É comum que em algum momento da carreira você se questione em quais pontos não tem tido o melhor desempenho e em quais sua dedicação é suficiente para alcançar seus objetivos. Mas, muitas vezes não é fácil enxergar onde é necessário autodesenvolvimento para progredir no trabalho.

Por esse motivo, a análise de SWOT pessoal é uma técnica utilizada tanto no âmbito profissional quanto para o autoconhecimento. Com ela é possível descobrir quais são os pontos pessoais fortes e os fracos. Ficou interessado em aprender sobre essa ferramenta? Pois então nos acompanhe e descubra:

  • O que significa SWOT pessoal?
  • Análise de SWOT pessoal: qual a importância?
  • Como fazer uma análise SWOT pessoal?

Boa leitura!

O que significa SWOT pessoal?

A criação da análise SWOT é atribuída a Universidade de Stanford e, apesar de ainda gerar dúvidas, acredita-se que ela tenha surgido na década de 60.

Inicialmente, ela era utilizada apenas pelas empresas como forma de avaliar o estado atual dos negócios e suas possíveis limitações. Hoje, além de estar presente nas práticas de Administração, essa ferramenta foi adaptada para uso pessoal.

As iniciais desse termo são um resumo do que ele consiste. Veja!

  • Strengths (forças)
  • Weaknesses (fraquezas)
  • Opportunities (oportunidades)
  • Threats (ameaças)

Ao colocá-la em prática, tem-se como resultado uma matriz SWOT pessoal, também conhecida no Brasil como “FOFA”, um acrônimo das palavras que formam o termo ao serem traduzidas para o português.

Análise de SWOT pessoal: qual a importância?

Não é segredo que uma das chaves para o sucesso profissional é o autoconhecimento. Saber quais pontos precisam de atenção e melhorias e quais têm sido aliados no processo para alcançar seus sonhos é fundamental para desenvolver-se não só nos negócios, mas na vida.

É nessa busca por evolução pessoal que a análise SWOT se encaixa. Ela é utilizada como uma ferramenta que auxilia a traçar metas e planos, com o objetivo de impulsionar profissionalmente.

Por meio da análise dos quatro pontos — forças, fraquezas, oportunidades e ameaças — é possível compreender quais são as mudanças necessárias para melhorar o desempenho individual e assim, alavancar a carreira.

Como fazer uma análise SWOT pessoal?

O primeiro passo para realizar a análise é tirar um tempo para si e responder com sinceridade quais são os pontos fracos e os fortes que fazem a diferença no seu processo de evolução.

Caso não seja uma pessoa honesta na hora de colocar em prática a ferramenta, toda a sua análise será comprometida e o resultado não auxiliará a definir metas e identificar seu estado atual. Tendo em vista isso, vamos à parte prática!

Conheça a estrutura da análise SWOT

Quando estruturada, a análise SWOT pessoal resulta em uma matriz, a qual deve ser dividida em dois quadrantes: internos — forças e fraquezas — e externos — oportunidades e ameaças.

  • Internos: os fatores que podem ser controlados pelo indivíduo, como a capacidade de aprendizado, inteligência emocional e competência intrapessoais. Por serem aspectos possíveis de serem desenvolvidos, eles se encaixam nesse quadrante.
  • Externos: as características que estão além do controle da pessoa, como o ambiente em que ela vive e trabalha. Apesar de não serem de domínio pessoal, podem ser alterados ou eliminados para que haja progresso.

Construída dessa forma, a autorreflexão é feita de forma organizada, o que facilita na visualização de cada área da vida.

Descubra suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças

Após compreender em que setor cada característica se encaixa é hora de saber o que compõe cada um dos quadrantes da matriz SWOT pessoal:

Forças

Como o próprio título já indica, nesse espaço da matriz devem ser adicionados todos os aspectos positivos que estão presentes no seu dia a dia e estão alinhados com as suas metas.

Portanto, é nesta parte que você aponta todas as suas habilidades como formação acadêmica, conhecimento em línguas estrangeiras e suas soft skills. Sabe aquela sua característica que sempre foi elogiada por aqueles com quem você convive? Então, é nessa categoria que você deve destacá-la.

Tudo aquilo que for um fator positivo e puder ajudar a alcançar o emprego dos sonhos, por exemplo, é bem-vindo.

