A fabricante de automóveis Honda anunciou seus planos de ingressar em novas áreas do mercado, como robótica e tecnologias espaciais. As iniciativas serão lideradas pela Honda R&D Co., o braço de pesquisa e desenvolvimento da empresa. 

Os planos são ambiciosos, com a companhia afirmando que o objetivo é expandir o potencial da mobilidade à terceira e quarta dimensão, até chegar ao espaço sideral. Apesar de sonhar alto, a Honda está ciente de que isso não é um trabalho a ser realizado da noite para o dia.

De acordo com a empresa, as tecnologias desenvolvidas por ela durante os últimos 73 anos poderão ser aproveitadas e evoluir para que possam atender às diferentes demandas de mobilidade no futuro. 

Isso inclui o trabalho da companhia que vem sendo feito em áreas como combustão, eletrificação, controle e robótica. 

Carros voadores, robôs e exploração espacial

O objetivo da empresa é expandir o potencial da mobilidade à terceira e quarta dimensão

Um dos primeiros projetos em que a Honda pretende investir para se aproximar desse futuro são os eVTOLs. Acrônimo de “electric vertical take-off and landing”, os eVTOLs são basicamente carros elétricos voadores. 

O conceito é parecido com o de um helicóptero, já que se trata de um veículo que decola e pousa verticalmente. As principais diferenças são que eVTOLs foram projetados para serem mais seguros, silenciosos e produzirem menos poluição.

Como o próprio nome já diz, os eVTOLs são todos elétricos. A ideia da Honda, no entanto, é desenvolver um veículo híbrido que utilize combustível a gás também, já que a capacidade das baterias limita o alcance dos eVTOLs, inviabilizando viagens de longa distância. 

Além dos carros voadores, a Honda está trabalhando em seu robô humanóide Asimo. O propósito dele é funcionar como uma espécie de marionete. O usuário utiliza um headset de realidade virtual para controlar o avatar, além de uma luva tática para guiar os movimentos com as mãos de forma precisa

De acordo com a empresa, o objetivo é que esse projeto de robótica tenha diferentes aplicações, como em cirurgias remotas ou para explorar áreas desabitadas ou de difícil acesso, incluindo o espaço. 

A Honda ainda afirma que a mão robótica será a peça-chave para o Asimo, permitindo que ele possa realizar tarefas complexas, que são exclusivas aos seres humanos atualmente, de forma rápida e precisa a partir do sistema apoiado por inteligência artificial

Indústria automotiva investe em robótica

A Honda não é a única fabricante de carros a olhar para a robótica como futuro da mobilidade — embora seja uma das primeiras a desenvolver um projeto como o Asimo. A Toyota também já conta com um robô humanoide chamado T-HR3, anunciado ainda em 2017.

Assim como o Asimo, o T-HR3 da Toyota funciona como um avatar, reproduzindo os movimentos do seu usuário, que controla o robô por meio de um headset de realidade virtual. 

A Tesla foi uma das empresas mais recentes a entrar oficialmente nesse mercado, anunciando em agosto deste ano seus planos para desenvolver um robô humanoide.    

Embora ainda não haja detalhes sobre esse projeto, Elon Musk chegou a afirmar que a ideia é que o robô execute tarefas diárias como ir ao supermercado, fazendo com que os trabalhos físicos sejam opcionais no futuro

Deixe um comentário
Você também pode gostar