Como é a sua experiência na hora de usar o aplicativo do seu banco? Um levantamento da Movizzon, identificou que, no Brasil, essas plataformas são mais lentas e gastam mais dados.

A empresa, que é especializada em medir e otimizar a experiência do usuário em canais digitais, mapeou o funcionamento dos apps de bancos brasileiros e de instituições financeiras de outros países da América Latina.

O estudo apontou falhas temporárias (em que o app trava por alguns instantes), falhas mais graves (em que o app trava totalmente e o usuário “perde” a operação), o tempo de resposta e a quantidade de dados de navegação gastos em ações como acessar o app, fazer login e realizar alguma consulta.

Segundo a pesquisa, os aplicativos brasileiros gastam 14,1 Kb contra 69,6 Kb dos apps dos outros países latino-americanos.  Para as movimentações, o uso de dados foi de 12,2 Kb em média na América Latina e 15 kb no Brasil.

“Os números da Anatel mostram que, no Brasil, 48,3% dos celulares são de planos pré-pagos. Para essas pessoas, torna-se muito caro e pouco vantajoso acessar um aplicativo que consome tantos dados de navegação”, afirma Tiago Lecey, executivo da Movizzon.

Para Lecey, isso acaba excluindo o usuário em um momento em que todas as políticas estão voltadas para a inclusão digital:

“O número de transações realizadas pelo mobile banking saltou de 37 bilhões em 2019 para 52,9 bilhões em 2020, um aumento de 20% segundo a Febraban“.

Plataformas brasileiras são mais rápidas

celular na mão com cartão de crédito na outra, simulando uma transação
Estudo mostrou que , no Brasil, essas plataformas são mais lentas e gastam mais dados

Com relação à rapidez, os brasileiros saíram na frente na abertura do aplicativo, com 4,2 segundos, enquanto a média dos outros bancos latino-americanos pesquisados é de 6,2 segundos.

Para fazer um login ou realizar consultas, os aplicativos brasileiros foram mais lentos. O tempo médio das ferramentas nacionais foi de 5,5 para logar e 4,2 segundos para realizar consultas.

Na América Latina, as plataformas levam 4,9 segundos e 1,5 segundo, respectivamente. De acordo com as orientações do Google, os aplicativos devem levar no máximo cinco segundos para abrir.

Em relação às falhas menores, os apps de bancos brasileiros se saíram melhor. A pesquisa mostra que a cada 100 acessos as plataformas brasileiras apresentaram 0,08 falha simples, enquanto nos demais países a média foi 0,35 falhas a cada 100 acessos.

O desempenho do Brasil piora quando o assunto é login. A cada 100 vezes em que os brasileiros entravam no app, houve 5,87 falhas simples. A média de erros da América Latina ficou em 1,55 a cada 100 logins.

No quesito “falhas globais” – quando os aplicativos saem do ar por um tempo considerável e o usuário é obrigado a abandonar a operação – Brasil e América Latina ficaram praticamente empatadas.

Nas ações de abertura do aplicativo, login e consultas, os apps brasileiros apresentaram um bom desempenho em 99,97%, 99,89% e 99,98% das vezes, respectivamente. Enquanto a média dos apps latino-americanos foi de 99,96%, 99,75% e 99,96%.

0 Shares:
Você também pode gostar