Saber como tirar vírus, seja do computador, celular ou pendrive, tem se tornado cada vez mais necessário. São vários os programas maliciosos encontrados na Internet, capazes de prejudicar um aparelho com uma simples instalação. Então, quanto maior for a prevenção, melhor para você.

Os vírus são os principais responsáveis por boa parte da dor de cabeça de quem utiliza a Internet. Eles corrompem arquivos, travam as máquinas e, ainda por cima, podem roubar dados sigilosos que ninguém gostaria que caíssem nas mãos erradas, como senhas de banco ou mensagens privadas.

Por isso, para não acabar caindo em links perigosos e baixar um vírus poderoso em sua máquina, é importante prestar atenção em algumas recomendações, como acessar apenas sites seguros e confiáveis. No entanto, caso o malware já esteja instalado, confira neste artigo como tirar vírus e mais:

Boa leitura!

Quais os 12 tipos de vírus mais comuns?

Para saber como tirar vírus do celular, computador ou pendrive, é preciso identificar quais são os tipos mais comuns e como eles agem em cada dispositivo. Confira, abaixo, uma lista para se manter em alerta contra essas ameaças virtuais.

1 – Worms

Os worms são vírus que não precisam de uma intervenção humana para que possam se propagar e infectar. Eles agem de maneira rápida e oferecem grandes prejuízos às máquinas infectadas.

Como ele ataca o dispositivo?

Uma máquina é infectada primeiro e, em seguida, a rede de computadores é utilizada para que outras máquinas sejam programadas com o mesmo vírus. Para isso, não é necessário a ajuda de uma pessoa usuária. Graças à exploração de vulnerabilidades de rede, principalmente nos e-mails, os worms enviam milhares de cópias para infectar outros sistemas.

Quais dispositivos ele ataca?  

Os worms atacam qualquer tipo de sistema de computador que esteja conectado a uma rede. Ou seja: tanto pessoas usuárias de Windows quanto de Mac podem ser infectadas caso não tomem as devidas precauções para evitar esse tipo de invasão. Alguns deles até podem ter cargas maliciosas para roubar dados e excluir arquivos.

2 – Adware

O Adware é um dos tipos de vírus mais comuns nos dispositivos, principalmente para quem utilizava computadores no início dos anos 2000. Com o passar dos anos, suas infecções foram sendo refinadas e se tornando mais difíceis de remover.

Como ele ataca o dispositivo?

Basta um clique em um site malicioso para que o Adware comece a trabalhar em uma máquina. Ele é capaz de enviar diversos anúncios, de uma única vez, de forma automática para computadores host, gerando um enorme travamento e lentidão para o dispositivo infectado.

Quais dispositivos ele ataca?  

O Adware é um vírus mais comum em computadores, o que quer dizer que ele ataca tanto pessoas usuárias de Windows quanto de Mac, mas também pode atingir quem usa smartphones. Recentemente, foi possível descobrir que alguns Adwares são capazes de desativar diretamente o antivírus do computador, piorando ainda mais a infecção do sistema.

3 – Android.Cynos.7.origin

Esse vírus causou uma grande dor de cabeça para milhões de pessoas usuárias da Huawei que tiveram seus dispositivos infectados por cavalos de Troia. Esses vírus estavam mascarados em centenas de aplicativos da marca de smartphones e ficavam disponíveis dentro da loja nativa da própria empresa.

Como ele ataca o dispositivo?

O Android.Cynos.7.origin nada mais é do que um Trojan em uma versão modificada do Cynos. Esse vírus foi projetado com o principal objetivo de coletar dados confidenciais, como senhas de banco, e-mail e dados bancários. O nível de gravidade da infecção foi tão alto que as pessoas usuárias precisaram removê-lo manualmente.

Quais dispositivos ele ataca?  

