Imagine que você está na liderança de uma grande empresa e se convenceu de que uma certa atitude trará um grande resultado. Você coloca muitos esforços para garantir que tudo ocorra bem, apesar de haver uma série de outros fatores que provam o contrário. No entanto, você não é capaz de enxergar nenhum deles, somente percebendo-os depois que já era tarde demais. Se algo assim já aconteceu com você, pode ser que você tenha sido vítima da percepção seletiva. 

Será que esse conceito, que está muito ligado com a seletividade e a priorização, somente representa uma desvantagem ou será que há benefícios em sua existência? Como amenizar a percepção seletiva? Será que existe uma forma de utilizá-la em nosso favor?

Todas essas questões serão abordadas no texto a seguir. Confira, portanto, o conteúdo que preparamos para você sobre o assunto!

Boa leitura!

O que é percepção seletiva?

Percepção seletiva é um fenômeno psíquico que acontece na maioria das vezes de maneira inconsciente, ou seja, sem que tenhamos controle consciente dessa ação. Ele é caracterizado pela ação de uma pessoa perceber, focar, processar e se submeter a informações que somente reforçam seu ponto de vista, valores e opiniões, ignorando quaisquer outros. 

Em outras palavras, nós escolhemos colocar nossa atenção em eventos e informações que confirmam nossa visão de mundo, mesmo que ela não represente a realidade. Essa ação de selecionar e priorizar determinadas informações acontece sem que tenhamos noção disso, na maioria das vezes. 

De acordo com pessoas especialistas no ramo, a percepção seletiva é influenciada por diversos fatores pessoais, como experiências anteriores, idade, gênero, etnia, posição social e estado emocional. 

Percepção seletiva — Pessoa focalizando uma flor com uma lente de aumento.
A percepção seletiva funciona como se focalizássemos em apenas um estímulo, ignorando os restantes que não nos interessam. 

Quais os dois tipos de percepção seletiva?

Foram descobertos dois tipos de percepção seletiva a partir de estudos realizados na área:

  1. Vigilância perceptiva:
  • É o tipo que se refere ao fato de as pessoas notarem um estímulo que seja significativo para elas.
  • Exemplo: Pessoas que estão interessadas em comprar um carro estão mais suscetíveis a anúncios de carro que passam na televisão ou em redes sociais.
  1. Proteção perceptiva:
  • É o tipo que se refere ao fato de as pessoas criarem uma “proteção imaginária” ou “barreira” para não receberem estímulos que sejam dispensáveis, desagradáveis ou que acreditem que sejam uma ameaça à sua integridade. 
  • Exemplo: Pessoas que são fumantes provavelmente relevam os anúncios de doenças que são acometidas pelo uso de cigarros em embalagens.

Qual a relação entre a percepção seletiva e o efeito Halo?

A percepção seletiva e o efeito Halo são condições que podem aparecer juntas. O efeito Halo é um dos fatores da percepção seletiva em que uma característica em específica de uma pessoa, produto ou objeto faça com que a gente crie uma tendência a tirar conclusões acerca de outras características também positivas sobre ela. 

Por exemplo, se um produto vem em uma embalagem bastante trabalhada e opulenta, automaticamente já acreditamos que ele será de alta qualidade, apesar de uma coisa não ter relação com a outra. Isso é o efeito Halo. 

Para o efeito Halo trabalhar, precisamos ter uma percepção seletiva, percebendo somente aquilo que nos agrada no produto ou pessoa. Ainda seguindo o mesmo exemplo, vamos supor que a embalagem seja leve, considerando que para o produto em questão o peso representa uma vantagem. Porém, por ela ser tão atrativa e chique, acabamos nem considerando o pouco peso do produto e já deduzimos que o produto dentro será de grande qualidade. 

O contrário também acontece, com o efeito Horn, quando deduzimos defeitos a partir de uma característica única, que completamente sobrepõem suas qualidades. 

Qual a diferença entre percepção seletiva e atenção seletiva?

A atenção seletiva é uma das distorções de realidade causadas pela percepção seletiva. A grande diferença entre a percepção seletiva e a atenção seletiva é que a primeira é uma categoria guarda-chuva que inclui todos os estímulos sensoriais, e o segundo diz respeito à ação de ignorar outros estímulos, sejam visuais ou sonoros, em prol de focar a atenção em algo por um período de tempo

Vamos supor que você esteja tentando trabalhar nesse momento construindo um código de programação. Ao mesmo tempo, o cachorro das pessoas que moram ao seu lado continua latindo insistentemente e a rua movimentada onde você mora tem a constante presença de buzinas, freadas bruscas e ônibus se locomovendo. Em prol de trabalhar, você precisa ignorar tudo isso que está acontecendo e focar por um determinado tempo de suas ações.

