Com o mercado de tecnologia aquecido, não faltam pessoas querendo aprender a programar. Para isso, existem diversas possibilidades, desde o aprendizado autodidata até uma a formação em uma faculdade. Mas será que existe uma faculdade de programação?

É sobre isso que vamos falar neste artigo. Se você quer se tornar uma pessoa programadora, uma faculdade pode te dar uma base sólida de aprendizado sobre tecnologia e desenvolvimento de softwares. Depois, você pode se aprofundar em determinadas áreas ou linguagens da programação para se destacar no concorrido mercado de TI.

Agora, acompanhe tudo o que vamos falar sobre a possibilidade de cursar uma faculdade de programação e quais formações você pode fazer para entrar nesse mercado. Siga conosco!

Existe faculdade de programação?

Não existe uma faculdade de programação no Brasil. Sim, se você estava buscando por essa informação no Google, fique sabendo que esse curso não existe.

Mas calma: existem outros cursos de ensino superior na área de TI que vão ajudar você a entender a lógica da programação e criar seus primeiros códigos. Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Engenharia de Software, Sistemas da Informação e Análise de Sistemas são as principais faculdades que você pode cursar para aprender a programar.

Mais adiante, vamos apresentar cada uma dessas faculdades, além do curso em desenvolvimento da Trybe, que oferece uma formação completa em programação.

Preciso de uma faculdade para ser programador?

Não é necessário cursar uma faculdade de programação para se tornar programador ou programadora. Para o mercado, o que importa é que você sabe, não o diploma que você tem.

Então, você pode fazer outros tipos de cursos em programação, que podem oferecer uma formação mais rápida ou específica em alguma área de desenvolvimento. Com o aquecimento do mercado, surgiram diversas opções de cursos (online ou presenciais, pagos ou gratuitos) como o da Trybe, que oferecem uma formação completa e são reconhecidos pelo mercado.

Para você ter uma ideia, grandes nomes da tecnologia, como Bill Gates, Mark Zuckerberg e Steve Jobs, não terminaram a faculdade. Isso mostra que você não precisa de um diploma para ter sucesso. Porém, o próprio Gates já disse: “não repitam o que eu fiz”.

Portanto, é importante dizer que o conhecimento acadêmico é valioso. Em uma faculdade, você constrói uma base sólida de conhecimento e explora diferentes áreas do desenvolvimento (front-end, back-end, banco de dados, desktop, mobile etc.).

Além disso, você convive com colegas e professores da mesma área, desenvolve períodos de estágio e constrói um caminho mais certeiro na profissão. É uma formação mais longa e mais abrangente, que oferece diversas experiências de crescimento pessoal e profissional.

Depois de cursar uma faculdade, você ainda pode se especializar em alguma pós-graduação ou curso específico, além de se manter sempre em dia com as novas linguagens e ferramentas.

Qual faculdade fazer para ser programador? Veja os cursos!

Vamos ver agora algumas opções de cursos de graduação e tecnólogo que você pode fazer para ser programador ou programadora. Confira:

1 – Ciência da Computação

Ciência da Computação é um curso completo para entender os sistemas computacionais, com uma abordagem mais focada na teoria e na matemática. Costuma ser oferecido como bacharelado na graduação. Saiba mais sobre essa formação:

Conhecimentos adquiridos sobre programação

O aluno de Ciência da Computação aprende os fundamentos da computação, linguagens de programação, sistemas operacionais, engenharia de software, inteligência computacional, entre outros conhecimentos. Embora o curso ensine a programar, tem um foco menos prático no desenvolvimento e mais teórico na computação.

Soft skills adquiridas

Entre as soft skills dos cientistas da computação, podemos destacar o pensamento crítico e a capacidade de resolução, que são importantes para encontrar as soluções de problemas complexos com que eles lidam.

Duração do curso

O curso de Ciência da Computação geralmente dura 5 anos, mas existem formações em 4 anos em algumas universidades.

2- Engenharia da Computação

Engenharia da Computação é um curso voltado para o desenvolvimento de sistemas computacionais e suas aplicações, de forma integrada entre hardware e software. Geralmente é oferecido na modalidade de bacharelado. Veja outras informações:

Conhecimentos adquiridos sobre programação

A graduação em Engenharia da Computação oferece uma formação completa sobre especificação, projeto, desenvolvimento, implementação e manutenção de sistemas computacionais. Isso inclui sistemas embarcados, arquitetura de computadores, desenvolvimento de software, redes e sistemas de comunicação e outros conhecimentos.

