O jailbreak ganhou muita popularidade no passado, pois era capaz de remover as restrições que as operadoras adicionavam no iPhone. Com o passar do tempo, embora muito polêmico, o Jailbreak pode ser feito sem muitas dificuldades nos dispositivos com IOS.

Se por um lado, ao realizar o Jailbreak você poderá contar com total personalização do aparelho, além de aumentar o leque de possibilidades com os aplicativos e os recursos que podem ser explorados fora das lojas oficiais, um dispositivo que apresenta tal hack corre sérios riscos de segurança, instabilidades e perde a garantia.

Por isso, o Jailbreak é um processo relativamente fácil, que conta com grandes comunidades e tutoriais na Internet. Mas saiba que ao fazê-lo estará por sua conta e risco, pois a Apple não apoia tal prática. Neste artigo, vamos apresentar a você tudo sobre esse hack tão famoso entre pessoas usuárias de IOS:

O que é Jailbreak?

Jailbreak é um desbloqueio, destravamento ou remoção das restrições de software para um dispositivo eletrônico. O hack permite que a pessoa usuária tenha total acesso à raíz do sistema operacional, burlando barreiras que foram desenvolvidas propositalmente pela empresa responsável.

O termo é usado comumente para se referir ao acesso irrestrito em aparelhos da Apple (por exemplo: iPhone, iPad, iPod). 

Qual o significado do termo Jailbreak?

Em tradução livre, Jailbreak significa “fuga da prisão” e faz uma analogia aos dispositivos IOS possuírem muitas restrições ou limitações. Desse modo, “fugindo da prisão”, a pessoa usuária teria uma experiência mais personalizada. 

Dentre as possibilidades podemos citar: instalação de softwares não listados na loja e habilitação de recursos de hardware que estavam bloqueados anteriormente.

Como funciona o Jailbreak?

O Jailbreak explora as vulnerabilidades encontradas em uma versão específica do IOS para modificar o sistema de forma a conceder acesso ilimitado e, até então, restrito. Portanto, a cada atualização do IOS, a equipe responsável pelo hack terá que trabalhar para conseguir burlar essa nova versão e publicar para seus seguidores.

Quando essa ação é realizada em um iPhone, por exemplo, não são modificados os recursos já existentes do aparelho. Se você fizer o Jailbreak, vai continuar conseguindo baixar os apps da loja oficial, mas também conseguirá baixar apps de lojas independentes (Cydia) ou apps ilegais.

Você talvez já tenha ouvido falar do modo “root” em smartphones. Para trazer uma comparação, tal termo pode ser entendido como o “Jailbreak do Android”.

Quais os tipos de Jailbreak?

Esse processo é bem explicado e detalhado por fóruns na comunidade. O código e as ferramentas necessárias são disponibilizadas de forma gratuita e, atualmente, existem dois tipos de jailbreak:

Jailbreak tethered

No Jailbreak tethered, é necessário que o dispositivo esteja conectado a um computador. Fazendo dessa forma, sempre que o aparelho for reiniciado, voltará às suas configurações anteriores (a menos que o processo seja realizado com auxílio de um computador).

Esse é o modo mais recomendado para os iniciantes ou para quem quer testar algumas possibilidades de uso.

Jailbreak untethered

O Jailbreak untethered é o modo mais permanente, já que uma vez feito o processo, as restrições não voltarão nem mesmo com a reinicialização do aparelho. Para realizar o Jailbreak untethered não é necessário o auxílio do computador na inicialização do aparelho.

Fazer Jailbreak é crime?

Fazer Jailbreak não é ilegal no Brasil, mas isso vai depender das leis do país em questão. E também pode depender do seu objetivo a partir da prática do Jailbreak.

Nos Estados Unidos, por exemplo, Jailbreak pode ser enquadrado na Lei de Direitos Autorais do Milênio Digital. Isso significa que é proibido o processo que visa driblar bloqueios digitais que protegem o acesso a trabalhos autorais. Porém, a cada 3 anos, uma lista de itens isentos é revisada. Essa lista conta atualmente com: telefones, relógios, tablets, TVs e mais.

Lembre-se sempre que a Apple não gosta dessa prática. Uma vez feito o Jailbreak, seja ele na versão tethered ou untethered, seu dispositivo perderá a garantia, além de ficar mais exposto a ameaças de segurança.