Essa “distorção” da realidade voltada à atenção é uma forma de percepção seletiva que é necessária para que seja possível realizar uma determinada tarefa enquanto outros eventos fora de seu controle acontecem. A atenção seletiva pode ser induzida ou espontânea, diferentemente da outra, que normalmente é inconsciente. 

Quais os impactos da percepção seletiva?

Existem diversas formas de como a percepção seletiva pode impactar nossa vida diariamente, pois ela estará presente em tudo que fazemos, no nosso trabalho, nos nossos relacionamentos, nas nossas atividades, etc. 

O maior desses impactos é a tendência à generalização, o que faz com que criemos julgamentos prévios pautados em estereótipos. Quando fora de controle, esse processo pode fazer com que distorçamos a realidade ao nosso redor e percamos nossas habilidades de tomar decisões assertivas. 

Como funciona a percepção seletiva na liderança?

Em ambientes corporativos e organizacionais, a percepção seletiva pode ser ao mesmo tempo uma excelente forma de ganhar tempo e ter mais produtividade ao fazer com que foquemos naquilo que realmente necessitamos. Porém, existe também o outro lado que é bastante frequente, especialmente quando envolve dois lados de um conflito.

A percepção seletiva, nesse caso, faz com que a liderança somente escute o que lhe convém, contribuindo para que não haja uma comunicação efetiva e, consequentemente, que não haja sucesso da equipe. Para isso, a pessoa que estiver na frente deve fazer o possível para mitigar essa distorção. 

Outro fator é que foi comprovado por estudos que lideranças são condicionadas a avaliar melhor e ajudar mais pessoas colaboradoras que para elas possuem uma imagem mais positiva, que pode ou não estar acometida pelo efeito Halo. Isso pode levar a alguns conflitos dentro do ambiente organizacional. 

Como evitar a percepção seletiva na liderança

O principal ponto para reduzir os impactos dessa distorção é não acreditar que você é a pessoa mais experiente e que sabe mais que as outras pessoas por estar na liderança. Dessa forma, você conseguirá ouvir melhor o que as pessoas têm a dizer e não somente aquilo que você quer ouvir. 

Ao fazer esse processo, procure ter uma escuta ativa, tendo certeza que você entendeu tudo corretamente e fazendo perguntas sobre aquilo que você não entendeu. Procure pensar de todos os pontos de vista possíveis, e não somente aquilo que você acredita que seja certo. 

O que é a percepção seletiva no marketing?

Como muito no Marketing é sobre conseguir chamar a atenção e convencer você que o produto que está sendo vendido é útil e importante, a percepção seletiva pode ser uma grande ferramenta. Tudo que é necessário ser feito é criar estímulos que passarão por esse filtro e farão você acreditar que, como chegou até sua atenção, é algo relevante

Já teve a sensação que, de repente, o tênis da moda está nos pés de todo mundo, aparecendo em todos os anúncios e somente você ainda não tem um par? Pode ter certeza que isso é a percepção seletiva induzida pelas estratégias de marketing de um produto. 

Quando um alimento, por exemplo, apresenta uma embalagem com cores vívidas e estética agradável, isso reforça a ideia de que provavelmente aquele produto ali dentro também é muito gostoso, em decorrência do efeito Halo. Dessa forma, é possível atrair sua atenção para isso a partir de uma percepção seletiva da embalagem. 

O que é a percepção seletiva na psicologia?

Para a psicologia, a percepção seletiva — ou enviesamento cognitivo — é uma área de estudo para determinar como funciona o processamento de informações e estímulos no cérebro e como priorizamos essas informações. Diversos estudos e pesquisas já foram conduzidos na área, procurando identificar como se dá a percepção seletiva em nosso cotidiano. 

Quais as vantagens da percepção seletiva?

Como esse é um processo natural, condicionado pelo nosso próprio corpo, podemos inferir que existem sim alguns benefícios para nossa sobrevivência. O principal deles é a questão de estímulos. Atualmente, os estímulos — sensoriais ou não — vêm de todos os lados. São anúncios, sons altos, conversas de pessoas passando na rua, cores, imagens, calor, frio, toques, sabores… Imagina para o nosso cérebro ter que processar isso tudo de uma única vez enquanto ocorre!

Primeiro que seria um grande desperdício da nossa energia, pois nem todos esses estímulos são necessários para nossa sobrevivência. Segundo que isso sobrecarregaria nosso cérebro.  Desse modo, a percepção seletiva ajuda a fazer com que aquilo que seja realmente relevante chegue a ser processado em nosso cérebro e, consequentemente, seja perceptível para a gente

Isso pode ser usado também como um sistema de defesa para blindar nossa mente de acabar se prejudicando com informações que sejam demasiadamente impactantes ou fortes. Assim, para não abalar o emocional e causar uma desordem no organismo, a mente prefere fazer com que essa informação não seja identificada e processada. 

