Acredita que sua memória já não é mais como antes e tem dificuldades em memorizar informações ao estudar ou produzir algum conteúdo? Por vezes, essa situação pode parecer desesperadora e causar muita ansiedade, entretanto, não há razão para desespero! O mapa conceitual é uma ferramenta que pode lhe ajudar com isso!

Contudo, o que seria um mapa conceitual? Ele é a mesma coisa que o mapa mental? Como posso fazê-lo? A resposta para todas essas perguntas e outras você poderá encontrar a seguir, neste texto! Confira:

Vamos lá?

O que é mapa conceitual?

Mapa conceitual é uma ferramenta representada de forma gráfica e diagramática que permite estabelecer relações entre informações, definições e conceitos. Tais dados são organizados em uma estrutura hierárquica e sistemática, por meio de caixas ou balões (comumente chamados de nós) conectados por meio de arcos (que podem ser linhas ou setas). 

Composição do mapa conceitual

Alguns elementos são essenciais na construção de um mapa conceitual, portanto deve-se ter familiaridade com eles antes de iniciar a construção do seu. São eles:

Ideia central

Esse é o motivo básico pelo qual está fazendo um mapa conceitual. Deve ser composto de um problema ou objetivo que o mapa deverá solucionar ou auxiliar. Ela serve como ponto de partida e, também, como ponto de referência para dar o contexto dos demais conceitos que serão apresentados. Por essa razão, deve sempre estar acima dos demais elementos na hierarquia, em destaque. 

Conceitos

A ideia central poderá ser fragmentada em unidades menores que ajudarão na compreensão total. Esses elementos menores são os conceitos. São compostos por palavras-chave e termos gerais cuja definição será essencial para o entendimento da ideia central.

Hierarquia

É importante que a construção do mapa conceitual seja realizada objetivando a leitura de cima para baixo. No topo, se localizam a ideia central e conceitos gerais, que incluirão os demais tópicos. Mais abaixo, podemos encontrar as definições e os conceitos mais específicos. Os elementos são interligados através de linhas, setas e declarações semânticas.

Frases de ligação

São pequenas frases e estruturas que darão sentido para a ligação entre conceitos e outros conceitos distintos ou significados. Geralmente se localizam no meio do caminho, interrompendo a linha que conecta a estrutura hierárquica do mapa conceitual. São unidades curtas, geralmente compostas por verbos, como “criado por”, “determinado por”, e “causa”.

Definições

As definições são construções semânticas com valor explicativo que esmiúçam o significado de um ou mais conceitos. São esses os elementos primordiais que lhe auxiliarão quando necessitar memorizar ou aprender algo. Um mapa conceitual, ao final, deverá parecer uma estrutura dotada de várias dessas proposições. 

Benefícios de se utilizar mapas conceituais

Um antigo ditado popular diz que “imagens valem mais que mil palavras”, e, quando se trata de processamento mental, é uma realidade. Isso porque o cérebro humano processa imagens mais facilmente do que texto. Como o mapa conceitual transforma conceitos e ideias abstratos em uma estrutura mais palpável e visual, qualquer informação pode ser melhor obtida e compreendida por meio desta ferramenta. 

Os mapas conceituais, portanto, são poderosos aliados no momento de focar para estudar, já que ele apresenta um resumo das informações, assim como ligação entre conceitos e significados, levando a assimilação de uma ideia geral complexa e fomentando a discussão de pensamentos mais profundos acerca do assunto. 

Quais as diferenças entre mapa conceitual e mapa mental?

Muito provavelmente você não seria a primeira pessoa — e nem a última — a confundir os dois termos, já que são bem próximos. Entretanto, existem diferenças substanciais entre mapas conceituais e mentais.

O mapa conceitual se apresenta como uma ferramenta de aprendizagem, auxiliando estudantes e pessoas acadêmicas a consolidarem seu conhecimento de uma maneira formal e hierarquizada, partindo de um tópico já existente

Por sua vez, o mapa mental possui uma aplicação mais ampla, já que seu tópico central não precisa ter relação acadêmica ou com uma teoria preexistente. Além disso, sua estruturação é mais flexível, constando apenas de uma frase ou ideia no centro, com ideias e pensamentos subjetivos espalhando-se em direção às laterais. 

Quais os tipos de mapas conceituais?

Os mapas conceituais podem vir em diversas formas e modelos, portanto, é importante escolher a que mais se adequa à sua necessidade no momento da criação deste. Vamos conhecer alguns dos principais modelos:

Hierárquico

Esse modelo de mapa conceitual é o padrão aqui abordado. Consiste na construção de um mapa que será lido de cima para baixo, com ideia central no topo e conceitos e definições logo abaixo. Quanto mais para cima, mais importante é a informação tratada. 

