Apesar do tamanho da importância de um programador para a sociedade contemporânea, o sistema cognitivo e as bases neurais de quem exerce essa função fundamental ainda são muito desconhecidas. Afinal, qual área do cérebro desse profissional é ativada na hora que alguém está criando e desenvolvendo um software? 

Os cientistas da Universidade Johns Hopkins fizeram um mapeamento de toda a atividade cerebral de programadores, analisando a mecânica neural por trás da habilidade de programar. Os estudos foram publicados na revista científica eLife Sciences.

A suspeita era de que o mecanismo do cérebro para a programação de computadores seria semelhante ao da matemática ou mesmo da linguagem. A pesquisa revelou que, no caso de programadores experientes, a maior parte da atividade cerebral acontece na rede responsável pelo raciocínio lógico, mas acontece também na região esquerda do cérebro, a que é favorecida pela linguagem. Confira o mapa do estudo:

Como funciona o cérebro de um programador

No gráfico, é possível ver as ativações cerebrais durante o momento em que o programador está desenvolvendo o software, em comparação com as ações relacionadas à raciocínio lógico e linguagem. 

“Como há tantas maneiras de as pessoas aprenderem programação, desde tutoriais a cursos formais, é surpreendente que encontremos um padrão de ativação cerebral tão consistente em pessoas que escrevem códigos”, disse o autor principal do estudo, Yun-Fei Liu, estudante do Laboratório de Neuroplasticidade e Desenvolvimento da universidade. “É especialmente surpreendente porque sabemos que parece haver um período crucial que geralmente termina no início da adolescência para a aquisição da linguagem, mas muitas pessoas aprendem a codificar quando adultas”, acrescentou. 

Pesquisadores ainda esperam ampliar descobertas

Já é de amplo conhecimento científico como é o funcionamento do cérebro quando alguém exerce atividades como leitura, tocar um instrumento ou estudar matemática. No entanto, os mecanismos neurais relacionados à programação de computadores ainda foram pouco destrinchados. Liu espera descobrir o que faz um programador ser um bom profissional. 

“As pessoas querem saber o que torna alguém um bom programador. Se soubermos que tipo de mecanismos neurais são ativados quando alguém está programando, poderemos encontrar um método de treinamento melhor para programadores“, explicou.

Para realizar o estudo, Liu procurou 15 especialistas, com experiência na linguagem da programação de Python. O estudante usou um scanner de fMRI para medir a atividade cerebral deles enquanto trabalhavam nas questões de codificação. O laboratório da universidade espera que, no futuro, consiga determinar se aprender a codificar é um processo mais fácil para as pessoas mais jovens.

“É verdade que os adultos podem aprender a programar, mas as crianças são ainda melhores nisso? Ou talvez a codificação não tenha um período crítico de aprendizagem e é isso que a torna especial”, disse a autora sênior Marina Bedny, professora associada de Psicologia e Neurociência. “Pode ser que nosso sistema educacional esteja errado e deveríamos estar ensinando crianças a programar no ensino médio ou então eles estão perdendo a oportunidade de ser o melhor que podem”, refletiu.

1 Shares:
Você também pode gostar