O Twitter anunciou que vai conceder acesso gratuito aos dados da plataforma para desenvolvedores de software. O objetivo é apoiar esses profissionais na criação de ferramentas e produtos capazes de promover conversas online mais seguras ou de realizar uma curadoria de conteúdo.

O anúncio recente representa mais uma das iniciativas do Twitter de descentralizar a empresa, oferecendo aos usuários mais controle sobre o tipo de conteúdo que eles consomem no feed e novas formas de compartilhar publicações.

Nos últimos anos, tanto o Twitter como outras gigantes das redes sociais vêm recebendo críticas em relação a como os seus algoritmos dão visibilidade a determinados conteúdos e como isso auxilia na disseminação de discursos de ódio e desinformação. 

Expandir o acesso a desenvolvedores, portanto, é uma das respostas da empresa para tentar lidar com a questão.

API v2 e acesso a dados

Com a nova medida, a partir desta semana, os desenvolvedores passarão a ter acesso aos dados de até 2 milhões de tuítes por mês através da API (application programming interface) do Twitter sem custo nenhum. 

Outro anúncio feito pela empresa foi uma mudança na política de API a fim de abranger mais casos de uso; isso inclui remover restrições sobre competir com a plataforma. A ideia é que todos os usuários possam definir suas preferências e receber conteúdos relevantes a eles. 

Aparelho conectado a tela de download do Twitter.
O Twitter anunciou que vai conceder acesso gratuito aos dados da plataforma para desenvolvedores de software.

Essas alterações podem resultar em impactos significativos na forma como os usuários interagem com o serviço, considerando que os desenvolvedores terão mais liberdade para construir aplicativos clientes de terceiros, como o Tweetbot, Twiterrific e Fenix.

Esta segunda versão da API que está sendo lançada, batizada de API v2, vai substituir o trabalho da API v1.1, tornando-se padrão para desenvolvedores. 

O Twitter também alterou a classificação que determina o que os desenvolvedores podem fazer na plataforma. A empresa criou agora a categoria “Essential access”, que permite testar a API sem a necessidade de esperar por um processo de aprovação manual, além de oferecer a possibilidade de acessar os dados de até 500 mil tuítes por mês. 

Caso um desenvolvedor esteja disposto a passar pelo processo de inscrição, é possível ganhar acesso à categoria “Elevated”, que permite acessar os dados de 2 milhões de tuítes por mês. Os projetos que utilizam a API v2 recebem acesso ao tier Elevated automaticamente. 

Relação com desenvolvedores

A ideia de recorrer aos desenvolvedores parte de experiências positivas anteriores. O Block Party, por exemplo, foi desenvolvido pela engenheira de software Tracy Chou. A funcionalidade permite que usuários do Twitter filtrem os conteúdos que eles não gostariam de ver. 

Outro recurso, criado pela engenheira de software Janique-ka John, permite que os usuários realizem uma busca pelo Twitter Spaces de forma mais fácil. 

No entanto, a relação da empresa com desenvolvedores responsáveis por criar aplicativos não-oficiais nem sempre é totalmente favorável a eles. A plataforma limita quantos usuários podem utilizar um app de terceiros e nem todos os recursos ficam disponíveis.

O anúncio da API v2 indica que a empresa está disposta a ter uma relação cada vez mais amigável com os desenvolvedores. A versão mais recente do Tweetbot, por exemplo, já utiliza a nova API, e o Twitter adicionou suporte para API de recursos como Super Followers e a possibilidade de limitar quem pode responder a um tuíte.

Deixe um comentário
Você também pode gostar