Estudar programação é um processo que exige cuidado, comprometimento e dedicação.

São diversos conteúdos, matérias e linguagens novas para absorver. Por isso, se você começar sem o devido preparo e cuidado, pode cometer alguns erros ao estudar programação que tornarão o aprendizado mais lento e dificultarão sua evolução técnica e profissional. 

Neste post, falaremos sobre os erros mais cometidos por quem está iniciando na área e também explicaremos como começar a estudar programação de forma eficiente.

Boa leitura!

13 erros comuns ao estudar programação que você deve evitar!

Ao estudar programação, é normal cometer alguns erros que prejudicam o aprendizado ou dificultam o progresso nos estudos. Mesmo que eles sejam óbvios para quem já atua na área, podem passar batido para quem está começando.

Estudar apenas a teoria, não pedir ajuda em caso de dúvidas ou tentar aprender diversas linguagens de programação ao mesmo tempo são falhas comuns que você pode evitar.

Pra te ajudar com isso, listamos abaixo 13 erros comuns ao estudar programação e explicamos como você pode evitar cada um deles. Confira!

1. Não estudar de maneira estruturada

Um erro bastante comum de quem começa a estudar programação é não adotar uma metodologia estruturada. Isso significa que, muitas vezes, as pessoas iniciantes não seguem uma rotina de estudos ou mesmo um “roteiro” de temas a serem vistos.

    Como evitar e/ou corrigir?

Para evitar esse tipo de erro, é interessante definir um programa de estudos, entender quais os objetivos com o aprendizado de programação e quais os passos necessários para atingi-los.

2. Estudar apenas a parte teórica

Outra situação comum ao estudar programação é focar apenas na parte teórica, deixando de lado a prática. Como o desenvolvimento profissional exige que se consiga criar seus próprios códigos, é fundamental aliar o estudo teórico com as atividades práticas.

    Como evitar e/ou corrigir?

Crie seus próprios projetos e códigos, acompanhando tutoriais, realizando exercícios práticos e buscando compreender a utilização de cada um dos elementos da linguagem de programação.

3. Deixar de lado fontes de conhecimento técnico como livros e manuais

Pessoa lendo conteúdo sobre programação

Por mais que a área de programação permita os estudos através de vídeos online, muitos conteúdos de excelência também podem ser encontrados em livros e manuais.

    Como evitar e/ou corrigir?

Conheça materiais de referência na área. Aqui vão algumas indicações:

4. Não contar com uma base sólida de lógica de programação

Independentemente da linguagem de programação escolhida para seus estudos (conforme explicaremos abaixo), é fundamental contar com uma estrutura sólida de lógica de programação, já que ela é quem ajuda a ter uma compreensão mais eficiente da formação do código e permite desenvolver soluções funcionais.

    Como evitar e/ou corrigir?

Estude lógica de programação como um dos conhecimentos pilares para o desenvolvimento técnico. Compreender seu funcionamento, diretrizes e boas práticas irá facilitar o entendimento das linguagens de programação e sua aplicação dentro dos projetos.

5. Não pedir ajuda em caso de dúvidas

Muitos estudantes sentem insegurança ou vergonha para pedir ajuda em caso de dúvidas durante os estudos. Mas, como em qualquer outra trajetória de ensino, essa é parte fundamental do aprendizado e deve ser uma prática adotada pelas pessoas que querem aprender programação.

    Como evitar e/ou corrigir?

Entre para fóruns online, comunidades de pessoas iniciantes em programação ou até mesmo participe de platões de dúvidas em cursos, onde você terá mais privacidade para falar. Assim, começará a ter mais segurança para pedir ajuda ao estudar programação.

6. Não contar com uma pessoa mentora de carreira

Se você deseja aprender programação para seguir na carreira, é importante contar com uma pessoa mentora. Em geral, essa pessoa atua na mesma área, com experiência no setor que você deseja, tanto pessoal quanto profissionalmente.

    Como evitar e/ou corrigir?

Procure uma pessoa mentora de carreira em fóruns, cursos ou até mesmo redes sociais de networking. Ela irá auxiliar você na escolha da linguagem de programação, dos cursos a serem feitos e também ao longo das etapas do desenvolvimento profissional.

