Vivemos uma sociedade cada vez mais tecnológica e, conforme vamos percebendo, alguns problemas que já existiam há muito tempo começam a aparecer na internet, como a fraude — tecnologicamente conhecida como Spoofing.

Por existirem muitos tipos de pessoas que utilizam a internet, as pessoas aproveitadoras acabam fazendo uso de mensagens e links que são passados através de sms, e-mail, sites, etc. Dessa maneira, a vítima acaba se prejudicando e consequentemente não consegue recuperar nenhuma informação do malfeitor.

Para entendermos melhor o modo de operação e não cair em nenhum tipo de golpe de Spoofing, mostraremos tudo sobre essa técnica que já é conhecida mundialmente. Continue conosco!

O que é Spoofing?

A tradução literal de Spoofing é enganar ou falsificar. Em termos gerais, Spoofing é o ato de disfarçar uma comunicação de fonte desconhecida como sendo de uma fonte conhecida e confiável. Essa falsificação pode ser aplicada por e-mails, ligações e sites na Web. Também pode ser mais técnica, como um computador falsificando um endereço IP, protocolo de resolução de endereço (ARP) ou até um servidor de sistema de nomes de domínio (DNS).

O Spoofing pode ser usado para obter acesso às informações pessoais de um alvo, espalhar um malware por meio de links ou anexos infectados, contornar os controles de acesso à rede ou redistribuir o tráfego para conduzir um ataque de negação de serviço.

Muitas vezes, o Spoofing é a forma pela qual um malfeitor obtém acesso para executar um ataque cibernético maior, como um ataque de ameaça persistente avançada ou um ataque man-in-the-middle.

Se esses ataques forem bem-sucedidos, podem acabar deixando muitos sistemas e redes de computadores infectados, violando dados e até mesmo causando a perda de muito dinheiro, lembrando também que isso acaba afetando a reputação pública de uma empresa.

Além do mais, um spoofing pode ser adicionado para adicionar um redirecionamento do tráfego da internet para sobrecarregar as redes ou levar clientes a sites maliciosos com o objetivo de roubar informações ou distribuir malwares.

Entenda por que o Spoofing é ruim! 

Em primeiro lugar, devemos entender que o Spoofing é um crime e logicamente é algo ruim. Devemos compreender que o ato de Spoofing é tirar vantagem de alguma outra pessoa ou empresa, na maioria das vezes monetária.

Com o mundo cada vez mais veloz e dinâmico, acabamos nem reparando nas mensagens que chegam para a gente. Se olharmos para a nossa caixa de correspondência eletrônica, provavelmente encontraremos um link malicioso que nos exigirá algumas informações pessoais, como o número da conta bancária ou algum cartão de crédito, lembrando que nunca devemos enviar esse tipo de informação para nenhum site desconhecido.

Como o Spoofing acontece e quais os principais tipos?

Como já comentamos, o termo Spoofing data de mais de um século e refere-se a qualquer forma de trapaça. No entanto, hoje em dia ele é usado principalmente para falar sobre crimes cibernéticos. Sempre que um golpista disfarça sua identidade como uma outra pessoa, isso é spoofing.

O spoofing pode ser aplicado a vários canais de comunicação e envolve diferentes níveis de conhecimento técnico. Para obter sucesso, o ataque de falsificação deve incorporar um certo nível de engenharia social. Isso significa que os métodos que as pessoas golpistas usam são capazes de enganar efetivamente suas vítimas para que forneçam suas informações pessoais. Sobretudo, as pessoas malfeitoras utilizam a engenharia social para explorar características humanas vulneráveis, como a ganância, medo e ingenuidade.

Um exemplo desse tipo de engenharia social é quando o golpista depende dos sentimentos de medo de uma vítima na tentativa de obter informações ou dinheiro.

O golpe dos netos, por exemplo, é quando um golpista pretende ser um membro da família e alegadamente afirma que está com problemas financeiros e precisa de dinheiro o mais rápido possível. Nesse caso, os golpistas costumam ter como alvo os idosos, devido à noção preconcebida de que os idosos têm menos conhecimento de tecnologia.

  1. Spoofing de e-mail/ligações e sms

Certamente é um dos mais comuns atualmente, mas não quer dizer que as pessoas não caiam. Nesse método, tais pessoas enviam e-mail, ligações e sms falsos se fazendo passar por uma empresa.

Normalmente, o tom utilizado para abordar a vítima será muito mais ofensivo e direto, com o objetivo de colocar pressão na vítima para que ela tome decisões mais rápidas sem ao menos realmente pensar se ela deveria receber esse tipo de e-mail.

  1. Spoofing de DNS

Os servidores DNS entendem e transformam as URLS e os endereços de e-mail para os endereços IP correspondentes. Nesse tipo de fraude, a falsificação de DNS permite que os invasores desviem o tráfego para um endereço IP diferente, redirecionando as vítimas para sites que espalham malware.

  1. Spoofing em site

O spoofing de um site se refere a quando um site é projetado para imitar um site existente conhecido e/ou confiável pela pessoa usuária. Isso é, o site é construído utilizando um código HTML, CSS e Javascript totalmente do zero.

As pessoas invasoras usam esses sites para obter login e outras informações pessoais do usuário.

  1. Spoofing ID

Nesse método, temos uma ação que clona um telefone para acessar as contas e redes sociais das vítimas. Nesse caso, esse golpe pode ser utilziado para evitar algum sistema de autenticação de dois fatores e a vítima pode acabar perdendo até mesmo o acesso à suas redes sociais.

