Muito prejudicial para a carreira, seja ela em qualquer área, inclusive na programação, o hábito de procrastinar não só atrapalha a conclusão de nossos deveres, como pode também alimentar outros problemas. Entre eles, a baixa autoestima, ansiedade e a frustração pessoal e profissional.

Infelizmente, esse comportamento é comum a todas as pessoas, mas a boa notícia é que ele pode — e deve — ser eliminado. No entanto, essa tarefa passa por diversos passos, como entender o que causa a procrastinação e aprender a gerenciar as emoções.

Para ajudar, preparamos este guia para que você entenda como a procrastinação acontece e quais técnicas podem ser aplicadas para se livrar desse mal. Pensando nisso, dividimos o conteúdo nas seguintes etapas:

  • o que é procrastinar;
  • procrastinação: entenda por que ela acontece;
  • saiba quais são as consequências da procrastinação;
  • como parar de procrastinar: confira dicas e ferramentas;
  • três aplicativos para ajudar a parar de procrastinar;
  • como parar de procrastinar com livros: os melhores sobre produtividade.

Nos acompanhe neste post e tenha uma boa leitura!

O que é procrastinar

A palavra procrastinar é usada para se referir a um hábito muito comum e prejudicial. Basicamente, trata-se do ato de adiar o cumprimento de obrigações e tarefas que, em geral, têm um prazo determinado.

Se identificou? Continue lendo!

Na maioria dos casos, esse adiamento também vem acompanhado da priorização de atividades mais prazerosas e menos urgentes. Além disso, o hábito — que pode ser praticado tanto conscientemente quanto de forma inconsciente — compromete a qualidade do trabalho e ainda prejudica a imagem da pessoa procrastinadora.

Isso porque a procrastinação atinge não só a vida pessoal, mas também a profissional. Ou seja, é possível identificar o comportamento em diferentes situações. Por exemplo: imagine que você precisa arrumar o seu quarto, organizando roupas, escrivaninha e armários. No entanto, adia a tarefa e, no lugar dela, prefere passar o dia jogando, assistindo séries ou fazendo qualquer outra atividade menos importante naquele momento.

Da mesma forma, no seu trabalho, você ficou responsável por fazer um relatório muito técnico e importante até o fim do dia, mas posterga a tarefa o máximo possível, priorizando outras obrigações mais fáceis e que não são tão urgentes.

Ambas as situações são formas de procrastinação que ocorrem em áreas diferentes do nosso cotidiano, mas que têm sérios efeitos negativos — especialmente quando não são devidamente combatidas.

Procrastinação: entenda por que ela acontece

Embora o senso comum nos diga que a procrastinação é meramente fruto da preguiça, a verdade é que existem muitas outras razões por trás desse comportamento. A principal delas, por exemplo, está ligada à própria forma como o cérebro humano funciona.

Todos nós temos a tendência de preferir tarefas que nos proporcionam uma recompensa imediata. Assistir a um filme ou jogar videogame, por exemplo, são atividades que não exigem grande esforço e, em contrapartida, ainda aliviam o estresse e são prazerosas para a mente.

Comparado a elas, limpar a bagunça do quarto, escrever um relatório ou desenvolver um aplicativo do zero não parecem tarefas tão atrativas, certo? Isso porque elas requerem um esforço grande e imediato, mas as recompensas só vêm a longo prazo e nem sempre são uma certeza.

Esse é o tipo de comparação que nosso cérebro faz constantemente e que nos leva a procrastinar. Contudo, existem mais alguns fatores que favorecem esse hábito. Quando somos incumbidos de uma tarefa com um longo prazo para ser cumprido, nossa tendência é postergá-la até a data-limite.

Fora isso, há ainda o grau de complexidade da atividade a ser feita. Se uma obrigação é muito complicada e exigente, não só evitamos iniciá-la, como também esperamos o momento perfeito, no qual teremos todas as condições necessárias para fazer um trabalho bem-feito. Porém, esse momento nunca chega e acabamos apenas perdendo tempo ao adiar o inevitável.

Por fim, fatores genéticos também podem estar ligados à procrastinação, além da preguiça, claro, que não podemos descartar.

Saiba quais são as consequências da procrastinação

Sem dúvidas, as consequências da procrastinação são extremamente negativas e podem atingir diferentes áreas da sua vida. Por isso, antes de saber como esse hábito pode ser evitado, é preciso estar ciente dos efeitos que ele causa. Abaixo, listamos alguns dos mais comuns. Veja!

Sentimento de culpa

O sentimento de culpa é a consequência mais imediata da procrastinação. Ele se instala assim que você começa a postergar uma obrigação e, quanto mais a tarefa é adiada, mais a culpa cresce.