Esse vírus, em específico, ataca diretamente dispositivos de celular Android da Huawei. Isso aconteceu graças a uma falha no sistema, fazendo com que o malware conseguisse baixar e instalar módulos ou aplicativos a mais, causando cobranças indesejadas em serviços premium e envio de SMS.

4 – OSX.Generic.Suspicious

Este vírus é indesejado para qualquer tipo de pessoa, principalmente porque atinge diretamente os arquivos contidos na máquina e, ainda por cima, pode vir mascarado dentro do próprio sistema.

Como ele ataca o dispositivo?

O OSX.Generic.Suspicious é um malware que infecta diretamente o sistema por meio de uma pasta de arquivos. Ele é invasivo e pode vir muito bem disfarçado graças ao seu formato que, de certo modo, parece inofensivo. No entanto, seu conteúdo é capaz de controlar o dispositivo por inteiro.

Quais dispositivos ele ataca?  

O OSX.Generic.Suspicious ataca diretamente os dispositivos Mac e consegue liberar um malware poderoso, espalhando arquivos com conteúdo malicioso, envolto em uma aparência de arquivo normal. Também é possível que esse tipo de vírus penetre a máquina e torne-a inutilizável.

5 – Spyware

Assim como seu nome em inglês já indica, este vírus é um verdadeiro espião. Seu principal objetivo é monitorar todos os passos da pessoa proprietária do dispositivo, desde o acesso a aplicativos até os programas que estão instalados na máquina.

Como ele ataca o dispositivo?

Ao penetrar em um dispositivo, o spyware coleta dados com um simples pressionar de teclas do usuário. Além disso, seu método de invasão também consiste em captar os hábitos de navegação e as informações de login de uma pessoa usuária. Tudo isso é enviado diretamente para outras pessoas.

O vírus também é capaz de fazer modificações severas na segurança de uma máquina. Ele também interfere na rede e torna a utilização inviável posteriormente.

Quais dispositivos ele ataca?  

Este tipo de vírus pode atacar qualquer tipo de dispositivo, seja ele um computador, um celular ou um pendrive. As empresas responsáveis por sua criação poderão monitorar o usuário de qualquer lugar que desejarem, roubando dados e recolhendo novas informações enquanto o vírus ainda estiver ativo.

6 – Bots

Nem sempre os bots que vemos circulando pela internet são, necessariamente, utilizados para uma finalidade positiva, como ajudar usuários a encontrar informações em sites. Há alguns que estão configurados para roubar dados e espalhar uma série de malwares em computadores.

Como ele ataca o dispositivo?

Os bots são instalados no computador sem que uma pessoa consiga perceber. Então, eles utilizam a máquina para realizar alguns comandos específicos sem que ela aprove ou tenha conhecimento. Pessoas hackers que os controlam também poderão tentar infectar outras máquinas utilizando o mesmo bot, dando início a uma botnet.

Quais dispositivos ele ataca?  

Os bots podem atacar dispositivos Mac e Windows sem grandes dificuldades. As redes afetadas são gerenciadas remotamente e roubam dados importantes, além de espionar atividades, distribuir spams e iniciar ataques DDoS que podem significar o fim de uma rede inteira.

7 – Silver Sparrow

Quem usa smartphones e acredita que o dispositivo está mais seguro pode repensar ao conhecer o Silver Sparrow, porque nem mesmo os dispositivos móveis podem fugir da realidade dos criminosos virtuais. O vírus Silver Sparrow é a prova viva.

Como ele ataca o dispositivo?

O Silver Sparrow entra no sistema graças a um pacote de instalação ou, até mesmo, por alguns arquivos.pkg. Esses arquivos incluem códigos de JavaScript muito refinados, que poderão acabar com a máquina em questão de alguns dias. Esses arquivos instalados são executados mesmo no início de sua instalação.

Para que os usuários sejam enganados de maneira mais simples, uma mensagem “Esse pacote executará um programa para determinar se o software pode ser instalado” é exibida na tela. No entanto, mesmo saindo desse instalador, o dispositivo já estará comprometido.

Quais dispositivos ele ataca?  

Este tipo de vírus ataca dispositivos Mac, principalmente porque seu alvo principal é o chip M1, distribuído pela Apple. Sua execução é complexa e pode acabar atingindo a máquina de maneira muito agressiva, causando sérios problemas quem se infecta.

8 – XcodeSpy

Para saber como tirar vírus, é necessário conhecê-los a fundo. O XcodeSpy também é muito nocivo para a saúde do aparelho dos usuários e é relativamente novo, o que implica diretamente em algumas complicações para que a sua remoção aconteça.

Como ele ataca o dispositivo?

O XcodeSpy se espalha utilizando os projetos Xcode como intermédio, além de usar códigos maliciosos de um recurso conhecido como run script dentro do Xcode IDE. Esse código malicioso possui um espião em seu interior e, por muito tempo, poderá se tornar impossível de identificar.

Para que ele seja introduzido em uma máquina, é preciso que haja um projeto criado por terceiros. Esse malware consegue gravar áudios por meio do microfone, gravar vídeos pela webcam e, ainda por cima, dominar a entrada do teclado. O XcodeSpy também consegue realizar upload de arquivos, tornando o problema ainda mais grave.

Quais dispositivos ele ataca?  

O XcodeSpy ataca diretamente os dispositivos Mac e, assim como já foi dito anteriormente, é um malware relativamente novo. Pouco após infectar um dispositivo, quem invadiu conseguirá ter acesso a todos os dados, desde credenciais de banco até conversas sigilosas. É comum que ocorram chantagens nesse processo.

9 – OpFake e Acercard

Ainda que o nome possa parecer bem simples de pronunciar, esses tipos de vírus causam um grande estrago, principalmente para quem utiliza o dispositivo para trabalhar, estudar e resolver assuntos pessoais.

Como ele ataca o dispositivo?

Os OpFake e Acercard são vírus que se instalam como aplicativos. Esses mesmos apps são responsáveis por roubar várias credenciais em redes sociais, além de acessar aplicativos móveis do banco e alguns sites de compra, causando inúmeros transtornos às pessoas usuárias. Em alguns casos, utilizando técnicas de phishing.

Quais dispositivos ele ataca?  

Ele ataca, de maneira muito direta, os dispositivos Android. Por isso, é importante ficar atento a qualquer aplicativo estranho que esteja instalado em sua máquina.

10 – Cavalo de Troia

Um dos vírus mais populares e mais temidos por quem conhece um pouco sobre tecnologia, já que a infecção de uma máquina com esse tipo de malware pode causar inúmeros problemas e perdas irreparáveis.

Como ele ataca o dispositivo?

O Cavalo de Troia induz a pessoa usuária a fazer a sua instalação. Em seguida, irá trabalhar diretamente na parte interna da máquina para que consiga atingir todos os seus objetivos. Um dos primeiros sinais de infecção está diretamente ligada a uma elevação misteriosa no uso da CPU.

Há um aumento considerável no Spam, além de falhas constantes no sistema. A máquina será desacelerada de maneira bastante significativa e fará com que a pessoa usuária fique na mão várias vezes. Programas não identificados também poderão ser instalados na máquina sem que se possa perceber.

Quais dispositivos ele ataca?  

O Cavalo de Troia pode atingir computadores, sejam eles Windows ou Mac. Graças à sua periculosidade, é importante ter atenção aos sinais propagados pela máquina, evitando perdas de arquivos ou, até mesmo, uma pane total no próprio dispositivo. Este vírus age de maneira sorrateira e precisa ser monitorado com frequência.

11 – Adware.IronCore

Mais um grande problema para os seus dispositivos: o Adware.IronCore. Saber como tirar vírus das máquinas tem se mostrado cada vez mais importante devido ao número de ameaças virtuais que só crescem a cada ano.

