Com o passar do tempo, a dinâmica do mercado de trabalho está cada vez mais intensa. As exigências para a inserção nele estão maiores, ao passo que a competitividade e o surgimento de pessoas qualificadas também aumenta. Se ao menos existisse uma forma de você conseguir provar seu valor antes mesmo de conseguir uma entrevista… Espera, existe! E ela se chama portfólio!

O portfólio é uma ferramenta de identificação e reconhecimento muito importante que trará a confiança necessária para as pessoas empregadoras e entrevistadoras contratarem você. Não somente isso, como ele contará sua história e trajetória profissional e acadêmica. 

Entretanto, nem sempre produzir um bom e efetivo portfólio é uma tarefa fácil. Inclusive, a depender de como é feito, um portfólio desorganizado e esteticamente desagradável pode ter o efeito contrário sobre sua imagem. Pensando nisso, nós decidimos dar uma força para você nesse processo e reunimos dicas e exemplos que vão assegurar que seu portfólio leve você até seu emprego dos sonhos!

Confira neste conteúdo interessantíssimo:

Boa leitura, e mãos à obra!

O que é portfólio?

O portfólio é uma compilação de materiais e recursos que servirão de exemplo para demonstrar quais são suas qualidades, habilidades, áreas de atuação e experiências profissionais e acadêmicas. Além disso, um currículo ainda fornece uma ideia sobre sua personalidade e qual é sua ética profissional.

Logo, um portfólio reúne os seus melhores trabalhos. Caso você seja uma pessoa redatora, ele deverá conter seus melhores artigos. Da mesma forma, web designers exibirão exemplos dos melhores sites, e pessoas desenvolvedoras colocarão em evidência os melhores, mais limpos e mais estruturados códigos. 

Portfólio é o mesmo que currículo?

Não. Portfólio e currículo, apesar de serem utilizados para o mesmo fim, são recursos diferentes, já que:

  • um currículo serve para você evidenciar de maneira objetiva e sucinta toda sua experiência profissional. Logo, ele será uma listagem de tudo que você já fez em vida e de suas habilidades; 
  • o portfólio vai além de um currículo. Ele serve não somente para conter todas suas conquistas acadêmicas e profissionais, mas também para demonstrar com exemplos palpáveis e nítidos daquilo que você é capaz de fazer. 

Em síntese, o currículo é a sua experiência profissional e acadêmica em potencial, demonstrado por meio teórico. O portfólio é a representação prática e visual do seu trabalho. 

Por que fazer um portfólio? Quais os benefícios?

Um portfólio evidencia todo seu potencial para possíveis pessoas empregadoras. Ele é capaz de demonstrar a gama de habilidades que você tem, assim como a qualidade de seu trabalho, baseado na sua experiência e treinamentos prévios. 

Um portfólio é essencial para qualquer campo que exija criação e produtos visuais, como web design, fotografia, design gráfico etc. Para a área de tecnologia, o portfólio também é muito útil, uma vez que é capaz de exibir projetos anteriores, fazendo com que quem esteja entrevistando você tenha acesso à forma com a qual você trabalha, o estilo e organização de seus códigos, entre outros. 

Em áreas em que um portfólio não é necessário, ele pode ser utilizado como uma forma de se sobressair em meio às demais pessoas concorrentes. Logo, você pode adaptar um portfólio para seu campo de atuação e garantir que você tenha essa ferramenta ao seu lado em um momento de contratação. Um exemplo disso seria uma pessoa profissional da saúde, como uma dentista, que coleta fotos de trabalhos bem-sucedidos e depoimentos de pacientes. Esse recurso agregará mais credibilidade em qualquer pessoa que decidir contratar seus serviços. 

Alguns outros benefícios incluem:

  • aumento da credibilidade;
  • destaque de suas melhores conquistas;
  • a melhor visualização de como é trabalhar com você;
  • providencia panorama da sua personalidade;
  • separa você das outras pessoas candidatas;
  • uma oportunidade de demonstrar sua habilidade em ser uma pessoa criativa;
  • mostra consistência entre o que você diz fazer e o que de fato você faz.
  • Demonstra a sua trajetória de desenvolvimento pessoal;

Quais os tipos de portfólio?

Existem dois tipos de portfólio e a escolha entre eles depende de suas habilidades com a tecnologia e das exigências da empresa contratante. Se a pessoa cliente for do ramo de criação, jornalismo, entre outras áreas da comunicação, muito provavelmente a exigência seja de um portfólio virtual. Agora, se a pessoa não for muito fã de tecnologia, a melhor saída é um portfólio físico.

Quer entender a diferença de cada um deles? Acompanhe os seguintes tópicos!  

Portfólio físico

Fazendo parte da categoria de “modelos tradicionais”, o portfólio físico muitas vezes é utilizado como complemento de um currículo. Não é a forma mais rentável, pois os serviços como impressão, qualidade do papel e pasta precisam ter um toque especial. Entretanto, é o mais recomendado para profissionais que trabalham com texto e imagem.    

Se você é uma pessoa da área de engenharia, por exemplo, e está visitando um espaço com clientes, apresentar um portfólio físico pode ser um diferencial com grande impacto positivo. É importante se atentar ao formato da impressão e caso tenha oportunidade, procure uma gráfica para realizar o processo. 

Demonstrar profissionalismo a partir de um material limpo e completo será sempre uma boa saída, podendo até mesmo significar a assinatura de um contrato imediato. Portfólio físico costuma ser uma ferramenta causadora de boas impressões!  

Portfólio digital

Sendo o modelo mais utilizado e completo por sua facilidade de criação e ampla utilização, o portfólio digital é a saída mais recomendável para pessoas que têm materiais versáteis, com a possibilidade de inclusão de sons, vídeos, entre outros. Até mesmo para pessoas com trabalhos textuais e de imagens, o formato digital garante uma melhor adequação de seus conteúdos, oferecendo por consequência um material mais limpo e interativo. 

O portfólio digital tem inúmeras vantagens, e estão entre elas o preço relativamente baixo, podendo até mesmo ter custo zero — já que inúmeras plataformas disponibilizam esse tipo de serviço de maneira gratuita — e a permissão e facilidade de compartilhamento, que por ser digital, pode ser compartilhada por WhatsApp, e-mail etc.  

Não tem como negar que o portfólio digital é a saída mais rentável para pessoas que trabalham remotamente com conteúdos digitais. Entretanto, é importante se atentar à qualidade do material coletado, possibilitando uma experiência que convença a pessoa contratante sobre seu trabalho apresentado. Seguindo nossas dicas, vai ser um sucesso! 

O que é interessante ter em meu portfólio?

As possibilidades de criação de um portfólio são infinitas. O limite é até onde sua imaginação e criatividade conseguirem ir. Porém, essa gama de possibilidades pode causar um pouco de receio e confusão. Com tantos caminhos possíveis, o que de fato é interessante manter em meu portfólio?

A seguir, reunimos alguns itens que podem ser essenciais para seu portfólio, a depender da sua área de atuação. É evidente que não configura uma obrigação incluir esses elementos em seu portfólio. Você deve sempre levar em consideração seu contexto e realidade para tomar essa decisão. 

Cláusula de originalidade

Por motivos legais, é interessante deixar explícito com todas as palavras que aquele trabalho é propriedade intelectual sua e, a depender de casos específicos, confidencial. Logo, é importante adicionar uma cláusula de originalidade em seu portfólio. Ela deve indicar também quais partes de seu portfólio não devem ser copiadas. 

A seguir, preparamos um modelo que você pode utilizar em seu portfólio e adaptá-lo da melhor maneira:

Cláusula de Originalidade e Confidencialidade.

O portfólio a seguir é trabalho particular e propriedade intelectual de [Insira seu nome aqui]. Não copie ou divulgue sem a permissão prévia do(a) autor(a). Alguns dos projetos, exemplos de trabalho e serviços são de propriedade confidencial das empresas cujo nome está exibido no documento. Tais empresas cederam permissão ao uso para fins de demonstração do trabalho realizado.   

Filosofia profissional

Esse campo é interessante para demonstrar um pouco mais sobre sua personalidade e relação com o trabalho. A partir dele, é possível ter uma noção de como você se relaciona com as ideias disponíveis no mercado de trabalho. 

Ao preencher esse campo, explicite quais são suas crenças pessoais acerca do mundo do trabalho e da sua área de atuação, além de demonstrar levemente quais são suas opiniões sobre a importância do seu trabalho para essa área. 

Um exemplo de filosofia profissional:

“Particularmente, acredito que não exista uma fórmula mágica que nos leva ao sucesso profissional. Toda e qualquer conquista é obtida por meio de trabalho duro e muita dedicação. 

