões e funções concedidas a um Firmware;
  • Pode ser instalado e alterado por pessoas usuárias;
  • É armazenado no disco rígido do computador.

Quais as diferenças entre Kernel e Firmware?

O Kernel é a base de qualquer sistema operacional: quando o software precisa do hardware para fazer alguma coisa, ele envia uma solicitação ao kernel. Desde o brilho da tela ao nível de volume, ao iniciar uma chamada de vídeo, e até mesmo o que é desenhado na tela é controlado pelo kernel.

Em um celular, por exemplo, quando você toca no botão de pesquisa, você diz ao software para abrir o aplicativo de pesquisa. O que acontece é que você tocou em um determinado ponto no digitalizador, que informa ao software que você tocou a tela nessas coordenadas. O software sabe que quando esse ponto específico é tocado, a caixa de diálogo de pesquisa deve ser aberta.

O kernel é o que diz ao digitalizador para procurar (ou ouvir, os eventos são “ouvidos”) por toques, ajuda a descobrir onde você tocou e informa ao sistema que você tocou. Por sua vez, quando o sistema recebe um evento de toque em um ponto específico do kernel (através do driver) ele sabe o que desenhar na tela. Tanto o hardware quanto o software se comunicam nos dois sentidos com o kernel, e é assim que seu telefone ou computador sabe quando fazer algo.

Através da interface da pessoa usuária temos a entrada de informações e a saída a partir disso.

Firmware é um programa de software ou algoritmos programados em um dispositivo de hardware. Ele fornece as instruções necessárias sobre como o dispositivo se comunica com o outro hardware do computador.

O firmware é normalmente armazenado na ROM flash de um dispositivo de hardware. Enquanto a ROM é a “memória somente para leitura”, a ROM flash pode ser apagada e reescrita porque na verdade é um tipo de memória flash.

O firmware pode ser considerado “semi-permanente”, pois permanece o mesmo, a menos que seja atualizado por um atualizador de firmware. Pode ser necessário atualizar o firmware de determinados dispositivos, como discos rígidos e placas de vídeo, para que funcionem com um novo sistema operacional. Os fabricantes de unidades de CD e DVD geralmente disponibilizam atualizações de firmware que permitem que as unidades leiam mídia mais rapidamente. Às vezes, os fabricantes lançam atualizações de firmware que simplesmente fazem com que seus dispositivos funcionem com mais eficiência.

Sistemas 64 bits ou 32 bits: quais as diferenças?

Sistemas operacionais podem vir configurados em 64 ou 32 bits. Mas o que exatamente isso quer dizer?

Um sistema é configurado em 64 bits pode lidar com mais informação do que um sistema arquitetado em 32 bits. Sistemas configurados em 32 bits podem trabalhar com sequências de até 32 bits, chegando a 3,2 GB de memória RAM, enquanto os de 64 podem ultrapassar a marca dos 4GB de memória RAM.

Isso não significa necessariamente que o computador será mais veloz, apenas que terá mais capacidade de processamento. Vale lembrar também que grande parte dos softwares de hoje são compatíveis com ambas arquiteturas, porém é sempre bom verificar qual é a versão do seu sistema operacional para evitar problemas de compatibilidade. 

Quais são os tipos de Sistemas Operacionais?

Vamos conferir abaixo os tipos mais populares de sistemas operacionais.

Sistema de operação em bando (Batch Operating System)

Quem utiliza esse tipo de sistema operacional não lida diretamente com o computador ou com o software. Cada pessoa prepara os dados necessários em dispositivos desconexos e offline, como uma espécie de pen drive ou cartão de ponto, e os envia ao operador computacional. Esse componente agiliza as informações juntando necessidades e serviços que são semelhantes e executando todos em conjunto. 

Multitarefa ou compartilhamento de tempo

Esse tipo de sistema operacional permite que muitas pessoas, localizadas em vários endpoints diferentes, utilizem um mesmo sistema computacional ao mesmo tempo. O sistema operacional multitarefa ou ‘Time-sharing’ é uma extensão lógica da característica multiprogramadora. 

Nesse tipo, múltiplos serviços são executados por uma CPU enquanto ela alterna com outras em uma frequência altíssima. Dessa forma, as pessoas usuárias podem receber uma resposta quase instantânea. 

Sistema Operacional em Rede (Network)

O sistema em rede é executado em um servidor e concede a este a capacidade de gerenciar dados, pessoas usuárias, grupos, configurações de segurança, aplicações, entre outras. A proposta primária desse sistema é permitir que haja compartilhamento de recursos e acesso a dispositivos por diversos computadores em uma rede privada, geralmente em LAN (Local Area Network).

Sistema Operacional Mobile

São sistemas operacionais especialmente desenvolvidos para dispositivos móveis, como celulares, smartphones, tablets, smartwatches, etc. 

Sistemas em tempo real

É definido como um sistema de processamento de dados cujo intervalo de resposta é muito pequeno. Geralmente são utilizados quando há requisitos de tempo muito restritos na operação de um processador ou quando o fluxo de informação pode ser utilizado como um dispositivo de controle em uma aplicação embarcada (embutida ao sistema). 

Podemos encontrar esse modelo em experimentos científicos, sistemas de imagem médicos, controle industrial, controle de tráfego aéreo ou qualquer outro sistema que precise de respostas instantâneas. 

Quais as vantagens dos Sistemas Operacionais?

Usabilidade

O principal ponto positivo que temos ao utilizar um sistema operacional é a sua usabilidade, ou seja, o quão amigável o sistema consegue ser para que a pessoa usuária consiga navegar e utilizá-lo facilmente

Segurança

Ao contrário da usabilidade, a segurança acaba tornando o software mais rígido e com mais travas para a pessoa usuária final. Neste aspecto, sistemas operacionais controlados por empresas e administradores de sistemas podem configurar remotamente as permissões que uma pessoa ter pode ou não na navegação.

Compartilhar recursos

A forma de compartilhar dispositivos e recursos por uma interface simples é mais um aspecto efetivo em sistemas operacionais. Podemos compartilhar impressoras, modems de internet, fax, etc, rapidamente e caso precise enviar ou receber algum tipo de arquivo ou programa temos muitas opções disponíveis.

Multitarefas

Multitarefas é um dos principais pontos chave no sistema operacional, a possibilidade de rodar vários programas ao mesmo tempo com a opção de minimizar e maximizar as janelas que queremos, acaba tornando o uso do sistema muito mais fluido. 

Quais as desvantagens dos Sistemas Operacionais?

Complexidade

Problemas relacionados a um sistema operacional são muito complexos para serem resolvidos por usuários comuns, e muitas vezes a empresa que produz o programa deve realizar atualizações de tempos em tempos para fadigar esse tipo de erro.

Ataques de vírus

Vírus são programas maliciosos que corrompem o nosso sistema e arquivo. Em alguns casos, podemos acabar baixando arquivos de fontes desconhecidas e executando em nossas máquinas. Desta maneira, é preciso que tanto a pessoa usuária final como o sistema operacional criem barreiras para este tipo de problema tão comum.

Custo

O custo para comprar ou produzir um sistema operacional é muito alto, principalmente se o sistema não for de código aberto. Ao contrário, sistemas com interfaces limpas, segurança, entre outros recursos, podem acabar custando um grande valor de ambas as partes.

Quais são os 6 Sistemas Operacionais mais usados?

Como você viu, cada tipo de sistema operacional é utilizado em um contexto específico. Por isso, confira uma lista dos seis principais sistemas operacionais do mercado, tanto para PCs quanto para dispositivos mobile

Windows

É o sistema operacional mais conhecido e utilizado em computadores pessoais atualmente, sendo bastante utilizado para projetos e serviços em computadores comuns. Sua versão mais recente é o Windows 10.

Apple macOS

Grande competidor da Windows, o Apple MacOS é um sistema operacional utilizado somente nos laptops e desktops Mac, da marca Apple. 

Linux

Linux é um sistema operacional de código aberto e gratuito, compatível com computadores pessoais. É muito utilizado por pessoas programadoras e desenvolvedoras por ser mais maleável e configurável que o Windows. Por conta disso, muitas variações dele surgiram, como Ubuntu, Red Hat e Debian

Chromium / Chrome OS

Sistema operacional do Google, utilizado em seus computadores Chromebooks.

Android

Sistema operacional mobile mais utilizado no mundo. Diversos modelos e marcas utilizam o Android como sistema operacional de seus dispositivos mobile. 

Apple iOS

Sistema operacional da Apple compatível com dispositivos móveis próprios da marca, como iPads e iPhones.

Conheça outros sistemas operacionais interessantes!

Além dos sistemas operacionais mais populares, temos alguns outros com especialidades únicas e que podem ser úteis para você.

Endless OS

Computador com sistema Endless OS

O Endless OS é inicialmente um sistema operacional baseado na distribuição Debian do Linux, amplamente utilizado no Endless computer, que é um computador com uma arquitetura única e com objetivo de levar fácil acesso a regiões mais desamparadas tecnologicamente.

Além disso, o sistema operacional conta com um kit de ferramentas muito conhecido na área, como o Chromium, GNOME, GRUB, OSTree, Flatpak, entre outros. O software é gerenciado através do Github oficial da empresa, e lá temos todas as especificações.

A sua primeira versão aberta foi a 2.1.0, lançada em 2014, e a mais recente foi a 4.0.3, lançada em 2022. Como é um sistema baseado em Linux, você pode instalar na sua máquina, caso queira testar.

