Com a estruturação e operacionalização do FIDC, a Trybe garante recursos para incluir milhares de pessoas em seu modelo de formação baseado no sucesso compartilhado

Hoje quero compartilhar com todas as pessoas que acompanham a história da Trybe um importante passo dado por nós para cumprir nossa missão de gerar oportunidades na vida de cada vez mais pessoas. Recentemente, foi encerrada com sucesso a oferta de cotas seniores do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Não-Padronizados Trybe VQV SSI (“FIDC”), um veículo estruturado para adquirir recebíveis originados no âmbito do curso oferecido pela Trybe na área desenvolvimento e programação de software, que captou R$ 35 milhões em subscrições de investidores. 

Com a subscrição de 100% das cotas seniores ofertadas pelo FIDC, nos tornaremos mais fortes como instituição e ficaremos mais preparados para incluir um número substancialmente maior de pessoas no nosso modelo de sucesso compartilhado, sem perder o foco na qualidade que tanto prezamos. E o mais importante: esse instrumento financeiro reforça, de maneira inequívoca, nosso compromisso com o alinhamento aos interesses das pessoas que confiaram na Trybe para mudar — para melhor — suas carreiras e suas vidas. Com ele, começamos a vencer três desafios, impostos por nós mesmos em meados de  2020.

Vamos a eles:

Desafio I: Manter o alinhamento de interesses com as pessoas que estudam conosco.

Um dos nossos maiores orgulhos na Trybe é a construção do Modelo de Sucesso Compartilhado (MSC), que nos permite ter um completo alinhamento de interesse com as pessoas estudantes. [Veja aqui como funciona o MSC]

Muitas das pessoas que optam por estudar conosco só começam a nos pagar após conquistarem uma remuneração a partir de um patamar mínimo. Por isso, a Trybe precisa oferecer o melhor para a formação delas. Somos dependentes do sucesso dessas pessoas para conquistar o nosso sucesso.

A manutenção desse completo alinhamento de interesses é premissa fundamental para qualquer construção estrutural na Trybe — e não seria diferente nos desafios aqui apresentados.

Desafio II: Aumentar a disponibilidade de recursos para investirmos em qualidade educacional para as pessoas que estudam conosco.

Tudo o que fazemos tem foco no sucesso das pessoas estudantes, que confiam na Trybe como instituição de ensino para sua formação em desenvolvimento web. 

Estamos extremamente felizes com os resultados obtidos até aqui e com o sucesso de nossas pessoas estudantes. Das pessoas que se formaram em 2020, 100% passaram a trabalhar em até três meses após a conclusão do curso. E um número muito expressivo de pessoas que ainda estão em formação já estão no mercado de trabalho. É isso o que chamamos de oportunidade.

Sabemos, porém, que ainda temos muito a melhorar. Essa evolução passa por continuar investindo em pessoas qualificadas para compor nosso time, em conteúdo, em produto, em tecnologia e em empregabilidade. 

Aumentar a qualidade da prestação de serviço está diretamente ligado a elevar o investimento que realizamos nessas áreas. Para aumentar os investimentos, é preciso ter recursos disponíveis. Obtê-los era, portanto, um dos nossos  grandes desafio.

Desafio III: Melhorar a estrutura de fluxo de caixa do nosso negócio.

A Trybe oferece o Modelo de Sucesso Compartilhado como alternativa para as pessoas terem acesso a uma educação de qualidade, independentemente da sua condição financeira. 

Entretanto, o MSC impõe um desafio de fluxo de caixa de longo prazo para a sustentabilidade do negócio. Oferecemos o serviço hoje e podemos receber os valores correspondentes à formação em até 5 anos, sempre dependendo do sucesso da pessoa estudante.

O gráfico abaixo explica esse desafio:

De forma simplificada, essa é a evolução da rentabilidade financeira que temos por pessoa estudante na Trybe.

O ponto 1 mostra o momento inicial da relação entre a Trybe e as pessoas que estudam conosco. Nele, já estamos com um valor abaixo de zero [rentabilidade negativa], resultado dos investimentos realizados no processo seletivo, na matrícula, no onboarding das pessoas estudantes e demais investimentos similares.

O ponto 2 representa o momento no qual realizamos o investimento máximo na formação de todas as pessoas que estudam conosco ao longo de aproximadamente 12 meses. Nesse momento, estamos com a rentabilidade abaixo de zero [negativa], resultante  do somatório dos investimentos que já realizamos durante  toda a formação. Esse ponto geralmente ocorre ao final do curso, mas pode ser antecipado, caso as pessoas conquistem uma posição no mercado de trabalho e passem a realizar os pagamentos do MSC.