Como ele ataca o dispositivo?

O Adware.IronCore tem origem na família de um adware que, inicialmente, foi disseminado pela IronSource. Ele é muito específico, atingindo diretamente o macOS. O vírus se disfarça por meio de uma extensão de navegador e pode ser extremamente prejudicial para todas as pessoas.

Sua instalação se dá com muita facilidade por meio dos empacotadores de software. Os invasores acabam agrupando programas populares junto com um adware, oferecendo essa grande ameaça na forma de um pacote de instalação. No fim, pessoas desatentas acabam instalando o adware lado a lado com o software principal.

Quais dispositivos ele ataca?  

O Adware.IronCore atinge diretamente as máquinas com o sistema Mac. Por ser muito sorrateiro, é necessário estar atento a qualquer alteração proporcionada pela máquina, principalmente para que não passe por uma perda total.

12 – Hoax

Chegamos a um vírus que pode ser um dos principais causadores da disseminação das FakeNews. O Hoax é uma verdadeira ameaça para a coletividade, trazendo bugs e várias informações falsas para comunidades inteiras.

Como ele ataca o dispositivo?

Assim como a maior parte dos vírus, o Hoax pode infectar uma máquina por meio de um acesso a um site malicioso ou, até mesmo, por um simples clique em um anúncio suspeito. Ainda que pareça “bobo” de início, suas ameaças podem ser reais e causar danos severos à vida de pessoas e, também, às máquinas.

A principal forma de identificar esse tipo de vírus é por meio das notícias falsas que são espalhadas pelo navegador como, por exemplo, notícias sobre a morte de algum famoso. No entanto, torna-se mais fácil reconhecê-lo graças ao teor exagerado e às manchetes apelativas.

Quais dispositivos ele ataca?  

O Hoax pode atingir os mais variados tipos de dispositivos, desde os celulares até os computadores. É importante que os usuários saibam como identificá-lo para que nenhuma ameaça possa ser instalada no aparelho. Muitos hackers utilizam o vírus como forma de praticar Phishing.

Quais as principais desvantagens causadas pelos vírus?

Saber como tirar vírus, independente de qual seja o dispositivo, acaba sendo uma grande necessidade, porque as desvantagens causadas pelos malwares, em muitos casos, podem ser irreversíveis. Além disso, nenhum usuário deseja perder a sua máquina por causa de um clique acidental ou de um arquivo malicioso.

Confira quais são as principais desvantagens dos vírus:

  1. Reduzir a velocidade do dispositivo;
  2. Roubar informações que deveriam ser confidenciais;
  3. Contaminar toda uma rede;
  4. Restringir o acesso a arquivos importantes;
  5. Redirecionar pesquisas feitas em um navegador;
  6. Interromper a conexão de rede;
  7. Criar pop-ups incômodos;
  8. Instalar softwares que não foram solicitados, mas que ficam ocultos;
  9. Alterar as configurações do dispositivo, bem como do sistema de rede.

Como saber se seu celular está com vírus?

Existem algumas maneiras de identificar se um celular está infectado com vírus. Umas são mais simples e outras exigem a instalação de aplicativos específicos para esse rastreamento. Confira, abaixo, quais são os principais métodos para essa descoberta.

Aumento inesperado no uso de dados

Muitas pessoas ainda utilizam a Internet por meio da contratação de um pacote de dados. No entanto, esse mesmo pacote acabou antes do esperado. Isso pode ser o sinal de que algo errado está acontecendo com o seu celular e, muito provavelmente, é uma infecção causada por vírus.

Surgimento de pop-ups

Muitos vírus acabam infectando o celular, mas não conseguem ter permissão para acessar diretamente os dados. Por isso, os pop-ups, que são propagandas bem invasivas, começam a aparecer em quantidades exageradas na tela. Esse tipo de agente malicioso causa uma rápida queda no desempenho da bateria e proporciona travamentos.

Travamento frequente do aparelho

Assim como dito anteriormente, travamentos podem ser originados de vírus. Se o seu celular possui um bom processador ou se nunca havia mostrado um desempenho tão lento antes, isso pode significar que o aparelho foi infectado por algum vírus. Por isso, o ideal é ficar em alerta.

Celular superaquecendo

O celular começou a esquentar de uma hora para a outra e está quase insuportável mantê-lo nas mãos? Pode ser vírus. Muitos malwares que são instalados sem que os usuários percebam acabam executando diversos aplicativos de uma única vez, gerando o aquecimento elevado da máquina.

Aplicativos de origem duvidosa

De uma hora para a outra surgiram alguns aplicativos que você nunca viu no seu celular ou na própria aba de “aplicações” no menu de configurações. Muitos hackers utilizam de apps falsos para conseguir instalar vírus e, consequentemente, causar danos irreparáveis às máquinas.

Como tirar vírus do celular Android?

chip de computador

Você sabe como tirar vírus do celular? É claro que ter um malware instalado em seu dispositivo pode causar certo desespero, mas ainda há soluções. A remoção de um vírus, em alguns casos, será bem simples e só precisará de alguns passos para ser concluída. Confira, abaixo, as principais dicas.

Instale um antivírus e faça uma varredura

Existem muitos antivírus disponíveis nas lojas de aplicativos. Eles podem ajudar não apenas na remoção, mas também na prevenção. Então, sempre que comprar um aparelho novo, o ideal é instalar uma proteção como essa para, pelo menos, dificultar a ação de aplicações maliciosas.

Para saber como tirar vírus do celular, basta instalar o aplicativo com melhor avaliação, ou o da sua preferência, e realizar uma varredura pelas próprias configurações do app. Todos os documentos serão escaneados, bem como os aplicativos. Se tiver sorte, o antivírus conseguirá encontrar e remover o vírus responsável pelos transtornos.

Elimine manualmente pelo Modo de Segurança

Da mesma maneira que o Windows possui um modo de segurança bastante eficaz, o Android também pode oferecer essa facilidade aos usuários. Caso o sistema tenha sido afetado por um vírus, essa funcionalidade poderá ser acionada. Para que o Modo de Segurança do Android seja ativado, é preciso:

  1. Apertar e segurar o botão de “ligar” do aparelho até que a tela de “Desligar” fique presente;
  2. Apertar e segurar o botão de “Desligar” até que, na tela, apareça o aviso de “Reboot no modo de segurança”;
  3. Clicar em “Ok”;
  4. Esperar que o celular reinicie. Em algum dos cantos da tela, haverá uma marca d’água com “Modo se Segurança” escrito.

Após entrar no “Modo Segurança”, está na hora de procurar pelo aplicativo malicioso e desinstalá-lo do celular. Pode não ser uma tarefa fácil, mas em algum momento irá dar certo. Caso o app tenha restrições para ser desinstalado, faça o seguinte:

  1. Vá até “Configurações > Segurança > Administradores de Dispositivo”;
  2. Localize o aplicativo e, em seguida, clique na caixinha nas proximidades;
  3. Clique na opção “Desativar” assim que for solicitado.

Depois disso, basta voltar para “Configurações > Apps > Baixados” e, por fim, desinstalar o aplicativo da mesma maneira que foi explicado anteriormente.

Caso nada funcione: restaure

Ambas as orientações acima a respeito de como tirar vírus do celular são as mais eficazes encontradas. No entanto, caso nenhuma delas funcione da forma esperada, a única alternativa que resta é restaurar o aparelho. Infelizmente todos os arquivos e dados serão perdidos, mas deixarão o celular livre do malware.

Como tirar vírus do iPhone?

