Provavelmente você já ouviu o termo UX (User Experience), que é definida como “a disciplina responsável por projetar experiências de uso encantadoras para fidelizar e conquistar clientes”.

Análogo a este termo existe um mais recente, mas que vem ganhando popularidade nos últimos anos. Trata-se do DX (Developer Experience). Como este é o tema do post, vou explicá-lo usando trechos deste ótimo post:

  • Developer Experience significa garantir que nossas pessoas desenvolvedoras possam trabalhar de forma produtiva.
  • DX não é apenas sobre ferramentas. É também usá-las de forma eficaz.
  • Ela permite que nossas pessoas desenvolvedoras avancem rapidamente para atender às necessidades do cliente, ao mesmo tempo em que têm a confiança de que seu fluxo de trabalho está reforçando as práticas recomendadas e os ajudando a detectar e eliminar problemas no código antecipadamente.
  • Com soluções eficazes em torno de Build, Deployment e Workflow, DX é um multiplicador de força na criatividade de nossa comunidade de desenvolvimento.

Estas foram as definições que nos levaram a criar um processo onde podemos medir e melhorar a DX das nossas equipes na Trybe.

O primeiro passo foi criarmos um formulário para coletarmos as dores e impressões das equipes. Para isso usamos os seguintes tópicos e perguntas:

Documentação

  • Avalie a documentação disponível, desde o README.md dos projetos, Playbook, diagramas, etc (nota de 1 a 5)
  • Quais são as suas dores em relação a documentação? Cite documentações que deveriam existir ou documentos que existem mas não são suficientes ou eficientes. (pergunta aberta)

Automação

  • Avalie os processos automatizados que existem na empresa. (nota de 1 a 5)
  • Cite processos que são feitos manualmente e que poderiam ser automatizados, ou automações que existem mas que podem ser melhoradas. (pergunta aberta)

Ferramentas

  • Avalie as ferramentas disponíveis, desde IDEs, linters, etc. (nota de 1 a 5)
  • Cite ferramentas que poderiam ser adicionadas ao dia a dia das equipes, bem como ferramentas existentes que poderiam ser melhoradas ou substituídas. (pergunta aberta)

Processo

  • Avalie o processo de desenvolvimento atual, desde a criação das tarefas até o momento que o código é enviado para produção. (nota de 1 a 5)
  • Cite melhorias no processo de desenvolvimento, desde mudanças em metodologias, papéis e etapas. (pergunta aberta)

Métricas

  • Avalie as métricas coletadas atualmente, bem como o uso que as equipes fazem delas. Desde métricas de processo de desenvolvimento até métricas de performance dos produtos. (nota de 1 a 5)
  • Cite melhorias que podem ser aplicadas ao processo de coleta e análise de métricas, bem como novas informações que podem ser utilizadas (pergunta aberta)

E-mail

  • Informe seu e-mail (opcional)

Com estes dados coletados é possível fazermos um cálculo simples, usando a mediana, para termos uma nota de cada quesito. Mas mais importante do que a nota, as perguntas abertas são onde coletamos as dores e necessidades de cada pessoa da equipe.

E como usamos estas informações? Na Trybe nós usamos a metodologia de gestão criada pelo Google, o já conhecido OKR. Uma das características desta metodologia é dividir o ano em trimestres, onde definimos as metas da empresa e de cada time. Tendo isso em mente, nós refazemos esta pesquisa ao final de cada trimestre, para podermos medir o resultado das iniciativas que realizamos e também para definirmos as metas para o próximo.

Estamos entrando no terceiro trimestre usando este processo de mensuração da DX e os resultados tem sido bem positivos. Ele tem nos ajudado a identificar onde estão os principais problemas que atrapalham a produtividade das equipes e com isso podemos atacar as maiores dores primeiro.

Minha sugestão é que você analise se esse processo faz sentido para sua equipe, revise se os tópicos e perguntas que estamos usando são importantes para você também e teste com suas pessoas desenvolvedoras. É um processo fácil de ser executado, necessita apenas de um formulário do Google Forms ou Typeform e poucos cálculos em uma planilha, mas que pode gerar muito conhecimento sobre o dia a dia das suas equipes.

Se você gostou do processo e gostaria de trabalhar aqui conosco, confira na nossa página de vagas e venha fazer parte da nossa equipe.

0 Shares: