Todo mundo tem a capacidade de contar histórias. Quando estamos reunidos com as pessoas que gostamos, seja em casa, na mesa de um bar ou em qualquer outro espaço, dificilmente não haverá uma história ou anedota sendo contada. Logo, contar histórias faz parte do nosso cotidiano e da nossa essência. Porém, quando aplicado a um contexto de Storytelling, será que isso é suficiente para tornar-se Storyteller?

O que é uma pessoa Storyteller e como distingui-la de uma que conta histórias rotineiramente? O que será que é preciso para se considerar Storyteller? Continue com a gente nesse texto, e responderemos todas essas perguntas, mostrando como é possível contar histórias e encantar pessoas.

Confira o conteúdo disponibilizado nesse texto:

Boa leitura! 

O que é Storyteller?

Storyteller é uma figura que tem o conhecimento de construir histórias sob as técnicas do Storytelling. Dentro da indústria criativa, as pessoas Storytellers podem se apresentar de diferentes maneiras, como:

  • Escritoras;
  • Roteiristas;
  • Publicitárias;
  • Palestrantes;
  • Etc.

Na verdade, qualquer área que envolva narrativas podem contar com a presença de pessoas Storytellers. Seu trabalho principal é compreender o que faz com que uma história seja comovente e o que faz com que outra não tenha tanto sucesso

O Storytelling também é bastante eficaz nos meios de business, em que pessoas empresárias podem aprender a contar e articular histórias para ajudar no desenvolvimento da empresa. Por exemplo, pessoas CEOs podem construir narrativas tocantes sobre a trajetória dela e da empresa para atrair maiores investimentos e fazer com que seu time se mantenha motivado. 

O que é Storytelling

Storytelling é um conjunto de técnicas que são utilizadas em prol da criação de uma história que tenha por objetivo fazer com que pessoas se reconheçam nela e realizem uma ação. Essa ação pode ser simplesmente refletir sobre um tema importante, discutir sobre algo, ou, em alguns casos, adquirir um produto ou serviço. 

Assim, o Storytelling também é uma forma das marcas conseguirem construir empatia por uma marca e manter seu público-alvo engajado. 

O que um storyteller faz?

Uma pessoa Storytelling tem como função principal ser a ponte entre uma história e uma audiência. Ela vai não somente contar mas também guiar a audiência em meio às palavras, fazendo com que elas consigam imergir e imaginar o que acontece. Para isso, ela deve ser capaz de despertar determinadas e controladas emoções na plateia.

Dentro do mercado de trabalho, como dissemos acima, a pessoa Storyteller pode estar incluída em diversos cargos e funções. Quando trabalhando com publicidade e marketing, seu papel pode ser ajudar as marcas a se estabilizar frente à concorrência, criando uma narrativa, personagens, definindo o tom da história e produzindo conteúdos para mídias digitais. 

Qual a relação do Storyteller com o líder?

Uma pessoa líder que também é uma storyteller pode usar essa habilidade para conseguir engajar e motivar ainda mais sua equipe. Contar histórias pode ser uma técnica utilizada como motivação para fazer com que grandes e abstratos sonhos se convertam em objetivos — e, esses objetivos, em ação. 

As histórias não são somente uma forma de entreter e divertir uma audiência. Elas podem ser usadas para suscitar qualquer tipo de emoção e proporcionar aprendizado. Os contos de fadas e fábulas, por exemplo, que hoje conhecemos como histórias para fazer crianças dormirem, não eram tão infantis quando nasceram. Elas serviam tanto para adultos como para crianças, contendo lições valiosas para a sobrevivência como “se entrar no bosque à noite poderá nunca mais sair”

Da mesma forma, a pessoa líder pode usar essas histórias para ensinar, liderar e direcionar sua equipe para o caminho que ela precisa seguir rumo aos resultados

Quais as 4 habilidades necessárias para ser storyteller?

1. Percepção

A pessoa que deseja contar histórias deve ser capaz de primeiramente perceber o mundo à sua volta. E não estamos falando somente de observar, mas de observar e criar relações entre os fatos que acontecem. O tempo todo há uma porção de ações e fatos ocorrendo à nossa volta. Muitas vezes, nos mantemos tanto em nossa mente que nem percebemos o que acontece no mundo. 

Exercitar essa percepção é necessário para que a pessoa consiga notar as estranhezas e particularidades ao seu redor, pois é a partir delas que vai se gerar uma história autêntica e relacionável, capaz de fazer alguém pensar: “Então não é somente eu que via isso!”.

2. Pensamento lógico

Quando conta uma história, uma pessoa não pode, por exemplo, dizer que os avós da personagem morreram e, no meio da história, fazer com que ela visite a avó que está doente. Isso gera algo que se chama contradição, que é quando uma informação anula a outra. Isso é a pior coisa que poderia acontecer para uma pessoa Storyteller, pois faz com que a audiência se desconecte automaticamente do que estava sendo contado por não acreditar mais que seja verídico. 

Logo, toda pessoa contadora de histórias deve ter um pensamento lógico aliado a uma boa memória para encadear todos os elementos de sua história e fazer com que eles continuem sendo válidos no decorrer dos eventos. 

3. Empatia

Empatia é a difícil habilidade de pensar como a outra pessoa pensa e colocar-se no seu lugar. Isso é essencial para qualquer pessoa Storyteller pois ela precisa criar personagens que sejam relacionáveis e verdadeiras. A única forma de fazer isso é sendo capaz de viver o personagem por completo. Saber o que ele pensa, como ele age e o que faria frente à qualquer situação. 

Fora isso, a pessoa Storyteller tem que saber como a audiência se sente e como ela gostaria que se sentisse durante sua história. Ao compreender os sentimentos e pensamentos da sua audiência, fica mais fácil direcionar uma história e fazer com que ela tenha um maior impacto. 

4. Timing

Timing é um termo de origem inglesa que pode ser traduzido para “o tempo exato”. Logo, saber o tempo exato de introduzir cada elemento para gerar um suspense ou fazer crescer uma identificação com a plateia é primordial. 

As 4 verdades do Storyteller!

Peter Guber, empresário e executivo da área de entretenimento, escreveu em um artigo para a Harvard Business Review sobre um encontro de muitas pessoas storytellers do ramo para discutirem sobre o processo de Storytelling. 

A partir dessa discussão, eles chegaram a um consenso de que a verdade é muito importante para qualquer pessoa storyteller. O que é curioso, já que muitas pessoas associam contar histórias com o ato de mentir ou até de iludir, uma vez que muito do que se conta é ficção. A partir disso, ele descreveu 4 verdades essenciais para qualquer processo de Storytelling, que veremos a seguir:

1. A verdade para si

Cada pessoa Storyteller deve ter a noção de que ao vender uma história, consequentemente ela também está vendendo a si. Logo, a primeira verdade é sobre a pessoa Storyteller ser verdadeira e autêntica em relação à sua história, demonstrando emoções e compartilhando do mesmo sentimento que a audiência naquele momento. 

Se a história não for capaz de tocar a pessoa Storyteller, ela não será tão eficaz com a audiência, pois isso transparece. Isso pode ser um grande desafio para muitas lideranças, uma vez que envolve estar vulnerável frente a um grande número de pessoas. 

2. A verdade para a audiência

Guber explicita que sempre existe um contrato inconsciente firmado entre a audiência e a pessoa Storyteller. Enquanto a audiência está de corações e mentes abertas, pronta para receber a história, a pessoa Storyteller deve ser capaz de suprir suas expectativas. Cumprir esse acordo significa cumprir também a verdade para com a audiência. 

Logo, é necessário entender o que a audiência espera ouvir ali, naquele contexto, naquele determinado momento, compondo uma história que vai trazer elementos capazes de satisfazer todas as expectativas colocadas em cima dela. 

3. A verdade para o momento

Uma história que é efetiva nunca será contada da mesma forma duas vezes. O motivo para isso é que o momento é uma das peças-chave e deve ser levado em consideração sempre que uma história for contada. Ao mesmo tempo que grandes pessoas storytellers devem preparar suas histórias com antecedência, pensando em cada mínimo detalhe, elas também devem ser capazes de flexibilizá-las de acordo com o que o momento e o contexto pedem. 

Logo, como diz Guber no texto, improvisação e preparação são duas faces da mesma moeda. Conhecer uma história por completo permite que você tenha maior liberdade para improvisar em cima dela. 

4. A verdade para uma missão

Para conseguir trazer histórias eficazes, a pessoa storyteller deve ter outra devoção: sua missão de vida. Se você for uma liderança pode ser a missão da empresa, se for uma pessoa missionária, sua fé, mas deve existir uma motivação que faça com que você possa incorporar valores que representem você na sua história

É nesse momento que a pessoa storyteller consegue motivar as pessoas ao seu redor e provocar uma mudança, pois é a partir da missão que ela conseguirá transmitir esses valores estruturados na história para sua audiência. Essa missão deve ser passada com paixão, pois a pessoa storyteller deve de fato acreditar nela. Essa é a verdade para sua missão. 

Como ser um storyteller?

Não existe uma formação específica para Storyteller. Como dissemos acima, esse nem mesmo é um cargo oferecido em empresas. Em vez disso, ser uma pessoa storyteller significa usar histórias para tornar seu trabalho ainda mais eficaz. E, para algumas áreas, isso é essencial.

Para se tornar Storyteller, é somente necessário amar histórias de paixão e ter excelentes habilidades comunicativas, assim como as mencionadas acima: percepção, raciocínio lógico, empatia e timing. E, obviamente, muita prática. Experiência é o que realmente conta nesse caso, pois, dessa forma, contar histórias vai se tornando um processo cada vez mais natural para você. 