Imagem de celular com aplicativos na tela

Ainda que os vírus em iPhone sejam relativamente raros, há momentos em que alguns malwares podem ser detectados no aparelho. Por isso, saber como tirar vírus de iPhone é um tópico essencial para a sobrevivência de todo e qualquer pessoa usuária da marca. Confira, abaixo, quais atitudes podem ser tomadas em caso de vírus:

  1. Remova todos os aplicativos suspeitos: excluir todo e qualquer aplicativo que não seja reconhecido pelo usuário pode ser uma solução para o problema;
  2. Desligue e reinicie o seu aparelho: basta segurar o botão de ligar/desligar para que o aparelho seja desligado. Depois, pressionar o botão novamente para que reinicie. Isso poderá causar a correção do problema.
  3. Limpe todos os dados e históricos: ao acessar o Safari por meio das configurações, basta tocar em “limpar o histórico e os dados de sites”;
  4. Restaure o telefone por meio de um backup anterior: se possível, utilizar versões de backup anteriores até achar aquela que não apresenta problemas.

Caso nenhuma das alternativas seja capaz de resolver o problema, a única solução, assim como no caso do Android, é restaurar o aparelho para as suas configurações de fábrica. Para isso, basta ir em “Ajustes > Geral > Redefinir > Pagar Conteúdo e Ajustes”.

Como se proteger de vírus no seu celular?

Proteção nunca é demais, principalmente quando falamos a respeito dos celulares, que estão sempre presentes em qualquer lugar que as pessoas vão. Sendo assim, confira as principais dicas para evitar a contaminação por meio de vírus nos aparelhos.

Instalar um antivírus

O primeiro passo para se prevenir é instalar um antivírus. Esse tipo de aplicação é muito útil não apenas para evitar que novos vírus entrem no aparelho, mas também para remover os que já estão instalados. Graças ao sistema de varredura, torna-se muito mais simples proteger seus dados sigilosos.

Manter o celular atualizado

Ao manter o smartphone com as atualizações em dia, torna-se possível garantir a segurança do aparelho. Isso porque quem desenvolve o sistema sempre está trabalhando em melhorias para a segurança e reforçando os métodos de proteção do celular em cada um dos patchs de atualização.

Evitar redes públicas

As redes públicas são uma verdadeira ameaça para quem deseja proteger o celular. É por meio delas que hackers conseguem se infiltrar e, consequentemente, roubar informações importantes. Dessa maneira, uma boa sugestão é utilizar dados móveis quando precisar sair de casa.

Instalar aplicativos apenas de lojas oficiais

As únicas maneiras realmente seguras de baixar algum aplicativo é utilizando as lojas virtuais da Google Play Store ou da App Store. Esses apps são previamente fiscalizados para manter a proteção das pessoas. No entanto, use essa regra em conjunto com a de baixar um antivírus.

Como saber se seu computador está com vírus?

Para saber como tirar vírus do PC, é necessário reconhecer todos os sinais que a sua máquina oferece ao ser infectada. Esses indicativos podem variar de acordo com o tipo de malware contraído e, também, com o sistema operacional de cada uma das pessoas usuárias.

Processamento lento

O processamento lento é um problema que não deveria surgir de um dia para a noite, mas sim com alguns anos de uso. No entanto, caso isso aconteça inesperadamente e a máquina começar a apresentar falhas e dificuldades para abrir aplicativos, isso significa que há uma infecção no sistema.

Comportamento imprevisível

Vírus causam muitas reações estranhas em um computador, seja abrir guias que não foram solicitadas ou, até mesmo, programas sendo executados sem a autorização do usuário. Quando um PC para de responder aos cliques, isso significa que algo de muito errado está acontecendo em seu sistema.

Mensagens constantes de erro

Um computador sempre saberá que há algo de errado antes mesmo que uma pessoa usuária possa perceber. Uma das formas que a máquina consegue de avisar o seu utilizador é por meio de mensagens de erro. Sempre pesquise essas notificações em um buscador para entender com qual tipo de vírus precisará lidar.

