Banido da maioria das plataformas de mídias sociais, o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump anunciou planos de formar uma empresa pública para lançar uma rede social própria, reivindicando a criação de um espaço para se defender da tirania das grandes empresas de tecnologia.

O release que anunciou o projeto, chamado de TRUTH Social, demonstra uma confiança típica de Trump, mas a viabilidade e outros detalhes do projeto ainda não estão evidentes.

A expectativa é que a TRUTH Social na versão beta seja lançada em novembro, com maior implementação em 2022. Os usuários podem se cadastrar na plataforma no endereço truthsocial.com.

O texto de lançamento destaca Trump como presidente do Group Trump Media & Tecnologia, que seria formada a partir da integração à Digital World Acquisition Corp.. A DWAC é uma empresa de aquisição que vende ações com a intenção de comprar companhias privadas.

De acordo com o release, a organização vai investir U$S 293 milhões no projeto do ex-presidente norte-americano. A empresa, sediada em Miami, foi fundada em dezembro de 2020.

Usuários não poderão criticar a plataforma

Donald Trump foi banido do Facebook, Twitter e Youtube no dia 6 de janeiro, data em que os apoiadores de Trump invadiram o Capitólio durante a sessão de contagem dos votos da eleição americana, que elegeram Joe Biden o novo presidente dos EUA.

As contas do ex-presidente também foram acusadas de espalhar fake news a respeito de fraudes na eleição presidencial de 2020.  Ele e seus aliados reclamaram que as plataformas de tecnologia tentaram silenciar vozes conservadoras – embora alguns deles, como o comentarista político Bem Shapiro, tenham obtido grande popularidade devido à presença nas redes.

Celular com a tela inicial.

O ex-estrategista de comunicação de Trump, Jason Miller, também inaugurou sua própria plataforma, a GETTR. Em recente declaração, Miller afirmou:

“Trump tem sido um ótimo investidor, mas nós não conseguimos chegar a um acordo”.

Depois, ele parabenizou Trump pelo lançamento da sua empresa.

Truth Social alega ser um lugar que “incentiva uma conversa global livre, aberta e honesta sem discriminação de ideologias políticas”. Nos seus termos de serviços, está proibido que usuários “nos menosprezem, manchem nossa reputação ou nos prejudiquem e/ou façam o mesmo com a plataforma”.

Deixe um comentário
Você também pode gostar