Para a saúde mental, o efeito disso é devastador, pois a ansiedade e o estresse também vão se acumulando ao sentimento. Assim, a pressão para realizar logo a atividade se torna insuportável, já que a autocobrança e os pensamentos de incapacidade ficam cada vez mais frequentes.

Ou seja, aquele momento inicial de alívio que se obtém quando a tarefa é trocada por algo mais prazeroso, no fim, não vale de nada. Afinal, a pessoa procrastinadora entre em um ciclo vicioso difícil de ser quebrado e que pode contribuir para o surgimento de problemas psicológicos graves, como a depressão.

Produtividade abaixo do esperado

A baixa produtividade é outro efeito comum da procrastinação. O acúmulo de obrigações é uma consequência inevitável quando se adia muitas tarefas e, junto com isso, ocorre também o atraso de prazos e a perda de oportunidades.

Com o tempo, essa baixa produtividade se converte em uma imagem negativa, especialmente na esfera profissional, o que pode acarretar em uma demissão.

Nos estudos, a consequência é parecida, visto que os trabalhos não são entregues a tempo ou ficam incompletos. Enquanto isso, as notas despencam, fazendo com que a pessoa seja vista como irresponsável e desleixada.

Acúmulo de resultados negativos

Devido à má gestão do seu tempo, a pessoa procrastinadora acaba tendo que fazer uma série de tarefas às pressas para cumprir os prazos estabelecidos. Dessa forma, algo que precisaria de, por exemplo, 3 horas para ser entregue com qualidade, é feito em menos tempo.

Como consequência, o resultado do trabalho fica muito abaixo do esperado e o desempenho da pessoa, seja na carreira, nos estudos ou até na vida pessoal, é todo comprometido.

Além disso, visto que a procrastinação é um ciclo vicioso, os resultados negativos se repetem constantemente, colaborando para o surgimento da baixa autoestima, da frustração e do desânimo.

Sensação de incompetência

Após sentir o efeito de todas as outras consequências citadas, a pessoa que procrastina passa a carregar uma sensação constante de incompetência. Afinal, por mais que se planeje, os resultados desejados não são alcançados.

Assim, a perda da confiança em suas habilidades e capacidades gera um quadro ainda mais intenso de ansiedade que, por sua vez, culmina em mais postergações. Isso porque, nesse ponto, o medo de não ser capaz de concluir uma tarefa ou de não fazê-la com a qualidade desejada é tão grande que impossibilita a ação.

A longo prazo, essa falta de confiança impede que sonhos sejam realizados, já que a pessoa entra em um estado de estagnação por se achar incompetente.

Como parar de procrastinar: confira dicas e ferramentas

De fato, a procrastinação é um mal difícil de ser combatido, especialmente para as pessoas que atuam em home office. No entanto, algumas dicas simples são muito eficiente na luta contra esse problema. Veja quais são elas agora!

Identifique o problema

O primeiro passo para parar de procrastinar é perceber se você realmente está lidando com esse problema. Isso porque, em alguns casos específicos, a demora para realizar uma atividade nem sempre é proveniente da procrastinação.

Há momentos em que atrasos são inevitáveis e podem ser gerados por diferentes fatores, como sobrecarga de tarefas, imprevistos do cotidiano e problemas psicológicos. Casos desse tipo não devem ser encarados como procrastinação, e para fazer essa distinção é importante observar os seguintes pontos:

  • você está trocando sua obrigação por algo mais prazeroso?
  • Circunstâncias externas inevitáveis prejudicaram ou não a conclusão da tarefa?
  • O atraso é aparentemente inexplicável, pois você não consegue encontrar um motivo plausível para o adiamento das suas obrigações?

Com essas questões respondidas, fica fácil perceber se, de fato, está sofrendo com a procrastinação. A partir disso, é possível seguir para o próximo passo: a identificação da causa.

Descubra a causa da procrastinação

Combater a causa da procrastinação é muito mais efetivo do que simplesmente tentar se livrar do problema. Em geral, é possível perceber alguns padrões nas pessoas que procrastinam. Obviamente, existem aquelas que estão apenas cedendo à tentação do prazer imediato.

Mas, por outro lado, há indivíduos que, diante de determinadas tarefas, apresentam um tipo de bloqueio, muitas vezes ligado ao medo. Por exemplo: imagine que você fez um relatório muito complexo no trabalho. No entanto, ele não foi bem recebido e você precisou lidar com críticas agressivas a respeito do seu desempenho.

Diante dessa situação, é normal sentir receio que o episódio desagradável se repita, e, nesse caso, a procrastinação age com um mecanismo de defesa. Em outras palavras, você passa a evitar aquela tarefa porque tem medo de ter outro resultado ruim.

Por isso, é muito importante fazer uma reflexão sempre que perceber o comportamento procrastinador. Assim, será possível entender se a causa é o medo, a ansiedade, o grau de dificuldade da tarefa ou outros fatores.

Inicie as tarefas com pequenos passos

Tarefas grandes e complexas são um gatilho para a procrastinação. Por isso, uma estratégia interessante é dividir suas atividades em passos pequenos e simples, estabelecendo uma meta baixa para o trabalho.

O objetivo disso é fazer com que você evite a atitude hedonista de trocar o esforço pelo prazer imediato. E, de fato, a estratégia funciona, pois o primeiro passo é sempre o mais difícil. Mas, ao torná-lo simples, até a pessoa mais procrastinadora consegue superá-lo.

Assim, ao iniciar a tarefa e perceber que ela não é tão assustadora quanto parece, a sensação de motivação e realização cresce, o que dá mais energia para que você consiga completar o trabalho.

Combata o perfeccionismo

A busca pela perfeição é outro fator que leva à procrastinação. Isso porque o medo de ter um resultado negativo é tão intenso que a pessoa começa a acreditar que tudo o que faz precisa ser perfeito.

O problema é que, ao alimentar essa crença, as inseguranças começam a surgir, fazendo com que você duvide da sua capacidade. O resultado do acúmulo desses sentimentos negativos é a paralisação e a postergação dos deveres.

Para quebrar esse ciclo, é importante entender que erros também fazem parte do processo e devem ser vistos com mais naturalidade. Obviamente, ninguém quer errar o tempo inteiro, mas é bom lembrar que esses contratempos podem ser boas fontes de aprendizado.

Claro que isso não significa que a qualidade do trabalho pode ser deixada de lado. A intenção é apenas reduzir a cobrança e a pressão geradas pelo perfeccionismo, assim você terá mais tranquilidade para iniciar suas tarefas.

Gerencie suas emoções

Esperar o momento ideal para iniciar uma tarefa é mais uma desculpa que causa a procrastinação. A ideia de que é preciso estar com o humor certo, sem nenhuma preocupação aparente, para fazer seus deveres é uma das armadilhas mais perigosas desse mau hábito, pois ela cria um ciclo vicioso, no qual você adia qualquer atividade para não lidar com seus próprios problemas.

O ato de procrastinar seus afazeres em vez de enfrentar as suas emoções negativas — como ansiedade, medo de falhar e insegurança sobre a maneira como vão julgar seu trabalho — funciona como uma válvula de escape para quem não consegue regular o que sente. Trata-se de uma reação instintiva que todos nós temos, mas que precisa ser combatida.

Para isso, é necessário aprender a gerenciar essas emoções. Nesse ponto, você deve identificar qual é o sentimento que está desencadeando a postergação. Posteriormente, pode-se reformular a maneira como vê aquela situação.

Por exemplo: se está com receio de o seu trabalho ser criticado, pense na situação oposta. Imagine os elogios que pode receber se a tarefa for concluída no prazo e com qualidade. É um cenário mais atrativo, certo? Também vale refletir sobre momentos em que venceu a procrastinação e conseguiu um bom desempenho, mesmo estando sob estresse.

Utilize o método Pomodoro

Como explicamos, atrasos nas entregas, baixa produtividade e falta de tempo para se dedicar a outras questões são algumas consequências da procrastinação. Para evitá-las, é essencial otimizar a gestão do seu tempo, o que pode ser feito com o auxílio da técnica conhecida como Pomodoro.

Criado nos anos 80, esse método permite dividir melhor o fluxo de trabalho para que possamos nos concentrar totalmente no que precisa ser feito. Com isso, ficamos mais eficientes e conseguimos evitar as interrupções desnecessárias que a procrastinação causa.

Colocá-lo em prática é bem simples. Basta criar uma lista de tarefas logo no início do dia e preparar um timer. Em seguida, você deve iniciar a primeira atividade, concentrando-se completamente nela durante um período de 25 minutos. Passado esse tempo, é permitido realizar um descanso de cinco minutos.

Esse ciclo é repetido por quatro vezes e, nesse momento, você pode fazer uma pausa maior de 20 a 30 minutos. Dessa forma, consegue-se aproveitar melhor os momentos de foco, pois a mente tem seus momentos de relaxamento e não é forçada ao extremo.

Três aplicativos para ajudar a parar de procrastinar

Não tenha dúvidas, a tecnologia, quando bem usada, é uma poderosa aliada na guerra contra a procrastinação. Afinal, existem diversos aplicativos que nos ajudam tanto a manter o foco quanto a organizar os afazeres. Neste tópico, listamos alguns dos melhores para evitar a postergação de tarefas!