Anúncios inesperados

Sempre que navegamos na internet, é possível encontrar alguns anúncios graças ao nosso histórico de pesquisa. No entanto, quando encontrar alguma publicidade fora do comum, não clique! Muitos vírus são instalados dessa forma. Quando o computador fica infectado, dezenas de anúncios aparecem descontroladamente na tela.

Desligamento fora de hora

Um desligamento sem a solicitação do usuário aconteceu. E agora? Provavelmente o computador foi infectado por algum vírus que assumiu o controle das suas operações. Sendo assim, é necessário fazer um diagnóstico o mais rápido possível para não perder arquivos e informações importantes.

Como tirar vírus do Windows?

Para saber como tirar vírus do Windows é necessário seguir alguns passos padrão, ensinados pela própria empresa, para conseguir eliminar essa ameaça de uma vez por todas. No entanto, recomenda-se que assim que um novo aparelho for adquirido, um antivírus seja instalado para evitar possíveis infecções.

Para que um vírus seja removido do Windows, é necessário:

  1. Abrir a “Segurança do Windows” por meio das configurações;
  2. Selecionar a aba “Proteção contra ameaças > opções de verificação”;
  3. Clicar em “Windows Defender verificação offline” e, após isso, “Examinar agora”.

Levará cerca de 15 minutos para que essa ação seja executada e, após isso, o computador passará por uma reinicialização. Após esse período, exiba os resultados da verificação por meio de:

  1. “Segurança do Windows” nas configurações;
  2. E “Proteção contra ameaças > proteção contra vírus”.

Graças a essa ação, a Windows Defender irá detectar e remover, de forma automática, todo e qualquer vírus ou colocará o malware na zona de quarentena.

Como tirar vírus do Mac?

Os Macs são considerados muito seguros, principalmente se forem comparados com os outros tipos de computadores. Isso se deve aos recursos nativos, como o GateKeeper, que não permite que nenhum outro arquivo seja instalado fora dos padrões estabelecidos pela própria Apple. No entanto, há alguns malwares aprimorados.

Para realizar a remoção dos vírus em um sistema como esse, será necessário:

  1. Apagar as extensões do navegador (Safari, Chrome, Firefox) por meio da barra de menus;
  2. Desinstalar aplicativos que não se parecem com os instalados pela própria Apple por meio da pasta de aplicativos;
  3. Criar um novo perfil de usuário para fugir do vírus;
  4. Limpar os itens de início pelo menu Apple > Preferências de segurança.

Como se proteger de vírus no seu computador?

Após descobrir como tirar vírus do notebook e do computador, é importante saber quais são as medidas preventivas que podem ser adotadas para garantir que a máquina esteja sempre em segurança, ou pelo menos para evitar que malwares tenham acesso a arquivos mais profundos do dispositivo.

Instalar um antivírus

Assim como foi recomendado no caso do celular, instalar um antivírus pode ser uma ótima opção para proteger o computador. Graças a esse tipo de aplicação, torna-se possível escanear todos os arquivos que transitam na máquina e, consequentemente, bloquear ações nocivas.

Não abrir e-mails com remetentes desconhecidos

Caso não conheça o remetente de um e-mail, não abra a mensagem. Muitos hackers enviam anexos perigosos para usuários utilizando um banco de dados disponível na Internet. Assim, eles conseguem infectar um computador ou, até mesmo, uma rede de computadores inteira.

Usar bloqueador de pop-ups

As janelas conhecidas como “pop-ups” são abertas sem nenhum comando em um site onde o usuário está tentando acessar um conteúdo em específico. Ainda que a maioria seja apenas de anunciantes, é possível que contenham algum código malicioso e que traga sérios prejuízos ao computador. Por isso, instalar um bloqueador é uma excelente opção.

Como saber se seu PenDrive está com vírus?

