A Apple divulgou no início desta semana seu relatório anual, e um dos destaques foram os pagamentos feitos aos desenvolvedores. Desde que a App Store foi lançada em 2008 até o ano de 2021, a empresa afirma ter pago mais de US$ 260 bilhões a esses profissionais.

No ano passado, a companhia foi alvo de uma série de processos judiciais após ser acusada de práticas anticompetitivas, mas isso não impediu que ela registrasse um crescimento recorde em 2021. 

Esses US$ 260 bilhões representam uma quantia muito maior em comparação aos anos anteriores. Em 2020, o total era de US$ 200 bilhões, o que significa que a Apple pagou US$ 60 bilhões a desenvolvedores de aplicativos em 2021. 

No final de 2019, a companhia havia registrado um total de US$ 155 bilhões desde a estreia da App Store, enquanto que em 2018, esse número estava em torno de US$ 120 bilhões

Ao analisar esses dados, é possível perceber que os pagamentos realizados aos desenvolvedores saltaram US$ 35 bilhões de 2018 a 2019 e, posteriormente, mais US$ 45 bilhões de 2019 a 2020.

Ajustes nas comissões

Os dados referentes aos pagamentos realizados aos desenvolvedores, no entanto, não são suficientes para indicar o estado geral da economia da App Store, visto que a porcentagem paga por aplicativos individuais pode variar.

Recentemente, a Apple vem enfrentando críticas em relação às suas práticas de negócios na App Store, além de queixas e ações antitruste. Isso tudo levou a empresa a ajustar a estrutura de comissões a fim de reduzir a porcentagem que ela retém da receita dos desenvolvedores.

Mesa com computadores e máquinas da Apple.
A Apple vem enfrentando críticas em relação às suas práticas de negócios na App Store, além de queixas e ações antitruste

Assim, com o lançamento do Small Business Program, em novembro de 2020, a Apple reduziu sua comissão de 30% para 15% no caso de aplicativos que faturassem até US$ 1 milhão por ano. Outra redução foi anunciada em 2021 para apps de notícias selecionados que optassem por participar do Apple News Partner Program

A empresa não divulgou dados sobre a quantidade de desenvolvedores e produtores de conteúdo que se beneficiaram dessas iniciativas. No entanto, ela afirma que a “vasta maioria” dos aplicativos estariam qualificados para o desconto oferecido a pequenos negócios. 

Acusações antitruste

Uma das particularidades do relatório mais recente é que a Apple não divulgou um número referente aos gastos na App Store durante a semana entre Natal e Ano Novo, limitando-se a dizer que os consumidores gastaram “mais do que nunca”, gerando um crescimento de dois dígitos em relação ao ano anterior. 

No relatório de 2020, a companhia da maçã havia informado um total de US$ 1,8 bilhão gastos em produtos e serviços digitais neste mesmo período de festas, sendo impulsionados pelas vendas em jogos. 

No geral, os números mostram um cenário positivo para a empresa, considerando as polêmicas em que ela esteve envolvida em 2021. O caso da Epic Games, por exemplo, ainda está em andamento, com a desenvolvedora de games exigindo que a Apple ofereça outros métodos de pagamento além do seu próprio sistema. 

Em alguns países, como Japão e Coreia do Sul, a Apple teve que ajustar suas regras após reguladores exigirem que a empresa permitisse links para sites externos, além de implementarem outras medidas para reduzir as comissões.

0 Shares:
Você também pode gostar