Quais as desvantagens da percepção seletiva?

A maior das desvantagens desse recurso do nosso cérebro é a distorção da realidade. Por somente focarmos naquilo que nos interessa e retermos informações que queremos, passamos a acreditar em uma realidade que só cabe a nós e, por vezes, essa realidade pode acabar se distorcendo em relação ao que realmente ocorre. 

Vamos supor uma pessoa que esteja em um relacionamento abusivo. Essa pessoa está em uma distorção da realidade em que ela acredita que não conseguiria ninguém melhor que aquela pessoa. Ele prefere enxergar somente as poucas vantagens do que as inúmeras desvantagens de estar naquele relacionamento, mesmo que pessoas alheias a ele enxerguem com nitidez esse ponto e tentam alertar sobre. 

Em relação ao trabalho, por exemplo, isso pode afetar o julgamento em relação a pessoas colegas. Isso é mais perigoso ainda considerando posições mais elevadas com poder de decisão. Afinal, a percepção seletiva pode levá-las a tomar decisões que não representem de fato o que convém para a realidade.

Exemplo de percepção seletiva!

Esse exemplo foi baseado em um estudo conduzido na década de 1950 por Albert Hastrof e Hadley Cantril, em que uma situação semelhante aconteceu em uma partida de futebol americano

Vamos supor que seu time de futebol do coração esteja jogando na televisão. Você decide ir a um bar assistir ao jogo junto com outras pessoas colegas que torcem para o mesmo time. Lá, outras pessoas estão assistindo ao mesmo jogo, porém, torcendo para o time rival. No decorrer da partida, todas as pessoas concordam que foi uma partida bastante violenta, com bastantes penalizações e faltas. 

O curioso é que cada time teve o mesmo número de faltas e penalizações que o outro quando contados ao assistir à partida novamente. Porém, naquele momento, ao concordar com o fato de que foi uma partida violenta, a sua perspectiva é que a violência partiu completamente do outro time, que havia sido muito violento. 

Ao ouvir isso, a outra mesa de pessoas torcedoras interrompe e discorda completamente dizendo que quase todas as faltas foram causadas pelo seu time. A verdade é que cada um assistiu à partida de uma maneira e a percepção de cada pessoa fez com que ela relevasse as faltas cometidas pelo seu time e percebesse somente as do time rival. 

Isso significaria que cada pessoa assistiu a um recorte diferente da partida condicionado pela sua própria motivação pessoal, criando várias diferentes realidades da partida presentes na mesma partida

Faça o teste de percepção seletiva!

Existe um vídeo que serve perfeitamente para demonstrar como funciona a atenção seletiva e, consequentemente, a percepção seletiva. O teste é um vídeo desenvolvido por Daniel Simons e Christopher Chabris. 

As regras são as seguintes:

  • Assista ao vídeo e procure contar quantas vezes as pessoas de branco passam a bola de basquete umas para as outras.
  • Pause ao chegar ao segundo 40. 
Vídeo original que testa a percepção seletiva

E aí, como foi?

Você conseguiu contar corretamente?

Se você conseguiu contar certo, você deve ter chegado à conclusão de que as pessoas de branco passaram a bola 15 vezes. Porém, o teste não era esse. 

Você chegou a notar o Gorila que passava entre eles enquanto jogavam? Volte ao vídeo e dê play para ver a cena. 

Esse vídeo demonstra que, por querermos contar os passes, acabamos nem notando outros estímulos em volta, mesmo que absurdos, como um gorila na cena. Esse teste ficou conhecido como “The Invisible Gorilla” ou “O Gorila Invisível”. 

Apesar de não conseguirmos — e nem devemos — extinguir a percepção seletiva de nossas vidas, devemos saber conviver com ela e como fazer para que ela não nos engane e acabarmos perdendo coisas importantes, como o gorila acima. Logo, é importante sempre parar para pensar duas vezes, procurar o verdadeiro significado das coisas, ir além dos impulsos e estímulos que nos levam a tomar decisões fáceis.

Pesquise, compare, tire conclusões e, acima de tudo, permita-se participar do ponto de vista de outras pessoas. Se esse ponto de vista for completamente distinto do seu, ainda melhor! Procure entender de onde nasce os pensamentos e a realidade de outras pessoas. Procure considerar se o seu pensamento não seria diferente também caso o contexto fosse outro. A partir disso, você estará começando a ver a partir do véu da percepção seletiva. 

Oba, você aprendeu muito sobre percepção seletiva! Porém, não pare agora! Aprenda sobre Storytelling e descubra essa técnica excepcional para qualquer área que você estiver atuando!

Você também pode gostar