Existe uma forma muito fácil de detectar se um pendrive está com vírus ou não: limpando o dispositivo. Essa técnica funciona para computadores com sistema operacional Windows:

  1. Primeiro, abra o Windows Explorer e selecione “Este computador”;
  2. Clique com o botão esquerdo sobre o caminho do pendrive e, em seguida, selecione “Verificar com Windows Defender”;
  3. Por fim, espere a finalização da verificação.

Também é possível instalar programas verificadores em outros tipos de sistemas operacionais para garantir uma maior segurança para a máquina.

Como tirar vírus do PenDrive? 

Não sabe como tirar vírus do pendrive? Existem alguns meios simples que podem ajudar os usuários a se livrarem de malwares que tentarem invadir esse dispositivo móvel e que, em muitos momentos, é utilizado para se conectar e se desconectar de outros aparelhos.

Antivírus

Baixar um bom antivírus já vai ser mais do que suficiente para proteger o seu pendrive, bem como o seu computador ou celular. Por isso, mantenha o dispositivo conectado a um smartphone ou pc e inicialize uma verificação para ter a certeza de que tudo está certo. Caso não esteja, é só começar a fase de extração.

Autorun

O autorun é uma função automática inicializada quando o pendrive é conectado. Caso uma ação aconteça no momento na conexão, mas ela não tenha sido programada pelo usuário, é provável que haja algum arquivo malicioso. O ideal é removê-lo da seguinte forma:

  1. Abrir o Prompt de Comando em “Iniciar > CMD”;
  2. Selecionar a letra do pendrive e digitar “:”;
  3. Digitar “attrib -r -s -h /s / d D:*.*” (sem as aspas) e dar Enter;
  4. Digitar “del *.Ink /S” (sem as aspas) para deletar todo e qualquer atalho;
  5. Deletar todos os arquivos “.exe”, “.cmd” e qualquer outro que não seja reconhecido. 

Arquivos ocultos

Mesmo realizando o procedimento anterior, há a possibilidade de algum arquivo perigoso permanecer na máquina. Por isso, é preciso deixar os arquivos ocultos visíveis. Para realizar essa alteração, é preciso:

  1. Digite “Opções do Explorador de Arquivos” no Menu Iniciar;
  2. Vá até “Modo de Exibição” e, em seguida, “Pastas e arquivos”;
  3. Escolha “Mostrar arquivos, pastas e unidades ocultas”.

Agora, basta analisar e remover todo e qualquer arquivo que pareça suspeito ou malicioso. Em muitos casos, arquivos que são deixados nessa pasta pouco conhecida pelos usuários podem ser os principais responsáveis pela maior parte dos danos causados aos computadores.

Como evitar vírus no seu Pen Drive?

Após aprender a como tirar vírus do pendrive, é chegado o momento de entender como funcionam algumas técnicas de prevenção para que nenhum malware se infiltre nesse item tão importante e portátil. As soluções mais práticas para evitar uma infecção são:

  1. Não inserir dispositivos desconhecidos no seu computador ou celular, evitando que, quando o pendrive for plugado, ele se infecte;
  2. Evitar utilizar o pendrive em computadores que sejam compartilhados e que fiquem em locais públicos;
  3. Sempre utilizar antivírus para escanear o pendrive após a sua utilização, verificando se não há nada de errado.
  4. Criar uma pasta no pendrive com o nome “autorun.inf” e salvar os arquivos dentro dela, fazendo com que a incidência de vírus diminua.

Conclusão

Aprender a como tirar vírus se tornou mais do que necessário em uma época onde a Internet e a tecnologia dominam o mundo. Para proteger os seus dados e evitar que informações sigilosas sofram com os vazamentos, o ideal é adotar medidas preventivas e evitar o uso compartilhado de aparelhos.

Quer fazer parte do mundo da tecnologia e ser um profissional da área? Então siga com a Trybe!

0 Shares:
Você também pode gostar