  • um de meus maiores orgulhos é a visão de mundo que sou capaz de empregar nos meus projetos, que sempre levam uma parte de mim;
  • acredito que, quando trabalhamos em equipe, conseguimos obter resultados ainda mais satisfatórios;
  • sempre há espaço para melhorias. Portanto, feedbacks são essenciais para garantir um trabalho eficaz.”

Objetivos de carreira

Aqui é interessante colocar onde você quer chegar a curto e a longo prazo. Pense em um período de 3 a 5 anos no futuro e projete o caminho que quer trilhar, e as conquistas que quer ter obtido até lá. Esse tópico é interessante especialmente para as pessoas entrevistadoras, já que elas conseguem ver se seus objetivos estão alinhados com a necessidade da empresa. Logo, raciocine bem o que é relevante expor aqui.

Exemplo:

“Objetivos de carreira:

Daqui a três anos, eu quero:

  • ser fluente em inglês e francês;
  • ter aprimorado minhas habilidades de comunicação e liderança;
  • ter aprendido ao menos duas linguagens de programação novas.

Daqui a cinco anos, eu quero:

Habilidades e Competências

Escolha de três a cinco habilidades e/ou competências que você acredite que são imprescindíveis para a área em que você atua e exponha elas de maneira criativa. Você pode fazer um diagrama, ou uma barra de progresso, para demonstrar o quão perto você está de dominar tal habilidade. 

O importante é: consiga um depoimento ou carta de recomendação que ateste que você de fato domine essas habilidades, especialmente se forem soft skills, ou seja, não quantificáveis por um teste ou prova.  

Como fazer um portfólio: 8 dicas essenciais!

Até o presente momento, você já entendeu todo o conceito e a importância do portfólio, e já está com os elementos todos definidos para começar o seu próprio. O que está faltando, então? Dar início efetivamente ao seu próprio portfólio!

Para isso, separamos algumas dicas que vão ser essenciais na hora de colocar em prática todo o conhecimento obtido aqui. São boas práticas que farão com que seu portfólio seja visto de forma positiva no mercado de trabalho

Apesar disso, lembre-se de que para a montagem de um portfólio, a criatividade é um elemento indispensável. Logo, coloque toda sua originalidade e ideias em jogo e destaque-se no mercado de trabalho! 

1 – Defina o objetivo do portfólio

Decidiu começar o portfólio? Ótimo! Mas, e agora? Com uma infinidade de caminhos para tomar, como saber qual é o melhor? É por isso que devemos ter em mente o motivo pelo qual queremos fazer um portfólio durante todo o tempo de produção. 

Portanto, o primeiro passo é definir qual é a ênfase que seu portfólio vai dar, ou seja, seu objetivo final. Alguns deles podem incluir:

  • reforço para o currículo: caso você queira fortalecer seu currículo comprovando as habilidades que estão ali presentes, então você deverá incluir evidências e depoimentos acerca dos projetos apresentados lá;
  • atração de clientes: foque em um conteúdo mais comercial, evidenciando aquilo que a pessoa que você quer atrair geralmente estaria interessada em ver;
  • destaque no mercado de trabalho: nesse caso, seu portfólio deverá conter projetos e trabalhos ousados desenvolvidos por você previamente que demonstrem todo o seu potencial. 

2 – Torne o portfólio simples: não encha com coisas irrelevantes!

Por vezes, temos a impressão que quanto mais informação colocamos no portfólio, mais dará a perceber que temos uma vasta experiência. Isso só não é uma verdade, como também pode ser prejudicial.

Selecione apenas dois ou três dos seus melhores trabalhos, aqueles que geralmente você tem orgulho de expor e deixe que eles falem por conta própria. Esse fato somado ao de que o portfólio deve estar bem organizado e esteticamente agradável já é suficiente para colocar você na dianteira. 

Ao colocar muitos projetos, nem sempre relevantes, você contribui para que a pessoa que vai analisá-lo não foque na informação que você quer que ela objetivamente veja. Ao contrário, pode acabar ficando um pouco confuso, levando a pessoa a desistir de olhar seu portfólio. 

