Em algum ponto, cada um de nós já precisou ser submetido a algum tipo de avaliação, seja ela qual fosse. O motivo para isso é que as avaliações ajudam a assegurar e certificar que tenhamos determinado conhecimento desejado e que sabemos aplicá-lo com maestria, contribuindo para nosso desenvolvimento pessoal e profissional. Entretanto, há muitos modelos de avaliação enraizados que nem sempre contemplam todas as formas de conhecimento. Dessa forma, outros métodos de avaliação surgem, dentre eles, a avaliação qualitativa

Se você quer saber mais sobre como podemos escapar dos modelos tradicionais de avaliação e utilizar outros meios de provar que conhecemos acerca de algum tópico, então não deixe de conhecer a Avaliação Qualitativa! Preparamos esse conteúdo completo para que você aprenda mais sobre esse método de avaliação. Confira:

Boa leitura!

O que é Avaliação Qualitativa?

A avaliação qualitativa é um método de avaliação que pode ser utilizado em qualquer contexto e que não possui como objetivo a análise empírica da situação. Em palavras mais simples, seu enfoque não é tanto no quanto foi produzido, mas na situação subjetiva e todos os recursos emocionais, mentais e circunstanciais que a circundam

Para facilitar a compreensão, vamos pensar em uma pessoa educadora que precisa avaliar qualitativamente estudantes. Em vez de focar em notas ou resultados pré-modelados, essa pessoa avalia o desenvolvimento de cada estudante por meio de como ela aborda o tópico que está em avaliação através de uma conversa. A partir dela, a pessoa educadora decide se aprova ou não seus estudantes por meio de critérios subjetivos. 

Características da Avaliação Qualitativa

Dentre as mais diversas características da Avaliação Qualitativa, encontram-se:

  • forma de avaliar aspectos subjetivos, como felicidade, satisfação, etc. 
  • é focada em uma pessoa e toda sua individualidade, ao invés de olhar para o grupo;
  • possui ferramentas para a medição da subjetividade;
  • percebe aspectos da evolução profissional e do desenvolvimento pessoal. 

O que é Avaliação Quantitativa e como ela se difere da Qualitativa?

A avaliação quantitativa é o método que está fortemente solidificado em suas mais variadas formas. Essa metodologia visa a certificação da capacidade individual ou da de um grupo a partir do levantamento de dados e estatísticas

Diferentemente da avaliação qualitativa, a quantitativa é inteira baseada apenas em experimentações e dados concretos, excluindo qualquer subjetividade e personalidade da pessoa que está sendo avaliada. 

Um uso eficaz desse tipo de avaliação é para empresas que desejam levantar dados de consumo de seu público-alvo ou para testes que queiram quantificar a capacidade de uma pessoa colaboradora em alguma habilidade técnica muito específica. 

Características da Avaliação Quantitativa

Dentre as características desta metodologia, podemos destacar:

  • uso rigoroso do método científico e empírico;
  • resultados mais abrangentes que demonstram tendência de um determinado recorte social ou grupal;
  • pode ser utilizada como meio de comprovação de teorias científicas, uma vez que seus dados são objetivos e concretos;
  • permite que habilidades ou eventos sejam quantificados por meio de números e estáticas assertivas. 

Por que as duas avaliações são importantes?

Apesar de serem duas formas diferentes de se avaliar que estão frequentemente sendo colocadas em choque, a verdade é que a atuação de uma não exclui a outra, uma vez que suas aplicações são em contextos completamente diferentes. Na verdade, podemos observar a avaliação qualitativa como uma complementação muito eficaz da quantitativa.  

Dessa forma, é importante compreender que ambas avaliações são importantes a depender do que você precisa avaliar. A diferença principal ocorre no tipo de informação que você precisa ter de retorno. 

Por exemplo, se você precisa ter uma informação específica sobre quantas pessoas estão acessando seu site e quantas de fato estão chegando a realizar uma compra em seu comércio virtual, uma avaliação qualitativa não será muito útil.

Agora, isso muda de figura completamente se você faz parte de uma empresa que precisa saber o nível de satisfação das pessoas colaboradoras. Como colocar isso em dados? Provavelmente, uma avaliação qualitativa obterá informações mais úteis.

Mais adiante, veremos de forma mais aprofundada os contextos em que cada uma pode ser aplicada.

Em que contexto se pode usar uma avaliação quantitativa e qualitativa?

