Você sabe qual é o melhor DNS do mundo? Ele é uma ferramenta fundamental para o bom funcionamento da internet. Graças a eles qualquer pessoa usuária da web conseguem acessar páginas facilmente, com mais segurança, agilidade e privacidade.

Apesar de toda operadora ter o seu próprio servidor, é comum que pessoas avançadas adotem soluções personalizadas. Elas podem ajudar a reduzir o tempo de acesso a recursos ou até mesmo dar mais privacidade para a sua navegação. Por isso, saber qual o melhor DNS do mundo (ou para as suas necessidades) é fundamental.

Para ajudar você, preparamos o post a seguir. Nele você aprenderá:

Boa leitura!

O que é DNS?

DNS, sigla para Domain Name System (ou Sistema de Nome de Domínio, em português), é um tipo de servidor utilizado para a navegação web. Ele contém um banco de dados atualizado continuamente que vincula o domínio de páginas web aos servidores em que elas estão hospedadas. Isso permite que o acesso a recursos seja feito com mais agilidade e segurança.

O trabalho desse servidor é “traduzir” o endereço digitado por uma pessoa no navegador para o número de IP correspondente ao servidor em que o site está localizado. Isso torna o nosso uso da web muito mais simples: em vez de digitar um endereço de IP para acessar este blog, por exemplo, basta inserir o nosso domínio que ele executa todo o trabalho restante.

O que é um servidor?

Um servidor nada mais é do que um computador que está equipado com um ou mais processadores, aliado a bancos de memória, portas de comunicação, softwares e, em alguns casos, armazenamento de dados. É comum que eles utilizem hard disks internos ou memórias SSD para armazenar arquivos.

Dentro do assunto, também é possível definir o servidor como um recurso localizado na parte interna de um sistema computacional mais avantajado, com capacidade de processar aplicações, bem como prestar serviços e realizar o armazenamento de dados. Os sistemas podem ser tanto físicos quanto virtuais e estarem instalados em um local ou de forma remota.

Além de tudo isso, os servidores são capazes de executar um conjunto bem específico de programas ou determinados protocolos. Isso serve para que eles forneçam serviços para outras máquinas e, também, para clientes. Existem até mesmo servidores inteiramente dedicados a executar aplicações e serviços dentro da rede LAN ou WAN.

Como o servidor DNS funciona? Aprenda nesse diagrama!

Qualquer tipo de máquina que possa ter acesso a internet, desde smartphones a notebooks ou servidores com capacidade de distribuição de conteúdo para websites amplos de comércio, podem se comunicar entre si por meio de números. Esses números são chamados de “endereços IP”.

Quando um determinado navegador é aberto e uma página na internet é acessada, não será necessário que você precise lembrar de um número extenso, muito menos digitá-lo. No lugar disso, basta informar um nome específico para o domínio. O servidor DNS atua fazendo o contrário: transformando os endereços legíveis em sequências numéricas.

De uma forma geral, esse tipo servidor funciona da seguinte forma:

  • A pessoa abre o seu navegador e digita um endereço. Depois, ela aperta “enter”;
  • Em seguida, essa solicitação é direcionada para um determinado resolvedor DNS que, na maior parte dos casos, é gerenciado pelo Provedor de Serviço de Internet (tradução livre para ISP);
  • Pouco depois, o resolvedor DNS do ISP acaba por encaminhar a solicitação que sairá do endereço da web para um serviço de nome raiz DNS;
  • Esse resolvedor encaminhará, mais uma vez, a solicitação do endereço da web para um servidor de nome TLD dos domínios “.com”;
  • O resolvedor DNS do ISP escolherá um determinado servidor e vai encaminhar o endereço web para um servidor de mesmo nome;
  • O primeiro servidor da web procurará, dentro de uma hosted zone, o endereço inserido pelo registro. Assim, poderá obter um valor associado, como o endereço IP de um dos servidores da web e retornará o endereço para o resolvedor DNS;
  • No fim da operação, o resolvedor DNS interligado ao ISP obterá o endereço IP necessário. Nesse processo, o resolvedor retorna o valor para o navegador. Esse resolvedor também vai armazenar o IP em cache por um período especificado;
  • Dessa forma, o navegador será capaz de enviar uma solicitação do endereço da web para o endereço IP que conseguiu obter por meio do resolvedor DNS;
  • O servidor da web, ou qualquer outro recurso utilizado, será capaz de retornar a página para o seu navegador que, dessa forma, poderá exibir a página e suas respectivas informações.
Diagrama sobre DNS

Por que é importante utilizar um DNS personalizado?

O ideal para uma pessoa que utiliza a web, seja para aprender programação ou qualquer outra atividade é trocar o seu serviço de DNS.

O mercado de tecnologia evoluiu nos últimos anos e hoje em dia várias empresas fornecem soluções de Domain Name System gratuitas. Elas são moldadas para auxiliar pessoas a navegarem na web com mais segurança, qualidade e flexibilidade.