3 – Escolha os seus principais trabalhos realizados

Como dito anteriormente, é de extrema importância se atentar aos conteúdos que estarão em seu portfólio. Dúvidas sobre qual conteúdo agregar são frequentes, e a nossa dica para você é: seja original. Verifique a vaga desejada — quais modelos ou atrativos principais que a pessoa cliente ou empresa costuma utilizar — e se adeque a ela. Observe também as cores e coloque por ordem cronológica seus principais trabalhos realizados.  

Um portfólio pessoal jamais poderá conter trabalhos que não foram realizados por você, além do constrangimento, caso haja descoberta por parte da empresa ou cliente, tal ação pode acarretar até mesmo em um processo extrajudicial. 

4 – Fale sobre erros que você tirou algum aprendizado

Um dos erros mais comuns é criar um portfólio cheio de projetos bem sucedidos e trabalhos que dão orgulho. Isso porque é de senso comum que é impossível ser perfeito em todos os aspectos: erros são comuns e são esperados que ocorram.

O que é mais interessante nesse caso, é como você lidou com um fracasso e transformou ele em um sucesso posteriormente. Logo, é interessante incluir também erros e falhas que contribuíram para seu crescimento pessoal e profissional.

Essa dica ainda contribui para a construção de uma personalidade mais complexa, fazendo com que a pessoa entrevistadora ou cliente consiga criar um vínculo empático com você por meio de seu portfólio.

5 – Fale sobre a pessoa que está por trás dos projetos: você!

Um ponto importante, especialmente para pessoas que trabalham como freelancers ou necessitam de clientes, é a criação de uma personal branding, ou seja, sua marca pessoal. Ela e o portfólio trabalham em conjunto para fazer com que seu nome seja reconhecido e sobressaia dentre os demais no ramo. 

Logo, seu portfólio deve estrategicamente promover sua marca pessoal, ajudando-a na construção de uma identidade profissional sólida. Para isso, inclua também redes de uso profissional nas quais as pessoas possam acompanhar seu dia a dia no trabalho de perto. 

6 – Facilite a leitura do portfólio: torne-o fácil de ler!

Nada é pior que um portfólio bagunçado! Imagine não saber onde o texto começa ou termina, imagens colocadas em lugares incomuns, falta de separação entre um tópico e outro… Muito cuidado ao estruturar seu portfólio!

Uma dica é sempre colocar-se no lugar da pessoa que vai ler ele e tentar enxergar se as informações desejadas e principais estão disponíveis de maneira simples. Algumas dicas são:

  • utilize negritos para destacar o essencial;
  • escolha um padrão de fontes para títulos, subtítulos e corpo do texto;
  • coloque o texto sempre na mesma formatação;
  • crie separações evidentes entre um tópico e outro.

7 – Mantenha seu portfólio sempre atualizado

Imagine sempre o seguinte cenário: você está há anos trabalhando na mesma empresa. Por motivos diversos, você teve que sair e agora está procurando reinserção no mercado de trabalho. Seu portfólio ainda é idêntico ao de cinco anos atrás. 

O grande problema é: em cinco anos, muitas coisas mudaram: suas habilidades, o mercado de trabalho… E em cinco anos você produziu tanto que você não consegue mais se lembrar de tudo que você fez.

Tudo isso pode ser evitado se você mantiver seu portfólio sempre atualizado. Assim que você fizer algum projeto que você acredite que será benéfico para sua imagem, atualize seu portfólio!

8 – Design é muito importante

Por fim, você não tem nada a perder trabalhando com atenção o visual de seu portfólio. Assim como na área de vendas, por exemplo, os produtos são muito mais do que somente valores, as pessoas antes de tudo analisam a mensagem que você está passando por meio de imagens, cores, entre outros pequenos detalhes.   

Trabalhe com imagens de preferência em alta qualidade, diagramação, imagens de reforço, organização e contraste. A seguir, elencamos algumas dicas de design para você.

Tabela de conteúdo

Organize o conteúdo do seu portfólio em uma tabela de conteúdos com o número da página ou link no início dele. Assim, a pessoa que o lerá poderá escolher os pontos que são de seu maior interesse e isso evita que ela tenha que procurar informações e acabe se desinteressando. 

Capa para portfólio

A capa é a primeira impressão que a pessoa terá do seu portfólio e, consequentemente, sobre você! Portanto, produza uma que represente quem você é e passe a imagem que você quer que as pessoas tenham do seu trabalho.