O ponto 3 demonstra o momento no qual, após a pessoa conseguir um trabalho e realizar sucessivos pagamentos mensais à Trybe, ela retorna exatamente o valor que foi investido pela escola na sua formação. Esse é o ponto de equilíbrio, no qual  a receita e a despesa se igualam no tempo. 

O ponto 4 mostra o momento em que a pessoa estudante fez todos os pagamentos esperados. A diferença entre os pontos 3 e o 4 corresponde ao nosso lucro bruto.

O grande desafio é que, muitas vezes, a distância entre o ponto 1 e o ponto 4, no eixo X do gráfico, corresponde a anos.

Resolver esse descasamento entre a prestação do serviço e o recebimento dos pagamentos era outro desafio fundamental que precisávamos equacionar. Em especial porque isso é um grande limitador de investimentos.  

Contexto dado, agora é hora de apresentar a solução que encontramos para enfrentar cada um desses desafios.

A Solução: FIDC TRYBE VQV SSI 

Esse é um nome complicado para uma solução financeira sofisticada, concebida a partir da preocupação genuína com as pessoas estudantes, com máximo cuidado ético em todas as etapas de seu processo de constituição. 

Mas afinal, o que é esse FIDC Trybe VQV SSI e como ele se relaciona com os desafios acima? 

Antes de mais nada, uma explicação: o que é um FIDC?

Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) são veículos de investimento constituídos sob a forma de condomínio de natureza especial, voltados preponderantemente para a aquisição de direitos creditórios, os chamados recebíveis.

Para ter uma explicação mais completa a respeito desses veículos de investimento regulados, sugiro o link da B3.

 E o que são direitos creditórios?

Direitos creditórios, de uma forma simplificada, são direitos ao recebimento de créditos que uma pessoa (credora) detém contra outra pessoa (devedora) em um determinado horizonte de tempo. 

Segundo a B3: “Os direitos creditórios que compõem a carteira de ativos de um FIDC, são provenientes dos créditos que uma empresa tem a receber, como duplicatas, cheques e outros. Por exemplo, a empresa vende um produto a prazo para um consumidor através de cartão de crédito e estes recebíveis (as parcelas a serem pagas pelo consumidor) podem ser vendidos para um FIDC na forma de direitos creditórios, permitindo à empresa antecipar o recebimento destes recursos em troca de uma taxa de desconto que, por outro lado, remunera os investidores do fundo.”

Portanto, o FIDC-NP Trybe VQV SSI é um fundo de investimento focado na aquisição de direitos creditórios detidos pela Trybe. Esses direitos creditórios nada mais são que os recebíveis originados no âmbito do nosso Modelo de Sucesso Compartilhado, decorrentes da oferta do curso da Trybe às pessoas estudantes. 

E, agora, o mais importante: como o FIDC, na nossa visão, será importante  na resolução dos  desafios aqui expostos.

Solução para o Desafio III: Melhorar a estrutura de fluxo de caixa do nosso negócio.

Com o FIDC, a Trybe transferirá os direitos creditórios detidos ao Fundo, recebendo, em contrapartida, o preço de aquisição de tais direitos creditórios.

Assim,  a expectativa é de que não precisaremos passar um período trabalhando e outro  aguardando para receber os pagamentos necessários para cobrir os investimentos na educação que oferecemos. 

Isso contribui para a melhoria da nossa saúde financeira, nos ajuda a aprimorar nossa estrutura de fluxo de caixa e permite que façamos investimentos importantes. 

Vou usar o mesmo gráfico apresentado no início deste texto para demonstrar o que deve acontecer com o nosso fluxo de caixa com a transferência de nossos recebíveis ao Fundo:

Repare que o ponto 1 permanece na mesma posição, pelos mesmos motivos apresentados acima. As diferenças acontecem na sequência:

O ponto 2 representa o momento no qual realizamos o investimento dos primeiros 30 dias do nosso curso, quando qualquer pessoa que estuda na Trybe pode optar por desistir do curso sem nenhum custo, pagamento, ônus ou penalidade. Nesse momento, estamos com a rentabilidade abaixo de zero [negativa], entretanto significativamente menos negativa que aquela indicada no gráfico anterior.

O ponto 3 representa o momento logo após o final do nosso período de experimentação, no qual ocorre a cessão do direito creditório ao FIDC, ocasião em que a Trybe recebe o preço de aquisição a ser pago pelo fundo pelos respectivo recebível, levando  nossa rentabilidade a um patamar positivo.