Fraquezas

Neste tópico, talvez mais do que em qualquer um dos outros quatro quadrantes, é importante que você seja completamente sincero. É em “fraquezas” que você indica todos os seus pontos fracos e, consequentemente, aqueles que precisam de maior atenção e dedicação para que você possa conquistar aquilo que almeja.

Se você trabalha na área de TI, é importante que você tenha uma boa comunicação interpessoal e busque sempre se atualizar na área. Portanto, a timidez e a falta de formação são pontos negativos e que devem ser revistos. Caso contrário, alcançar seus objetivos e ascender profissionalmente torna-se pouco provável.

Para auxiliar no preenchimento desse quadrante, busque se lembrar de feedbacks que já recebeu de colegas de trabalho e pessoas supervisoras. Esses podem ser os pontos essenciais que, ao serem substituídos por práticas melhores, trarão o resultado positivo que busca.

Oportunidades

Neste campo, os fatores externos é que são levados em conta. Aqui você deve destacar todas as oportunidades que podem ser aproveitadas para que alcance seus objetivos. Uma boa forma de fazê-lo é se questionando. Pergunte-se se há no mercado algum curso que você pode investir, se houve a abertura de vagas ou se vai acontecer algum evento que, além de ajudar a melhorar os conhecimentos na sua área, também pode ser uma oportunidade de fazer networking.

O personal branding pode ser outra oportunidade no caminho para o sucesso. Ao adotá-lo, a pessoa cria uma marca pessoal, o que permite maiores chances de reconhecimento profissional e um maior alcance do trabalho realizado.

Ameaças

É neste quadrante que aparecem todos os empecilhos externos, ou seja, que não estão no seu controle e que te impedem de conquistar seus sonhos. Eles, somados às suas fraquezas, são o motivo pelo qual você sente que não sai do lugar.

Tendo isso em mente, é importante que você descubra como está o mercado de trabalho na sua área e se há a possibilidade de ele entrar em uma crise, o que pode gerar uma queda no número de vagas e demissões.

Além disso, é interessante saber em qual patamar você está diante dos seus concorrentes. Caso você esteja em desvantagem, procure formas de alcançar um nível superior ao deles e ocupar uma posição de destaque.

Monte o diagrama e preencha os quadrantes

Uma vez que você aprendeu o que cada quadrante representa e quais questionamentos podem auxiliar a preenchê-lo, é hora de montá-lo de fato. O processo é simples. Em uma folha sulfite ou, se preferir, no Excel, faça um quadrado e o divida em quatro partes.

Na parte superior preencha os quadrantes com os títulos: forças e fraquezas. Já na inferior, escreva oportunidades e ameaças. Em cada um dos setores, insira tudo aquilo que você acredita ser positivo e negativo na sua vida atualmente. Para isso, utilize os questionamentos e ensinamentos que foram apresentados acima neste post, mas não é preciso limitar-se apenas a eles.

Analise os fatores

Logo após preparar e preencher a sua matriz, é hora de analisá-la. É fundamental que você tire um tempo para pensar em tudo o que o seu SWOT pessoal está alertando, afinal é para conseguir enxergar onde estão suas limitações e seus pontos positivos que você decidiu fazê-la. Além disso, observe se tudo aquilo que aparece na análise condiz com as suas metas e planos.

Plano de ação: aplique o que você aprendeu!

Por fim, é essencial que você tire tudo o que você analisou do papel e coloque em ação. Defina quais os pontos precisam ser mudados e quais são seus aliados para que você consiga conquistar seus sonhos.

Uma maneira de colocar em prática o que aprendeu é estabelecer um plano de ação que melhor se encaixa no seu dia a dia para que não haja desculpas na hora de efetivá-lo. Umas das técnicas que ajudam nesse processo é a 5W2H, que consiste em definir:

  • O que pode ser feito;
  • Quem fará — nesse caso, somente você;
  • Quando você realizará esse plano;
  • Onde ele será executado;
  • Como será realizado;
  • Por que você tem que fazê-lo efetivamente.

Ao organizar-se dessa forma, fica ainda mais fácil enxergar quais os passos que precisam ser dados para trazer em sua vida as mudanças que você tanto almeja. Com a matriz SWOT pessoal você torna a caminhada para o sucesso, um processo organizado e sem imprevistos.

Gostou de aprender sobre essa ferramenta? Então venha descobrir sobre a técnica de organização roda da vida no nosso post sobre o tema!

0 Shares:
Você também pode gostar