A tecnologia text to speech, que consiste na produção de uma voz a partir de texto, já teve seu tempo de dominar a internet. O exemplo mais famoso está nas redes sociais, como as vozes (em diversos idiomas) de “narração” geradas pelo TikTok.

Há pouco tempo, o aperfeiçoamento da locução sintetizada chegou aos cinemas, sendo o exemplo mais recente a voz de Val Kilmer em Top Gun: Maverick. A empresa por trás deste feito é a Sonantic, startup de Londres que criou um mecanismo de inteligência artificial bastante convincente. Abaixo, a amostra do que foi utilizado primeiramente no documentário do ator:

Agora quem quer uma “fatia” desta aplicação é o Spotify. Como informa o TechCrunch, o gigante do streaming adquiriu a Sonantic e deve investir na expansão do alcance em tecnologias de áudio – seja dentro ou fora do Spotify, com potenciais oportunidades de negócios.

Ainda que não tenham sido divulgados os termos financeiros da aquisição (como valores, ou de onde surgiu o interesse), um porta-voz do Spotify disse ter ciência da tecnologia da Sonantic “há algum tempo”. 

“Estamos muito empolgados com o potencial de trazer a tecnologia de voz I.A. da Sonantic para a plataforma Spotify, criando novas experiências para nossos usuários”, comunica Ziad Sultan, Vice-Presidente de Personalização do Spotify. “Esta integração nos permitirá engajar usuários de uma maneira nova e mais personalizada.”

Em termos especulativos de como o Spotify pode utilizar esta nova tecnologia temos as recomendações e descrições de áudio. Caso você esteja dirigindo, ou em multitasking ou não tenha acesso fácil ao smartphone, um episódio de podcast pode ser sugerido, por exemplo.

Porém, por conta da Sonantic ser focada em negócios B2B, o leque está mais aberto – visto que o Spotify ainda não investiu na criação de produtos voltados exclusivamente à empresas, área que há grande potencial de crescimento.

Mais um uso prático seria no complemento de ferramentas disponíveis a criadores de conteúdo. O próprio Anchor, para divulgação de podcasts, proporciona uma gama de auxílios a quem quiser gravar e editar seus programas, mas é fácil imaginarmos as novas possibilidades de interação (do público com o criador) por conta de uma voz gerada diretamente na plataforma. 

“Estamos ansiosos para ingressar no Spotify e continuar a construir experiências de voz”, disseram os cofundadores da Sonantic, Zeena Qureshi e John Flynn, em comunicado. “Acreditamos no poder que a voz tem e na sua capacidade de promover uma conexão mais profunda com ouvintes de todo o mundo. Sabemos que podemos ser melhores do que nunca na maior plataforma de áudio do mundo”, concluem.

Você também pode gostar