A área de desenvolvimento web oferece diversas possibilidades de atuação e conta com diferentes níveis em sua faixa salarial. De acordo com o Guia Salarial 2022, elaborado pela Robert Half, uma das carreiras de destaque em tecnologia é a da pessoa desenvolvedora.

Segundo o levantamento, o valor do salário varia de R$ 3.100,00 — para o cargo de Desenvolvedor Front-End ou Back-End Júnior — à R$ 15.750,00 — para o cargo de Desenvolvedor Front-End Sênior. Portanto, essa é uma carreira promissora e com diferentes alternativas de atuação.

Para que você conheça um pouco mais sobre as oportunidades dessa carreira, fizemos este post em que vamos mostrar:

Boa leitura!

O que é Desenvolvimento Web?

Basicamente, desenvolvimento web significa codificar páginas para a internet. No entanto, essa tarefa vai além da utilização de HTML e CSS, as ferramentas básicas para a criação de uma página estática — que apresenta informações que só podem ser modificadas com a edição do código fonte.

Ao contrário, as páginas em um site podem ser dinâmicas. Isso significa que o conteúdo exibido pode ser alterado sem a interferência no código fonte. Para que isso seja possível, as partes dinâmicas do site ficam armazenadas em um banco de dados, que é acessado sempre que for necessário recuperar esse conteúdo.

Essa característica permite o desenvolvimento de aplicações complexas, que utilizam regras de negócios, APIsApplication Programming Interface — e muito mais. Portanto, existe uma divisão nas atividades voltadas ao desenvolvimento para web, a codificação do lado cliente (front-end) e a do lado do servidor (back-end).

banner para download de guia das profissões digitais 2022

O que é um website?

Quando falamos sobre website, podemos notar que este termo se trata da junção de duas palavras em inglês: “web”, que significa rede e faz referência a rede mundial de computadores, e “site”, que quer dizer lugar. Nesse sentido, um website ou site é um local que pode ser acessado na internet, por meio de uma URL, e possui um conjunto de páginas programadas em alguma linguagem

Para entendermos melhor sobre esse assunto, vamos a um exemplo: quando você digita em seu navegador de internet o endereço blog.betrybe.com para acessar o blog da Trybe, o navegador vai buscar onde este site está localizado na internet. Em seguida, será feita uma requisição ao servidor. 

Nesse servidor estão armazenados todos os arquivos de texto, imagem e estilo que compõem a página web. Então, o servidor devolverá este conjunto de documentos ao navegador para que ele possa exibir o conteúdo como você vê em sua tela. 

Os websites podem apresentar variadas formas e conteúdos. Entre algumas das opções, estão: as lojas virtuais, como Mercado Livre e Amazon, onde a compra e venda de produtos pode ser feita; os sites institucionais e portfólios, usados por empresas e pessoas para se apresentarem e serem encontradas por clientes; e os blogs, como este que você lê. 

Além disso, os sites também podem ser classificados em estáticos ou dinâmicos. Os sites estáticos são desenvolvidos utilizando, de modo geral, HTML, CSS e JavaScript. Seu conteúdo é mais simples e não há interação com uma base de dados.   

Já os sites dinâmicos, além de usufruírem do HTML, CSS e JavaScript, também utilizam linguagens de programação mais robustas, como PHP. Estes sites possuem funcionalidades conectadas a um banco de dados. Dessa forma, cada página acessada pode trazer dados específicos.  

Principais linguagens usadas no Desenvolvimento Web

Existe uma grande variedade de linguagens de programação e muitas podem ser utilizadas para o desenvolvimento de aplicações web ou para a construção de APIs. Confira algumas delas a seguir.

Java

Java é uma linguagem de programação para o desenvolvimento de aplicações desktop, aplicativos mobile e que também pode ser utilizada em aplicações web.

JavaScript

O JavaScript é uma linguagem de programação interpretada utilizada no front-end da aplicação web. Ele permite a manipulação de diversos elementos da página, o que possibilita torná-la interativa e melhorar a experiência da pessoa usuária do site.

C

A linguagem C oferece inúmeras possibilidades de desenvolvimento, inclusive o de sistemas operacionais. Ela também pode ser utilizada para o desenvolvimento de jogos, sistemas embarcados e equipamentos industriais.

C++

O C++ é uma linguagem voltada para o desenvolvimento de programas para desktop e utiliza o paradigma de programação orientada a objetos.