Soft skills adquiridas

Engenheiros da computação costumam ser profissionais com habilidades de planejamento, autogestão e resolução, já que precisam resolver problemas complexos com autonomia. Também desenvolvem habilidades de liderança e visão de negócio.

Duração do curso

O curso de Engenharia da Computação pode levar de 4 a 5 anos.

3 – Engenharia de Software

O curso de Engenharia de Software geralmente é oferecido na modalidade de bacharelado, mas também existem cursos de tecnólogo. É voltado para quem deseja aprender sobre arquitetura e desenvolvimento de softwares, do projeto à execução. Veja mais detalhes:

Conhecimentos adquiridos sobre programação

A faculdade de Engenharia de Software ensina os fundamentos da computação, lógica de programação, modelagem e projeto de software, verificação e validação, manutenção, gestão da qualidade, entre outros conhecimentos.

Diferentemente da Engenharia da Computação, esse curso não trata do hardware das máquinas, embora tangencie esse tema. E, diferentemente da Ciência da Computação, tem uma abordagem mais prática.

Soft skills adquiridas

Entre as soft skills, o egresso do curso de Engenharia de Software adquire mais organização e autogestão para desenvolver seus projetos.

Duração do curso

A graduação em Engenharia de Software geralmente leva 4 anos ou 8 semestres, mas também podem ter cursos de até 5 anos.

4 – Sistemas da Informação

O curso de Sistemas da Informação forma profissionais para análise, desenvolvimento e gerenciamento de sistemas de computação. A formação em nível superior pode ser oferecida como bacharelado ou como curso tecnológico. Saiba agora mais detalhes:

Conhecimentos adquiridos sobre programação

Na formação em Sistemas da Informação, você aprende as bases da computação, linguagens de programação, infraestrutura de TI (redes de computadores, sistemas operacionais, engenharia de software etc.) e gestão em TI (arquitetura organizacional, governança de TI etc.).

Soft skills adquiridas

Entre as habilidades comportamentais, quem se forma em Sistemas da Informação costuma desenvolver capacidades de resolução de problemas, autogestão nos seus projetos e pensamento crítico.

Duração do curso

O curso de bacharelado em Sistemas da Informação geralmente tem duração de 4 anos. Já o curso tecnológico pode durar de 2 anos a 2 anos e meio.

5 – Análise de Sistemas

O curso de Análise de Sistemas também pode formar programadores e programadoras, com foco em sistemas computacionais, envolvendo projeto, documentação, especificação, teste, implementação e manutenção. Geralmente é oferecido como curso tecnológico. Confira mais informações:

Conhecimentos adquiridos sobre programação

O curso de Análise de Sistemas forma profissionais com conhecimentos em linguagens de programação, pensamento computacional, arquitetura de computadores, sistemas operacionais, além de administração de banco de dados e governança em TI.

Soft skills adquiridas

As soft skills dos egressos da faculdade de Análise de Sistemas são semelhantes às dos outros cursos, principalmente organização, autogestão e pensamento crítico para resolver problemas.

Duração do curso

O curso de formação em tecnólogo de Análise de Sistemas (ou Análise e Desenvolvimento de Sistemas) tem duração mínima de 2 anos e meio.

6 – Curso de desenvolvimento da Trybe

O curso de desenvolvimento da Trybe é uma formação completa em programação. Não é uma faculdade, não é um curso de nível superior, mas ensina os alunos a programar do zero e habilita os profissionais a se colocarem no mercado em posições bastante valorizadas. Veja mais informações sobre o curso:

Conhecimentos adquiridos sobre programação

A formação em desenvolvimento da Trybe ensina desde os fundamentos de desenvolvimento web até a introdução à ciência da computação. Os alunos aprendem os conceitos básicos da internet, as principais linguagens de programação, administração de banco de dados, boas práticas de segurança, algoritmos, arquitetura de computadores, entre outros conhecimentos.

Soft skills adquiridas

A Trybe prepara seus alunos para o mercado de trabalho. Os egressos do curso desenvolvem habilidades de colaboração, comunicação, pensamento crítico, criatividade, liderança para gerenciar equipes de TI e inteligência emocional para enfrentar os desafios do mercado.

