Quando nos deparamos com um problema, a primeira coisa que buscamos fazer é encontrar uma solução, de preferência uma que possa ser aplicada quanto antes, certo? No entanto, de nada vale encontrar soluções que não sejam efetivas e até mesmo criativas para que seja possível obter o melhor resultado.

Por isso, existem técnicas que auxiliam as pessoas a solucionar problemas de forma eficaz e simples. Uma delas é o brainstorming — ou tempestade de ideias, traduzido para português. Com ele, ter insights e encontrar respostas torna-se uma tarefa mais fácil.

Interessou-se e quer aprender como colocar em prática essa técnica? Então, descubra tudo o que abordaremos neste artigo a seguir!

Então, vamos lá!

O que é brainstorming?

O brainstorming é essencialmente uma técnica utilizada por profissionais que querem ter boas ideias e encontrar soluções para os problemas e tarefas que aparecem no dia a dia de uma organização ou startup. No entanto, para que isso ocorra, alguns pontos são fundamentais.

É muito provável que você já tenha ouvido que “a união faz a força”, correto? O brainstorming veio para comprovar esse ditado popular. É importante que haja uma pluralidade de opiniões na hora de realizar um brainstorm, porque, quanto mais pessoas participarem, maior a chance de surgirem ideias inovadoras.

Além disso, é necessário que as críticas e julgamentos sejam colocados em segundo plano durante a realização dessa estratégia. Afinal, falas como essas atrapalham o processo criativo e, consequentemente, a construção de algo benéfico para a equipe e empresa.

Quais as vantagens de fazer um brainstorming?

Como visto anteriormente, o brainstorming pode ser um modo eficaz de encontrar soluções e desenvolver ideias criativas. Entretanto, essa não é a única vantagem que se tem ao utilizá-lo. Muitas empresas optam por esse método porque ele aumenta a produtividade das pessoas trabalhadoras e melhora o convívio entre elas, uma vez que é essencial que elas se comuniquem e colaborem entre si com objetivo de solucionar problemas. Desse modo, há uma melhor integração entre as pessoas profissionais e a obtenção de diversas ideias as quais não seriam encontradas caso só existisse uma cabeça pensante.

Exemplos de uso de brainstorming? Onde pode ser usado?

Quando se trata de brainstorming, são inúmeras as áreas que podem fazer uso dessa técnica. Por ser uma ótima forma de estimular a criatividade e a troca de ideias, ela é a favorita das pessoas publicitárias. Contudo, qualquer ramo que crie e busque por soluções pode se beneficiar do brainstorming.

O desenvolvimento de um aplicativo ou software, por exemplo, são atividades que precisam de ideias criativas e maneiras práticas de solucionar qualquer problema que surja ao longo do processo de construção.

Imagine que você acaba de iniciar sua carreira em uma startup que tem como principal objetivo desenvolver um aplicativo novo — de serviço de transporte ou delivery, por exemplo — e que se sobressaia dos que já são encontrados no mercado. Para que isso seja possível, é necessário que as pessoas integrantes da empresa se dediquem ao processo criativo e busquem maneiras de diferenciar o produto. Uma das melhores formas de fazê-lo é por meio do brainstorming.

Quais as principais técnicas de brainstorming?

Além da técnica clássica que iremos lhe ensinar passo a passo, existem outras formas de se realizar um brainstorming. Para que você possa diferenciá-las e escolher a que melhor se encaixa na empresa em que trabalha, iremos lhe explicar as principais. Confira!

Post-it

Além de ser visualmente agradável, essa técnica permite que todos as pessoas colaboradoras participem do brainstorming. Para colocá-la em prática é necessário que cada profissional tenha seu próprio bloquinho de post-it e uma caneta. Em seguida, cada ideia deve ser escrita em uma folha desse bloco e colada em mural de fácil acesso. A vantagem desse método é que ele facilita a visualização de todas as ideias e incentiva a participação de todas as pessoas.