7. Estudar diversas linguagens de programação ao mesmo tempo

Outro fato comum aos estudantes iniciantes é a tentativa de se dedicar a diversas linguagens de programação ao mesmo tempo, o que dificulta o aprendizado e impede o desenvolvimento pleno das habilidades na área.

    Como evitar e/ou corrigir?

É recomendado escolher uma linguagem de programação que faça sentido com os objetivos de carreira e, assim, se aprofundar primeiro nela. A pessoa que deseja atuar com programação para web, por exemplo, pode iniciar os estudos com Javascript ou Ruby, enquanto quem tem foco na programação de jogos pode ter interesse em estudar C# e C++, linguagens frequentemente utilizadas na área.

8. Tentar decorar ao invés de aprender o funcionamento

Quando estamos iniciando em nossos estudos, geralmente escolhemos uma linguagem para aprender, como Javascript, C, Python e outras. Cada linguagem possui sua própria sintaxe e comportamentos.

Nesse cenário, um erro muito comum ao estudar programação é tentar decorar estes itens. Por exemplo, decorar como fazer um laço de repetição em cada uma delas.

    Como evitar e/ou corrigir?

Não devemos decorar sintaxe, pois ela pode ser consultada a qualquer momento na documentação da linguagem. Desse modo, foque em aprender sobre os fundamentos, isso dará liberdade para implementar soluções em qualquer linguagem. 

9. Não usar papel e caneta

Pensar sobre a solução a ser desenvolvida fundamental para a programação.

Ao desenvolver uma funcionalidade ou solucionar um bug, parece mais prático partir diretamente para a codificação, utilizando ferramentas cheias de recursos. Ao fazermos isso, podemos estar pulando essa parte importante, que é pensar sobre a solução a ser desenvolvida

    Como evitar e/ou corrigir?

Utilize o básico: papel e caneta. Antes de codificar, foque nas ideias e conceitos que cercam o processo. Treine sua mente para resolver esses problemas. Isso vai ajudar a traçar o melhor caminho e evitar frustrações com soluções falhas.

10. Apenas copiar e colar códigos prontos

É comum nos depararmos com tutoriais e artigos que já trazem códigos implementados. Além disso, também é comum copiarmos esses trechos enquanto acompanhamos o conteúdo.

Essa prática é um dos erros mais cometidos ao estudar programação, pois ao fazermos isso, não estamos aprendendo. Sempre que o processo é copiar e colar algo pronto, não estamos pensando e analisando os fundamentos por trás da lógica desenvolvida. E isso é tudo o que não queremos para nossa formação.

    Como evitar e/ou corrigir?

Entenda a teoria e seus principais fundamentos. Em seguida, tente implementar sua própria lógica, utilizando os códigos do material de estudo apenas como apoio. Assim, você pode fixar melhor o conteúdo e encontrar outros cenários que vão levar a tópicos diferentes, enriquecendo seu conhecimento.  

11. Utilizar ferramentas visuais simples

Aprender os fundamentos da programação utilizando ferramentas visuais simples, como o Scratch, em que a lógica é construída arrastando blocos coloridos, pode parecer uma boa ideia. Por outro lado, esta ferramenta é mais indicada para crianças, que ainda estão se familiarizando com o uso do teclado. Para pessoas mais velhas, essas ferramentas podem limitar a aquisição de conhecimento, uma vez que não representam fielmente a criação de uma linha de código.

    Como evitar e/ou corrigir?

Tendo isso em mente busque por uma linguagem de programação mais simples, como Javascript, Python ou Ruby e aprenda diretamente com ela para iniciar os estudos. Isso permite maior visibilidade sobre como a programação funciona e como o código é construído realmente.

12. Tentar aprender tudo de uma vez

A ansiedade de querer aprender o máximo de conteúdo possível e em pouco tempo pode ser uma grande vilã. O mundo da tecnologia é cercado por diversas linguagens de programação e fundamentos a serem estudados. Por isso, querer aprender tudo de uma vez apenas mina sua concentração e retenção de conhecimento.

    Como evitar e/ou corrigir?

Evite estudar mais do que dois conteúdos diferentes ao mesmo tempo. Lembre-se de que o mundo da tecnologia foi construído ao longo de anos. Por isso, também não será possível aprender tudo do dia para a noite. Assim, foque sua concentração em um ou dois assuntos e quando sentir que já reteve conhecimento suficiente, busque por outros tópicos.