Se ambas avaliações têm usos distintos, você deve estar se perguntando em que ocasião adotar uma ou outra, certo? Ou então, se você fizer parte de uma equipe ou empresa, em que situações você pode esperar que ocorra uma avaliação de cada aspecto? Vamos conferir abaixo alguns usos dessas metodologias:

Avaliação Qualitativa:

  • matérias escolares mais subjetivas, como filosofia, sociologia e artes, que exigem um conhecimento mais abstrato e uma construção crítica mais apurada;
  • entrevistas técnicas ou não que desejam saber quais tipos de soft skills a pessoa candidata já desenvolveu e quais ela ainda precisa melhorar;
  • sessões terapêuticas que necessitam diagnosticar a causa de um trauma ou fobia por meio de perguntas qualitativas de cunho pessoal que remetem a sentimentos e memórias afetivas;
  • pesquisas de satisfação de empresas para pessoas colaboradoras ou clientes;
  • em escolas cujo objetivo seja identificar processos cognitivos aos quais permitem que estudantes tenham mais facilidade ou dificuldade em determinado tópico;
  • sessões de Coaching em que a pessoa profissional precisa medir a evolução e o desenvolvimento pessoal de coachees.

Avaliação Quantitativa:

  • conhecimentos técnicos que precisam de resultados precisos e lógicos, como matemática, física, e linguagens de programação;
  • pesquisas científicas e acadêmicas que têm como objetivo a afirmação de uma hipótese;
  • eventos que precisam de um resultado concreto;
  • qualquer diagnóstico que envolva quantidades ou números;
  • avaliações profissionais de Segurança do Trabalho que envolvam risco à pessoa trabalhadora.

Quais as vantagens da Avaliação Qualitativa?

Como já conferimos anteriormente, a avaliação qualitativa é útil em uma vasta gama de contextos e situações. Entretanto, quais as vantagens dessa metodologia de avaliação?

Dentre as vantagens, sem dúvidas a maior delas é a capacidade de trazer à tona a importância de se quantificar dados subjetivos inerentes aos seres humanos, como crenças, medos, atitudes, comportamentos, sensações e inseguranças. 

Outro ponto crucial é que a avaliação qualitativa permite um olhar mais individual, colocando a pessoa que está sendo avaliada no centro. Isso faz com que as informações obtidas sejam aprofundadas, complexas e robustas, ao invés de superficiais e generalizadas.

E suas limitações?

A avaliação qualitativa já foi alvo de discussão e polêmica por conta de sua falta de sustentação em pontos científicos. Como não existe uma forma de amarrar as informações a dados, pessoas que trabalham com metodologias científicas desacreditaram muito esse método no passado. 

Logo, uma de suas limitações ainda é o preconceito por uma parcela que crê que avaliações devem ser totalmente embasadas em dados empíricos e palpáveis — o que não é tão fácil de se fazer com avaliações quantitativas. 

Outra limitação importante é que cada resultado é único e específico, ou seja, não pode ser aplicado em mais ocasiões. Isso a torna irrelevante para generalizações e, consequentemente, não podemos aprender com elas para aplicar novamente em outras situações.  

Quais as vantagens da Avaliação Quantitativa?

A avaliação quantitativa, por sua vez, é capaz de suprir as limitações apresentadas anteriormente do modelo qualitativo.

Logo, a maior vantagem apresentada é a credibilidade e a irrefutabilidade dos dados, afinal, não dá para recusar informações as quais foi provada a veracidade. Isso faz com que a avaliação quantitativa seja a preferida do método científico e acadêmico. 

Outra vantagem da avaliação quantitativa é sua utilização generalizada. Por ser embasada em argumentos lógicos, sua aplicação pode ser repetida em outras situações semelhantes à apresentada. Por exemplo, se uma pesquisa levantou dados acerca de profissionais da área, esses dados também serão úteis para qualquer outra empresa do ramo. 

E suas limitações?

Assim como muitas outras metodologias embasadas em dados concretos e sociais, a principal limitação da avaliação quantitativa é incapacidade de perceber a individualidade das pessoas que estão sendo avaliadas.

A partir do momento em que há uma avaliação quantitativa, a pessoa não é mais vista como um indivíduo único, com sentimentos e pensamentos próprios, mas sim como um dado generalizado. Assim, existe um apagamento de muitas características relevantes que a avaliação quantitativa não consegue traduzir em informações concretas e embasadas, fazendo com que elas sejam somente descaracterizadas.

A avaliação qualitativa é uma forma de avaliação que busca compreender a subjetividade e leva em consideração aspectos humanos e pessoais de cada indivíduo. Por sua vez, a quantitativa procura basear-se em dados concretos e gerais, o que a torna irrefutável. Ambas formas de avaliação são importantes para conseguir informações distintas, basta apenas utilizá-las nas situações pertinentes.

Você gostou do nosso texto? Que tal agora você explorar um pouco mais o mundo das ferramentas de avaliação e conhecer a Roda da Vida?

0 Shares:
Você também pode gostar