Duração do curso

O curso tem duração de aproximadamente 12 meses, com cerca de 1500 horas de conteúdo e aulas ao vivo de segunda a sexta, das 14h às 20h. É um período de estudos que exige foco e dedicação dos alunos, que são acompanhados por um time de especialistas, instrutores e facilitadores sempre ao seu lado. O caminho é árduo, mas recompensador.

Como está o mercado de trabalho para a programação atualmente?

Programação está entre as profissões mais promissoras para o futuro. No mercado de tecnologia, saber programar é uma habilidade básica e cada vez mais requisitada, já que toda organização precisa desenvolver seus dispositivos, sistemas e programas.

É papel do programador, independentemente da sua formação, possibilitar a comunicação entre pessoas e máquinas por meio dos códigos. Esse é o profissional que domina essa habilidade técnica e permite que as empresas desenvolvam suas aplicações.

De olho nessa habilidade, muitas empresas procuram e valorizam as pessoas programadoras. A remuneração é muito variável, conforme a região, a experiência e a especialidade do profissional, mas a média é acima de R$ 4.500 ao mês, conforme o site Salario.com.br.

É importante saber que profissionais de programação também têm tido bastante procura de empresas do exterior, principalmente como programadores freelancers. Nesse caso, os ganhos em dólar tendem a se tornar mais vantajosos.

Quais os passos iniciais para ser um bom programador?

A vontade de programadores iniciantes é começar logo a codar. Mas pode levar algum tempo até que você consiga escrever seus primeiros códigos. Por isso, os primeiros passos devem ser outros.

Primeiramente, é importante se inserir nas comunidades de desenvolvedores para começar a entender como funciona esse universo. Participe de fóruns e converse com outros profissionais para saber o que eles fazem.

Além disso, entenda os principais conceitos e a lógica de programação, que são as bases para aprender a programar. Para isso, você pode pesquisar conteúdos pela internet, em blogs e canais do YouTube, ou fazer alguns cursos rápidos e gratuitos.

Quando você já tiver uma base de conhecimento, pode começar a criar seus primeiros códigos e, mais adiante, construir seu portfólio de programação.

Quais as principais linguagens um programador precisa aprender?

Existe uma infinidade de linguagens de programação. A especialidade da pessoa programadora vai depender do seu planejamento de carreira, dos caminhos que deseja seguir e das linguagens com que mais se identifica.

Mas algumas linguagens são imprescindíveis, por serem amplamente usadas pelas empresas ou serem base para outras linguagens. Veja algumas indicações:

·        JavaScript

·        Java

·        Python

·        HTML

·        PHP

·        CSS

·        C

·        C#,

·        C++

·        Ruby

Como conseguir seu primeiro emprego como programador?

Conquistar uma boa colocação na área de TI é desafiador. O mercado é bastante amplo, com diversas vagas em todo tipo de organização, mas também muito concorrido, com inúmeros profissionais das mais diversas especialidades.

Para essa tarefa se tornar mais fácil, é importante buscar qualificação profissional, como você já deve estar buscando por estar lendo este artigo. Mas, mesmo depois de um curso, mantenha-se sempre ativo e em dia com as novidades do mercado.

Além disso, é importante também criar a sua rede de contatos. Converse com as pessoas, participe de fóruns e demonstre seu interesse em entrar no mercado de TI. Mostre as suas qualificações e aproveite as oportunidades que surgirem.

A Trybe entende os desafios do mercado de TI e prepara os seus alunos para se colocarem nas melhores posições. O curso conecta os alunos às melhores oportunidades profissionais por meio de parcerias com mais de 500 empresas parceiras dispostas a contratar. Em até 3 meses depois do curso, 9 a cada 10 alunos e alunos da Trybe já estão trabalhando.

Cursar uma faculdade de programação é um dos caminhos possíveis para se tornar programador ou programadora. Uma formação em nível superior certamente oferece um aprendizado estruturado e qualificado para ter sucesso no mercado de tecnologia.

Mas somente um diploma não garante o seu lugar no concorrido mercado de TI. O que as empresas querem é que você domine a programação, as linguagens, os conceitos e tudo o que está por trás dos sistemas computacionais.

Na Trybe, oferecemos uma formação completa para você dominar a programação e conquistar seu espaço no mercado. Aproveite agora para se inscrever na próxima turma do curso de desenvolvimento da Trybe.

Você também pode gostar