Qualidade das imagens

Uma das coisas que mais estragam a estética de um portfólio são imagens pixeladas e sem resolução. Procure utilizar imagens nítidas e que sejam coerentes com a mensagem que você está transmitindo. Porém, cuidado com o tamanho das imagens em portfólios digitais, ou ele poderá acabar ficando muito pesado.

Combinação de cores

Tome muito cuidado para que as cores não compitam com o conteúdo pela atenção da pessoa leitora. Portanto, você deve pensar em uma paleta de cores que complemente e suavize o conteúdo do seu portfólio, sem agredir a visão. Caso você não seja muito bom com paletas de cores, você pode usar ferramentas que ajudam no processo.

4 ferramentas para uma pessoa DEV usar em um portfólio!

Já expressamos aqui antes a importância de um portfólio para uma pessoa desenvolvedora de qualquer área. Como o produto de pessoas desenvolvedoras são códigos, o portfólio deve ser um pouco diferente do que o das demais áreas. Vamos dar uma olhada em ferramentas específicas para serem utilizadas em portfólios DEVs?

Currículo

Para uma pessoa desenvolvedora, as famosas hard skills são muito importantes. Elas constituem conhecimento técnico necessário para desempenhar determinada função, como por exemplo, conhecimentos em Python e Javascript

Como esses conhecimentos podem ser facilmente quantificados e provados, elas são ideais para serem exibidas em um currículo tradicional. Por conta disso, é uma boa ideia colocar uma síntese do seu currículo no portfólio.

LinkedIn

O networking é essencial em qualquer carreira, e a área de desenvolvimento não fica fora disso! Por conta desse fato, é uma boa prática integrar seu portfólio no LinkedIn. Dessa forma, sua rede de contatos terá acesso ao seu conteúdo profissional e pessoas interessadas em contratar poderão selecionar seu perfil para um determinado cargo. 

Github

O GitHub é um serviço que funciona como repositório de códigos para que pessoas criem e compartilhem seus projetos. É uma ferramenta ótima para pessoas desenvolvedoras criarem e divulgarem seus códigos. Ele ainda dá a possibilidade de criação de páginas estáticas.

Por ser concebido especialmente para realizar códigos, você pode incorporar as páginas de GitHub com seus projetos em seu portfólio, exibindo-os com maior organização! 

Readme

O Readme é um arquivo com extensão .md (Markdown) — formato utilizado em uma ferramenta que traduz texto para HTML. A função do Readme é ser um cartão de visitas que explica o objetivo do seu projeto em portfólios

Logo, como por vezes a intenção de um código não fica tão explícita de primeira, é interessante adotar o Readme para apresentar seus projetos. 

3 Exemplos de portfólios para você se inspirar!

Robin Mastromarino

Portfólio Robin Mastromarino
Fonte: Robin Mastromarino 

Com o design inspirado em Paris, Robin Mastromarino utiliza alguns toques de animação em IU muito interessantes para manter o ambiente de seu portfólio cada vez mais limpo e interativo. Seus projetos ficam expostos em uma determinada curvatura e os comandos são feitos pelo método de rolagem. Robin acertou em cheio com a criação personalizada de seu portfólio, possibilitando a ele grande reconhecimento por esse feito.  

Active Theory

Portfólio de exemplo: Active Theory
Fonte: Active Theory

Com interface temperamental e quase cyberpunk, entrar no portfólio da Active Theory garante uma experiência de visitação ao novo mundo. A página inicial contém uma interação atmosférica causada por nuvens, que ao juntar com o clique para avançar, causam um efeito magnífico e coeso. Tudo se encaixa quase que perfeitamente!

Jack

Portfólio de exemplo: Jack
Fonte: Jack

Voltado para área de pessoas desenvolvedoras, o site Jack foi criado de forma simples e totalmente interativa. Com recursos assertivos, informações relevantes, estética limpa e cores estratégicas, o portfólio de Jack garante uma experiência completamente nova.

Como vimos, um portfólio é uma ferramenta essencial para impor sua marca pessoal e ganhar destaque no mercado de trabalho. Quando bem-feito e produzido de maneira eficaz, o portfólio pode atrair mais clientes, conseguir um bom cargo ou vender qualquer produto. Logo, invista em seu portfólio, e não esqueça de nossas dicas!

O que achou do nosso texto? Caso tenha gostado, você também vai gostar de saber como será o profissional do futuro, para começar a se preparar!

Deixe um comentário
Você também pode gostar