Indiscutivelmente, a segurança da informação é um dos temas mais abordados nas empresas. Segundo uma previsão da consultoria Gartner, em 2019, foram gastos cerca de US$ 124 bilhões somente com isso — um crescimento de quase 9% em comparação ao ano anterior.

Estimulada pela ocorrência de ataques cibernéticos, pela expansão do acesso à informação e, mais recentemente, pela entrada em vigor da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais), a preocupação com o tema vem se expandindo da área de TI para a organização como um todo .

Proteção de dados dos usuários e usuárias, principalmente, deve ser tratado como um dos assuntos mais pertinentes para qualquer empresa, afinal, a exposição de dados pode levar a incontáveis prejuízos financeiros e de patrimônio.

Aproveite a leitura deste artigo, pois nele vamos explicar o que você precisa saber sobre o assunto:

O que é segurança da informação?

A segurança da informação é o conceito que prevê evitar e blindar, de alguma forma, a quantidade de informações que estão no fluxo da organização. Na atual era da informação, é extremamente normal a alta quantidade de dados recebidos. Geralmente, tais informações chegam em curto tempo de espaço, o que requer maior controle.

Qualquer ativo que gere algum dado precisa ser assegurado de eventuais riscos que comprometa a empresa ou o dono dos dados, que pode ser o usuário, por exemplo.

Nesse sentido, diversas medidas são geradas para 5 importantes questões:

  1. confidencialidade;
  2. integridade;
  3. disponibilidade;
  4. irretratabilidade;
  5. autenticidade dos dados.

Assim sendo, o profissional de TI é o provedor que vai garantir que elas sejam realizadas com eficiência.

Antes de prosseguir, aproveite e faça o download do Guia Hacker. Aprenda a automatizar tarefas, criar atalhos, melhorar sua segurança online e a descobrir como evitar spam no seu email.

banner para download de ebook sobre hacker imagem como botão escrito "baixar"

Quais as diferenças entre segurança da informação e cibersegurança?

Muitas pessoas acham que a cibersegurança é apenas um termo dentro da segurança da informação, mas pode-se dizer que são termos bem diferentes um do outro. A confusão ocorre por conta de ambos se tratarem de segurança.

É de grande importância dizer que a segurança da informação possui um caminho bem mais amplo do que a cibersegurança, ainda mais quando olhamos de modo geral. 

Já a cibersegurança está diretamente ligada com a segurança digital, ou seja, com a proteção digital contra ameaças, falhas e transporte de dados. Por sua vez, quando falamos em segurança de informação é possível abrir um nicho maior, que cuida de toda a proteção de informações, seja ela uma informação digital ou não.

Qual a importância da segurança da informação para a organização?

Quanto maior a empresa, maior é a quantidade de informação existente em sua base de dados. Desde questões simples, como relatórios de vendas e informes bancários — como senhas e extratos — até informações de clientes. Todas correm algum tipo de risco virtual.

Em resultado levantado em 2019, foram registrados cerca de 15 bilhões de ataques cibernéticos em 3 meses no Brasil. Desta maneira, muitas empresas sofrem desse mal que, na pior das hipóteses, leva à inviabilidade das operações da organização.

Repare, por exemplo, na quantidade de ataques cibernéticos ocorridos nos últimos tempos. Só o grupo Anonymous já atacou, aqui no Brasil, o Ministério da Defesa, a empresa JBS, além de vazados dados de familiares e ministros do governo Bolsonaro.

Por essa razão, cada vez mais é necessário investir em mecanismos que garantam a segurança da informação. Os principais objetivos são:

  • Assegurar que nenhuma manifestação suspeita aconteça e comprometa o futuro da empresa;
  • Proteger colaboradores de possíveis gatilhos que levem a ataques de hackers;
  • Fortalecer as medidas de proteção;
  • Garantir o cumprimento dos processos de segurança.

E é nesse momento que os profissionais de TI se envolvem. Por exemplo, a programação promove formas de evitar e analisar possíveis ataques e parte da infraestrutura viabiliza a proteção e o monitoramento. Isso sem contar nas medidas de prevenção que reduzem ainda mais os riscos.

Quais são os 5 principais pilares da segurança da informação?

É inegável a existência de riscos desde os primórdios da era da computação. Entretanto, hoje o impacto e o número de ataques são extremamente maiores, o que chama muito atenção para pessoas da área de segurança.

Para que a segurança da informação seja implantada e eficientemente realizada, é necessário, inicialmente, conhecer os principais pilares desse conceito, os quais você verá a seguir.

1. Confidencialidade

Sem dúvidas, uma das principais visões da segurança da informação é que os dados protegidos devem ser acessíveis somente a pessoas autorizadas e que estejam ligadas, de forma direta, a eles. Caso alguém que não tem essa autorização realize o acesso, seja ele de forma intencional ou não, há uma quebra de confidencialidade dos dados. Do contrário, tal exposição pode levar a muitos danos.