Existem grupos hackers que disponibilizam códigos e tutoriais de graça para quem se interessar, declarando-se contra a pirataria. Mas não podemos afirmar que todos são “bonzinhos”, pois há também aqueles que modificam códigos que estão sob propriedade da Apple.

O Jailbreak é seguro?

Não, por mais que você procure por grandes comunidades e ferramentas populares que dizem ser seguras, não tem como dizer que é mais seguro do que manter um dispositivo Apple de fábrica. E mesmo esses, muito famosos pela segurança, podem ser alvo de hackers

Além de que você passa a confiar no código e nas modificações que serão feitas em seu iPhone, não dá pra saber realmente tudo que será modificado. Para algumas pessoas o desbloqueio pode ser útil, pode ser o que procuram. Cabe a cada um avaliar se os benefícios superam os riscos.

Quais os 5 principais riscos de fazer o Jailbreak?

  • Perda de garantia do dispositivo Apple;
  • Mais vulnerabilidade a ataques de cibercriminosos;
  • Problemas de estabilidade com a versão instalada;
  • Menor duração da bateria;
  • Compromete as atualizações do IOS.

Quais as vantagens e desvantagens de fazer o Jailbreak?

Vantagens

  • Liberdade de uso dos recursos e as mais diversas customizações;
  • Permite desinstalar aplicativos padrão;
  • Instalar aplicativos mesmo que não estejam na App Store (loja oficial);
  • Possibilidade de desbloquear restrições da operadora.

Desvantagens

  • Instabilidades no sistema operacional;
  • Pode ocasionar problemas na sincronização com outros dispositivos Apple;
  • Há chance de ter problemas de acesso aos serviços da Apple;
  • Abre espaço para instalação de malwares (apps que não passam pela verificação de segurança da App Store);
  • Dependência da comunidade de jailbreak.

Quais as diferenças entre Root e Jailbreak?

A diferença é na parte prática de uso cotidiano: o termo “Jailbreak” é usado para se referir ao contexto de telefones da Apple, enquanto que o termo “Root” é usado para se referir ao contexto dos telefones com Android.

Mas não se engane, ambos os termos são quase sinônimos, já que se referem a uma ação de quebra das restrições ou o acesso à raíz do Sistema Operacional (SO).

Como saber se o Jailbreak foi feito no seu celular?

Atualmente, a maneira mais fácil de identificar esse tipo de hack é analisando os aplicativos que estão instalados no dispositivo. Um app famoso, como o Cydia, permite que o usuário possa instalar outros apps (a partir dele) que não estão na loja oficial. A lógica é: se tem o Cydia instalado, foi feito Jailbreak, pois de outro modo seria impossível obtê-lo.

Basicamente, algum aplicativo, interface ou função sempre pode ser observada para entregar que o Jailbreak está em atividade. Afinal de contas, por que alguém faria o Jailbreak se não for usar suas possibilidades?

Com isso, você deve estar se perguntando: existe algum aplicativo oficial que detecta se o Jailbreak foi realizado? E a resposta é não. Em 2016, existia na App Store um aplicativo chamado System and Security Info IOS da SektionsEins que, após uma varredura, dava um veredito se o telefone possuía ou não Jailbreak. Mesmo com o sucesso, a Apple o retirou da loja.

De forma geral, todo app que se propõe a fazer isso não consegue ficar na loja. Se quiser ter certeza que o dispositivo não passou por tal artifício, você pode optar por restaurar as configurações de fábrica. Esse tipo de restauração deixa o aparelho completamente zerado e reverte tudo que o Jailbreak pode ter alterado.

10 ferramentas para usar com o Jailbreak!

Se depois de ler todos os prós e contras você decidiu que quer seguir com o Jailbreak, aqui estão 10 ferramentas para usar após o processo:

1. Springtomize

Um controle personalizado de quase toda a interface principal do IOS. Com esse app, você pode customizar os ícones da página principal, pastas, textos, animações, transições, habilitar/desabilitar recursos. Possui uma versão 2 e, quando lançada, custava $2,99 dólares.

2. DetailedBatteryUsage

Mesmo com a Apple adicionando estatísticas do uso de bateria para cada aplicativo, ainda é possível ver um relatório mais detalhado dessas informações com o aplicativo DetailedBatteryUsage. A principal funcionalidade desse app é exibir um gráfico que mostra o nível de bateria em relação ao tempo de utilização.