13. Não fazer um bom curso de programação

Quando estamos estudando algo, seja para nos atualizar ou para aprender algo do zero, é natural procurar por assuntos que nos interessam por conta própria. Isso pode ser útil por um tempo, mas também pode levar a um aprendizado desconexo e acabar nos desmotivando. 

    Como evitar e/ou corrigir?

Por isso, nesse cenário, é importante que também nos dediquemos a um estudo estruturado, como um bom curso. Isso ajudará a nos organizarmos melhor. Por isso, procure por plataformas com essa possibilidade. A Trybe é uma delas e dispõe de um curso de desenvolvimento web completo, online, com aulas ao vivo e alto índice de empregabilidade, saiba mais clicando aqui

12 erros comuns de um programador iniciante

Agora, vamos conferir também os erros mais comuns cometidos por pessoas iniciantes na área de programação. Assim, você consegue se preparar para não cometê-los futuramente!

1. Não planejar a estrutura do código antes de escrever

Se deparar com um problema a ser resolvido e partir imediatamente para a codificação certamente resultará em retrabalho posteriormente, além de impactar na data de entrega e no custo do projeto, pois a fase de planejamento do código foi deixada de lado.

    Como evitar e/ou corrigir?

Por isso, antes de codificar, é importante ter diferentes perspectivas sobre o problema. Use ferramentas e técnicas, como fluxogramas e o brainstorming para encontrar a solução mais adequada à situação e evitar este erro.

2. Desorganização no código

Um código bom não é apenas um código que está funcionando: precisa ser legível, limpo e de fácil manutenção. Um erro comum é focar apenas no primeiro aspecto e descobrir, posteriormente, que o código se tornou um “monstrinho”.

    Como evitar e/ou corrigir?

Estude sobre as boas práticas de construção de código. Tenha em mente itens como indentação, uso consciente de novas linhas e espaços em branco, funções enxutas e nomes de variáveis legíveis.

3. Não testar seu código

Não testar o código desenvolvido pode gerar diversos imprevistos. Por vezes, temos tanta familiaridade com o código que automatizamos nossa forma de usar a aplicação. Desse modo, podemos deixar passar alguns cenários que podem ser comuns no dia a dia de uso da aplicação. Um exemplo bastante comum é o envio de números com formatação e caracteres com acento, que podem ocasionar erros tanto na exibição dos dados quanto no envio, caso não sejam tratados corretamente. 

    Como evitar e/ou corrigir?

Ao finalizar uma funcionalidade, tire alguns minutos para clarear a mente e retorne a aplicação. Faça testes buscando refletir sobre os diferentes cenários de uso daquele item e verifique a presença de falhas. Outra opção é solicitar para que outra pessoa utilize o sistema e reporte qualquer inconsistência encontrada.

4. Não revisar o código constantemente

Durante o dia a dia do desenvolvimento de aplicações, é comum criarmos uma funcionalidade e não olharmos para ela novamente depois de pronta. Isso não só abre brechas de segurança, como também dá espaço para o surgimento de bugs e códigos difíceis de compreender, pois foram escritos e não foram refatorados.

    Como evitar e/ou corrigir?

De tempos em tempos, volte ao código já implementado e revise-o. Analise se o trecho ainda é necessário, se está funcionando como esperado e se algo pode ser melhorado. Isso irá prevenir erros que podem afetar todo o sistema e deixará o código sempre atualizado.

5. Nomear variáveis de forma errada

Este é mais um dos erros no estudo de programação que ocorrem com frequência. As variáveis são um elemento inerente a qualquer linguagem de programação e vão armazenar diferentes valores. Nesse sentido, podemos acabar atribuindo nomes genéricos e não significativos a elas, o que poderá dificultar o entendimento do código posteriormente.

    Como evitar e/ou corrigir?

Seja para variáveis, funções, métodos, classes e outros, sempre devemos utilizar nomes significativos e objetivos. Por isso, evite utilizar nomenclaturas como “a”, “b”, “teste”, “num”, entre outros, no código. Quem olhar para estes itens deverá saber rapidamente sobre o que eles tratam. 

6. Esquecer de comentar no código

Mais um dos erros no estudo de programação é não comentar o código produzido. Essa má prática afeta não só a nós, que com o tempo vamos nos esquecer da lógica implementada, mas também outras pessoas com acesso ao projeto. Sem instruções, elas terão que passar horas tentando descobrir o modo como uma funcionalidade foi projetada.