Python

O Python é uma linguagem multiplataforma e multiparadigma, o que significa que é possível programar com a utilização de diferentes metodologias, como a programação orientada a objetos, funcional, imperativa ou procedural. Ela também pode ser utilizada para diferentes finalidades, entre elas Machine Learning, aplicações web e mobile.

Objective-C

O Objective-C é uma linguagem que permite o desenvolvimento de aplicações para a plataforma iOS, da Apple. Entre as suas possibilidades está a do desenvolvimento de aplicativos mobile web, que utilizam o navegador para exibir a página, mas tem a aparência de um aplicativo mobile.

Vale dizer que ainda existem muitos tipos de linguagens de programação para o desenvolvimento de aplicações web, entre elas PHP, C#, além de frameworks que oferecem uma série de funcionalidades que facilitam o desenvolvimento, como o Angular, jQuery, React.js e muito mais.

Ruby

Ruby é uma linguagem de script que vem se tornando bastante atrativa, em virtude de sua aprendizagem rápida e sua similaridade com Python. Essa linguagem é interpretada e multiplataforma, podendo ser utilizada tanto no back-end quanto no front-end para criação de sites, graças ao seu framework Ruby on Rails.

HTML e CSS

Por fim, e não menos importante que as anteriores, o Hypertext Markup Language (HTML) e o Cascading Style Sheets (CSS) costumam andar juntos e compõem grande parte dos websites hoje existentes.

Tendo isso em vista, é importante deixar explícito que o HTML não se trata de uma linguagem de programação e sim de uma linguagem de marcação. Sua principal função é indicar aos navegadores onde um site começa e termina, quais são seus links e para onde eles vão, em quais partes existem imagens, entre outros. Em suma, o HTML marca a estrutura de um website

Já o CSS é responsável por adicionar estilo à estrutura criada pelo HTML. Sua função é tornar as páginas web visualmente agradáveis às pessoas utilizadoras, além de possibilitar diferentes layouts para cada site. 

Quais as vantagens dos sistemas web?

Diversos fatores contribuem para que as empresas prefiram investir em uma aplicação web. Uma delas é a redução no investimento com a infraestrutura necessária para a utilização de aplicações locais, em que há o custo com licenças de softwares, além das despesas com o hardware necessário.

Outro fator é a facilidade de acesso às aplicações web, que podem ser utilizadas em diferentes locais e tipos de dispositivos. Há também a facilidade de integração com outros sistemas, o que permite ampliar as funcionalidades do sistema.

Quando há a necessidade de implementar atualizações na aplicação, elas não precisam ser feitas em cada uma das máquinas que utilizam o programa, pois não há a necessidade de cada pessoa usuária fazer a instalação. Isso porque as atualizações são centralizadas na aplicação e refletem automaticamente para todas as pessoas que a utilizam.

Quais as diferenças entre Web Design e Web Development?

À primeira vista, Web Design e Web Development podem parecer semelhantes. Entretanto, cada área utiliza conhecimentos e habilidades específicas. A área de Web Design atua ainda na fase de planejamento do website. Suas funções estão relacionadas ao design e criação da identidade visual do site. 

Portanto, a pessoa que trabalha como Web Designer será responsável por definir o conceito de cada tela do website, suas cores, fontes e formatos. Já a área de Web Development, utiliza linguagens de programação para realizar a construção de sites, aplicações web e softwares na internet. Sua função é codificar o layout elaborado pela área de Web Design.

A pessoa que trabalha com Web Design também pode entender de programação e realizar a construção e manutenção de websites, mas não necessariamente o faz. Do mesmo modo, a pessoa desenvolvedora web, que atua no front-end, também pode elaborar a identidade visual de um site, mas isso também não é um requisito obrigatório. 

Entenda o passo a passo do desenvolvimento web!

Assim como para construir uma casa ou fazer uma viagem são necessárias etapas, para o desenvolvimento web não é diferente. Dessa forma, confira a seguir o passo a passo realizado para a criação de um website.

Planejamento

O planejamento é essencial para o bom desenvolvimento de um website e o cumprimento do prazo de entrega. Assim, nessa fase são definidos o público-alvo do site e qual será seu conteúdo. Bem como, é imprescindível definir quais tecnologias melhor atenderão o projeto e se haverá ou não integração com outras ferramentas, como os formulários do Google, por exemplo.

Hora de desenvolver o protótipo!

Uma vez com o planejamento definido, é dado o momento de criar o layout para cada uma das telas do website e o caminho de navegação entre elas. Esta etapa é chamada de prototipação ou protótipo. Nessa fase, ficam visíveis as cores, fontes e formas que vão compor a identidade visual do projeto.

Para a elaboração do protótipo, podem ser utilizadas desde ferramentas mais robustas até as mais simples. Geralmente, softwares como Figma e Adobe oferecem maiores recursos. Já outros como o Balsamiq são ideais para criação de esboços menos detalhados.

Durante o desenvolvimento do layout, leve em consideração a experiência da pessoa usuária. Por isso, torne a navegação entre as telas o mais intuitiva e simples possível. Outro ponto relevante é sobre a quantidade de informações, textos e imagens, colocar elementos demais pode tornar o site lento e confuso. Segundo o Google, o tempo de carregamento ideal de uma página web é de até 3 segundos.

Desenvolvimento do código

Essa fase apenas se inicia após a finalização do protótipo, que indicará o que cada página do website deverá conter. Tendo isso em vista, entra em cena o papel das pessoas desenvolvedoras web. Elas vão transformar o layout criado em código. Essa parte será de responsabilidade do front-end.

Caso o site seja dinâmico e acesse um banco de dados, também será necessário a participação de pessoas desenvolvedoras back-end ou full stack, para criar estas funcionalidades. Quando back-end e front-end estiverem prontos, será realizada a integração entre ambas as partes.

Testes e mais testes!

Antes de um site ser lançado é importante verificar se não há erros de usabilidade, que são inconsistências que podem atrapalhar a navegação da pessoa usuária entre as páginas, e erros de programação, que podem quebrar o código e até tirar seu site do ar. 

Os testes podem ser feitos localmente ou em produção. Testes locais são realizados diretamente na versão do site que roda apenas na máquina onde seu código está sendo executado. 

Já para os testes em produção, é necessário que o código do website esteja hospedado em um servidor e então possa ser acessado através de uma URL, pelo navegador de internet. O feedback de ambos os tipos de testes é fundamental para a realização de correções.

Lançamento!

Assim que as correções forem aplicadas, o website poderá ser lançado e estará disponível ao público em geral. Caso ferramentas de análise tenham sido aplicadas, como Google Analytics, será possível obter métricas e verificar o comportamento das pessoas que o acessarem. Com o tempo, o código precisará de manutenção, tanto para corrigir vulnerabilidades quanto para adicionar novas funcionalidades.

O que faz uma pessoa Desenvolvedora Web?

Como dito anteriormente, o desenvolvimento web pode ser dividido em duas partes principais: o front-end e o back-end. Além disso, também há o desenvolvimento web full stack, que se trata da junção de ambas as áreas. A seguir, vamos abordar melhor cada uma delas.

Desenvolvedor web front-end 

O front-end é voltado para a construção visual do site, ou a interface que dialoga com a pessoa usuária da aplicação. O foco das aplicações front-end são os elementos das páginas e as melhores formas de interação. 

Portanto, o papel da pessoa desenvolvedora web front-end é tratar as informações trazidas do back-end e apresentá-las para quem as utilizam. Também é importante saber que existe a área de Web Design, que pode parecer semelhante ao desenvolvimento web front-end.

Entretanto, o Web Design é responsável por definir as telas e fazer com que a aplicação tenha usabilidade, tornando-a simples e intuitiva, ainda na fase de planejamento do site. Já o desenvolvimento web front-end será responsável por transformar esse layout em páginas codificadas, utilizando HTML, CSS e JavaScript, por exemplo.

Desenvolvedor web back-end

Já no desenvolvimento web back-end, as funções são voltadas às regras de negócio. As pessoas que atuam na área são responsáveis por executar as operações no banco de dados, ou seja, incluir, excluir e alterar os registros no sistema. As operações back-end também podem ser feitas com o uso de interfaces ou APIs, e a interação com elas faz parte das tarefas da pessoa desenvolvedora back-end.

E o desenvolvedor web full stack?

A pessoa desenvolvedora web full stack possui as habilidades e conhecimentos necessários para atuar tanto no front-end quanto no back-end. Por isso, este cargo é altamente requisitado pelas empresas, por se tratar de uma peça chave na equipe, que pode auxiliar em ambas as frentes de desenvolvimento.

Como trabalhar com desenvolvimento web? 

O desenvolvimento web é uma área promissora e multifacetada com inúmeros cursos disponíveis e vagas para atuação. Se você possui interesse em ingressar nessa carreira, acompanhe, a seguir, os principais pontos sobre o assunto.

Quais as habilidades necessárias para trabalhar com desenvolvimento web?

Quanto às habilidades necessárias para trabalhar com desenvolvimento web, tudo dependerá da área que você pretende seguir. Para o desenvolvimento web front-end, é imprescindível conhecer HTML, CSS e JavaScript, pois são a base da grande maioria dos sites existentes. 

Com o tempo, dê uma olhada em frameworks, que são pacotes de códigos prontos, como React Js e Angular, que aceleram o desenvolvimento. Conhecer lógica, o básico do funcionamento de banco de dados e APIs também será de grande valia para o mercado de trabalho e para você ter noção sobre as integrações entre front-end e back-end.

No que diz respeito ao back-end, saber lógica de programação, banco de dados e o básico sobre servidores é fundamental. Isso porque você vai programar funcionalidades mais complexas. Além disso, estude linguagens de programação como PHP, Ruby, Python e Java, comumente utilizadas para construir essas funcionalidades. Também não deixe de lado os frameworks dessa área.

Agora, se você deseja ser uma pessoa desenvolvedora web full stack, isso exigirá mais tempo de estudo e dedicação. Isso porque para atuar como full stack será necessário ter conhecimento das habilidades necessárias tanto no front-end quanto no back-end.

Caso ainda tenha dúvidas sobre qual área seguir ou quais habilidades aprender primeiro, busque por uma pessoa experiente no desenvolvimento web. O LinkedIn é uma ótima rede social para fazer network e trocar ideias com pessoas que terão o prazer de compartilhar suas experiências. 

Como está o mercado de trabalho para desenvolvimento web?

O mercado de trabalho para desenvolvimento web está aquecido. A necessidade de informatizar processos manuais e o crescimento de modelos de negócio que dependem da internet para funcionar, como é o caso dos serviços de streaming, têm feito com que a demanda por pessoas do ramo seja sempre contínua.

Além disso, as oportunidades não estão apenas nas empresas privadas. Há também muito espaço para trabalhos autônomos. Outro ponto é a quantidade de cursos e qualificações disponíveis sobre desenvolvimento web. Isso tem aumentado as oportunidades de ingresso nessa área e as chances de conseguir vagas com remunerações melhores.  

Quais as vantagens de trabalhar com desenvolvimento web?

Como dito anteriormente, o mercado de desenvolvimento web está aquecido. Dessa forma, a alta demanda por pessoas da área têm valorizado os salários. Bem como, nos últimos anos, a demanda pela informatização de processos e a chegada de novos modelos de negócio, que operam 100% online, tem ampliado o número de vagas disponíveis no ramo.

Neste aspecto, também não podemos deixar de considerar que, em um futuro não tão distante, o Metaverso, um universo interativo totalmente dentro da internet, abrirá portas para diversas oportunidades ainda inimagináveis para o desenvolvimento web.

Entretanto, as vantagens não param por aí. Trabalhar nessa área não exige a presença física em um escritório, já que as atividades podem ser realizadas a partir de um computador conectado à internet. Por isso, muitas empresas têm adotado modelos de trabalho remoto e com horários flexíveis. Assim, você pode curtir uma praia sem deixar de programar.

Outro ponto a ser considerado é a melhoria contínua. Nesse ramo, você pode aperfeiçoar suas habilidades diariamente, já que as tecnologias utilizadas estão sempre apresentando inovações. Além disso, com alguma prática em inglês, é possível alcançar vagas em níveis internacionais.

Por fim, podemos falar das inúmeras possibilidades de renda extra. Sendo assim, se você possui conhecimento suficiente em uma linguagem de programação, pode pensar em compartilhar suas experiências em curso ou em um livro. Escrever para um blog ou realizar atividades freelancer também são boas opções. 

Qual a média salarial?

O salário na área de desenvolvimento web pode variar de acordo com o regime contratual (CLT, PJ ou Freelancer), o nível de experiência (Júnior, Pleno e Sênior) e o nicho de atuação (Front-end, Back-end ou Full Stack). 