1. Focus To-Do

Se pretende colocar o método Pomodoro em prática, esse aplicativo é a opção certa para você. Nele, além de poder definir o tempo para execução das suas atividades, também é possível organizar a agenda de trabalho, configurar lembretes e criar listas de tarefas.

O Focus To-Do ainda apresenta uma função de análise de estatísticas, o que é útil para verificar como está seu desempenho e quanto tempo gasta em cada tarefa. No mais, o aplicativo está disponível para smartphones (Android ou iOS) e também para PC (Mac ou Windows).

2. AppBlock

Disponível para Android, o AppBlock ajuda a evitar distrações durante o trabalho, permitindo que tanto as notificações quanto a abertura de determinados aplicativos sejam bloqueadas.

Basicamente, ele funciona da seguinte forma: você cria um perfil no qual poderá definir dias e horários em que não quer se distrair. Em seguida, é possível selecionar os aplicativos que não podem ser acessados nesse período, além de escolher se quer ou não receber suas notificações.

Feito isso, sempre que tentar burlar o sistema, o AppBlock impedirá o seu acesso, emitindo um relatório na tela que mostra a quantidade de vezes que tentou usar o aplicativo bloqueado.

3. Todoist

Organizar bem os seus afazeres é um passo importante para parar de procrastinar. O Todoist é uma opção interessante para ajudar nesse aspecto.

Com ele, você pode gerenciar listas de tarefas, sincronizando-as em diferentes dispositivos. Entre suas funções, também encontram-se a delegação de tarefas para outras pessoas, a definição de lembretes de prazos, o acompanhamento da produtividade e a definição de prioridade.

Além disso, ainda é possível integrá-lo a outras ferramentas, como Calendário do Google, Gmail e Slack. Vale lembrar que o aplicativo conta com uma versão web, mas também está disponível para PC e smartphone.

Como parar de procrastinar com livros: os melhores sobre produtividade

Se você pretende seguir carreira na área da TI, é importante ter em mente que não são apenas livros de programação e tecnologia que farão de você um bom profissional. Na verdade, outros conhecimentos também são necessários. Por isso, indicamos aqui alguns livros para ajudar você a se tornar uma pessoa mais organizada e produtiva. Confira!

“A arte de fazer acontecer”

Escrito pelo norte-americano David Allen, “A arte de fazer acontecer” é um livro que trata, principalmente, sobre como podemos organizar o fluxo de trabalho para nos tornarmos pessoas mais produtivas.

Nele, o autor estabelece o método GTD — Getting Things Done —, que é dividido em cinco etapas:

  • coletar;
  • esclarecer;
  • organizar;
  • refletir e revisar;
  • colocar em prática.

De acordo com Allen, seguindo os passos do método é possível relaxar a mente — aliviando-a de preocupações inúteis que impedem a ação — para, então, focar no que realmente precisa ser feito.

“Como vencer o medo, deixar de procrastinar e se tornar uma pessoa de ação”

Certamente, o título “Como vencer o medo, deixar de procrastinar e se tornar uma pessoa de ação” chama bastante atenção. E não é para menos, pois o livro tem uma proposta ousada: ajudar as pessoas procrastinadoras a entenderem as razões psicológicas por trás de seus comportamentos e ainda revelar técnicas para superar esse hábito.

Segundo o autor, todos os hábitos prejudiciais que estão programados no cérebro podem ser mudados e, no lugar deles, é possível desenvolver comportamentos positivos. Para isso, basta querer romper as correntes da procrastinação para conquistar o almejado sucesso.

“A equação de deixar para depois”

Em “A equação de deixar para depois”, o pesquisador Piers Steel nos fornece uma visão matemática que explica por que caímos na tentação de deixar as tarefas para um outro momento. Em sua fórmula, o autor considera os seguintes fatores:

  • expectativa: o quanto você está confiante no sucesso;
  • impulsividade: se refere ao seu nível de distração;
  • valor: o significado que a tarefa tem para você;
  • espera: está relacionado ao tempo que vai demorar para o resultado ser atingido.

Com base na fórmula criada, Steel nos diz que é possível descobrir o que é preciso fazer para encontrar a motivação e se tornar uma pessoa mais produtiva. Em seguida, ele também mostra uma série de técnicas comprovadas para lidar com a procrastinação.

Após ler este post, temos a certeza de que agora você é capaz de parar de procrastinar e ter muito mais chances de sucesso. Contudo, vale ressaltar que é necessário aplicar os métodos e as dicas citadas constantemente. Só assim a procrastinação será totalmente combatida, pois ela é um ciclo vicioso que pode voltar ao menor sinal de descuido.

Gostou do nosso conteúdo? Então não deixe de conferir nosso conteúdo sobre Scrum, uma metodologia ágil que também te ajuda a elevar a produtividade!

0 Shares:
Você também pode gostar