    Como evitar e/ou corrigir?

Adquira o hábito de comentar o código. Sempre que você desenvolver uma nova função, componente ou lógica mais complexa, reserve um espaço para explicar de forma objetiva a sua linha de raciocínio sobre o que foi construído.

7. Repetir o código muitas vezes

A repetição de um trecho de código pode indicar a necessidade de refatoração do mesmo. Repetir código pode implicar em problemas de manutenção no futuro, pois se algum problema ocorrer, você terá que vasculhar a aplicação inteira em busca de outras partes que possuem a mesma funcionalidade.

    Como evitar e/ou corrigir?

Para maximizar a eficiência do código criado, você pode transformar o trecho que se repete em um componente ou uma função global. Desse modo, esses elementos poderão ser utilizados pela aplicação inteira, mas serão escritos apenas uma vez em um único lugar. Além disso, o uso de frameworks também pode auxiliar nesse processo.

8. Não fazer backup do seu progresso

Este é um dos erros no estudo de programação que ocorre com frequência e que cobra um preço alto. Imagine estar a horas desenvolvendo uma funcionalidade e de repente o editor fechar e você perder todo o trabalho? Ou já ter finalizado totalmente um projeto e depois descobrir que algo aconteceu e o esforço se foi pelo ralo?

    Como evitar e/ou corrigir?

Aprenda a utilizar ferramentas de versionamento de código, como o Git e Github. Não apenas porque são requisitadas pelo mercado, mas pelo poderoso sistema de recuperação e histórico de edição de código que oferecem. Além disso, essas ferramentas também permitem compartilhar o projeto com outras pessoas desenvolvedoras.

9. Não aprender com os erros

Mais um dos erros ao estudar programação é ignorar os erros apontados pela aplicação. Seja na interface ou no terminal do editor de código, quando um sistema falha, um log (lista) de erros é disparado. Esse log contém informações preciosas sobre a causa da falha. Ignorar estas informações tornará a resolução do problema mais demorada e difícil. 

    Como evitar e/ou corrigir?

Por isso, sempre que um erro ocorrer, dedique tempo para compreender as informações que o log proporciona. Assim, você poderá pesquisar de forma mais assertiva sobre a causa e encontrar soluções mais rapidamente.

10. Frustração e desânimo

Boticario-contratou-mais-home-office

O desânimo e a frustração são sensações que irão bater à porta de qualquer pessoa que estuda programação, mais cedo ou mais tarde. Apesar da dedicação em aprender o conteúdo planejado, o sentimento de que isso não é suficiente pode surgir a qualquer momento

    Como evitar e/ou corrigir?

De modo geral, estes sentimentos podem surgir quando não conseguimos visualizar os resultados de nossos esforços. Desse modo, para lidar com a situação, você pode dedicar mais tempo à prática de suas habilidades, desenvolvendo projetos pessoais. Além de aumentar seus conhecimentos, você também poderá ter uma visão mais clara do esforço concretizado e dos pontos que ainda precisam de atenção.

11. Pressa para desenvolver grandes projetos

Pular o básico e já partir para o desenvolvimento de sistemas complexos resultará em frustração. Isso se deve ao fato de que os fundamentos necessários ainda não foram completamente absorvidos. Lembre-se: a pressa é inimiga da perfeição.

    Como evitar e/ou corrigir?

Comece pelo desenvolvimento de trechos de código e aplicações mais simples. Com o tempo, avance gradualmente com a complexidade dos projetos criados. Uma boa dica é criar pequenos jogos, por exemplo. Assim, conforme você adquire conhecimento, ficará mais fácil partir para atividades maiores quando chegar o momento.

12. Não usar as ferramentas corretas

É certo que um código pode ser escrito até em um pedaço de papel. Entretanto, sem as ferramentas corretas, você levará muito mais tempo para alcançar seus objetivos, pois o esforço realizado será maior. Pense na diferença entre escrever um código HTML em um bloco de notas e em um editor, que possui mais recursos, como indentação automática e autocomplete de código. 

    Como evitar e/ou corrigir?

