Para quem se interessa por tecnologia e quer trabalhar com isso, ou simplesmente melhorar as suas habilidades de programação, o ECMAScript pode ser uma ótima aposta. Diretamente relacionado com o tão conhecido “JavaScript”, por meio dele você poderá expandir o seu universo de possibilidades diante da tela de um computador.

Essa ferramenta vem ganhando cada vez mais espaço, o que faz com que ter conhecimento acerca do assunto acabe gerando inúmeras vantagens para os usuários e usuárias de tecnologia, seja para benefício próprio ou para conquistar novos empregos. 

Aproveitando o mar de conhecimento que a internet tem se tornado, não deixe de conhecer todas as vantagens sobre o ECMAScript que podem ser utilizadas no seu dia a dia, bem como suas diferenças para o JavaScript, a fim de facilitar a comunicação e todas as suas habilidades de programação. Por isso, leia até o final!

Neste artigo, você vai conferir:

O que é ECMAScript? E como funciona?

Ainda que o termo pareça ser bastante distante de quem começou a ter contato com programação de forma recente, sua compreensão é simples: o ECMA não passa de uma padronização criada para a linguagem do JavaScript, tão conhecida por aqueles que lidam com tecnologia e, principalmente, para a famosa Geração Z.

Para se ter uma ideia, a criação do ECMAScript acabou se tornando um verdadeiro destaque dentro da linguagem da programação, visto que adicionou novos recursos e funcionalidades. Dentre eles, iterar objetos, declarar variáveis utilizando let e const, bem como uma modularização de classes.

Não há muito segredo no funcionamento dessa versão tecnológica do JavaScript, visto que ele funciona exatamente como o seu patrono, levando em consideração os mesmos comandos, recursos, atributos e resultados. A única diferença está na inovação e adaptação para os dias de hoje.

Afinal, para que serve o ECMA?

Assim como a sua base, o ECMAScript funciona com o objetivo de trazer um maior dinamismo para todas as páginas que você encontra na internet. Já que possui uma linguagem de programação diretamente voltada para o front-end, a maior parte de seus recursos se ligam à construção de interfaces.

No entanto, com a criação das variações desse recurso, bem como de frameworks, torna-se possível utilizar o JavaScript até mesmo em uma versão back-end, para desenvolvimento mobile, que, querendo ou não, vem se tornando uma grande tendência entre as pessoas usuárias digitais.

Origem e história do ECMAScript

O surgimento do termo ECMAScript, tão diferente do habitual, acaba por remeter à própria criação do JavaScript, no ano de 1995. O programador Brendan Eich, precursor dessa facilitação no âmbito da informática, percebeu que havia a necessidade da criação de uma tecnologia que fosse capaz de entregar mais dinamismo para a internet.

Pensando em deixar os sites mais atrativos e com uma performance ainda maior do que a anterior, Brendan criou uma linguagem dentro da área da programação, utilizando-se de scripts para que o HTML pudesse ter muito mais vivacidade. Isso acabou facilitando a vida de muita gente, tanto para quem trabalhava com a internet quanto para quem a usava casualmente.

O ECMAScript entra nessa história devido à necessidade de igualar todas as linguagens de programação ao redor do mundo. A partir do instante em que elas se popularizaram amplamente, era necessário que ficassem iguais, facilitando a compreensão daqueles que estavam interessados em utilizar seus recursos.

É por meio dessa padronização instaurada e utilizada da forma correta que conseguimos nos manter dentro de um esquema. Assim, ajudamos novos e novas estudantes da área a conseguir acessar os conceitos do JavaScript de uma forma bem mais compreensível.

Quais as diferenças entre ECMAScript e Javascript?

É muito provável que, mesmo entendendo um pouco mais sobre a origem do JavaScript, algumas pessoas ainda se sintam um pouco confusas com relação às suas diferenças para com o ECMAScript. É importante lembrar que o primeiro termo só é utilizado de maneira nostálgica, remetendo aos seus criadores, a empresa Oracle.

Muito embora algumas pessoas ainda insistam em dizer que ambos os termos representam a mesma coisa, há alguns pontos que podem diferir. Dentre eles, estão:

  • JavaScript é utilizado como base;
  • ECMAScript surge como uma maneira de ajudar novos programadores;
  • O primeiro deles representa uma especificação, enquanto o segundo se mostra uma implementação.

