Tecnologia é um conceito que sobrevive por meio de adaptação e aprimoramento. O tempo todo se busca inovar um produto pré-existente ou até mesmo surgir com uma novidade que tornará os antecessores obsoletos. Foi com essa ideia em vista que o economista austríaco Joseph Schumpeter cunhou o termo “inovação incremental” em 1939, a partir de sua obra “Business Cycles”.

Esta é uma das diversas definições que o autor traz em seu livro e que serão importantíssimas para o cenário econômico e empresarial do final do século XX, suas ideias impactam até os dias de hoje. Quer conhecer um pouco mais sobre o assunto? Então confira o que veremos nessa leitura:

  • O que é inovação incremental?
  • Quais as vantagens da inovação incremental?
  • 5 exemplos de inovações incrementais!

Boa leitura!

O que é inovação incremental?

Por mais que essa pergunta pudesse ser respondida diretamente, o mais interessante é entender todas as nuances por trás dela. À vista disso, começaremos definindo inovação, conceito fundamental para entender o restante.

Apesar da palavra “inovação” derivar do latim innovatus e existir prova material de sua utilização em escrito desde o século XV, o termo só começou a ganhar popularidade por meio dos escritos do próprio Schumpeter. O autor define inovação como uma nova combinação de conhecimento, recursos, ferramentas e outros fatores que podem ser novos ou não

A partir disso, pode-se definir inovação incremental como um novo produto ou tendência que surge do melhoramento de uma tecnologia, processo ou produto já existente no mercado. Portanto, é uma nova combinação a partir de fatores já presentes e inventados.

Segundo o economista, ainda é necessário distinguir tal definição da de “invenção”, já que a inovação é uma atividade social específica que ocorre dentro do campo econômico para fins comerciais, e as invenções podem estar em qualquer campo sem nenhum intuito mercantil.

Quais as diferenças entre a inovação incremental e a radical?

Outro conceito apresentado pelo economista é a inovação radical, que diverge em estratégia da inovação incremental. Ela é tida como algo mais drástico, em que sua imposição acarreta a mudança dos rumos do mercado.

Para ser uma inovação radical, o produto precisa ser diferente de tudo que já foi visto até então, ser diferente de qualquer outra coisa que esteja atualmente em voga, além de servir de base para futuras disrupções e inovações

Apesar de ambas inovações serem quase opostas, a recomendação é que trabalhem juntas, tendo em vista que existe uma tendência empresarial de investir somente na incremental por segurança e deixarem a radical um pouco de lado. Atualmente, as startups são responsáveis por grande parte das disrupções radicais.

Na questão estrutural, existem outras diferenças entre os tipos de inovação. A inovação radical demanda mais anos de duração da implementação do projeto e possui uma trajetória mais longa e lotada de contratempos. 

Quais as vantagens da inovação incremental?

Por ser mais simples e menos arrojada que a inovação radical, a incremental é a preferida de muitos investidores e empresas. Confira aqui as vantagens que ela apresenta:

  • mais barata;
  • exige menos investimento na fase de desenvolvimento e pesquisa;
  • maior garantia de sucesso;
  • muitas vezes consegue substituir de maneira eficaz uma inovação radical;
  • processo mais linear e controlável;
  • qualquer organização pode realizá-la, desde que tenha criatividade.

5 exemplos de inovações incrementais!

O que não falta no mercado atualmente são bons exemplos de inovações incrementais que são sempre um completo sucesso. Evidenciaremos aqui alguns dos mais conhecidos:

Smartphones

É incrível pensar o quanto esse aparelhinho já mudou desde seu surgimento, no final da década de 90. E todo ano somos bombardeados com mais propagandas sobre novos modelos que chegam no mercado, com mais câmeras, mais megapixels, maior ecrã funcional, entre outros.

Os smartphones são um ótimo exemplo de inovação incremental, pois estão sempre em constante adaptação, sem mudar o conceito original! A cada nova inovação tecnológica surge um novo modelo que vai deixando o anterior obsoleto. 

Videogames

Segundo pesquisas, o Brasil é o 13º maior mercado de games do mundo, e o maior da América Latina. Isso faz com que jogos e consoles estejam sempre em criação, sofrendo uma alteração atrás da outra para proporcionar às pessoas jogadoras a melhor experiência possível.

Empresas multinacionais como Nintendo, Sony e Microsoft lideram nessa constante busca por inovação. O objetivo final é sempre tentar fazer com que a imersão seja mais completa. A realidade aumentada já não é mais coisa de filme de ficção científica, e quem joga já está utilizando inclusive o movimento de seus corpos como controle.

Automóveis

Outra indústria que tem como aliada a inovação incremental é a automobilística. Carros podem ser trocados anualmente e novas funções surgem com seus novos modelos. Nessa questão, o que vale é o conforto e a segurança

Geralmente, as tecnologias usadas costumam ser algo como um sensor mais potente de distância, um airbag melhorado, maior conectividade com smartphones e outros dispositivos, entre outros. 

Faber-Castell

A famosa empresa de materiais escolares, a Faber-Castell, é exemplo de criatividade e inovação incremental.

Seus produtos contam sempre com uma adaptação pensando no público consumidor. Lápis de cor são aprimorados com material antiderrapante, as canetinhas hidrográficas são dotadas de pontas retráteis para crianças que têm o costume de aplicar uma maior força na hora de desenhar, e assim por diante.

Gmail

No começo, o Gmail era exatamente o que prometia: uma caixa de mensagens. O serviço de e-mail ganhou então diversas atualizações que foi lhe conferindo uma maior quantidade de ferramentas. Nos dias de hoje, pode-se alcançar uma variedade de serviços sem sair do Gmail, como ter acesso a calendário, notas, cronogramas e até mesmo iniciar uma reunião através do Hangouts e Google Meet. 

Todas essas ideias são simples e se tornaram referência no mundo empreendedor moderno. A inovação complementar é a forma mais simples e segura de perpetuar a vida de um determinado produto no mercado. Viu só como é simples? Basta somente que tenha criatividade e os meios necessários para torná-la realidade!

Gostou de aprender sobre isso? Que tal ler agora nosso post sobre outro conceito empreendedor muito importante, o personal branding?

0 Shares:
Você também pode gostar