O declínio do mercado Web3 (também chamada de web 3.0), especialmente quando tratamos de jogos NFT, tem dado margem a novos empreendimentos na tentativa de conquistar empreendedores, como aconteceu em 2021. Desta vez, há um case de sucesso a ser analisado: The Wildcard Alliance, da Playful Studios.

De acordo com o VentureBeat, os desenvolvedores de Words With Friends e Lucky’s Tale desta vez conseguiu arrecadar nada menos que US$ 46 milhões (ou cerca de R$ 235 milhões) para este novo título. Wildcard tem o objetivo de introduzir a Web3 ao “próximo bilhão de jogadores” de maneira acessível. 

A diferença dos demais títulos é bastante clara, pois o game pretende conquistar pela sua jogabilidade, antes mesmo de convencer os jogadores a adentrar no mercado – como outras empresas de jogos blockchain têm feito. O projeto, em desenvolvimento há cinco anos, por enquanto está no estágio pré-alfa, ou seja, em fase de testes restritos.

O que é The Wildcard Alliance?

Um híbrido de MOBA (como League of Legends e Dota), estratégia em tempo real (Age of Empires) e cartas colecionáveis (Hearthstone). Este é Wildcard, que será baseado em blockchain por conta da empresa acreditar em como a tecnologia Web3 pode “trazer algo especial” para os jogos. O nome completo, The Wildcard Alliance, é homônimo da divisão criada dentro da empresa, mas o jogo vem sido apelidado de apenas Wildcard.

Por ora, a equipe consiste de 100 desenvolvedores, que trabalharam em títulos como Halo Wars, New Super Lucky’s Tale, Orcs Must Die e Words With Friends. Um grande diferencial do próximo título é ter uma espécie de arena para sediar as batalhas, onde os jogadores ficam rodeados por fãs e espectadores, com interações ao vivo.

Desenvolvimento em Web3

Imagens de divulgação Wildcard
Um híbrido de MOBA (como League of Legends e Dota), estratégia em tempo real (Age of Empires) e cartas colecionáveis (Hearthstone). Este é Wildcard, que será baseado em blockchain.

Nos últimos cinco anos de desenvolvimento, a empresa decidiu reduzir a equipe e se concentrar em um projeto principal, a partir de 2019. Funcionários foram e voltaram com a pandemia, sem impactar drasticamente o progresso do jogo, desde então.

Para entrar no competitivo mercado de blockchain (que pelo menos se fez assim em 2021), a empresa sediada do Texas (EUA), criou a divisão The Wildcard Alliance dedicada ao título. Paul Bettner, co-fundador do estúdio, afirma que a visão inicial foi unir os gêneros distintos, em primeira instância.

“Tem sido desafiador, como voltar ao nosso trabalho no Age of Empires (…) Foi uma jornada encontrar a fórmula da diversão neste jogo. E tem sido parte do motivo pelo qual levamos vários anos para chegar ao ponto em que nos sentimos confiantes”, afirma em entrevista ao VentureBeat.

Do lado de investimentos, temos o pontapé inicial da Paradigm, que financia empresas de criptomoedas e de Web3. Junto dela, houve apoio da Griffin Gaming Partners e de Sabrina Hahn, investidores de alto nível

“As plataformas Web3 apresentam uma tremenda oportunidade para construir um entretenimento que pode incluir, capacitar e integrar milhões de novos jogadores”, disse Bettner em comunicado. “Apesar da oportunidade, o foco atual do desenvolvimento de jogos Web3 tende a ser o financiamento sobre a diversão, a economia do engajamento, a moeda da comunidade. Com Wildcard, focamos na diversão em primeiro lugar, construindo um ‘esporte espectador’ de última geração”.

Você também pode gostar