Atualmente, o mercado está repleto de ferramentas, pagas e gratuitas, que podem auxiliar no seu aprendizado de forma mais performática. Vejamos, a seguir, algumas delas:

  • VS Code: o VS Code é um editor de código gratuito criado pela Microsoft. Além de suportar diversas linguagens, também possui terminal de comando integrado e suporte ao versionamento de código. O VS Code está disponível para os sistemas operacionais Windows, Mac e Linux;
  • Eclipse: o Eclipse é uma IDE, possui suporte a várias linguagens de programação e ainda conta com a instalação de plugins que podem auxiliar no desenvolvimento de aplicações. Esta ferramenta também é gratuita;
  • Sublime: este é um editor de código mais simples e leve se comparado aos anteriores. Ele também possui suporte a diversas linguagens, mas por outro lado não se trata de uma ferramenta gratuita;
  • Github copilot: essa é uma inteligência artificial criada pelo Github. Trata-se de um assistente de código que sugere preenchimentos automáticos para o trecho que você está codificando, aumentando a produtividade. 

Como estudar programação de forma eficiente?

Agora que você já sabe como evitar alguns dos erros mais comuns de pessoas iniciantes ao estudar programação, veja 4 dicas para estudar de forma mais eficiente!

1. Entenda por que você deseja estudar programação

O primeiro passo para estudar de forma eficiente é entender quais os motivos pelos quais você deseja aprender a programar. Esse é um processo importante e que permite entender quais as motivações reais para estudar o assunto.

É possível que sua motivação seja aprender o mínimo de programação para conquistar uma promoção, ou que você deseje mudar os rumos de sua carreira e até mesmo que esteja buscando uma solução para um problema existente em sua rotina de trabalho.

Além de auxiliar no processo de automotivação, compreender os motivos pelos quais você deseja estudar programação também permite definir qual linguagem é a mais adequada e quais estratégias de estudo serão mais eficazes para a sua necessidade.

2. Escolha a linguagem de programação mais adequada

A escolha da linguagem também é um passo importante para quem deseja estudar programação. Existem diversas opções no mercado, mas nenhuma delas pode ser considerada melhor ou pior, já que cada uma apresenta possibilidades e usos distintos.

É possível começar os estudos como linguagens mais amplas, como JavaScript, Python ou C#, que oferecem maior versatilidade, mas outras podem ser mais interessantes caso estejam diretamente alinhadas com seus motivos para aprender a programar.

3. Comece os estudos pela lógica de programação

Como dissemos anteriormente, compreender e estudar lógica de programação é um passo importante para quem deseja estudar programação, seja para mudar de carreira, seja para progredir dentro de uma empresa.

Sendo a lógica de programação a base de todos os processos e linguagens, iniciar os estudos por ela permite que você tenha mais clareza ao escolher a linguagem a ser estudada e também oferece uma base teórica para que você inicie seus primeiros projetos.

Dessa forma, como é possível perceber, estudar programação é um processo que exige organização, comprometimento e clareza de objetivos.

Além disso, vale destacar que, ao estudar lógica de programação e entender a estrutura por trás das linguagens e frameworks, facilita transitar entre elas e até mesmo aprender novas metodologias de programação com menos dificuldade.

4. Considere fazer um curso de programação

Como já abordado anteriormente, ter um aprendizado estruturado facilita sua organização e torna mais claro o que deve ser estudado. Por isso, você pode considerar realizar um curso na área. 

Isso irá proporcionar uma rotina, contendo uma agenda de conteúdos a serem vistos, exercícios para praticar e projetos para desenvolver. Além de pessoas mentoras na área e uma comunidade, em que você poderá interagir e fazer networking.

Nesse sentido, você pode procurar plataformas que ofereçam bootcamps (cursos rápidos e imersivos), como a Digital Innovation One. Há ainda cursos mais completos, que duram cerca de um ano e possuem alto índice de empregabilidade, como a Trybe. Outra opção é a Udemy, que também oferece uma diversidade de conteúdos na área.  

Conclusão

O que você achou de conhecer os erros no estudo de programação de quem começa na área e também de nossas dicas para estudar programação de forma eficiente? Se você gostou do conteúdo e deseja acompanhar as atualizações, não deixe de conferir nossas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram e Twitter

Para agregar ainda mais ao seu conhecimento, você também pode conferir este artigo da Trybe, sobre o que é ser uma pessoa programadora júnior!

28 Shares:
Deixe um comentário
Você também pode gostar