De uma maneira geral, é possível dizer que o ECMA se assemelha a um projeto arquitetônico, enquanto o JavaScript já é o prédio finalizado, levando em consideração todas as especificações do projeto para que pudesse sair conforme o planejado. As próximas variações, como UnityScript e JScript, seriam apenas implementações do projeto.

Quais são as vantagens e desvantagens do ECMAScript?

Assim como qualquer outro projeto que esteja disponível na internet, o ECMA possui algumas vantagens e desvantagens. É inegável, no entanto, que ele se mostra extremamente útil para quem deseja aprender a programar, tornando a linguagem da área bem mais acessível, enxuta e inteiramente versátil, alcançando todos os públicos interessados.

Pensando nisso, e sabendo que qualquer método encontrado nos dias de hoje é passível de falha, confira quais são os pontos positivos do ECMAScript e quais são os negativos. A partir de cada um deles, será possível aprender mais a respeito de programação, tornando sua vida ainda mais simples e com margens de erro reduzidas.

Vantagens

Antes de especificar mais sobre as vantagens dessa linguagem, vamos listar os principais benefícios do ECMA para que você tenha, pelo menos, um gostinho dessa ferramenta facilitadora:

  • O processo traz mais rapidez tanto na leitura quanto na execução;
  • Não há necessidade de compilação;
  • Possui suporte na maior parte dos navegadores disponíveis no mercado;
  • Tem um código leve e de fácil acesso;
  • Há uma grande comunidade por trás para te ajudar com qualquer dúvida.

Além de todos esses pontos, ainda podemos mencionar que o ECMAScript é muito simples de ser compreendido, principalmente para aqueles que já estão acostumados com o básico do JavaScript. Sendo assim, os estudantes de programação já podem começar a agradecer aos desenvolvedores do método.

Outra grande vantagem dessa aplicação é que, atualmente, com o desenvolvimento das comunidades e a disseminação da informação, existem incontáveis bibliotecas, bem como frameworks, que são capazes de flexibilizar os processos. Assim, você consegue programar um JS em back-end, além de desenvolver aplicativos.

Por meio da criação de outras funções e atributos na área, o ECMAScript acaba oferecendo mais uma vantagem para quem deseja mergulhar de cabeça na área da programação: por meio dele, você conseguirá criar uma nova quantidade de dados, variando-os sempre que possível.

Desvantagens

Assim como já foi dito anteriormente, nenhum tipo de método encontrado na internet é 100% perfeito e, por isso, precisamos estar atentos às suas desvantagens na hora da utilização. Desta forma, antes de começar a usar o ECMA, tenha em mente alguns empecilhos que podem ser encontrados no meio do caminho.

O primeiro deles está diretamente relacionado com a ausência de recursos que estejam voltados para a segurança da informação. Atualmente, muitas pessoas se preocupam com os seus dados e desejam encontrar maneiras de blindar, cada vez mais, esse fator. Por isso, o ECMAScript pode não se mostrar eficiente nessa área.

Com o surgimento das novas tecnologias, é provável que as pessoas programadoras atuais — e também mais experientes — venham a sentir que, ao utilizar o Node.js, haja um maior vazamento de memória. Essa pequena “falha na Matrix” pode acabar representando uma certa dor de cabeça para quem está na área tecnológica.

Além disso, para quem se interessou em saber mais acerca do ECMAScript, é importante estar ciente de que, em sua execução, podemos encontrar brechas capazes de gerar ações maliciosas para quem utiliza. Portanto, o cuidado deve ser redobrado.

Quais as versões do ECMAScript?

Assim como o JavaScript abriu portas para que novas versões fossem criadas, a sua variação, mais acessível e democrática, acabou criando brechas para que, ao longo dos anos, novas variações fossem colocadas na mesa. Para quem deseja programar, conhecer mais acerca desses processos é extremamente válido!

Dentre as principais atualizações relacionadas às versões do ECMAScript, com as features, estão:

  • Funções map, filter e reduce;
  • Funções arrow;
  • Função find;
  • Funções some e every.

Aproveite para ler abaixo mais sobre as novas versões do ECMA e como isso pode vir a influenciar nos seus conhecimentos enquanto pessoa programadora e interessada em tecnologia!