É um modelo que facilita a compreensão, já que prioriza o que é mais geral e importante, porém pode ser um pouco desafiador de se construir, já que quem o criou deve ter vasto conhecimento, além da habilidade de identificar as bases mais gerais do tema. 

Fluxograma

No fluxograma, o mapa conceitual é construído de maneira linear, procurando sempre um ponto de início e chegando a um fim. Mais utilizado para salientar processos, esse modelo é de fácil visualização e apreensão do assunto, porém pode ser que o conteúdo se torne um pouco superficial, por conta da ausência de conceituação e definição de diversos termos. É bem útil quando o que se tenta aprender é contínuo, como por exemplo, ciclos. 

Teia de Aranha

Esse modelo se assemelha bastante ao mapa mental, por conter sua ideia central no centro da folha. É um ótimo modelo para conseguir assimilar conceitos mais gerais que estão desconectados entre si dentro da ideia geral, já que eles se irradiam para as laterais, parecendo pernas de uma aranha. 

Entretanto, caso o objetivo seja aprender a fundo alguma ideia ou conceito, pode ser que não seja tão útil, já que sua construção dificulta a interligação e percepção da relação entre um conceito e outro. 

Como fazer um mapa conceitual? O passo a passo com exemplo!

Vamos criar nosso primeiro mapa conceitual? Para tal, vamos explicar passo a passo como fazer utilizando como exemplo um mapa conceitual com ideia central “Tecnologia”. Confira:

1. Escolha o tipo de mapa conceitual

Neste primeiro passo, é importante refletir sobre seus objetivos com o mapa conceitual. É solidificar um conceito o qual já tem determinado conhecimento de forma profunda? O hierárquico é sua escolha! Ou então sua intenção seria memorizar o passo a passo de um processo, sem dar muita atenção para a definição de cada fase? Escolha portanto o fluxograma! Por fim, a teia de aranha será sua escolha ideal caso queira aprender mais informações sobre um determinado assunto sem se preocupar com as relações entre conceitos. 

Como aqui estamos fazendo um mapa conceitual sobre tecnologia, vamos escolher o hierárquico, já que já temos conhecimento prévio sobre o assunto e queremos aprofundar nossos conhecimentos sobre o tema.

2. Defina uma ideia central

É importante definir a ideia central de um mapa conceitual pois ela vai ser o ponto inicial e de maior importância na hora de sua construção. Logo, a ideia deve ser simples e assertiva para evitar desvios quando o mapa estiver maior. 

No nosso exemplo, “Tecnologia” é um tema muito vago, e pode nos levar para muitos caminhos distintos. Portanto, vamos estabelecer uma ideia um pouco mais direcionada para o que queremos aprender. Nossa ideia central será então “Impactos da tecnologia”.

3. Defina o meio para construir o mapa conceitual

O mapa conceitual pode ser feito por meio de uma folha de papel, com lápis e canetas de cores diferenciadas, ou então, pode-se utilizar aplicativos, plataformas ou ferramentas digitais para criá-lo. Apesar de já existirem diversos aplicativos e programas que auxiliam na construção especificamente do mapa conceitual, qualquer editor de texto ou de elementos visuais deve ser suficiente para tal. 

4. Liste os conceitos associados

Esse é o momento do brainstorming. Em uma folha separada, liste todas as ideias que o tema remeter. Todos os conceitos devem ser listados um abaixo do outro e, posteriormente, selecionados. Procure por palavras-chave que possam sem mais inclusivas e categóricas.

No nosso exemplo, “Impactos da Tecnologia”, podemos criar uma lista com os seguintes temas:

Dentre todos esses temas, escolhemos “carreira, sociedade, vida pessoal e educação” como conceitos principais por acreditar que todos os outros tópicos estejam relacionados com esses temas. 

5. Estruture o mapa conceitual

Chegou a parte que exige um pouco mais de trabalho. Neste passo, construiremos todos os nós e arcos que os ligam. Lembre-se de incluir frases de ligação entre um conceito e outro para estabelecer sua relação. Você pode cruzar e relacionar ideias conforme vai desenvolvendo seu mapa. Ao final, examine cuidadosamente se cada ideia está em seu devido lugar, se todas as ligações foram feitas e se as frases de ligação são totalmente adequadas

Vamos conferir nosso exemplo de mapa conceitual!

Como se trata apenas de um exemplo, não fomos adiante na confecção dos conceitos e suas definições. Cada conceito pode ser mais explorado e contar com mais conexões. Por exemplo, carreira poderia ser definida, assim como as inovações na aprendizagem poderiam ser ampliadas.

Um mapa conceitual é uma ferramenta que auxilia na solidificação e memorização de informações sobre um determinado assunto ou teoria. Ele pode ser utilizado em diversos modelos, a depender da necessidade de quem a utilize. 

Gostou dessa ferramenta? Conheça outras como a análise SWOT, que é mais voltada para a análise de sua vida profissional e pessoal!

0 Shares:
Você também pode gostar