O ponto 4 mostra o momento em que a pessoa estudante fez todos os pagamentos esperados. Quanto mais sucesso a pessoa estudante tiver, maior será a rentabilidade do fundo e, consequentemente, dos seus cotistas (dentre os quais inclui-se a Trybe que, com o chapéu de investidora do fundo, também evidencia o seu “skin in the game” em relação ao projeto. Ou seja: investimos no fundo por acreditarmos no sucesso do modelo e do negócio.).

Solução para o Desafio I: Manter o alinhamento de interesses com as pessoas que estudam conosco.

Um dos grandes desafios dessa solução era manter nosso alinhamento de interesses com as pessoas estudantes. Para mostrar como isso é possível, é importante explicar um conceito que existe nos FIDCs.

Os FIDCs possuem, quase sempre, duas classes de cotas: (i) as cotas seniores e (ii) as cotas subordinadas.

As cotas seniores são aquelas que não se subordinam às demais para fins de distribuição de rendimentos. Já as cotas subordinadas são aquelas que, ao contrário, subordinam-se às cotas seniores para fins de distribuição de rendimentos. Caso não haja disponibilidade de recursos para pagamento a todos os cotistas em um FIDC, são as subordinadas que sofrem as primeiras perdas (first losses).

Sendo assim, assumem diretamente o risco de inadimplência e demais riscos financeiros oriundos dos direitos creditórios

Na Trybe, entendemos que, para manter o alinhamento com todas as nossas pessoas estudantes, precisamos continuar confiando no sucesso da empregabilidade, da conquista de uma remuneração mínima e do MSC.

Por isso, decidimos ser investidores do FIDC TRYBE VQV SSI e os únicos cotistas subordinados. Com essa estrutura, eventuais perdas decorrentes da não empregabilidade, da inadimplência e das despesas do fundo serão, em primeiro lugar, suportadas pela própria Trybe. Em contrapartida, na situação inversa, caso a carteira de recebíveis do FIDC-NP prospere além da rentabilidade pré-estabelecida para as cotas seniores, o rendimento excedente do FIDC será atribuído às nossas cotas subordinadas. Ou seja, só ganhamos se as pessoas que confiam na gente ganharem também.

Em outras palavras, se parte das pessoas que estudam conosco não tiver sucesso, nossas cotas serão penalizadas. Por outro lado, se as pessoas que estudam conosco forem bem-sucedidas, nossas cotas serão valorizadas. É ganha-ganha, é sucesso compartilhado!

Solução para o Desafio II: Aumentar ainda mais a disponibilidade de recursos para investirmos em qualidade educacional para as pessoas que estudam conosco.

No ano passado, investimos mais de R$18 milhões para construir uma experiência educacional de alta qualidade. Em 2021, pretendemos investir ainda mais em educação, produto, tecnologia e serviço para as pessoas que estudam conosco, além de  continuar dando suporte às pessoas que já se formaram na Trybe. 

Com a dinâmica financeira acordada no FIDC, esperamos ter mais tranquilidade de caixa para realizar esses investimentos.

Assim, vamos continuar trabalhando para ser a primeira escolha para a formação de profissões digitais da América Latina. Continuaremos construindo uma empresa que enche de orgulho todas as pessoas que já passaram por aqui e que desperta o sonho de tantas outras que buscam oportunidades. 

Seguimos, portanto, mais fortes com nosso propósito de gerar oportunidades para as pessoas!

Vamos oferecer uma educação de alta qualidade, em constante evolução, oferecida por um time de pessoas extremamente qualificadas, comprometidas, orientadas a trabalhar pelo sucesso profissional daquelas que buscam na Trybe a oportunidade de ter um futuro melhor. 

Oportunidades que transformam vidas, famílias e despertam o que temos de melhor: nossa capacidade de sonhar cada vez mais alto! 

Agradecimentos

Agradeço às 175 pessoas que trabalham na Trybe, por permitirem que tudo isso fosse possível. Estamos construindo nossa Trybe e cada pessoa deste time incrível tem sua assinatura nessa obra.

Aos nossos investidores de equity e aos cotistas do FIDC, obrigado pela confiança em nosso trabalho e nas pessoas que estudam conosco. Tenham a certeza de que vamos trabalhar duro para fazer valer toda essa confiança. 

Obrigado à Milênio, ao Pinheiro Neto Advogados e à Oliveira Trust pela parceria na construção jurídica e na estruturação operacional do FIDC TRYBE VQV SSI. 

#VQV #goTrybe 

Para quem ainda não conhece a Trybe, sugiro que leia o seguinte artigo: “Mudando a lógica: Trybe

Para quem ainda não conhece a nossa cultura, sugiro ler o seguinte artigo e nosso deck: (i) Cultura: diferencial competitivo e (ii) Deck de Cultura da Trybe v3

0 Shares: