Feedbacks são ferramentas importantes dentro de diversos contextos, essencialmente no organizacional. Dentre os mais variados tipos, o feedback negativo auxilia na contenção de danos e no monitoramento de mudanças que necessitam ser realizadas. No entanto, de todos os tipos de feedback, esse é um dos mais complicados de se fazer pois, se não feito corretamente, ele pode ser interpretado como crítica. 

Isso pode ser perigoso especialmente pois críticas que são vistas como duras podem ser contraproducentes e criar conflitos no ambiente de trabalho. Por conta disso, é importante utilizar uma linguagem que seja respeitosa e bastante cautelosa. 

Dessa forma, algumas questões podem surgir, como: o que é um feedback negativo? Como posso dar um feedback negativo de uma forma que não vá criar conflitos? Como posso receber feedbacks negativos de maneira adequada? Como posso diferenciar feedbacks negativos de críticas? Se você está se perguntando tudo isso, não precisa se preocupar. No conteúdo abaixo, você poderá encontrar todas as respostas:

Boa leitura!

O que é um feedback negativo?

O feedback negativo é um tipo de feedback dado quando houve alguma atitude, comportamento ou ação errônea que pode ter um impacto negativo no progresso e produtividade geral. Portanto, esse é um tipo de feedback que serve para corrigir e demonstrar que algo feito não deve se repetir. 

Como indicado, o feedback negativo é bastante delicado, pois, diferentemente do feedback construtivo em que o foco é como tornar mais eficiente uma ação, o seu foco é apontar uma atitude ou ação prejudicial que não pode se repetir. Para que haja o verdadeiro aprendizado e compreensão é necessário tanto que a pessoa que entregue o feedback o comunique de uma forma objetiva, explícita e adequada, quanto que a pessoa que o receberá saiba como processar essa informação sem deixar-se afetar. 

Quando dar um feedback negativo?

Como sabemos, o feedback negativo é uma forma de feedback bastante delicada. Por conta disso, o momento para entregar um deve ser preciso. É importante ter em mente que esse tipo de feedback pode ajudar a conter danos e mudar atitudes, mas, em excesso, ele pode causar conflitos e causar desmotivação. É por isso que algumas pessoas especialistas recomendam que a proporção de feedbacks negativos seja de 1 para cada 6 feedbacks positivos. Isso ajudará as pessoas colaboradoras a compreenderem que o feedback não é uma crítica ou um ataque pessoal. 

Logo, quando o feedback negativo for extremamente necessário, você poderá fazê-los nas seguintes condições:

  • Durante uma reunião 1-a-1: Uma reunião exclusiva com a pessoa e a portas fechadas é o momento ideal para dar um feedback negativo, pois, isso evitará que a pessoa se sinta constrangida de estar sendo corrigida.
  • Na avaliação de desempenho: Na avaliação de desempenho, esse tipo de feedback escrito pode ser bem efetivo se feito de forma adequada. 

EVITE DAR FEEDBACKS NEGATIVOS: 

Em uma reunião geral: Feedbacks negativos jamais devem ser entregues na frente de outras pessoas colaboradoras. Isso potencialmente fará com que a pessoa que o receba se sinta humilhada.

Quando alguém está apresentando ideias: Caso alguém esteja apresentando uma ideia ou sugerindo algo e você notar um erro, evite fazer essa confrontação direta. Independentemente do teor da ideia, todas as pessoas devem ser ouvidas e respeitadas ao máximo. Você pode reportar isso posteriormente, a sós. 

Na frente de clientes: quando encontrar-se com clientes, evite apontar erros ou dar feedbacks negativos em sua presença. Isso fará com que se sintam desconfortáveis. 

Qual a importância de um feedback negativo?

De fato, não é muito agradável ser a pessoa que entrega feedbacks negativos, e muito menos ser a que recebe um. No entanto, essa técnica, quando aplicada da maneira correta, pode proporcionar uma série de benefícios. 

Primeiramente, se a pessoa colaboradora compreender que o feedback negativo não é pessoal, isso dará margem para que ela possa se desenvolver e evoluir. Qualquer feedback, inclusive o negativo, pode ser construtivo. 

Adicionalmente, a existência de feedbacks negativos ajuda na percepção de que há honestidade na comunicação dentro do ambiente de trabalho. Se somente houver feedbacks positivos, a pessoa pode entender que não está sendo levada a sério ou que a liderança não está sendo totalmente transparente. Ao receber feedbacks negativos, a pessoa compreende que existe um canal de comunicação para reportar erros e falhas que está disponível para ser utilizado

Se esse canal for pautado em respeito, empatia e sinceridade, a equipe poderá sentir que de fato há um apoio e de que há alguém observando suas ações, o que pode lhe conferir segurança. 

Qual a diferença entre um feedback negativo e uma crítica?

É muito fácil confundir feedback com crítica, uma vez que ambas formas de resposta e avaliação podem ocupar o mesmo espaço. No entanto, esses conceitos são bastante diferentes um do outro quando a questão é proposta. 

É preciso compreender que o feedback somente é feedback se nele estiver espaço para desenvolvimento e evolução. Se a mensagem transmitida não permite que a outra pessoa possa aprender e desenvolver-se, não se trata de um feedback. Assim, o feedback é objetivo e explícito ao demonstrar o que deve ser mudado (caso haja algo para mudar) e ajudar em uma saída para isso. Se a pessoa não compreender por qual razão está recebendo aquele feedback, ele pode ser mal interpretado e transformar-se em crítica.

A crítica é mais uma observação. Ela demonstra que algo ou alguém não cumpre com os objetivos e não bate com a expectativa colocada, o que poderá desmotivar e criar conflitos. Afinal, uma pessoa que se sente criticada poderá evitar a pessoa que fez a crítica e acabar causando problemas na comunicação da equipe como um todo. 

Como reagir a um feedback negativo da maneira certa!

A verdade seja dita: nem todas as pessoas estão preparadas para receber feedbacks negativos e, mesmo se este for dado com precisão, se a pessoa não estiver preparada ele ainda não surtirá efeito. Afinal, como dissemos anteriormente, um dos fatores para que o feedback seja efetivo é a compreensão da razão pela qual ele foi entregue. 

Para equipes profissionais, é importante que haja algum tipo de suporte ou treinamento por parte da liderança para garantir que todas as pessoas estejam aptas a isso. É importante também sempre explicitar que feedbacks negativos são normais, necessários e que são uma via de mão dupla, ou seja, que todas as pessoas, sem exceção, estão sujeitas a receber. 

Caso você seja uma pessoa colaboradora e queira estar mais aberta para receber esse tipo de feedback, abaixo separamos algumas dicas que podem ser úteis nesse caso. 

DICA 1: Não reaja prontamente

A primeira reação ao receber um feedback negativo pode variar. Algumas pessoas podem se irritar, outras podem sentir vontade de chorar e está tudo bem, pois ao receber um feedback ao dizer que algo não estava à altura, isso pode ferir nossa autoimagem e distorcer a percepção que temos das nossas capacidades. 

No entanto, o segredo é que você não precisa reagir logo de cara! Aceite o feedback, por mais controversos que sejam os sentimentos que ele desperta e se dê tempo para pensar sobre ele ao invés de explodir logo de cara. Podem ser alguns dias, algumas horas… O tempo varia de pessoa para pessoa. 

Enquanto você reavalia o que foi dito no feedback negativo, você pode utilizar uma técnica de autoafirmar feedbacks positivos que você recebeu, para deixar explícito para você que esse feedback isoladamente não lhe define. Por exemplo, se disseram que você é uma pessoa mandona e exigente, pense em como elogiaram sua atenção aos detalhes. Porém, não use isso para negar a realidade e descartar o feedback. 

DICA 2: Peça mais informação

Nem sempre nossa intenção é percebida pelas demais pessoas, que podem interpretar de maneira diferente. Quando alguém der um feedback negativo, pergunte para mais pessoas se elas compartilham da mesma opinião. Com isso, elas ajudarão você a enxergar melhor como é que suas atitudes estão sendo recebidas e qual é a imagem que você cria sobre si. 

DICA 3: Evite cair no papel de vítima

Muitas pessoas, quando confrontadas por um feedback que não é positivo sobre seu trabalho, tendem a cair no papel de vítima e alimentar a síndrome do impostor. Do nada, elas passam a enxergar coisas onde não existem, como conspirações de uma liderança que não gosta dela, como colegas de trabalho que zombam pelas costas… Evite entrar nesse ciclo de depreciação, pois, depois será mais complicado deixá-lo. 

Reafirme para si que ninguém quer seu mal, somente que algum determinado comportamento mude, e que você tem outros milhões de pontos fortes que as pessoas certamente admiram. 

DICA 4: Mudar nem sempre é a única opção

Geralmente, um feedback negativo pede por uma mudança. No entanto, há ocasiões em que mudar não é a coisa mais saudável a ser feita, sendo necessária somente uma mudança de perspectiva. Vamos supor que você não seja uma pessoa que se comunica com facilidade e receba um feedback negativo sobre isso. Ao invés de tentar forçar algo que simplesmente não acontecerá pois não é e nunca será quem você é, você pode abraçar isso como uma falha e ter uma conversa honesta, explicando quais são as suas expectativas e pedindo por conselhos e ajuda sobre como lidar com isso. 

Isso ajudará a definir novos padrões de expectativa sobre como você deverá trabalhar e alterará o que as outras pessoas lhe veem e o que esperam de você. . 

Como dar um feedback negativo de maneira positiva?

Sabemos a dificuldade que é entregar um feedback que evidencie uma falha ou erro. No entanto, se o fizermos de uma forma positiva, a pessoa que o recebe poderá inclusive ser grata pois algo que a preocupava foi colocado em pauta e, subitamente, há um canal aberto para comunicação para que ela consiga inclusive pedir ajuda, se for o caso. 

A maneira mais efetiva de entregar um feedback negativo de maneira positiva é analisá-lo a partir de três fatores:

  • SITUAÇÃO;
  • COMPORTAMENTO/ATITUDE;
  • IMPACTO;

Com isso em mente, você deve informar de maneira objetiva e precisa:

  1. Quando e onde a atitude ou comportamento inadequado ocorreu;
  2. No que consiste essa atitude ou comportamento;
  3. Quais os impactos que isso trouxe ou poderia ter trazido.

É importante não deixar-se levar nesse aspecto e cometer erros comuns, como apresentar julgamentos descabidos (“você não deveria ter agido dessa forma”), generalizações (“você faz isso toda vez”) e tentar deduzir características a partir do erro (“você é uma pessoa desrespeitosa”). 

Depois de analisado, você pode oferecer suporte ou apoio para ajudar a pessoa a resolver a situação. 

Ademais, vamos conferir algumas dicas de como essa informação pode ser entregue de uma maneira mais leve e não agressiva: 

Da liderança para colaboradores;

Se você é uma liderança e está procurando uma forma de dizer para pessoas que trabalham na sua equipe que algo não está funcionando e que precisa mudar, é importante manter algumas coisas em mente.

  1. Evite empregar o imperativo. Todo mundo sabe que existe certa estrutura organizacional para ser seguida e que você é a pessoa que dá as direções. No entanto, muitas pessoas se sentem incomodadas quando isso é reforçado e, definitivamente, um feedback negativo não é o momento para reafirmar isso. Portanto, evite verbos que sejam ordens expressivas, como mude, saia, faça, etc. Prefira fazer perguntas e dirigir a pessoa para que ela tire a mesma conclusão que você. 
  2. Cuidado com o modelo sanduíche para feedbacks negativos. O modelo sanduíche é uma forma de entregar feedbacks muito utilizada que consiste em “embrulhar” a parte negativa entre dois feedbacks positivos. Ele é muito útil para feedbacks construtivos positivos, mas quando a questão é feedback negativo, ele pode acabar causando um pouco de confusão, deixando a mensagem não muito explícita. Como o foco do feedback negativo é exatamente a questão problemática, é necessário que ela fique evidente. 
  3. Faça com que o feedback negativo também seja construtivo. Entregue a informação de maneira direta e explícita, mas auxilie a pessoa a criar um plano para conseguir superar esse desafio. 
  4. Não abandone a situação. Somente falar que algo está errado e depois esquecer não ajudará o problema a ser resolvido. Marque reuniões esporádicas com a pessoa para acompanhar a situação e a evolução dela no plano combinado. 

De colaboradores para liderança;

Todo mundo está sujeito a errar e desagradar em alguns aspectos, inclusive a liderança. No entanto, é completamente compreensível a ansiedade na hora de dar alguns feedbacks para a liderança, sendo parte de sua equipe. Logo, aqui estão algumas dicas de como fazer isso da melhor forma:

  • Especifique. Não fale em situações hipotéticas ou distantes. Coloque sempre fatores reais e palpáveis para exemplificar o que está falando. 
  • Evite o “você”. Ao invés de colocar o foco na perspectiva da pessoa e dizer “Porque você isso” ou “você aquilo”, procure colocar seu ponto de vista, a partir do “eu”. 
  • Sugira soluções. O que você poderia fazer para ajudar a resolver o problema? Tente sugerir algumas coisas que você possa ajudar.
  • Deixe evidente que o feedback parte de um ponto de vista não pessoal. Reforce que você só está dizendo aquilo pois está pensando no que é melhor para a empresa e a equipe. 

No entanto, evite:

  • Falar o que você faria se estivesse no papel da pessoa líder;
  • Dar o feedback na frente de outras pessoas da equipe, clientes, outras lideranças ou em um período de crise;
  • Tentar deduzir por qual razão a pessoa se comportou daquela forma.

5 exemplos de feedbacks negativos!

1.

  • Contexto: 

Você gerencia uma equipe remota e uma das pessoas colaboradoras não apareceu nas últimas três reuniões. Nenhuma informação sobre foi fornecida. Você chama a pessoa para conversar. 

  • O que NÃO dizer: 

“Você não apareceu nas últimas três reuniões e nem sequer deu uma explicação sobre isso. Essa é uma atitude irresponsável da sua parte.”

  • Como dar o feedback negativo: 

“Notei que você não esteve presente nas últimas três reuniões da equipe. Estar presente nas reuniões é parte das tarefas de toda a equipe e, também, é obrigatório. Se você não estiver presente depois ficará difícil para que a equipe saiba como está o andamento de suas tarefas e, além disso, você também não saberá o que está acontecendo. Você pode contar um pouco mais sobre as razões para isso ter acontecido? Se você estiver com problemas para organizar seu tempo, eu tenho algumas sugestões que podem lhe ajudar.”

2.

  • Contexto: 

Em uma determinada equipe de vendas, uma das pessoas não consegue bater suas metas mensais. O valor é idêntico ao de outras pessoas da equipe, que parecem não ter dificuldades em ultrapassar a marca. 

  • O que NÃO dizer: 

“Mais uma vez você não atingiu sua meta. Eu temo que seu desempenho possa impactar o resultado de toda a equipe”. 

  • Como dar o feedback negativo: 

“Eu vi que você não conseguiu bater sua meta mais uma vez, no entanto, é evidente que não foi por falta de esforço! Quais são os obstáculos que você acredita que mais lhe atrapalham?”

3.

  • Contexto: 

Uma das pessoas de sua equipe demonstrou estar bastante irritada durante a reunião. Ela causou alguns conflitos e fez com que um tempo da reunião fosse dedicado somente a acalmá-la. A reunião teve de ser postergada e nenhuma decisão foi tomada. 

  • O que NÃO dizer: 

“Você parecia estar nervoso(a) durante a reunião de ontem. Infelizmente, devido a isso, perdemos tempo e a reunião teve de ser remarcada.”

  • Como dar o feedback negativo: 

“Ontem, durante a reunião, percebi que você estava um pouco irritado(a), o que fez com que não conseguíssemos chegar a uma conclusão. Às vezes é difícil colocar a cabeça no lugar, eu entendo. Vamos conversar um pouco sobre a razão pela qual isso aconteceu e em como eu posso ajudar você?

4.

  • Contexto:

Em um time remoto, uma das pessoas envia atualizações, mensagens e emails durante a noite ou madrugada, atrapalhando a organização de horário de outras pessoas colaboradoras. 

  • O que NÃO dizer: 

“Vi que você envia notificações e mensagens tarde da noite para a equipe. As pessoas estão reclamando sobre isso, além de eu acreditar que você não está sabendo gerir seu tempo”. 

  • Como dar o feedback negativo: 

“Observei que você está enviando mensagens e notificações para a equipe um pouco fora do horário de trabalho. Para algumas pessoas da equipe, isso pode acabar atrapalhando um pouco o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Aliás, como está esse equilíbrio para você? O que acha da gente dar uma olhada na sua carga de trabalho para ver se a gente pode reorganizar ela de uma forma que caiba exatamente durante o horário de trabalho?

5.

  • Contexto: 

Você é uma pessoa colaboradora e não gosta muito das atitudes que a pessoa líder toma, e nem de como ela se comporta algumas vezes. As pessoas colegas de trabalho também comentam que por vezes acham os comentários dela um pouco soberbos e duros. 

  • O que NÃO dizer: 

“Eu e a equipe não nos sentimos confortáveis com sua liderança. Achamos que você é soberbo(a) e muito rígido(a). No seu lugar, eu trataria melhor as pessoas da equipe ou todas elas vão pedir para mudarem de setor.”

  • Como dar o feedback negativo: 

“Se eu puder lhe dizer uma coisa, ontem, durante a reunião, enquanto você estava delegando as tarefas, alguns comentários realizados fizeram eu me sentir desconfortável por serem bastante incisivos. Achei que poderia ter sido apenas impressão minha, mas algumas outras pessoas também comentaram sobre. Sei que não deve ter sido sua intenção, mas pensei que você gostaria de saber antes que se torne algo maior e acabe prejudicando a dinâmica da nossa equipe e impactando em nossa produtividade no futuro. Se você precisar de ajuda, eu tenho alguns livros sobre comunicação não violenta que realmente me ajudaram a ter outra visão sobre as relações no trabalho e eu posso emprestar para você caso tenha interesse.”

Tanto dar quanto receber feedbacks negativos podem ser motivos de bastante estresse e ansiedade. No entanto, se fizermos com intenção de ajudar outra pessoa a melhorar e se desenvolver, isso será reconhecido. Neste post, aprendemos tudo sobre como dar feedbacks negativos. É importante ter em mente somente que esse não é o único tipo de feedback e também não é a única ocasião para se dar feedbacks. Feedbacks positivos, construtivos e informais são também necessários para garantir uma comunicação e desenvolvimentos adequados.

Agora que você aprendeu tudo sobre feedbacks negativos, conheça mais sobre a avaliação qualitativa, o que é e para que serve!

Você também pode gostar