3. Touchr

Possibilita que o usuário configure os toques no touch para ações específicas. Toque duplo e toque triplo podem executar ações, como voltar à tela inicial, abrir o menu ou ativar algum app. O interessante é que as configurações do Touchr funcionam até mesmo com a tela apagada. O app possui um período de teste gratuito, mas depois cobra o valor de $1,99 dólares para ser usado.

4. Globalize

Torna possível acessar qualquer recurso do aparelho que tenha sido bloqueado pela questão geográfica. Por exemplo: utilizar o FaceTime no Oriente Médio.

5. ProTube 2

O aplicativo insere a função de “download” para ser usada dentro do Youtube, permitindo que o vídeo ou o áudio seja baixado. Você também pode escolher a qualidade do arquivo e todos os downloads são compatíveis com o AirPlay. 

6. CallBar v2

Possibilita a função de retorno rápido para chamadas. Além de poder atender ou recusar a ligação, você ganha a opção de responder com uma mensagem de texto rápida. O app também conta com integração com a Siri. Essa versão 2, quando lançada, custava $3,99 dólares.

7. iCleaner

Já conhecido pelos usuários de Android, o iCleaner permite limpar os dados em cache, arquivos temporários e aqueles resquícios de apps já desinstalados com o objetivo de liberar espaço na memória do telefone.

8. BioProtect

Com esse aplicativo é possível adicionar a segurança da biometria para qualquer coisa dentro do celular: abrir um app específico, deletar alguma informação, reiniciar o dispositivo e mais.

9. Deck

Adiciona um recurso de barra lateral para customizar com atalhos para os principais apps que são utilizados. Algo que pode ser comparado com a barra de tarefas do Windows ou a barra auxiliar que algumas versões do Android disponibilizam.

10. Rocket for Instagram

Esse app promete aumentar sua experiência dentro do Instagram. Ao integrá-lo, ele possibilita a alteração de layout do aplicativo, ocultar propagandas, download de posts, editar o número de seguidores e ainda outros recursos.

Como desfazer o Jailbreak? Passo a passo!

Como dito anteriormente, a forma mais simples de remover um Jailbreak é restaurando o iPhone para as configurações de fábrica. Mas isso só é necessário caso tenha sido feito pelo modo untethered.

Antes de restaurar o aparelho e apagar todos os dados do seu iPhone, é altamente recomendado fazer um backup. O backup de preferência deve ser feito na nuvem, em sua conta no iCloud, e pode ser feito da maneira manual com os seguintes passos:

  1. Certifique-se que o aparelho tem conexão a Internet;
  2. Vá para “Ajustes”;
  3. Pressione em cima de seu nome;
  4. Selecione a opção “iCloud”;
  5. Selecione “Backup do iCloud”;
  6. Pressione “Fazer Backup Agora”.

Observação: se seu IOS não é o 15, esses passos podem não o que você precisa. Por isso, confira os detalhes de outras versões no suporte oficial da Apple.

Espere até o backup ser finalizado. Depois, está tudo pronto para seguir com a remoção do Jailbreak.

O próximo passo é restaurar o iPhone para suas configurações de fábrica e apagar todo o conteúdo salvo no mesmo. Para fazer isso, você pode seguir os passo a seguir:

  1. Vá para “Ajustes”;
  2. Selecione a opção “Geral”;
  3. Depois, selecione “Transferir ou Redefinir o <dispositivo>”;
  4. Pressione “Apagar Conteúdo e Ajustes”;
  5. Caso seja solicitado, insira seu código de acesso ou senha;
  6. Confirme sua ação de apagar o conteúdo do dispositivo;
  7. Aguarde enquanto o aparelho desliga e faz todo o processo (pode levar algum tempo).

Caso tenha problemas com esse processo, você pode obter mais detalhes no suporte oficial.

Conclusão

Apenas para recapitular tudo que foi visto anteriormente. Podemos afirmar que o Jailbreak é um hack feito, principalmente, em aparelhos da Apple para adicionar customizações e habilitar recursos que são limitados/bloqueados de forma proposital.

Também por isso, o Jailbreak traz diversos riscos para as pessoas usuárias. Porém, mesmo a Apple se posicionando contra essa prática, é inegável que as comunidades hacker que desenvolvem o Jailbreak contribuem para fazer do iPhone um dos celulares mais populares do mundo.

Se você gosta de ficar atualizado com as novidades acerca do iPhone, venha conferir essa leitura sobre o lançamento do iPhone e o desafio do 5G no nosso blog!

0 Shares:
Você também pode gostar