O Google revelou nesta semana os resultados da sua pesquisa 2021 Go Developer Survey. Os números indicam que a maioria dos desenvolvedores que utilizam a linguagem de programação Go, criada pela gigante de buscas, estão satisfeitos, mas ainda sentem falta de alguns recursos, assim como opções de bibliotecas disponíveis no Python, por exemplo. 

Para o estudo, a equipe do Go entrevistou 11.840 desenvolvedores, sendo que 54% afirmaram estar muito satisfeitos com a linguagem, enquanto que 38% declararam estar relativamente satisfeitos. 

De acordo com o Google, o fato de 92% dos participantes estarem pelo menos “relativamente satisfeitos” com a linguagem Go significa que essa percepção mantém-se similiar aos resultados obtidos em pesquisas anteriores. 

Os dados obtidos no estudo revelaram que os principais motivos de alguns desenvolvedores ainda mostrarem-se resistentes em utilizar o Go são os recursos limitados (39%) e a falta de suporte de bibliotecas (34%), sendo que este último é um dos pontos fortes da linguagem Python.

Linguagem Go.
Os principais motivos de alguns desenvolvedores ainda mostrarem-se resistentes em utilizar o Go são os recursos limitados (39%) e a falta de suporte de bibliotecas (34%)

Um ponto importante a ser ressaltado, no entanto, é o fato de que a pesquisa foi realizada entre 26 de outubro e 16 de novembro de 2021, o que pode não refletir a opinião atual dos desenvolvedores. Isso porque em março deste ano, foi lançada a versão 1.18 da linguagem, com algumas novidades que atendem a essas demandas identificadas no estudo. 

Novos recursos

Em 2021, o motivo mais citados pelos desenvolvedores para evitar o Go foi a falta de suporte a genéricos, o que torna a linguagem ineficiente para escrever códigos para diferentes tipos de dados.

A boa notícia é que a versão 1.18 permite que os usuários consolidem  o código em uma única rotina, ainda mantendo a segurança. Outra novidade são os códigos mais legíveis e com melhor desempenho. De acordo com o Google, isso representa um benefício significativo para a produtividade e desempenho.

A expectativa é que o impacto dessas mudanças seja refletido nos resultados da pesquisa do próximo ano. 

O segundo principal obstáculo para a adoção do Go é o tipo de sistema, segundo o estudo. No entanto, o Google afirma que vai observar como a introdução de genéricos poderá influenciar ou atender às demandas dos desenvovedores antes de realizar qualquer alteração adicional. 

Concorrência

Em relação às outras linguagens de programação, os principais concorrentes são Rust, Python, Java, TypeScript e C#. Quando questionados sobre sua escolha como alternativa ao Go, 25% dos desenvolvedores citaram Rust; 17% escolheram Python; 12%, Java; 8%, TypeScript; e 8%, C#.

O Rust e o Go apresentam conjuntos de recursos complementares, o que explica por que o Rust é uma das opções mais escolhidas pelos desenvolvedores quando a linguagem Go não consegue atender as demandas de um projeto, conclui o Google. 

Já no caso do Pyhton, as principais vantagens são o suporte de infraestrutura já existente e o amplo ecossistema de pacotes, o que pode dificultar a mudança para a linguagem Go. 

A pesquisa deste ano também revelou que o VS Code, da Microsoft, continua a ser o editor de código mais popular entre os usuários de Go, seguido do IntelliJ.

Você também pode gostar