Um levantamento feito pela Relevo, empresa especializada em recrutamento no setor de tecnologia, aponta que menos de 2% (1,6%) dos convites das empresas de TI são voltados para candidatos com algum tipo de deficiência.

Realizada entre janeiro e maio de 2021, a pesquisa indica que o segmento de tecnologia ainda está longe de absorver profissionais com deficiência no Brasil.

De acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 24% da população – quase ¼ dos cidadãos – declarou ter deficiência mental ou algum grau de dificuldade em atividades como enxergar, ouvir, caminhar ou subir degraus.

A pesquisa revela ainda que o déficit de oportunidades para PCDs  não é falta de demanda. O Brasil possui uma base composta por 24 mil empresas do setor e mais de 43 mil vagas em aberto no mercado.

Entre as áreas mais buscadas pelas empresas, a que mais se destacou foi a de desenvolvedor, que responde a 79,4% dos convites.

As contratações são maiores também em desenvolvimento, com 76,16% da fatia, enquanto o ramo de TI contratou 4,26% de pessoas com deficiência.

Mão fazendo leitura em braile

De acordo com Lucas Mendes, cofundador da Revelo, o relatório evidencia a importância para o mercado de TI “investir na contratação desses profissionais”, já que isso também contribui para criar “uma sociedade mais justa e igualitária”.

Empresas abrem curso gratuito para pessoas com deficiência

As gigantes da tecnologia IOS, Dell e Intel abriram cursos gratuitos para pessoas com deficiência. A intenção do projeto é incentivar o emprego para PCDs, uma vez que, de acordo com o último Censo, cerca de 9 milhões dos brasileiros que convivem com algum tipo de deficiência estão aptos a ingressar no mercado de trabalho.

Os números também indicam que menos da metade das vagas (48%) para deficientes estão ocupadas. A iniciativa é voltada para pessoas com deficiência acima de 16 anos.

Deixe um comentário
Você também pode gostar