Em média, uma pessoa desenvolvedora web júnior pode ganhar até 4 mil reais, dependendo da empresa em que estiver contratada. Já uma pessoa em nível pleno ou sênior pode chegar a ter um salário entre 9 a 15 mil reais

Geralmente, profissionais que trabalham com desenvolvimento back-end e full stack tendem a ter faixas salariais maiores se comparados aos que atuam com front-end. Isso se deve ao número maior de responsabilidades e complexidade das funcionalidades desenvolvidas. Apesar disso, o desenvolvimento web é uma área que possibilita realizar projetos freelancer paralelos ao trabalho principal, o que permite elevar os ganhos mensais.

8 dicas para começar sua carreira na área!

Com tantas opções para escolher, é comum haver dúvidas sobre qual é o melhor caminho a seguir. Por isso, confira a seguir algumas dicas para dar início nessa carreira.

1. Defina o seu objetivo

Ter conhecimento em tudo é tentador. Entretanto, é preciso definir um objetivo para criar uma trilha de aprendizado de sucesso. Assim, será possível alcançar o conhecimento necessário com o foco bem definido. Um bom caminho é iniciar os estudos pelo básico, como aprender lógica de programação, um fator essencial para o avanço na jornada!

2. Não pule etapas

Com tantos frameworks e linguagens de programação existentes, é comum a vontade de aprender várias opções. Entretanto, é preciso ter cuidado para não pular etapas, pois aprender um conteúdo mais avançado antes de adquirir o conhecimento básico dificulta o processo de aprendizado.

Se o objetivo for aprender front-end, por exemplo, é preciso conhecer as linguagens e ferramentas iniciais indicadas para essa finalidade, como HTML, CSS e JavaScript. Conforme a evolução do conhecimento, aumente o nível do aprendizado com a utilização de novas linguagens ou frameworks, como o Bootstrap e Angular.

3. Estude sempre

A tecnologia está sempre em evolução e isso inclui as ferramentas para o desenvolvimento web. Por isso, é importante pesquisar sobre as novas tendências para conhecer as novidades da área, além de estudar com mais profundidade as que mais fizerem sentido para a sua carreira.

Além disso, quando o assunto é programação, é sempre importante buscar por cursos de qualidade, que possuem conexão com o mercado e também atualizados em relação às novas tecnologias.

4. Vá em eventos de desenvolvimento web

Sim! Eventos de tecnologia são ótimos lugares para ficar por dentro de novas tendências e conhecer pessoas. Atualmente existem uma grande variedade de opções, tanto online quanto presenciais. Vejamos alguns deles: 

  • Front in Sampa: possui encontros presenciais e através do YouTube, ao longo do ano todo, para abordar diversos assuntos, como carreira, práticas de programação e tendências. 
  • Bootcamps: os bootcamps são treinamentos de programação que duram algumas semanas. A plataforma Digital Innovation One oferece vários na área de desenvolvimento web gratuitamente, de forma online e ainda abre espaço para network com outros participantes. 
  • Hackathons: há também os hackathons, desafios de programação que duram em média três dias e realizam premiações. A Shawee é uma empresa especializada em hackathons e elabora edições ao longo do ano. É uma ótima opção para testar suas habilidades de trabalho em equipe e codificação.

5. Busque sempre mais qualificações

A área de tecnologia se reinventa diariamente, graças a contínua melhoria de suas linguagens de programação e ferramentas. Por isso, é fundamental estar sempre atualizado das novidades. 

Dessa forma, busque sempre investir em qualificação, seja se matriculando em uma instituição de ensino ou procurando por certificações que podem ser obtidas online. Assim, seu currículo se valoriza e se torna mais competitivo.

6. Adquira experiência

Investir em cursos e qualificação é importante, porém de nada adianta ter inúmeros diplomas sem a experiência prática. Por isso, procure dedicar uma quantidade de tempo para exercitar o que você tem aprendido

Pode ser resolvendo desafios de programação, ajudando a comunidade de uma determinada linguagem, fazendo projetos paralelos ou através de trabalhos freelancer ou voluntários. Ensinar o que se sabe a outras pessoas também é válido. 

7. Crie um bom portfólio

O portfólio é a apresentação de suas habilidades para o mercado de trabalho. Ele pode ser um website com os seus melhores projetos e com um layout que consegue transmitir sua personalidade, ultrapassando as limitações do currículo.

