Na semana passada, a Apple anunciou uma nova data de reabertura dos seus escritórios para receber os funcionários em um regime de trabalho híbrido. Com isso, ela foi uma das últimas grandes empresas de tecnologia a abrir mão do home office em tempo integral.

A reabertura dos escritórios não significa que o trabalho remoto será extinto. Muitas companhias optaram pela combinação entre o home office e o presencial, atendendo a uma demanda dos próprios funcionários. 

Conforme já indicado em algumas pesquisas, uma parcela significativa dos trabalhadores afirma que vão priorizar vagas de emprego que oferecem a flexibilidade de trabalhar de qualquer lugar.

Desde que os funcionários foram mandados para casa no início da pandemia de Covid-19, muitas empresas vêm adiando os seus planos de reabertura dos escritórios devido às incertezas associadas ao contexto sanitário atual, principalmente com o surgimento de novas variantes do vírus. 

 Agora, as estratégias de implementação do regime híbrido estão finalmente sendo colocadas em prática, o que pode ajudar empresas menores a estruturarem seus próprios planos de reabertura.

Listamos aqui as companhias de maior destaque na área da tecnologia que já se mobilizaram para o retorno ao trabalho presencial e as estratégias adotadas por cada uma.

Microsoft

A Microsoft foi uma das primeiras a receber os funcionários de volta aos seus escritórios. Após verificar que a maioria dos trabalhadores estava vacinada, a empresa anunciou que a reabertura oficial da sua sede em Washington e de outros escritórios seria no dia 28 de fevereiro. 

Isso representou a última etapa do que a empresa batizou de “jornada do trabalho híbrido”, um plano que vem sendo desenvolvido há quase dois anos. A partir do dia 28, os funcionários teriam 30 dias para adaptar suas rotinas e passar a adotar as preferências de trabalho acordadas com seus gerentes, segundo a Microsoft

Twitter

No caso do Twitter, a reabertura dos escritórios está marcada para o dia 15 de março. No entanto, o retorno ao regime presencial não será obrigatório. Segundo Parag Agrawal, CEO da empresa, os funcionários deverão trabalhar do local em que se sentem mais produtivos e criativos, e isso inclui home office em tempo integral e permanente. 

Apesar da flexibilidade oferecida, ele ressaltou que isso implicará muitos desafios nos próximos meses, afirmando que as equipes deverão ser “proativas, intencionais, aprender e adaptar”. A expectativa é que a possibilidade de escolher trabalhar de casa permanentemente possa beneficiar a empresa em termos de retenção e aquisição de talentos. 

Google

Após adiar a reabertura dos seus escritórios, prevista para janeiro, devido à variante ômicron, o Google espera retomar seus planos no dia 4 de abril. A medida se aplica às equipes dos Estados Unidos, Reino Unido e Ásia-Pacífico.

Os funcionários que não estiverem prontos para retornar ao regime presencial poderão solicitar uma extensão do período de home office. Ainda de acordo com a empresa, aqueles que decidirem frequentar os escritórios deverão estar totalmente vacinados ou apresentarem um certificado de isenção aprovado. 

A expectativa é que o regime híbrido inclua três dias de trabalho presencial por semana, mas isso pode variar de acordo com cada equipe e diferentes cargos. 

Apple

Logo da empresa Apple!
A partir do dia 23 de maio, a empresa espera que os funcionários frequentem seus escritórios pelo menos três vezes por semana.

A Apple será a última a migrar para o modelo híbrido, com uma reabertura gradual dos seus escritórios a partir do dia 11 de abril. Inicialmente, os trabalhadores deverão adotar o regime presencial uma vez por semana, aumentando para dois dias a partir da terceira semana do período de transição. 

A partir do dia 23 de maio, a empresa espera que os funcionários frequentem seus escritórios pelo menos três vezes por semana. Ciente da controvérsia que a medida poderia despertar, a Apple diz estar comprometida em oferecer suporte e flexibilidade às equipes durante esse processo de reabertura, o que inclui a possibilidade de trabalhar remotamente por até quatro semanas no ano.

Você também pode gostar