Os benefícios para utilizar um servidor personalizado são variados. Entre os mais importantes, nós podemos destacar:

  • mais agilidade — a latência de servidores próprios pode ser menor do que o da sua operadora;
  • mais disponibilidade — grandes serviços de Domain Name System replicam a sua infraestrutura para garantir alta disponibilidade;
  • mais privacidade — um servidor próprio reduz a quantidade de dados que a sua operadora tem acesso;
  • mais segurança — servidores personalizados podem ter recursos de proteção avançados, como controle parental e relatórios de uso.

Qual o melhor servidor DNS do mundo?

Quando você buscar um servidor Domain Name System personalizado, a melhor escolha será sempre aquela que se alinha melhor com o seu perfil. Há opções que focam em privacidade e outras que são pautadas pela agilidade na entrega dos dados. Também existem aqueles mantidos por grandes empresas, que conseguem dar mais garantia de uso a médio e longo prazo.

Entre os 5 melhores servidores DNS do mundo, nós podemos apontar:

  1. Open DNS (servidores com IPS 208.67.222.222 e 208.67.220.220);
  2. Google DNS (servidores 8.8.8.8 e 8.8.4.4);
  3. Cloudfare DNS (servidores 1.1.1.1 e 1.0.0.1);
  4. Quad 9 DNS (servidores 9.9.9.9 e 149.112.112.112);
  5. Comodo DNS (servidores 8.26.56.26 e 8.20.247.20).

Serviços como os do Google e do Cloudfare têm como vantagem o uso da infraestrutura de grandes empresas de tecnologia. Já o Open DNS permite a pessoas cadastradas utilizar recursos de controle avançados. Por outro lado, o Quad 9 e o Comodo são reconhecidos pela sua segurança e privacidade.

DNS autoritativo vs DNS recursivo: quais as diferenças?

O DNS autoritativo é aquele que tem uma maior autoridade para entregar informações de um determinado domínio. Dessa forma, podem ser considerados servidores configurados para quando há uma atribuição de DNS a um domínio específico.

Já o DNS recursivo é aquele que transita entre o DNS dos ISPs, fazendo com que o cache de todas as consultas feitas e os endereços IPS correspondentes para cada um dos domínios utilizados sejam mantidos em uma máquina e facilmente reconhecidos.

De uma forma geral, a principal diferença entre ambos está diretamente ligada a sua amplitude. Enquanto o autoritativo é mais voltado para um único agrupamento, o recursivo é mais abrangente e transita entre vários ISPs.

Quais os tipos de servidor DNS? Saiba qual escolher!

São muitos os tipos de servidor DNS e é necessário escolhê-los bem. Algumas características podem ser verdadeiras facilitadoras na hora da decisão. De maneira geral, os principais tipos de servidor são:

  • CNAME;
  • DNAME;
  • LOC;
  • MX;
  • A;
  • AAAA;
  • AFSDB;
  • TXT.

Cada um deles tem as suas especificidades e devem ser corretamente adaptados ao tipo de função que exercerão. Dessa forma, a conexão com a web poderá ser estabelecida de maneira ágil, segura e inteiramente capaz de realizar conexões entre um desses servidores e a sua máquina.

DNS padrão ou DNS de terceiros?

Quando um usuário ou usuária possui um serviço de internet, o provedor de serviços da web, também conhecido como ISP, oferece um DNS padrão utilizado para conectar a rede à web. O ideal é escolher o padrão, visto que o de terceiros poderá realizar a mesma tarefa, mas será mais difícil atribuir uma conexão para indivíduos ou famílias em específico.

Por isso, o padrão é, normalmente, mais recomendado, principalmente por causa da facilidade das suas configurações.

DNS gratuito ou DNS pago? 

É evidente que há uma diferença financeira entre ambas as opções, mas, ainda assim, as opções gratuitas oferecem menos recursos. Um DNS pago poderá oferecer uma segurança mais avançada e um melhor desempenho, assim como um suporte mais completo. No entanto, de forma geral, o gratuito também poderá oferecer boas funcionalidades.

Ainda assim, se for possível pagar por um serviço desse porte, é importante investir. Garantir maior privacidade e, também, segurança para os seus dados é fundamental, principalmente para aqueles que possuem o hábito de acessar páginas na web.

DNS público ou DNS privado?

O DNS público está disponível para a maior parte da população e, em sua maioria, será entregue do seu provedor de servidor de internet ou por meio de um provedor dedicado. No entanto, o privado é comumente utilizado por empresas

Sendo assim, o público deve ser usado em casa e o privado no trabalho, garantindo maiores chances de conectividade e, ainda por cima, trazendo mais segurança para as informações decodificadas do seu equipamento.

De uma forma geral, utilizar o personalizado é a melhor opção entre todas. Por meio dele, é possível obter maior agilidade nos processos, maior disponibilidade, mais privacidade e, ainda por cima, segurança para manter as suas informações protegidas.

Por isso, é importante escolher um dos melhores servidores DNS para manter as suas informações em total sigilo e ainda garantir uma boa conectividade com a internet. Sendo assim, mude as configurações da sua rede para se adaptar às facilidades.

Gostou da dica? Então confira outros conteúdos sobre tecnologia.

0 Shares:
Você também pode gostar