Esse conceito evita que terceiros tenham acesso à informação sem que responsáveis por ela tenha conhecimento. Aqui é importante determinar as liberações de cada usuário do sistema, com mecanismos que confirmem a autenticidade da validação de quem está acessando o sistema.

2. Integridade

A integridade é uma propriedade que visa garantir que arquivos não sejam modificados, seja o fato proposital ou não. Assim, a partir desse conceito buscamos definir qual tipo de licença cada usuário dentro e uma organização terá.

Com tal precaução, o nível de confiança da informação é protegido, permitindo que os envolvidos possam usá-la para eventuais tomadas de decisão.

3. Disponibilidade

A informação está ali nos sistemas para ser utilizada de alguma forma — levando em conta que as pessoas determinadas para isso são autorizadas. Quando focamos na disponibilidade da informação, prevemos que ela seja acessível a essas pessoas.

Quando não é possível ser feito o acesso por algum tipo de invasão, consideramos um incidente por quebra de disponibilidade. Em determinadas situações, empresas podem parar justamente quando o acesso aos dados são interrompidos.

4. Irretratabilidade

Também conhecido como não repúdio, a irretratabilidade prevê que os envolvidos de um determinado documento — ou dado — se responsabilizem pela transmissão dele. 

Dessa forma, nem a pessoa executora, nem a receptora, devem conseguir, de qualquer maneira, contestar a movimentação da informação. Determinadas programações conseguem verificar e analisar caso exista algum tipo de negação indevida e, assim, alegar a identidade dos responsáveis.

5. Autenticidade

Por último, desde simples documentos até mudanças estratégicas em softwares, o pilar da autenticidade prevê que todo arquivo e documento existente naquela empresa tenha registrado a autoria de origem e as últimas modificações caso tenham sido feitas.

É nesse momento que entram as formas de verificação, por exemplo, PIN, senhas ou ainda reconhecimento digital e/ou facial. Se existir alguma deficiência na leitura de responsabilidade dos dados, aconteceu uma falha de autenticidade de segurança.

Conheça os 5 principais componentes da segurança da informação!

De maneira geral, a segurança da informação engloba desde a segurança dos dados até sua parte física. Por isso, vamos citar alguns dos principais componentes dentro da segurança da informação que envolvem toda a empresa.

Dispositivos

Os dispositivos são o foco principal quando o assunto é gerenciamento de dados, até porque são deles que partem todos os processos feitos. Então, manter a máquina atualizada e longe de ameaças é de grande importância.

Softwares

Existem diversos softwares que geralmente são utilizados para garantir a segurança da informação e pode se dizer que todos eles tem como objetivo analisar os conteúdos e entender quando se trata de uma ameaça ou não. Alguns deles são: 

  • Proxy
  • Ativirus
  • Firewall
  • Antimalware
  • Antiransomware

Hardwares

Assim como os softwares que possuem proteções contra ameaças, no hardware pode se dizer que o firewall é o principal foco. O firewall tem como objetivo disponibilizar várias funcionalidades específicas que podem contribuir para o gerenciamento e controle dentro de uma empresa.

Redes 

Assim como recebemos ameaças indesejadas em nossos dispositivos, a rede pode ser um ótimo lugar para o compartilhamento de vírus e ameaças. Por isso, é muito importante sempre monitorar a rede e realizar o bloqueio de acessos desconhecidos.

Colaboradores

As pessoas colaboradoras dentro de uma empresa também acabam se tornando um componente de segurança. Mantê-las por dentro de todas as regras de segurança e dos cuidados que devem ser tomados neste quesito, além de evitar falhas no caminho, evita que algo pior aconteça.

O que são as siglas EV, OV, DV e SSL?

Ainda é bastante comum navegarmos pela internet e encontrarmos sites que não prezam pela importância de algum tipo de certificado SSL e que não se preocupam com a proteção de dados quando se trata de informações inseridas na internet.

Atualmente, muitos dos roubos de dados são causados pela falta de segurança em sites acessados sem algum tipo de certificação, mesmo que, nos dias de hoje, exista uma grande quantidade de certificações na internet que podem ser inseridas em seu site facilmente e com valores acessíveis. Algumas dessas certificações são:

EV-Validação estendida

Uma validação completa de segurança, geralmente utilizada em empresas maiores e empresas que utilizam dados sensíveis dos usuários, como dados bancários, acessos, requisitos, entre outros. A empresa contratante dessa certificação geralmente são os bancos.

H3:OV-Validação da organização

A certificação de SSL de validação de organização trata-se de uma opção mediana de segurança, ou seja é considerado uma certificação que pode suprir todas as necessidade de segurança de um site, ainda mais quando se trata de corporações.

DV-Validação de domínios

Considerando um dos modelos mais básicos, a validação de domínio geralmente é utilizada em blogs, website menores e até mesmo sites de notícias por apresentar uma resurança menor em relação às demais. 

Certificado SSL

O certificado SSL é considerado um dos mais simples dentro da escala de certificações. Trata-se da autenticação e criptografia dos dados no momento do acesso prezando pela proteção das informações inseridas, sendo então possível realizar o impedimento de que possíveis invasores roubem os dados.

Quais as vantagens de investir em segurança da informação?

Com a transformação digital e as empresas adotando cada vez mais o home office, investir em segurança da informação pode trazer grandes vantagens já que um ataque dentro de uma empresa pode gerar grandes prejuízos e até mesmo levar à falência. Algumas dessas vantagens são as destacadas a seguir.

Lei LGPD

Toda a empresa, seja ela de pequeno ou grande porte, precisa estar dentro das conformidades da lei LGPD. A multa para quem não cumprir pode variar, mas ela pode ser de até R$50 milhões de reais. Investir em segurança da informação é essencial para evitar enquadramentos nesta lei.

Informações protegidas

Conforme ocorrem investimentos em segurança dentro de uma empresa, os dados ficam mais protegidos. É fundamental que as empresas procurem manter seus dados seguros para que a empresa apresente bons resultados. Uma informação sigilosa que não é guardada com cuidado pode acabar gerando grandes problemas para seu negócio.

Diminuição de riscos

Uma empresa que apresenta um bom plano relacionado à segurança da informação pode diminuir significativamente os riscos de vazamento de dados, perda ou roubo de informações. Saber propor pontos de melhoria para minimizar esses riscos pode gerar mais proteção contra falhas de pessoas colaboradoras e até mesmo de ataques hackers.

Recuperação de dados

Quando uma empresa investe em sistema de segurança, também é muito importante pensar em um bom sistema de backup. Esse sistema será responsável por realizar backups diariamente fazendo então que, em caso de falhas ou ameaças, os dados backupeados não se percam.

Evitar gastos

Muitas vezes um ataque gera gastos por conta da parada nas operações da empresa, perda de confiabilidade com outras empresas investidoras ou até mesmo no mercado. Sendo assim, com uma equipe de segurança, esse problema pode ser resolvido rapidamente antes que novos prejuízos acabem surgindo.

Quais os riscos e maiores desvantagens do roubo ou vazamento de informações?

É normal que grandes quantidades de informações sejam armazenadas dentro de um dispositivo e, além disso, hoje em dia é possível acessar qualquer dado armazenado através do serviço em nuvem. Sendo assim, o roubo ou perda de um aparelho pode acabar gerando grandes prejuízos, ainda mais se cair em mãos de pessoas mal intencionadas.

Diante disso, o vazamento de dados pode trazer os seguintes riscos.

Livre acesso a informações de banco

É normal que sempre baixemos em nossos dispositivos aplicativos que permitem movimento na vida financeira, como o do banco. Caso o aplicativo não apresente parâmetros de segurança fortes para que a pessoa usuária acesse a conta, diante da perda ou roubo de um dispositivo, a conta pode acabar sendo exposta para terceiros e possibilitar roubos.

Dados delicados

Muitas pessoas ainda costumam guardar uma lista de senhas ou até mesmo de informações confidenciais dentro de dispositivos. Isso pode ser um facilitador para o invasor, pois através de dados sensíveis costuma ser possível o acesso em redes sociais, bancos e até mesmo o roubo de estratégias que estão salvas no dispositivo.

Acesso a ambientes corporativos

Nos dias de hoje a maior parte das empresas busca automatizar o trabalho, utilizando soluções em nuvem, área de trabalho remota, entre outras. Caso essas soluções não contem com os parâmetros adequados de segurança, é possível que pessoas invasoras acessem o ambiente corporativo e tenham acesso a informações confidenciais. 

Qual a relação da LGPD com a segurança da informação?

A LGPD pode trazer grandes benefícios para as empresas que costumam andar de forma correta. Existe uma relação muito grande entre a LGPD e a segurança de informação, pois ambas possuem objetivos parecidos quando se trata da proteção desses dados.

A LGPD é a lei que cuida dos dados pessoais das pessoas consumidoras, ou seja, aquelas informações que permitem a identificação das pessoas titulares desses dados. Além de pautar o consentimento quanto ao seu uso e armazenamento, a LGPD define punições severas para as empresas que vazarem dados pessoais, por acidente ou não.

Por conta disso, prezar pela segurança dos dados e sempre andar em conformidade com a lei é extremamente necessário para que a empresa não tenha problemas futuramente. Assim, aplicar as medidas de proteção adequadas quanto à segurança da informação na empresa torna o ambiente corporativo menos passível de invasões e, consequentemente, vazamentos de dados. 

Qual a importância da privacidade na internet?

Atualmente, é comum que as pessoas procurem ter privacidade ao realizar determinados acessos a internet, seja em sua rede social, em uma busca na internet ou até mesmo ao acessar sites mais delicados. Essa preocupação com o vazamento dos dados pessoais é a que mais vem se destacando, já que ataques hacker crescem diariamente.

Mas vale lembrar que a partir do momento em que você realiza seu login ou cadastro em um site, seus dados já estão dentro da rede e podem ser facilmente compartilhados caso a rede em questão não tenha a segurança adequada.

Quais as diferenças entre segurança de TI e segurança da informação?

Com nomes bastante parecidos, segurança de TI e segurança da informação são duas práticas com focos diferentes. A segurança de TI engloba medidas estratégicas tanto na parte de gerenciamento de dados, como em toda a parte física do ambiente de TI de uma organização. Alguns exemplos das responsabilidades da segurança de TI são:

  • Provedores
  • Servidores
  • Computadores
  • Banco de dados

Já a segurança da informação tem como objetivo realizar a proteção de todos os dados e informações dentro da empresa, sejam estas sigilosas ou não, garantido que apenas pessoas autorizadas tenham acesso. Além disso, a segurança da informação prevê a criação de regras de negócio relacionadas à segurança para que não ocorra algum deslize por parte das pessoas colaboradoras.

Qual a relação entre programação e segurança da informação?

Além de toda a garantia e execução dos pilares, algumas formas de programação são grandes aliadas para promover a segurança dos dados. Desde o mapeamento de movimentações estranhas até o alerta de possíveis riscos, a pessoa programadora tem papel fundamental na efetivação desse tema.

Em determinadas situações, a programação é tão importante quanto a própria definição da cultura de proteção de dados. Quanto mais conhecimento sobre os dados e a informação de seus fluxos, melhor será o acompanhamento para a pessoa gestora de TI e sua equipe.

A segurança da informação é um tema que veio para ficar e sem nenhuma condição de retroceder. Empresas não podem mais se dar ao luxo de ficar à mercê de possíveis ataques e desconstruir todo um percurso já conquistado. Dessa maneira, os profissionais do futuro se fazem cada vez mais essenciais para a sobrevivência de um negócio.

O que não fazer online? Principais erros de segurança da informação!

Uma pessoa usuária comum pode cometer diversos erros diariamente fazendo com que a segurança de seus dados vá por água abaixo. Os principais erros cometidos geralmente são simples, mas feitos diversas vezes, como: 

  • Reutilizar senhas.
  • Clicar em anúncios sem procedência.
  • Fazer uso de cartões de crédito em sites duvidosos.
  • Abrir anexos de e-mails de desconhecidos.
  • Instalar programas piratas.
  • Divulgar nas redes sociais dados pessoais.
  • Utilizar sites duvidosos para realizar downloads.
  • Imaginar que nunca será alvo de ataques de hackers.

Quando tratamos do mundo corporativo as coisas mudam um pouco, já que as empresas cuidam de dados de toda a empresa. Diversas empresas falham em quesitos de segurança da informação, sendo os principais erros: 

  • Falta de investimento em tecnologias adequadas de segurança da informação.
  • Inexistência de rotinas de backup e/ou plano de contingência.
  • Falta de treinamento dos colaboradores da empresa quanto à segurança da informação.
  • Controle falho, ou até inexistente, de acesso a informações.
  • Não-estabelecimento de política de segurança, que deveria ser o primeiro item implementado por qualquer empresa preocupada com a segurança de seus dados.

O que é um Endpoint e como protegê-lo?

Endpoint também é conhecido como o dispositivo final, como um celular, tablet, computadores que se conecta em uma rede. Por conta de estar conectado em uma rede, eles podem ser facilmente acessados por hackers. Mas isso não significa que não é necessário prezar pela segurança dos endpoints.

Manter um endpoint seguro envolve várias práticas de segurança e estar em busca de vulnerabilidades para a correção, além de proteger o dispositivo ao máximo contra ataques. Existem também diversas ferramentas que podem auxiliar na proteção endpoints, como antivírus e VPNs, para que a segurança fique ainda mais reforçada.

10 dicas essenciais para se proteger online e no home office!

Em home office, a transformação digital nas empresas se torna ainda mais rápida e com ela crescem as ameaças, vírus e ataques de pessoas mal intencionadas. Isso porque cada dispositivo na cada de uma pessoa colaboradora que acessa o ambiente corporativo é uma porta de entrada para pessoas mal intencionadas.

Por isso, saber como deve ser feita a proteção do seu dispositivos é de grande importância. Vamos citar algumas dicas que podem te ajudar a se manter longe de ameaças a seguir. Acompanhe!

Utilize gerenciadores de senha e crie senhas difíceis

O gerenciador de senha pode ser um grande facilitador no dia a dia, ainda mais para que você não precise salvar senhas importantes em locais acessíveis para pessoas invasoras. Outro ponto importante é sempre pensar em senhas fortes, como não utilizar senhas que sejam seu nome e sobrenome, por exemplo.

Use firewalls, assinaturas digitais ou biometrias para o controle de acessos

As assinaturas digitais e biométricas fazem com que apenas pessoas autorizadas tenham acesso àquela informação, com isso optar pela utilização desse método pode fazer com que você tenha um controle de acesso mais restrito ao uso de equipamentos, seja pessoal ou da empresa. 

Além disso, investir em um bom firewall pode fazer toda a diferença levando em consideração a criação de uma barreira de defesa para malwares que trabalham com protocolo de segurança.

Tenha um antivírus seguro em seu dispositivo

Ter um bom software de antivírus instalado em sua máquina pode ser um dos principais pontos quando o assunto é proteção. Um antivírus tem a capacidade de detectar ameaças analisando todos os arquivos e sites acessados que podem ser uma ameaça.

No momento que o antivírus detecta algo, o software isola essa ameaça para que ela seja eliminada sem prejudicar o funcionamento de seu dispositivo.

Faça backup dos seus dados constantemente

Uma das formas mais importante de não correr o risco de perder seus dados facilmente, ou até mesmo não sofrer tanto impacto caso ocorra uma perda é realizar backups diariamente para que seus dados sejam enviados para um HD externo ou serviço em nuvem.

Verifique o certificado de segurança dos sites que está acessando

Verificar se um site tem o certificado de segurança é bastante importante, pois mostra que ele é seguro para a navegação. Ou seja, que existem tecnologias por trás do site, como serviço de criptografia, que dificultam o acesso às informações enviadas ao servidor. Como sempre devemos prezar pela segurança, navegar em um site com essa certificação é considerado uma boa prática.

Detecte possíveis vulnerabilidades no hardware e no software

Um dos principais erros que devem ser evitados é deixar softwares sem atualização em sua máquina, o que pode acabar gerando grandes vulnerabilidades. Além disso, é preciso tomar cuidado ao realizar o download de um software para que ele não traga vulnerabilidades ao seu dispositivo.

Opte por uma estrutura em nuvem

O compartilhamento de arquivos e informações durante o home office não pode mais ser realizado na segurança do ambiente corporativo. Por isso, optar pela contratação de um serviço em nuvem pode trazer mais praticidade e segurança no dia a dia no momento de compartilhar arquivos, já que o compartilhamento acontecerá dentro de um ambiente certificado.

Tenha regras sobre dados bem definidas

Dentro de uma empresa, as regras de negócio são indispensáveis. Com isso, configurar a permissão de acesso aos dados é algo que deve ser feito com bastante cautela, já que uma permissão errada pode gerar problemas.

Ter uma política de segurança aplicada e de amplo conhecimento das pessoas colaboradoras é essencial para que toda a empresa tome cuidado ao realizar alguma tarefa relacionada a dados.

Tenha termos de confidencialidade com os responsáveis pela área de TI

Via de regra, as pessoas que trabalham na área de TI têm acessos privilegiados aos dados da corporação. Por isso, é preciso ter termos de confidencialidade bem estabelecidos com essas pessoas para evitar vazamentos de dados e consequentes prejuízos.

Mantenha os softwares atualizados

Manter os softwares e sistema operacional de sua máquina atualizados é essencial, ainda mais quando o assunto é proteção. Durante as atualizações, as pessoas desenvolvedoras encontram possíveis vulnerabilidades e entregam na atualização a proteção necessária contra elas.

Por isso, quando há um software desatualizado, a porta para invasões está aberta. A melhor maneira de se proteger é sempre ficar de olho em notificações de atualizações recebidas ou até mesmo manter a opção de atualização automática ligada.

Redundância de sistemas é essencial

Dentro de uma empresa, prezar pela redundância de sistemas é extremamente necessário. Nesse cenário, caso ocorram falhas ou invasões, o sistema afetado será desabilitado e o secundário assumirá os processos sem que seja necessário parar toda a operação.

Como implementar as dicas acima na sua organização?

Prezar pela segurança de dados e informações nunca é demais. Com a quantidade de empresas que vem sofrendo ataques, a segurança vem se destacando nos noticiários.

Manter seu dispositivo com um bom antivírus, tomar cuidado ao acessar sites, colocar senhas fortes e realizar o backup periódico das informações pode ser o divisor de águas para proteger seus dados. Mas nenhuma dessas recomendações será eficaz para proteger toda uma empresa se apenas algumas pessoas as seguirem.

Por isso, a melhor maneira de proteger dados corporativos é promover campanhas de educação e conscientização na empresa, prezando que todas as pessoas colaboradoras sigam as melhores práticas de segurança da informação.

Quais os 12 principais tipos de ataques hacker?

Assim como a tecnologia evolui para entregar facilidades ao nosso dia a dia, muitos ataques são propiciados pelo avanços na TI e tornam-se mais frequentes. Vamos listar 10 os principais ataques hacker mais comuns a seguir. 

DDoS Attack

Bastante famoso, o ataque DDoS trata-se de tentativas de interrupção de tráfego do usuário. Com isso, a pessoa usuária que está tentando acessar um site, aplicativo, data center e até mesmo a rede corporativa não consegue seguir o processo ou tem suas informações interceptadas por pessoas mal intencionadas.

Cavalo de Troia

O Cavalo de Troia trata-se de programas que fingem ser inofensivos, mas são maliciosos. Ao realizar o download, sua máquina fica infectada ou até mesmo inutilizável. Muitas vezes um Cavalo de Troia passa despercebido, por isso é a ameaça mais utilizada por hackers.

Ransomware

O ransomware trata-se de um ataque que tem como objetivo criptografar todos os dados que se encontram na máquina. Para o resgate, os hackers costumam pedir dinheiro em troca da devolução dos dados. Esse ataque pode gerar grandes despesas para a empresa, pois via de regra a operação fica congelada até que esses dados sejam liberados.

Malware

O Malware é o termo utilizado para todos os tipos de ataque, ou seja, todo movimento invasivo que busca informações dentro do dispositivo sem que o usuário fique sabendo. 

Cryptojacking

Conhecido como um crime cibernético, o cryptojacking costuma utilizar dispositivos de pessoas para realizar a mineração de criptomoedas de forma oculta. Normalmente, é difícil reconhecê-lo, porém o dispositivo de quem sofre esse ataque começa a ficar cada vez mais lento com o tempo.

Port Scanning Attack

Tem como objetivo enviar pacotes para portas específicas em seu host em busca de portas abertas na máquina. Esse filtro que ocorre em busca da vulnerabilidade é classificado como fechado, aberto e filtrado. Ao encontrar um ponto fraco dentro do host, pode gerar grandes problemas para a empresa.

Phishing

Phishing trata-se de um crime bastante comum no mundo digital, por sua vez ele busca manipular usuários para que possam ter em mãos dados confidenciais. Geralmente esse golpe é aplicado através de links encaminhados por e-mails, SMS e até mesmo redes sociais.

Whaling

Bastante parecido com o ataque phishing, whaling costuma ir atrás de pessoas com cargo mais alto dentro de uma empresa para roubar dinheiro, ter acesso a informações confidenciais e até mesmo ao sistema.

Keylogger

O Keylogger é uma ameaça na qual o invasor consegue ter em mãos todas as teclas apertadas no teclado sem que o usuário saiba. De início, isso pode não parecer um ataque, porém ao digitar informações, como senhas de redes sociais e banco, fica fácil entender o grau de periculosidade desse ataque.

Ataques de força bruta

O ataque de força bruta é uma ameaça bastante antiga, na qual o invasor utiliza a tentativa e erro de senhas ou informações confidenciais até adivinhar a correta para criptografar chaves. Nesse ataque, o hacker costuma ficar sempre de olho no sistema para pegar as informações.

Injeção de SQL

Considerado um ataque oculto, a injeção SQL é uma modalidade na qual o invasor consegue inserir um código em determinado site para pegar informações delicadas enviadas a ele. Sendo assim, a partir do momento que o código é injetado, ele consegue ter o controle de todo o banco de dados do sistema.

Spoofing

O spoofing pode ser usado para obter acesso às informações pessoais de um alvo, espalhar um malware por meio de links ou anexos infectados, contornar os controles de acesso à rede ou redistribuir o tráfego para conduzir um ataque de negação de serviço.

Sofri um ataque hacker, o que devo fazer? 6 dicas!

Após sofrer um ataque, seja ele corporativo ou pessoal, é possível que dados sejam perdidos, bloqueados ou até mesmo vazados. Por isso, em uma empresa é de extrema importância a figura da pessoa especialista em segurança que poderá ajudar em todo esse processo, identificando a extensão dos danos após uma ameaça ser detectada. 

Caso você ou sua empresa sofram algum ataque, aqui vão 6 dicas.

1. Tente identificar a causa do ataque

É importante tentar identificar qual vulnerabilidade permitiu o ataque. Alguns dos motivos que podem ter aberto uma brecha de segurança em seu sistema são:

  • Desatualização de um software ou sistema operacional
  • Uso de redes públicas
  • Senhas fracas
  • Utilização de softwares maliciosos

2. Reduza os danos causados

Assim que identificado o ataque, tome medidas de contenção de danos para que outros dispositivos na rede não sejam prejudicados: desconectar o dispositivo infectado de qualquer rede ou servidor conectado. Se a conexão for via wireless, desative imediatamente o wi-fi do equipamento.

3. Cuidado com senhas

Um outro ponto importante a se fazer é alterar senhas de todos os serviços essenciais. Isso pode evitar com que esse ataque cause mais danos. No momento da troca de senha, sempre busque colocar senhas fortes e que não são utilizadas em outros serviços.

4. Equipamento reserva

É de grande importância ter equipamentos reserva para que a produtividade não caia após um ataque. Lembre-se sempre que uma máquina infectada pode demorar muito tempo para ser restaurada.

5. Entenda os impactos gerados nos clientes e na empresa

Geralmente quando ocorre um ataque, as empresas acabam levando algum tipo de prejuízo. Por isso, procure entender quais foram os impactos gerados para que eles possam ser analisados e mitigados. Vale lembrar que ter o backup diário dos dados permite que eles sejam recuperados mais rapidamente.

6. Não pague o resgate caso seja solicitado

Caso tenha identificado que o ataque foi um Ransomware e ocorra a solicitação do pagamento para obter seus dados de volta, a melhor opção é não pagar. Afinal, quem garante que seus dados serão devolvidos ao enviar o resgate? 

O que é a dark web e quais os riscos de acessá-la?

A dark web é bastante conhecida por ter sites que não são indexados pelo mecanismo de busca, além de só ser possível acessar através de navegadores específicos. Na dark web quase 100% desse domínio é voltado para afazeres criminosos de vários tipos.

Na maioria das vezes, fica impossível entender um determinado domínio quando se fala de dark web por conta que eles são formados por letras e números que não fazem sentido. Então, é possível que apenas pessoas que possuem credencial relacionada tenham o acesso.

Com a grande variedade de sites encontrados na dark web e por se tratar de uma parte da internet sem lei, as ameaças podem ocorrer de forma mais fácil. Afinal, não é possível saber quais sites são seguros e quais não são, então podem haver malwares espalhados por lá. 

Além disso, a violação de dados costuma ocorrer bastante dentro de dark web quando você insere um cartão de crédito para realizar uma compra, por exemplo.

O que é jailbreak e como funciona?

O jailbreak trata-se de um da verificação de vulnerabilidade dentro do sistema operacional da Apple para realizar modificações dentro do sistema e instalar aplicativos que não são encontrados dentro da loja da Apple. Um dos principais motivos que levam as pessoas a usar o jailbreak é a liberdade de customizar o aparelho do jeito que deseja.

O jailbreak é feito através do site http://www.jailbreakme.com no qual é necessário o acesso para desbloquear e iniciar o processo de instalação do software. Depois, em apenas alguns passos o usuário já terá mais liberdade em seu dispositivo.

É importante destacar que, ao utilizar o jailbreak, esse software vai desativar uma série de recursos de segurança que são fornecidos pelo sistema original da Apple, abrindo um possível caminho aberto para hackers.

O que são considerados crimes cibernéticos e como denunciá-los?

Um crime cibernético pode ser entendido por qualquer ação criminosa feita através de um dispositivo eletrônico conectado à rede que prejudique indivíduos ou patrimônios. De acordo com o Código Penal Brasileiro, ações como criação e disseminação de vírus, invasão de redes de computadores, violação de dados e até mesmo a utilização de cartão de crédito sem consentimento são considerados crimes cibernéticos.

Para denunciar um crime cibernético, reúna a maior quantidade de provas possíveis. Podem ser prints de tela, mensagens, e-mails, fotos, dentre inúmeras outras evidências possíveis. Após reuni-las, compareça a uma delegacia especializada em cibercrimes, seja ela física ou virtual, ou até mesmo no Ministério Público.

Como trabalhar com segurança da informação? 

Como o próprio nome já diz, trabalhar com segurança da informação é prezar pela proteção de todos os dados que circulam na rede corporativa. Quer saber como trabalhar nessa, que é uma das principais áreas dentro de uma empresa? Acompanhe a seguir.

O que faz um profissional de segurança da informação?

Uma pessoa profissional de segurança da informação tem como objetivo proteger todas as informações e dados que se movimentam dentro de uma empresa. Além disso, deve garantir que todos os sistemas estão longe de ameaças.

Essa é uma posição chave para as empresas e que pode garantir muitas vantagens para o negócio, já que a pessoa profissional de segurança da informação tem a responsabilidade de garantir a continuidade das operações. 

Quais as principais áreas de atuação de segurança da informação?

Por se tratar de uma área bastante ampla, um especialista de segurança da informação pode trabalhar em diversos setores. Veja algumas áreas de atuação que se destacam.

Analista de segurança da informação

Responsável por proteger dados dentro da empresa e orientar sobre boas práticas de segurança, a pessoa analista de segurança da informação também realiza a análise de todo o ambiente em busca de vulnerabilidades que podem acabar gerando prejuízos. Além disso, ajuda no desenvolvimento de toda a arquitetura de segurança da empresa.

Arquiteto de segurança da informação

A pessoa que trabalha na arquitetura de segurança da informação tem a função de buscar e criar estruturas dentro da empresa que evitem vulnerabilidades. Trata-se de um cargo alto, em que é necessário que as pessoas arquitetas consigam pensar como hackers para entender como a rede poderia ser invadida e não deixar que isso aconteça.

Além disso, o setor de arquitetura de segurança da informação tem como responsabilidade implementar toda a política dentro da empresa com as normas de segurança.

Administrador de segurança da informação

Como o próprio nome já diz, um administrador de segurança tem como função executar, instalar, implementar e elaborar projetos de segurança, além de definir todos os riscos e vulnerabilidade dentro de uma empresa. 

Quais as habilidades necessárias para trabalhar com segurança da informação?

Para se destacar na área é preciso desenvolver soft skills e hard skills. As principais são:

  • Apresentar um bom conhecimento técnico na área, ou seja entender toda a arquitetura e gerenciamento de um sistema operacional.
  • Conhecimento em linguagem de programação.
  • Domínio sobre antivírus e antimalware.
  • Estar pronto para lidar com ameaças e invasões em qualquer momento do dia.
  • Capacidade de identificar os problemas na rede.

Além de todas essas habilidades, algumas qualificações específicas são necessárias, sendo elas:

Certified Ethical Hacker

É uma qualificação que confirma que a pessoa profissional tem todos os conhecimentos necessários para “hackear” sistemas, mas que os utiliza de forma ética para realizar levantamentos e análises de vulnerabilidades dos sistemas da empresa.

Computer Hacking Forensic Investigation

Também conhecida como CHFI, trata-se de uma certificação que prepara profissionais para detectar ataques. Além disso, a CHFI busca trabalhar com evidências e técnicas para a recuperação de dados relacionados ao ataque.

Certified Information Systems Security Professional

Certificação que permite definir pontos de melhoria dentro de uma empresa como a arquitetura, a gestão e todo o controle, sempre prezando pela segurança do negócio.

Certified Chief Information Security Officer

Certificação de nível sênior que capacita profissionais de segurança da informação para garantir que todos os dados e tecnologias ativas estejam protegidas.

Como está o mercado de trabalho para segurança da informação?

Diante de todo o avanço da tecnologia e o crescimento das ameaças cibernéticas, o mercado para profissionais de segurança da informação está bastante aquecido.

Por se tratar de um ponto que pode gerar grandes preocupações dentro de uma empresa e até mesmo a queda de seu faturamento, as empresas vem dependendo cada vez mais de profissionais dessa área para manter seus dados protegidos.

Qual a média salarial?

O salário de profissionais da área de segurança da informação pode variar de acordo com diversos fatores, como o tamanho da empresa, sua localização, setor e a posição do cargo. 

Segundo uma pesquisa feita no site Vagas, uma pessoa analista de segurança de informação tem um salário médio de R$4.862, já uma pessoa arquiteta de segurança pode ganhar aproximadamente R$7.096,00.

Para crescer na carreira é de grande importância ficar em sintonia com o mercado, procurando certificações e cursos que agreguem novos conhecimentos e competências necessárias para a proteção dos sistemas corporativos.

Os 3 casos mais famosos de falha de segurança da informação!

Procter&Gamble e Unilever: em 2001, a Procter&Gamble contratou uma empresa para investigar os arquivos de sua maior concorrente, Unilever, que teve seus sistemas invadidos.

Hewllet Packard (HP): em 2005, a HP teve seus dados vazados por um diretor da empresa e decidiu investigá-lo sozinha, sendo punida pela justiça dos EUA pela investigação por meios ilegais — no caso, grampos de telefones.

Adobe: a Adobe teve registros de 152 milhões de clientes expostos por hackers em 2013, que vazaram dados bancários da empresa e de clientes.

Quais os 3 melhores filmes sobre segurança da informação?

Zero Days: estreado em 2016, o filme-documentário fala sobre o vírus Stuxnet, que causou o funcionamento anormal de equipamentos em usinas nucleares do Irã. Na mesma época do acontecimento do ataque, os funcionários que trabalhavam na usina foram assassinados. Por conta disso, o ataque provocou suspeitas de que a ideia era atrasar o processo de desenvolvimento nuclear. 

A Rede Social: lançado em 2010, conta como uma invasão à base de dados por vingança vira uma das maiores empresas do mundo, o Facebook, levando, então, Mark Zuckerberg a se tornar o jovem mais bilionário do mundo.

O Dilema das Redes: documentário da Netflix que trata de informações reais com uma mistura de fictícias e participação de diversos ex-profissionais de grandes empresas de tecnologia, como Twitter, Instagram e Facebook. O filme explica como são usados dados de usuários para análises de comportamento preditivo e uso de IA.

Conclusão

Agora que entendemos melhor o papel da segurança da informação e da segurança de TI, estamos mais cientes de quais cuidados é preciso tomar para que uma empresa se mantenha segura, longe de ameaças que possam gerar dores de cabeça.

Além de todos os cuidados que devemos ter ao inserir dados delicados em qualquer site e manter softwares sempre atualizados, adotar medidas, ferramentas de segurança e realizar a contratação de um profissional dessa área dentro da empresa é de extrema importância. Através disso, sua rede estará em constante análise e mais protegida.

Esperamos que essa leitura tenha te auxiliado a pensar como funciona o sistema de segurança de informações e como você deve agir caso sofra um ataque. Se interessou pela leitura? Você também pode conferir ataques ransomware que criptografam arquivos em poucos minutos.

1 Shares:
8 comments
Deixe um comentário
Você também pode gostar