Brainwritting

Essa técnica de brainstorming — conhecida como 6-3-5 — foi desenvolvida pelo alemão Brend Rohrarch e tem como meta encontrar 108 ideias em até 30 minutos. Para isso, seis pessoas devem escrever 3 ideias em 5 minutos. Depois que esse processo for repetido seis vezes durante um período máximo de 30 minutos, 108 novas ideias terão sido colocadas em um papel.

Individual

O brainstorming é preferencialmente realizado com mais de uma pessoa. Contudo, isso não significa que seja impossível fazê-lo individualmente. Na verdade, ele pode ser muito útil durante o processo de escrita de um artigo ou na rotina de uma pessoa freelancer, que precisa desenvolver suas ideias sozinha. A vantagem de realizá-lo dessa maneira é que há maior liberdade na escolha de cada etapa do processo — tempo necessário, quantidade de ideias, etc.

O que não fazer em um brainstorming?

Assim como existem etapas que devem ser realizadas para que o brainstorming funcione, há também condutas que precisam ser evitadas durante o processo. A seguir, explicaremos algumas delas. Veja!

Deixar o brainstorming inacabado

Uma das principais falhas que as pessoas podem cometer durante a realização de um brainstorming é começá-lo e não terminá-lo. É fundamental que essa técnica tenha começo, meio e fim, pois cada uma das etapas têm sua importância e precisa ser executada. Caso as pessoas trabalhadoras não cumpram todas elas, o processo fica inacabado e, consequentemente, não se obtém o resultado proposto por esse método.

Além disso, a última fase desse processo consiste em colocar em prática as melhores ideias concebidas por meio do brainstorming, se não levado adiante essas ideias não saem do papel e não trazem os resultados que a empresa está buscando.

Atrapalhar o processo criativo

Para que o brainstorming tenha êxito, as ideias devem circular livremente, ainda que algumas pareçam ineficazes ou fora de alcance. Cada participante do processo tem suas próprias experiências e ponto de vista, o que pode gerar uma grande diversidade no modo de enxergar e enfrentar um problema.

Embora isso ocorra, é necessário que todas essas ideias sejam expostas e, ao final do processo, sejam julgadas como promissoras ou ineficazes. Se elas foram descartadas no começo, a pessoa colaboradora pode se sentir invalidada e deixar de participar outras vezes.

Permitir que apenas uma pessoa exponha as ideias

Deixar que apenas uma pessoa fale e divulgue suas ideias é um grande erro durante o brainstorming, pois inviabiliza todo o processo, já que, nesse caso, ele consiste em um trabalho em grupo. Portanto, todas as pessoas devem ter seu momento de falar e de expor aquilo que têm em mente.

Abrir espaço para conflitos

É normal que quanto mais pessoas participem da realização da técnica, mais ideias distintas surjam. Afinal, cada pessoa tem suas vivências e opiniões. No entanto, os diferentes posicionamentos não podem ser um motivo para gerar conflitos. Caso isso aconteça, o momento que seria utilizado para encontrar soluções e propor ações benéficas para a empresa se tornará a causa de mais problemas. Por isso, cada pessoa colaboradora tem que respeitar as ideias da outra e focar em quais delas podem auxiliar na resolução dos problemas.

Como fazer um brainstorming: o passo a passo!

Agora que você já sabe no que consiste essa técnica, quais os benefícios que ela pode trazer e os erros que não podem ser cometidos ao realizá-la, é hora de descobrir o passo a passo para fazê-la! Veja a seguir:

Pré-brainstorming

Antes mesmo de realizar essa técnica, é importante estipular alguns fatores. Veja quais são eles:

  • Pessoa mediadora: deve-se escolher uma pessoa para realizar a função de mediadora; ela será encarregada de iniciar e finalizar cada uma das etapas e impedir que haja conflitos;
  • Técnica de brainstorming: o ideal é que a técnica que será utilizada para realização do brainstorming seja definida antes da reunião. Afinal, por meio dela será possível saber quanto tempo é necessário para a realização da técnica, quantas pessoas devem participar e quais materiais são precisos, sejam eles post-it ou cartolina, por exemplo;
  • Número de participantes: quando se decidir realizar uma reunião para brainstorming, é necessário ter em mente quais pessoas trabalhadoras na empresa precisam participar — uma pessoa supervisora de cada setor ou toda a equipe de uma área, por exemplo — essa questão varia de acordo com o problema que será colocado em discussão;
  • Motivo da reunião: antes de realizar uma reunião voltada para a aplicação da técnica de brainstorming, as pessoas que participarão devem ser avisadas de que esse é o propósito do encontro. Assim, elas não terão uma surpresa no início e conseguem se preparar melhor para a ocasião.

Após executar todas essas tarefas, é hora de começar a realização da técnica juntamente.

Apresentação do problema

A primeira etapa do brainstorming consiste na apresentação do problema para as demais pessoas participantes desse processo. Com o propósito de facilitar a compreensão, vamos continuar utilizando o desenvolvimento de um aplicativo como exemplo.

Supondo que o problema enfrentado pela empresa seja se destacar da concorrência, a pessoa mediadora apresentará essa fraqueza e utilizará dados e estudos para fundamentar o que deve ser solucionado. Uma ferramenta que pode auxiliar nessa fase é a análise SWOT, com ela fica mais fácil de visualizar os pontos que não têm tido um bom desempenho na empresa.

Tomar nota das ideias

Depois de divulgar para as pessoas participantes os argumentos que contextualizam o problema, é hora de cada uma delas colocar ideias que possam ajudar na mudança de cenário e fazer com que a empresa progrida. Nesse momento, elas expressam as ideias da maneira estipulada pela pessoa mediadora antes da reunião — post-it, brainwritting, etc. De qualquer forma, o ideal é que elas sejam escritas para que na próxima fase sejam lembradas e expostas às demais pessoas.

É comum que a pessoa mediadora controle o tempo para a execução dessa etapa, o qual pode variar de acordo com a quantidade de pessoas e ideias, gravidade do problema e tempo disponível para a reunião.

Exposição das ideias

Terminada a parte de redação das ideias, é hora de apontá-las para as demais pessoas. Nesse momento, todas as ideias devem ser expostas e o ideal é que nenhuma seja descartada ou ignorada. Outro ponto importante é deixá-las expostas à todas as pessoas participantes. Assim, conforme elas vão sendo ditas, devem ser colocadas em um local que esteja no campo de visão de todas — uma lousa ou um projetor.

Seleção das ideias

Assim que todas as ideias forem apresentadas, é hora das pessoas participantes da reunião decidirem quais delas possam ser eficazes e quais estão fora de alcance ou não são tão pertinentes. É importante que todas as pessoas participem nesta etapa, seja explicando a ideia caso tenha sido uma das suas ou propondo outras ideias em cima de uma das que foram escolhidas. O interessante é que pelo menos uma delas possas ser colocada em prática a curto prazo.

Plano de ação

Por fim, é necessário montar um plano de ação, ou seja, organizar-se para colocar em prática a solução encontrada para o problema. No caso do exemplo utilizado — destacar-se da concorrência no mercado de aplicativos de delivery — uma boa ideia seria oferecer um serviço que os demais não oferecem e inovar no ramo, como entrega de livros ou cosméticos, por exemplo.

O ideal é que o plano de ação seja executável e, assim que ele estiver trazendo resultados positivos para a empresa, esses sejam exibidos para as pessoas que ajudaram a construí-lo, o que faz com que elas se sintam valorizadas.

Utilizar a técnica de brainstorming para solucionar problemas na empresa e desenvolver ideias criativas é uma das formas de gerar integração no ambiente de trabalho e fazer com que as pessoas colaboradoras sintam-se valorizadas e estimuladas.

Agora que você já sabe tudo sobre brainstorming, que tal aprender algumas práticas para melhorar a memória? Descubra no nosso blog!

0 Shares:
Você também pode gostar