Depois de sofrer um dos piores apagões da sua história, no dia 4 de outubro de 2021, o Facebook decidiu banir um programador de sua equipe.

Louis Barclays era responsável pela criação de uma ferramenta que pretendia combater e reduzir o vício da rede social. Agora, ele está impedido de criar qualquer tipo de aplicação ou serviço que esteja associado à empresa de Mark Zuckerber.

O aplicativo desenvolvido por Barclays é uma extensão chamada Unfollow Everything. O serviço permite que o usuário deixe de seguir todos os seus contatos e impede o envio de notificações de grupos e páginas.

Pessoa codificando em um Laptop.

Dessa forma, ele mantém as amizades, mas fica com o feed de notícias vazio. O objetivo do programador era eliminar a ‘poluição visual’ do Facebook e dar ao usuário todo o poder sobre o que este deseja ver. 

Barclays afirmou, após a limpeza, que se sentiu menos viciado e sem o impulso de usar a plataforma, deixando de fazer o ‘scroll down’ regularmente para ver os conteúdos.

Facebook desativou contas do ex-funcionário

No entanto, depois do lançamento do aplicativo, a equipe de Zuckerberg enviou uma carta a ele, solicitando que ele suspendesse o projeto. O programador não acatou o pedido e, com isso, teve suas contas do Facebook e do Instagram desativadas pela empresa.

Na carta enviada ao ex-funcionário, a companhia exigia que Barclays entregasse a ela uma lista com cada um dos domínios que ele possuía, além das contas das redes sociais que ele criou, desenvolveu e geriu.

O programador também foi obrigado a revelar todos os produtos que desenvolveu e que tinham ligação com o Instagram, Facebook ou outros serviços da marca, incluindo apps e APIs usadas.

O prazo dado para a entrega desses dados foi de 48 horas, mas o programador não o cumpriu. Por isso, a empresa classificou a conduta como imprópria e desligou o profissional do grupo.

Deixe um comentário
Você também pode gostar