Lembre-se, ao construir um portfólio, invista em um layout responsivo e que não seja carregado de informações. Deixe explícitas suas principais habilidades e conte um pouco sobre quem você é em uma página “sobre”.

8. Aprenda habilidades para se sair bem em entrevistas de emprego

A entrevista de emprego é um ponto fundamental que define a conquista ou não de uma vaga. Assim, as empresas podem avaliar não só as habilidades de programação da pessoa candidata, mas também sua comunicação, liderança, entre outros pontos. Por isso, é importante se preparar, então confira alguns passos que podem auxiliar nesse processo:

  • Identifique os pontos fortes e fracos: Pesquise os problemas mais enfrentados por pessoas da área de desenvolvimento web no dia a dia. Então, anote quais seriam seus pontos fortes e fracos em relação a esses problemas e como melhorá-los. Isso será de grande valia em uma possível pergunta durante a entrevista.
  • Conheça o processo de contratação: os processos de contratação em TI são diversos. Algumas empresas optam apenas pela entrevista, outras realizam diversas etapas, envolvendo testes, dinâmicas e conversas com a pessoa candidata. Ter ciência sobre o funcionamento do processo facilita a preparação. 
  • Melhore a comunicação: as atividades da pessoa desenvolvedora web são realizadas atrás da tela de um computador, mas ainda assim será necessário se comunicar com o time e com as demais partes interessadas. Por isso, trabalhe neste aspecto.
  • Participe de desafios: os desafios de programação são de grande ajuda. Além de melhorar as habilidades de codificação, também treinam o raciocínio lógico e a tomada de decisão sob pressão. Essas habilidades são comumente avaliadas em entrevistas para a área. 

Quais as 6 tendências do desenvolvimento web para o futuro?

1. Acessibilidade

A internet vem se preocupando cada vez mais em se tornar um espaço inclusivo. Por isso, garantir que websites sejam compatíveis com ferramentas que auxiliam pessoas com deficiência visual, auditiva e motora é crucial.

2. Inteligência artificial e Aprendizagem de Máquina

A Inteligência Artificial já está presente em muitas partes na internet, seja no mecanismo de busca do Google, no feed das redes sociais, nos mecanismos de assistência virtual, etc. Este é um aspecto que tende a se intensificar no futuro, por isso é importante ficar de olho.

3. Segurança

Pelos websites circulam diversas informações, seja de pessoas utilizadoras ou de empresas. Dessa forma, garantir o uso de camadas de segurança para acessar essas informações e evitar a exposição de dados sensíveis é fundamental para o futuro do desenvolvimento web.

4. PWAs

Aplicativos Web Progressivos (PWAs) transformam sites em aplicativos nativos. Os PWAs tendem a funcionar melhor offline e carregam mais rapidamente. Em virtude disso, eles têm se tornado tendência em relação a sites e aplicativos comuns.

5. Realidade aumentada

A realidade virtual está cada vez mais presente no dia a dia, seja na área de educação, jogos, entretenimento e outros. Além disso, com a chegada do Metaverso, um universo interativo dentro da internet, seu uso será ainda mais intensificado. Dessa forma, é importante se atualizar sobre o assunto para manter o currículo competitivo.

6. Pesquisa por voz  

Muito mais prático que digitar na barra de busca, falar com o smartphone tem se tornado uma tendência, principalmente em atividades que necessitam de foco em outros lugares que não sejam a tela do telefone, como dirigir e cozinhar. Por isso, as pessoas desenvolvedoras web necessitarão adotar esse mecanismo em seus websites.

Agora você já conhece um pouco mais sobre desenvolvimento web, a área da tecnologia da informação responsável por codificar páginas para a internet. Além disso, também está por dentro de suas possibilidades de atuação. 

O desenvolvimento front-end é responsável pela criação das interfaces dos websites, o back-end cuida da manipulação de dados e funcionalidades internas e o desenvolvimento full stack une ambas as áreas.

A partir disso, das principais linguagens de programação utilizadas nesse ramo, como o HTML, CSS, JavaScript e PHP, além das dicas sobre o mercado de trabalho que foram apresentadas, você já pode ponderar melhor sobre essa profissão.

Gostou do nosso conteúdo sobre as possibilidades de carreira para desenvolvimento web? Então, veja também o que é Web Design e o que faz esse profissional!

2 comments
Deixe um comentário
Você também pode gostar