Fundada em 2021, a LandVault é a maior construtora de metaversos (como The Sandbox e Decentraland), crescendo de 5 para 100 construtores em menos de seis meses. O grande passo tomado nesta última semana é que haverá uma fusão com a Admix, à medida que vemos a transformação em Web3.

Exemplo de metaverso da LandVault
Fundada em 2021, a LandVault é a maior construtora de metaversos.

A empresa combinada ainda “assinará” como Landvault, agora com avaliação em cerca de de US$ 300 milhões (ou R$ 1,5 bilhão). Sozinha, antes a Landvault foi responsável por entregar mais de 30 ativações para projetos e marcas Web3.

Como informa o GamesBeat, a nova empresa gradualmente se tornou uma construtora de experiências do metaverso – ou uma “empresa de construção do metaverso” – com um total de 180 funcionários/colaboradores. Eles também gerenciam diversas experiências virtuais, em mundos destinados a atrair pessoas para os ecossistemas baseados em blockchain.

Com esta fusão, a Admix (parceira do Google, Facebook, Uber, McDonald’s, Amazon, dentre outras grandes anunciantes) pretende tornar-se uma provedora de serviços de marcas renomadas. Assim, empresas de todos os setores encontrarão uma porta de entrada para a monetização com a tecnologia de publicidade fornecida pela Admix. 

Segundo Sam Huber (CEO da Admix) em conversa com o VentureBeat, o papel de servir como ponte é essencial. “Estamos integrando o Landvault (capacidades criativas) e Admix (tecnologia de monetização) para nos tornarmos uma oferta completa para marcas ou propriedades intelectuais entrarem no metaverso”, diz.

O que mudará entre empresas e o metaverso?

É importante lembrarmos que isso funcionará de forma independente das plataformas Sandbox, Decentraland e NFT World, outras em competição direta para anunciantes dentro do metaverso. Por referência, esta nova entidade tem US$ 25 milhões em capital de crescimento (RS 130 milhões) da rodada Série B, de outubro de 2021. Com investidores de peso, chegou-se então à avaliação de R$ 1,5 bilhão agora em 2022.

Ryan Inman, fundador da LandVault, disse em um comunicado oficial:
A fusão com a Admix dá à LandVault oportunidades aprimoradas para liderar esse metaverso. As duas empresas têm recursos financeiros substanciais e milhares de parceiros de marcas. Combinados com a melhor equipe de desenvolvimento do negócio, estes são atributos fortes que levarão LandVault ao próximo nível.

Criada em 2018, a Admix é uma plataforma in-play, que conecta criadores de jogos e anunciantes com ads não intrusivos. Temos desenvolvedoras e publishers mobile, como Gameloft e Supersonic, além das marcas McDonald’s, Calvin Klein e Formula 1. Até hoje, são mais 500 anunciantes e 600 experiências de jogos/mundos virtuais.

Como grande diferencial, a Admix se diferencia das demais por eliminar anúncios intrusivos e, como solução direta, há um retrabalho de interação entre os ambientes de jogos as marcas. O “novo LandVault” deve alavancar os fortes relacionamentos da Admix com as grandes marcas e, como consequência, haverá uma melhor integração delas nas terras do metaverso.

Porém, segundo o portal PocketGamer.biz, na última semana houve uma debandada relevante para a empresa. Após a rodada inicial de US$ 8 milhões (R$ 41 milhões), executivos da Admix acabaram de migrar para a Gadsme, concorrente que também atua no mundo de anúncios in-game

Nina Mackie, antiga chefe de parcerias de agências, agora é vice-presidente de vendas diretas na Gadsme. “Desde a primeira conversa, ficou claro para mim que a Gadsme estava construindo algo totalmente único e alinhando seus negócios para entregar resultados comprovados para todos os anunciantes”, disse ela, em declaração. 

Você também pode gostar