O formato de liderança autocrática pode ser o mais controverso de todos os tipos de liderança. Afinal, são altos os riscos quando todas as decisões — das mais simples até as mais críticas — são tomadas por apenas uma pessoa. 

Ao longo da história, a liderança autocrática não teve muito espaço para variações. As pessoas líderes que se deixaram levar pelo poder de tomar todas as decisões e utilizaram isso em torno de ideais próprios se tornaram ditadoras tiranas. No entanto, outras conseguiram por esse meio navegar por tempos de crise e sobreviver a um contexto caótico. 

Dessa forma, existe uma razão para que esse tipo de liderança ainda exista e seja replicada em empresas atualmente. Quer saber mais sobre esse polêmico modo de dirigir uma equipe ou empresa? Então, venha conosco que apresentaremos todas as informações necessárias para que você se torne expert em liderança autocrática, confira:

Boa leitura!

O que é liderança autocrática?

Liderança autocrática é uma forma de gerenciamento que tem como fundamento o poder de decisão estar centrado em uma única pessoa. Essa pessoa líder geralmente aceita pouca ou nenhuma interferência proveniente de outras pessoas da equipe ou de nível hierárquico organizacional inferior ao seu. 

As decisões são tomadas a partir da experiência, visão e opinião da pessoa líder, que ocupa essa posição por geralmente ter habilidades bem consolidadas de tomada de decisão, pensamento crítico e segurança, além de uma vasta experiência no assunto. 

Como funciona a liderança autocrática?

Normalmente, a liderança autocrática é proveniente de uma estrutura organizacional sólida, em que deve haver uma compreensão automática e objetiva de papéis, deveres e tarefas por todas as pessoas colaboradoras. Isso é fundamental ou a liderança estará fadada a lidar com uma equipe que se torna desmotivada e sobrecarregada com facilidade. 

Dessa forma, poderá haver espaço para argumentações e diálogos, desde que tudo passe por avaliação e decisão de uma única pessoa. No entanto, essa troca de informação não é tão valorizada e cultivada nessa forma de liderança, uma vez que não há espaço para questionamentos. 

Onde utilizar a liderança autocrática?

A liderança autocrática é utilizada, majoritariamente, em três principais situações:

1. Empresas pequenas

Na maior parte das vezes, esse tipo de liderança se encontra em empresas que acabaram de começar e ainda não têm grandes e numerosas equipes para gerenciar. Normalmente, o nível de complexidade é menor, assim como a quantidade de pessoas colaboradoras. Dessa forma, fica mais fácil que a pessoa diretora ou CEO se reúna com sua equipe, delegando tarefas de como quer que seu negócio se estruture. 

2. Quando há necessidade de decisões rápidas

Se a sua empresa está em um período crítico, em que decisões ou erros podem custar caro, a liderança autocrática pode ajudar. Afinal, com a pessoa dona ou uma liderança que representa os interesses principais da empresa decidindo qual o melhor rumo a se tomar, isso agiliza o processo e faz com que haja maior progresso. 

3. Em momentos de crise

Quando a empresa está enfrentando um momento crucial em seu desenvolvimento em que as apostas são altas e não se pode arriscar muito, a liderança autocrática fornece o tipo de controle e orientação para que o jogo mude e a empresa volte a se estabilizar. Afinal, é mais fácil e rápido que uma pessoa tome as decisões do que diversas pessoas tentando provar seu ponto para chegar a algum lugar. 

Atenção: Note que, na maioria dos casos, as situações em que a liderança autocrática se encaixa são passageiras, isto é, possuem um começo, meio e fim. O motivo para isso é que esse modelo aplicado a longo prazo faz com que as pessoas colaboradoras não se sintam motivadas e valorizadas em suas posições. Por isso, recomenda-se que ela seja utilizada somente para obter resultados rapidamente. Após o ponto de estabilização, outra forma de liderança pode ser adotada. 

Quais são as vantagens da liderança autocrática?

  • Decisões complexas e difíceis podem ser tomadas com agilidade;
  • Tarefas são avaliadas e inspecionadas cuidadosamente, garantindo um bom resultado;
  • Facilidade em localizar problemas;
  • Tarefas mais específicas e definidas para pessoas colaboradoras;
  • Menor tempo de execução de processos;
  • Efetividade em lidar com períodos difíceis ou de crise;
  • Papéis hierárquicos melhor definidos;
  • Torna o processo muito mais previsível e, consequentemente, fácil de seguir. 

Quais são as desvantagens da liderança autocrática?

  • Ambiente de trabalho pouco flexível;
  • Maior rotatividade de pessoas colaboradoras, uma vez que elas podem se esgotar facilmente;
  • Pouco espaço para mudanças e inovações;
  • Dificilmente pessoas colaboradoras desenvolverão a cooperatividade ou trabalho em equipe;
  • Pessoas colaboradoras podem ser inibidas e ter seu desenvolvimento pessoal e profissional pausado, causando uma sensação de estagnação;
  • Pouca empatia, afinal, o respeito será mais associado ao medo. 

Liderança autocrática vs. democrática vs. liberal: qual a melhor?

Logo de primeira podemos definir uma coisa: não há uma liderança melhor do que a outra. Cada liderança será ideal a partir do momento que uma série de fatores sejam considerados, como tamanho, visão, objetivo, prioridades, etc. Assim, cada empresa deve ter uma noção de que tipo de liderança se encaixa melhor na situação atual de seu negócio. 

A liderança autocrática, como já explicamos neste texto, é um tipo de liderança utilizada em determinados momentos em que se é necessário agilidade de decisão e resultados rápidos. O motivo para isso é que a decisão se encontra somente na mão de uma única pessoa, e esse regime a longo prazo pode acabar se tornando autoritário, o que desmotiva as pessoas colaboradoras. 

A liderança democrática é o inverso. Há a participação de todas as pessoas, independentemente da hierarquia organizacional. As decisões devem ser unânimes ou por maioria, mesmo se a liderança tiver uma posição contrária. Esse tipo de liderança é boa para organizações que já estão estabilizadas e dispõem de tempo para tomar decisões. Além do mais, funciona em equipes cujas pessoas já possuem certa experiência e sabem o que estão fazendo. 

A liderança liberal, ou laissez-faire, é a liderança em que há pouca interferência de uma pessoa líder, e a equipe precisa resolver problemas e tomar decisões por conta própria. Essa liderança também exige um cenário próprio, como em equipes que demandam soluções criativas ou que a performance não é uma prioridade.

Quais são as características de um líder autocrático?

Senso de hierarquia

A pessoa líder deverá compreender que, nesse tipo de liderança, seu papel é crucial. Isso significa que sem a atuação devida, não haverá progresso. Logo, é fundamental que a pessoa líder compreenda sua posição e utilize-a de forma sábia e respeitosa, sem deixar com que o poder a leve a tomar decisões precipitadas ou que não beneficiem a equipe. 

Rigidez

Uma característica em comum com todas as pessoas líderes autocráticas é que elas são rígidas. Isso é, não há espaço para titubear. Os planos devem ser nítidos e as tarefas objetivas. Cada pessoa da equipe deve entender logo de princípio sua função e desempenhar com precisão suas tarefas. E a pessoa líder deve gerenciar cada um desses processos minuciosamente, pois se algo falhar, será de total responsabilidade dela. 

Mais comando, menos mentoria

As pessoas colaboradoras selecionadas para uma equipe autocrática devem esperar comandos. Isso quer dizer que elas estarão preparadas e dispostas a seguir ordens sem questionar muito. A pessoa líder, portanto, deve assumir esse papel de comando, havendo pouco espaço para o papel de mentora. 

Raciocínio Rápido

A pessoa em uma liderança autocrática deve ser escolhida a dedo por sua capacidade de gerenciamento, resolução de problemas e agilidade mental. Essa pessoa deve ser capaz de gerar diferentes planos e soluções para cada situação por conta própria, afinal, não poderá contar diretamente com a contribuição de pessoas colaboradoras para isso. 

Como implementar e melhorar a liderança autocrática?

Como sabemos, a liderança autocrática é um risco e pode ser tanto benéfica quanto uma armadilha. Dela, podem resultar líderes brilhantes que levarão sua equipe ao sucesso rapidamente, ou pessoas autoritárias que farão com a equipe se sinta inferiorizada e sobrecarregada. Pensando nisso, há algumas formas de evitar que o pior cenário ocorra.

Faça com que as pessoas colaboradoras se sintam ouvidas

A decisão final sempre será da pessoa líder nessa posição. Porém, isso não impede de que ela escute conselhos e opiniões das pessoas de sua equipe antes de implementá-las. Mesmo que a decisão seja contrária, ao menos as pessoas colaboradoras sentirão que sua opinião foi válida em algum ponto. 

Mantenha uma organização rígida

Se você vai cobrar rigidez de sua equipe, sua equipe precisa ver que você está seguindo esses padrões também. Logo, estabeleça datas e prazos que sejam fixos, cumpra com seus compromissos e faça com que sua palavra tenha valor. Ou seja, quando disser ou prometer algo, realize desse modo. Quando estabelecer regras, siga-as também. Afinal, você não pode dar a entender que está acima delas por ser líder. 

Disponibilize ferramentas

Não adianta cobrar algo de sua equipe se ela não tiver recursos para fazer! Dessa forma, garanta que sua equipe tem o conhecimento e as ferramentas necessárias para cumprir com os requisitos e tarefas que você pedirá que realizem. 

Reconheça resultados

Você foi líder e tomou todas as decisões mais importantes. No entanto, se houve resultado, o mérito não é somente seu. Por isso, reconheça o esforço de cada pessoa e deixe explícito como sua participação foi essencial para a conclusão dos objetivos. 

Exemplo de liderança autocrática!

Bill Gates, liderança autocrática

Bill Gates é conhecido por ser a mente por trás do desenvolvimento de uma das maiores e mais importantes empresas de tecnologia da história: a Microsoft. Gates é uma espécie de líder autocrático nas delegações de tarefas, porém compreende a importância de desenvolver ao máximo as habilidades de sua equipe. 

A liderança autocrática foi mais utilizada nos anos iniciais do desenvolvimento da Microsoft, em que ele precisava de um ritmo de crescimento mais acelerado para acompanhar sua visão de negócio. Segundo o que é contado, Gates era bastante rígido e exigia que as pessoas colaboradoras se reportassem regularmente para apresentar ideias e resultados. Durante essas reuniões, ele constantemente interrompia para questionar e desafiar as informações que eram fornecidas.

Com isso, Gates conseguiu fazer com que sua empresa crescesse e ele se tornasse uma das mais admiradas lideranças da história. 

A liderança autocrática, como vimos, pode ser bastante controversa e arriscada. No entanto, se aplicada na medida e na situação certa, pode resultar em resultados rápidos e consistentes. Para aplicá-la corretamente, lembre-se que ter rigidez e concentrar o poder de decisões não faz de você o único fator importante para o sucesso. Logo, a equipe precisa ser ouvida e ser constantemente reconhecida. 

Ademais, você pode sempre mesclar diferentes tipos de lideranças, assim como fez Gates, criando seu próprio estilo e adequando-o ainda mais ao funcionamento de seu negócio. De qualquer forma, lembre-se que a liderança autocrática é bastante benéfica, mas não é recomendado que seja utilizada a longo prazo. 

Gostou da leitura sobre líderes e lideranças autocráticas? Você sabia que uma pessoa líder autocrática não necessariamente precisa ser taxada de chefe? Saiba mais sobre as diferenças entre líder e chefe aqui!

Você também pode gostar