Para praticar, você pode seguir as dicas abaixo:

1. Planeje e escreva sua história;

2. Conheça sua audiência previamente;

3. Distribua os elementos-chave ao longo da história a ser contada;

4. Construa um clímax, use o suspense, humor e eventualmente surpreenda sua plateia com um desfecho não previsível;

5. Siga as 4 verdades do Storyteller.

5 exemplos de Storytellers famosos!

Vamos conhecer, abaixo, algumas pessoas que mudaram o mundo contando suas histórias. Confira:

1. Walt Disney

Estátua de Walt Disney, storyteller
Walt Disney e Mickey, estátua feita em sua homenagem

O criador dos estúdios Disney está há quase um século criando histórias mágicas e cativantes que marcam gerações de crianças e adultos. Logo, é impossível fazer uma lista de pessoas storytellers famosas e não citar Walt Disney. Para Disney, a magia está nos detalhes e em como eles contribuem para uma história no geral. Assim, cada segundo da história contada é bem pensado. 

2. Elon Musk

Elon Musk, CEO e empresário
Elon Musk, CEO e empresário, excelente exemplo de storyteller

Elon Musk, o bilionário CEO de empresas como SpaceX e Tesla é um exemplo de como pegar informações complexas e transformá-las em coisas simples por meio de uma história bem contada, despertando a curiosidade e a imaginação de quem escuta. A partir desse feito, ele já foi capaz de convencer muitas pessoas investidoras a embarcarem em suas excêntricas e arriscadas ideias. 

3. Stephen King

Stephen King
Stephen King foi imortalizado como o pai da literatura contemporânea de horror

Stephen King é um escritor que estabeleceu seu nome na literatura contemporânea a partir da década de 70, com o icônico livro “Carrie, a estranha”. Além de ser um mestre do suspense e do horror, ele também é capaz de narrar oralmente boas histórias. King também conta sua história de vida, que é bastante interessante, sobre como ele nunca deixou as críticas ficarem no caminho de ele fazer o que ele realmente gosta de fazer, que é contar uma história excelente. 

A dica de Stephen King é essencialmente ler boas histórias para contar boas histórias. 

4. Oprah Winfrey

Oprah Winfrey storyteller
Oprah Winfrey é uma das maiores apresentadoras de televisão.

Oprah é uma apresentadora norte-americana que já inspirou milhões de pessoas com as histórias e mensagens motivacionais em seu talk-show. Com uma história de vida difícil, com bastante dificuldade, trabalho duro e diversas conquistas, ela agora acredita no poder que uma boa história tem e ajuda pessoas a contarem suas histórias. Para ela, o importante é que cada pessoa também possa ser uma storyteller de suas próprias histórias. 

5. Chimamanda Ngozi Adichie

Chimamanda Ngozi Achidie
Chimamanda é uma das autoras mais influentes de língua inglesa da atualidade.

Escritora de diversos romances pertencentes à literatura de diáspora, Chimamanda realmente sabe como contar uma história e é o exemplo perfeito de paixão sobre seus valores, sua origem e sua cultura e como eles podem ser transmitidos por meio de várias narrativas. A escritora nigeriana que é uma das autoras mais importantes da atualidade alerta para o perigo de construir, sempre, uma única história para algo. Ela fala sobre isso durante sua sessão no Ted Talk e pode ser assistida aqui

Conheça o jogo “Storyteller” e aprenda contar histórias!

Se você quiser praticar suas habilidades como Storyteller de uma maneira interativa e divertida, o estúdio Annapurna Interactive disponibilizou um jogo cujo título diz bastante: Storyteller. 

A partir dele, você deve ser capaz de usar elementos disponíveis em quadros sequenciais para criar uma história que satisfaça as condições dadas, como por exemplo, uma história de tragédia. 

É um jogo bastante útil para entender o mecanismo por trás da criação das histórias, assim como compreender alguns dos principais elementos arquetípicos de diversas histórias (como Herói, Amante, Vilão, Morte, etc.). Não importa como a história seja contada, ela só deve ser condizente com seu título!

Você pode conferir o trailer abaixo. O jogo está disponível para PC e Nintendo Switch

Agora, você já entendeu o que é uma pessoa Storyteller e talvez você tenha se interessado em tornar-se uma! De qualquer forma, saiba que todos nós sabemos contar histórias, basta nos aperfeiçoarmos nisso para conseguir fazer com que as outras pessoas também se comovam com nossas histórias!

Continue praticando suas habilidades de Storytelling e, com toda a certeza, você poderá se tornar storyteller, alterando a realidade ao seu redor, transformando-a e impactando em algo realmente positivo.

Agora que você aprendeu bastante sobre a pessoa por trás da história, que tal aprender sobre o arquétipo da cleópatra e se você conseguirá utilizá-lo em suas histórias?

Você também pode gostar