  1. Spoofing de IP

Quando uma pessoa golpista tem como objetivo ocultar a localização de onde está enviando ou solicitando dados online, ele geralmente utiliza o spoofing de IP. O objetivo da falsificação de IP é induzir um computador a pensar que as informações enviadas a um usuário são uma fonte confiável e acaba permitindo a passagem de conteúdo malicioso.

Quais as diferenças entre Spoofing e Phishing?

Para começar, os golpes de phishing atraem vítimas como uma isca (com e-mails falsos) e fazem com que eles forneçam dados pessoais sigilosos que na maioria das vezes é usado para o roubo de identidade.

Como acabamos de ver, existem vários tipos de spoofing. Spoofing de e-mail e phishing são muito parecidos e muitas vezes são usados juntos. Já o Spoofing no nível de DNS ou endereço IP é totalmente diferente do phishing, pois acaba envolvendo meios técnicos para enganar um computador ou uma rede.

Os ataques de spoofing criam uma aparência de que as comunicações da pessoa cibercriminosa vêm de uma fonte confiável. A meta do phishing é iludir as vítimas para relevar as suas informações pessoais sigilosas, dessa maneira, muitos phishers utilizam o spoofing para ajudar a enganar as suas vítimas, aumentando a credibilidade do seu e-mail, por exemplo.

Uma das técnicas que os phishers utilizam é o envio desenfreado de seus e-mail fraudulentos em massa para o maior número de alvos possível, sem se dar ao trabalho de fingir que são realmente uma fonte confiável. Por causa disso, muitos desses e-mail acabam na pasta spam de nossos e-mails.

Outros casos têm sido um pouco mais inteligentes ao utilizar o spoofing para deixar o a mensagem cada vez mais verossímil e aumentar as chances de sucesso na operação.

Como se proteger do Spoofing? 10 dicas essenciais!

Temos algumas dicas e conselhos para você não cair no Spoofing:

O que fazerO que não fazer
Ativar o filtro de spam na sua caixa de correioClicar em links desconhecidos
Sempre atentar pela não utilização da norma gramatical culta;Responder chamadas ou e-mail de contatos desconhecidos
Passe o mouse em cima do link, para saber qual a url, antes de clicarEnviar as suas informações pessoais para fontes não familiares
Confirme as informações com a fonte real. Se o assunto for bancário, ligue ou mande uma mensagem para o seu banco.Usar a mesma senha em várias contas
Adicione a autenticação por dois fatores
Baixe algum aplicativo de cibersegurança

Há muitas coisas que você pode fazer para se proteger contra ataques de spoofing. Fique um passo à frente de golpistas com as coisas que devemos ou não fazer:

Detalhe sobre o que fazer:

  • Ativar o filtro de spam: Isso impedirá que a maioria dos e-mails falsificados cheguem à sua caixa de entrada.
  • Sempre olhe a gramática: Se o possível ataque de spoofing conter sinais de gramática inadequada ou estrutura em frases estranhas, desconfie. Além disso, sempre verifique o link no qual você está sendo redirecionado.
  • Confirme as informações: Se um e-mail ou ligação parecer suspeito, envie uma mensagem ou ligue para o remetente para confirmar se a informação que você recebeu é legítima ou não.
  • Configure a autenticação de dois fatores: Com essa configuração adicionaremos mais uma camada de segurança nas nossas senhas. No entanto, não é totalmente à prova de falhas, então certifique-se de considerar outras precauções também.
  • Baixe algum aplicativo de cibersegurança: Instale algum software de segurança cibernética, dessa maneira você irá se proteger ainda mais de golpistas online. Se você tiver algum problema, baixe algum removedor de malware ou algum antivírus.

Detalhe sobre o que não fazer:

  • Não clique em links ou download desconhecidos: Se um link ou arquivo de download não parecer legítimo, evite o seu clique. Se forem de um invasor, geralmente conterão malware ou algum outro vírus que pode infectar o seu computador.
  • Não responda a e-mails ou chamadas de remetentes não reconhecidos: Se o remetente estiver irreconhecível, não atenda as chamadas ou o e-mail, isso pode ajudar a prevenir qualquer comunicação com um potencial golpista.
  • Não forneça informações pessoais: Evite mandar qualquer tipo de informações pessoais e privadas, como o número do cartão de crédito, por exemplo, a menos que você tenha certeza de que é uma fonte confiável.
  • Não utilize a mesma senha: Crie senhas mais fortes para os seus logins, tornando a vida dos golpistas mais difíceis. Troque-as com frequência, além disso, evite utilizar a mesma senha para a maioria dos seus logins.

Desde os tempos mais antigos sempre existiu algum tipo de crime e o mais antigo deles provavelmente é o de enganar outras pessoas. Dessa forma, com a tecnologia crescendo a cada dia que passa, os ataques de spoofing acabam ficando cada vez mais corriqueiros e isso é algo realmente ruim.

Se nos depararmos com algum link ou chamada desconhecida, a principal ação que devemos tomar é a de não responder, e além disso precisamos bloquear e denunciar como spam. Existem muitas outras técnicas e ações que podemos tomar no nosso cotidiano para não cairmos em pequenos golpes que geralmente utilizam alguma fraqueza pessoal. Se você chegou até aqui, parabéns e muito obrigado por ler o nosso artigo sobre o spoofing.

Se ficou interessado nesses tipos de ataque, leia um pouco sobre o Keylogger: o que é e como se proteger de um ataque?

Deixe um comentário
Você também pode gostar