Tizen

Logo do sistema Tizen

Tizen também é um sistema operacional baseado em Linux, que é desenvolvido e usado majoritariamente pela Samsung, com o auxílio do HTML e C++. É utilizado principalmente em relógios e TVs inteligentes, e pode ser considerado o sucessor do MeeGo.

Tendo a sua primeira versão lançada em 2012, o software já tem muita história no mercado e tem sua última atualização lançada no final de 2021. Neste mesmo ano foi anunciado que a Samsung se juntaria com a Google para remodelar os sistemas dos seus smartwatches, sendo assim, o Tizen ficaria apenas sendo usado nas televisões inteligentes.

Solaris

Logo do sistema solaris

Um dos mais antigos sistemas operacionais, o Solaris foi criado pela empresa Sun Microsystems em meados dos anos 1990 e era conhecido pela sua grande escalabilidade e integração com os sistemas Sparcs.

Em 2005, a Sun abriu o código do Solaris em um projeto denominado OpenSolaris, onde o seu código foi publicado sobre a licença CDDL, mas logo depois em 2010 a empresa acabou sendo comprada pela Oracle, que acabou retirando as publicações de código aberto.

Como atualizar o Sistema Operacional do celular e do computador?

Aprenda como atualizar os sistemas operacionais do celular e computador.

Android

Primeiro verifique se o seu aparelho está conectado à internet. Depois, entre nas configurações do seu celular através do ícone de engrenagem. Selecione a opção “Sobre o telefone“, ou algo parecido. Depois, clique em “Atualização do sistema“.

Deverá aparecer uma caixa de mensagem perguntando se você aceita atualizar o sistema. Após sua confirmação, o software será atualizado.

IOS

Comece procurando e abrindo o aplicativo “Ajustes” no seu Iphone. Após isso, busque a opção “Geral” e, depois, toque em “Atualização de Software“. A partir daqui, o celular vai verificar se existe alguma atualização pendente. Se houver, clique em “Baixar e instalar“.

Exemplo de tela de atualização no sistema IOS, com destaque para o botão "baixar e instalar"

Mac

Busque pelo menu da “Apple” no canto superior esquerdo da tela. Encontrando-o, selecione “Preferências do Sistema”. Na janela que foi aberta, clique em “Atualização de Software“. Se o seu sistema estiver desatualizado, você pode clicar no botão “Atualizar Agora” e ele será atualizado.

Windows

Clique no botão Iniciar, depois, em “Configurações“. Na janela aberta, procure pela seção “Atualização e Segurança” e clique para abri-la. Agora, clique em “Windows Update“. O sistema te dará a opção de verificar se há atualizações. Basta clicar no botão e, se tiver alguma atualização pendente, instale-a.

Linux

Antes de tudo, devemos verificar a versão atual do kernel através do terminal. Nele, escreva:

uname –sr

O retorno provavelmente será algo como Linux 4.4.0-64 generic.

Os primeiros dois dígitos (neste caso, 4.4) são o pacote geral do kernel. O terceiro dígito é a versão e o quarto dígito mostra o nível de patches e correções.

Vamos começar atualizando os repositórios. Novamente, no terminal, escreva:

sudo apt-get update

Este comando atualiza sua lista de programas locais, anotando todas as revisões e atualizações mais recentes. Se houver uma versão mais recente do kernel, o comando irá localizá-la e marcá-la para download e instalação.

Conclusão

Utilizamos vários sistemas operacionais em nosso dia-a-dia, seja no celular, TV ou computador, todos possuem um sistema inteligente e uma interface amigável para nós navegarmos e realizar tarefas.

Como todo sistema, os sistemas operacionais tem falhas e atualizações constantes, contando com uma equipe de diversas pessoas desenvolvedoras, temos ocasionalmente novos recursos para estes aparelhos.

Além disso, com a chegada de hardwares potentes, temos uma expansão de coisas que os sistemas conseguem fazer, isto é, carregar cada vez mais programas ao mesmo tempo, processar dados e até mesmo renderizar cenários 3D. Além disso, em sistemas operacionais desktop conseguimos criar cada vez mais aplicações com o que há de último no mercado.

Conhecer sobre sistemas operacionais é muito útil para pessoas desenvolvedoras e programadoras, ou para aquelas que ainda estão no processo para mudar para uma carreira no mercado de tecnologia. Isso porque conhecer a fundo o funcionamento das máquinas facilita a compreensão de sua lógica.

Já para quem não faz parte da área de tecnologia, saber mais sobre sistemas operacionais também é uma boa ideia, uma vez que lidamos com eles diariamente nos mais variados dispositivos.

Por isso, independente da sua área, se você gostou de aprender sobre sistemas operacionais, confira nosso texto sobre Tecnologia da Informação: o que é e qual a sua importância!

1 Shares:
Deixe um comentário
Você também pode gostar