ES2005 

Com a ampliação das tecnologias aplicadas à rede mundial de computadores, a primeira versão foi criada para o ECMAScript. Por meio dela, foi possível adicionar novos recursos e funções, facilitando, e muito, a vida de pessoas programadoras que precisavam de uma maior versatilidade no programa.

Dentre as principais features adicionais, estão:

  • array.map ();
  • .reduce ();
  • .filter ();
  • JSON;
  • string;
  • data.

ES2006

Na versão de 2006, também conhecida como ES6, a versão ECMAScript acabou se mostrando extremamente útil para quem utiliza Por meio dela, as pessoas começaram a utilizar palavras-chave para criar variáveis com escopo de bloco. Além disso, dois recursos foram adicionados:

  • deixe e const.

Por meio do const, é possível criar constantes utilizando escopo de bloco. Além dessa função muito útil, ainda foram adicionadas as seguintes funcionalidades:

  • Desestruturação: utilizando a opção de desestruturação, é possível extrair algumas propriedades de um determinado objeto, criando variáveis com os valores aplicados;
  • Promises: com esta função, foi possível tornar o mundo assíncrono ainda mais simples, livrando os programadores de resultados indefinidos e do callback.
  • Instruções de importação/exportação: a partir desta versão, é possível exportar qualquer coisa de um determinado arquivo usando “export” e importar com “import”.

ES2007

A versão de 2007 do ECMAScript, foi possível adicionar dois módulos muito interessantes:

  • Método Array.includes (), onde é possível verificar se um elemento existe dentro de uma matriz ou não;
  • Operador exponencial: ‘**’, onde não será mais preciso utilizar o Math.pow () para os operadores.

ES2008

A versão de 2008 do ECMAScript acabou trazendo inúmeros recursos, visando facilitar ainda mais a vida de quem programa. Dentre eles, estão:

  • Object;
  • String.

Além disso, o recurso mais viável se mostra o assíncrono / aguardar, tornando a programação assíncrona bem mais fácil e agradável.

ES2020

Dentre as principais novidades do ES2020 estão:

  • Importação dinâmica, onde é possível usar a importação como função em qualquer uma das partes do seu código;
  • BigInt, que ajuda a representar números maiores do que 2^53-1.
  • Promise.allSettled (), que retorna uma determinada promessa;
  • globalThis, em que não será mais necessário diferenciar se o código está, ou não, rodando em um navegador.

ES2021

Dentro da lista de ECMAScript de 2021, mostrando-se tão essencial quanto o comando SQL, foram adicionados alguns novos recursos:

  • Logical Assignment Operators;
  • String.prototype.replaceAll();
  • Promise.any();
  • WeakRefs;
  • Underscores (_), utilizando separadores em number literals e em bigint literals.

Saiba como aprender ECMAScript

Para quem está interessado em ECMAScript, existem algumas maneiras de aprender. Na maior parte dos cursos encontrados na internet, a linguagem JS é extremamente utilizada para que estudantes se enquadrem na lógica de programação, aprendendo vários conjuntos de princípios para estabelecer coerência no desenvolvimento dos softwares.

Dentre os principais cursos, estão:

  • FreeCodeCamp (gratuito);
  • Youtube (gratuito);
  • Curso JavaScript Ninja (pago);
  • JavaScript com TDD na prática (pago);
  • Alura (plataforma paga);
  • School of Net (plataforma paga);
  • TreinaWeb (plataforma paga);
  • Udacity (plataforma mista);
  • Codecademy (plataforma mista);
  • Code School (plataforma mista);
  • Frontend Masters (plataforma mista);
  • Udemy (plataforma mista).

Se você está buscando se tornar uma verdadeira pessoa desenvolvedora de front-end, é importante procurar inúmeras alternativas para aprender mais sobre a linguagem da programação. Existem diversos cursos disponíveis na internet, e até mesmo no Youtube, para ajudar você a chegar cada vez mais longe nessa área.

Lembre-se que o ECMAScript traz inúmeras vantagens para os programadores, desde a facilitação de processos de criação de códigos quanto o aprendizado com outras pessoas da área. Sempre que possível, recorra à comunidade de JS e permita que o seu sonho vá cada vez mais longe!

E aí, este conteúdo foi útil para você? Então, aproveite a visita ao blog e confira também o que Lodash e como usar essa biblioteca JavaScript!

0 Shares:
Você também pode gostar